1. Spirit Fanfics >
  2. Meu querido chef >
  3. Cap. 10

História Meu querido chef - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Oi amores mais um cap, hj na visão do nosso Uchiha, espero que gostem



BOA LEITURA!!!!!!!

Capítulo 10 - Cap. 10


Acordei com os raios do sol entrando pela janela, abri os olhos devagar, me acostumando com a claridade, olhei todo o quarto recordando da noite passada, abaixei o olhar vendo os cabelos rosados espalhados pelo meu peitoral, sorri lembrando que ontem ela finalmente foi minha e eu dela, senti sua pele macia entre meus dedos, seu corpo entregue ao meu, se eu tinha em algum lugar do meu subconsciente alguma dúvida de que ela era a  mulher da minha vida, depois dessa noite, não há se quer mais um resquício de dúvidas em mim, eu já amo intensamente, não me vejo mais sem ela em minha vida. Saio de meus devaneios quando sinto ela se mexer, abaixo o olhar encontrando suas esmeraldas brilhantes olhando para mim, sorri abertamente, aproximei meu rosto do dela, lhe dando um selinho.

- Bom dia minha flor- eu falei sorrindo

- Bom dia- ela disse, voltando a se aconchegar em meu peitoral

- Ainda com sono? – perguntei fazendo carinho em seus cabelos

- Humrum- ela ronronou manhosa, - Posso passar o resto da vida, aqui, dormindo? – ela perguntou, me fazendo ri

- Poder, pode, mas acho que poderíamos ir conhecer a ilha, o que me diz? – eu perguntei, ela levantou o rosto animada, acenando que sim com a cabeça, - Bom então vamos tomar um banho e nos arrumar para dar um passeio- eu falei, ela se levantou, e eu fiz o mesmo, fomos para o banheiro tomamos um banho juntos, demorando um pouco mais que o previsto, depois do banho, fizemos nossa higiene pessoal, ela fez uma maquiagem leve, saímos do banheiro, e fomos nos vestir, eu escolhi uma blusa pólo branca, calça jeans preta, e um sapatênis marrom, passei meu perfume, Sakura estava usando um vestido rodado branco, de alças e uma sapatilha preto, me aproximei dela, circulando meus braços em sua cintura, abaixando o rosto até seu pescoço, sentindo seu perfume de cereja, que tanto eu amo, dei uma mordida em seu pescoço, ouvindo ela gemer baixinho.

- Vamos? – perguntei

- Vamos- respondeu sorrindo, nos afastamos, peguei minha carteira, e meu celular, ela um pequena bolsa de ombro, e saímos, fomos primeiro a um restaurante, tomamos café, e depois fomos conhecer a ilha, passamos o dia inteiro passeando, comprando algumas coisas, voltamos para o hotel já de tarde, assim que chegamos, tomamos um banho, vestindo uma roupa mais confortável, e depois fomos sentar na varanda, admirando o pôr do sol, ela sentada entre minhas pernas, com a cabeça apoiada em meu peitoral circulei meus braços em sua cintura.

- Amor- a chamei

- Hum- ela respondeu concentrada na paisagem

- Eu estava pensando, que você podia transformar sua lanchonete em um restaurante- eu comecei a dizer, ela se virou para mim, - Você é uma cozinheira maravilhosa, pode muito bem levar a frente uma cozinha de um restaurante- falei

- Eu adoraria, mas não tenho o dinheiro para reformar a lanchonete ainda mais para um restaurante, sem falar que com tudo o que aconteceu eu perdi parte da clientela- ela disse triste

- Mas e se eu ajudar- falei

- Não, não, não, não Sasuke, eu não quero que pense que estou com você por causa do seu dinheiro, ou da sua fama- ela disse, se afastando

- Amor, não me importa o que as pessoas pensam, eu quero ver você ser feliz, realizando seu sonho, e você merece isso, batalhou tanto por aquela lanchonete, largou seus estudos por causa dela, merece isso- eu falei segurando seu rosto, - E além do mais não estou dizendo que vou te bancar, estou apenas te fazendo um empréstimo para você transformar aquele lugar em um restaurante, você se tornaria sócia das empresas Uchiha, assim como todos os outros tem seu próprios restaurantes- eu disse

- Mas o restaurante da família de Sasori e muito famoso naquela região, seria difícil eu abri um- ela respondeu receosa, eu sorri de canto

- Não se preocupe com Sasori, dele cuido eu- disse, vi ela arquear a sobrancelha

- Como assim? O que você vai fazer? – ela perguntou, a puxei para meu corpo, mantendo a posição de antes

- Nada que ele não mereça- eu disse simples

- Sasuke...- ela começou

- Meu amor, me deixa cuidar de você, hum? – perguntei deixando um beijo em seu pescoço, ela respirou fundo

- Tudo bem, mas me prometa que quando você for fazer algo contra ele, você irá me contar- ela pediu

- Eu prometo- “contar quase tudo”, terminei mentalmente. Ficamos ali abraçados até a hora do jantar, pedimos a comida no quarto, jantamos juntos, e depois ficamos conversando sobre o novo restaurante dela, mesmo que no início ela tenha relutado minha ajuda, depois ela pareceu aceitar, e isso me deixa feliz, ela mais do que ninguém merece isso.

No dia seguinte, saímos cedo do hotel, e fomos passar o dia na praia, voltamos já no fim da tarde, apenas para descansar um pouco, e depois seguir para o navio, chegamos um pouco antes do horário dos passageiros embarcarem, fomos para o quarto deixar nossas coisas, eu fui para o escritório de Itachi, saber como estavam as coisas, Sakura ficou no quarto com Ino e as meninas.

- Como estão as coisas por aqui Ita? – perguntei assim que entrei em seu escritório

- Tirando os desejos absurdos de Izumi me fazendo acordar o pessoal da sua cozinha de madrugada, está tudo ótimo- ele disse, me fazendo ri.

- Achei que depois de todo esse tempo você já tivesse acostumado, eu disse que meu sobrinho vai ser exigente- eu disse divertido

- Você não vai esquecer nunca que estava certo sobre ser menino né? – ele perguntou, antes que eu respondesse, a porta foi aberta, e logo Izumi passou por ela

- Claro que ele não vai, assim como eu não vou esquecer- ela disse

- Oi cunhadinha, como tá esse garotão? – eu falei passando a mão em seu ventre inchado

- Está ótimo, me fazendo comer coisas muito estranhas- ela disse rindo, indo se sentar no colo do marido

- Quem diria que uma das maiores sommelier do país, desejou comer lagosta frita com caviar, e sangria vagabunda sem álcool- Itachi contou

- Eu não acredito nisso- eu disse rindo alto

- Aí não me faz lembrar que eu fiz isso, eu sou uma vergonha- Izumi disse

- Você não é uma vergonha, só está gravida- eu disse

- Tá bom, podemos parar de falar do desastre gastronômico que eu virei, e falar sobre o mocinho e a sua namorada, que passaram esses dias de lua de mel- a morena disse apontando para mim

- Já ia perguntar sobre isso, pode começar a contar bonitão- Itachi falou, revirei os olhos

- Foi ótimo- eu falei simplesmente

 Ah não, você não vai chegar aqui com esses roxos no pescoço, e dizer que “foi ótimo” - Izumi disse tentando imitar minha voz, se referindo as marcas que a brincadeira que eu Sakura tivemos antes de retornar ao navio.

- Bom, pelo meu pescoço, você pode constatar que foi ótimo, não preciso dar mais detalhes- eu disse sorrindo de canto, - Mas o que posso dizer é que ela aceitou a sociedade, e que vamos pode transformar a lanchonete em um restaurante- eu contei

- Aee, fiquei com medo dela não aceitar, mas que bom que ela disse sim- Izumi disse animada, foi ela quem deu a ideia de transformar a lanchonete de Sakura em um restaurante da cadeia Uchiha

- Maravilhoso, eu vou pedir para Kankuro preparar o contrato, e começar a construção assim que ancoramos em Konoha- Itachi falou

- Vish, esse não vai sair mais de lá- Izumi disse divertida

- Até parece que você também não se rendeu aos pratos da rosada- Itachi disse emburrado

- Ok, ok, todos sabemos que Sakura tem todos que já provaram a comida dela nas mãos- Izumi falou

- E aquele babaca do Akasuna, o que você vai fazer com ele? – Itachi perguntou

- Ele vai ter o que merece, e dependendo do meu bom humor, um pouquinho mais- eu disse

- Ele merece uma surra isso sim- Izumi falou

- Eu também acho, mas Sakura não vai gostar muito se souber disso- eu falei

- E ela precisa saber? – Itachi perguntou

- Eu prometi que contaria a ela- contei

- Esse tá rendido. Deixa só dona Mikoto saber que o filhinho dela já tem dona- Itachi debochou

-Quero nem ver- Izumi falou

- Bom isso vamos saber daqui uns dias. Mas agora eu vou, tenho uma cozinha para comandar- eu disse me levantando, me despedi deles, e sai da sala, fui para o quarto, assim que entrei Sakura estava pronta. – Já tá pronta amor? – falei

- Oi amor, já os passageiros já começaram a embarcar- ela disse vindo até mim, me dando um selinho

- Eu vi, vou tomar um banho e me arrumar, e vamos começar os trabalhos- eu falei, ela sorriu, lhe dei mais um selinho, e fui para o banheiro, tomei banho e me arrumei, e saímos para a cozinha do navio, assim que chegamos  a equipe toda estava ali, passei as instruções do cardápio de hoje, e começamos a trabalhar.

Os dias que se seguiram na volta para Konoha, foram tranquilos, tinha muito trabalho, mas estávamos acostumados, e quando acabava o serviço, eu descansava ao lado da minha flor, e eu não poderia querer mais nada, a não ser ter ela comigo, e assim os dias passaram rápidos, e quando vimos já estávamos ancorando no porto de Konoha, chegamos um pouco depois da hora do almoço, então quando os passageiros desembarcavam minha equipe limpava a cozinha, quando acabamos, fiz o agradecimento por mais um viagem incrível, e o serviço bem feito, todos foram dispensados, eu e Sakura fomos para nosso quarto, arrumar nossas coisas.

- Vou sentir falta de dormir com você todas as noites- eu disse abraçando-a por trás, ela sorriu, se aconchegando em meus braços

- Eu também vou sentir falta, nem sei se ainda sei dormir sozinha- ela falou, a virei para mim, olhando em seus olhos

- Dorme comigo hoje? -  perguntei

- Não amor, eu preciso ir em casa, ver como estão as coisas, arrumar tudo- ela falou,

- Tá bom, eu vou tentar dormir sozinho hoje, sem ninguém- eu disse emburrado, ela riu, me dando um selinho

- Dramático, eu prometo que quando me organizar eu vou dormir com você- ela disse sorrindo, eu assenti, colamos nossas lábios em um beijo calmo, apenas sentindo um ao outro, quando o ar fez falta, nos separamos, voltando a arrumar nossas coisas, quando acabamos, pegamos nossas malas e saímos, encontrando boa parte do pessoal já fora do navio.

- Sasuke vai para casa? – Itachi perguntou

- Vou deixar Sakura na casa dela, e depois vou, porque? – eu perguntei

- Mamãe ligou, perguntou se vamos lá hoje- ele disse

- Hoje não, estou exausto, só amanhã, você vai? – perguntei

- Não, disse que sou vou amanhã também, preciso hibernar- ele falou divertido

- Nós precisamos- Izumi disse ao lado do marido

- Então boa hibernação para vocês- eu disse divertido, me despedi deles, e do pessoal, fui para o carro junto com Sakura, coloquei nossas malas no porta malas, abri a porta do carro para ela, entrei logo em seguida, e segui para sua casa, logo estacionei em frente a sua casa. – Pronto minha flor, está entregue- eu disse sorrindo

- Obrigada, Ino foi embora que nem me avisou- ela disse

- Deve está com Gaara, aqueles dois não se largam mais- eu falei

- Verdade, ali foi amor à primeira vista- Sakura disse rindo

- Assim como nós- eu falei, e ela assentiu, segurei seu rosto entre minhas mãos, selando nossos lábios, quando o ar fez falta nos separamos, sorrindo um para o outro, - Posso passar o resto da vida, apenas beijando você- eu falei

- Só beijando? – ela perguntou sorrindo

- Amor, não faz isso comigo, não vou te deixar ir para sua casa desse jeito- eu falei, vendo ela ri alto

- Tá bom, eu parei, nos vemos amanhã? – ela disse

- Sim, amanhã na empresa, para acertamos os detalhes do seu restaurante- eu falei, vendo ela alargar ainda mais o sorriso, descemos do carro, ajudei ela com suas malas, nos despedimos, e depois eu fui para meu apartamento, assim que cheguei em casa, levei minhas malas para o quarto, desfazendo a mesma, colocando para lavar as roupas sujas, e guardando as limpas, fui para o banheiro tomei um banho, quando sai vesti uma box branca, e uma calça de moletom, liguei o ar condicionado, deitei na cama e logo apaguei. Não sei quanto tempo dormi, mas acordei assustado com o som do telefone tocando, sentei na cama, coçando os olhos, procurei o aparelho em cima da mesa de cabeceira, assim que achei, peguei vendo o número de Sakura no visor.

- Oi amor, tudo bem? – falei meio grogue de sono ainda,

- Sasuke- e assim que sua voz saiu, eu notei que ela estava chorando

- Sakura o que aconteceu porque está chorando? – perguntei preocupado

- Sasuke, o Sasori está aqui, está tentando invadir minha casa, por favor, me ajuda, eu estou com medo, eu já chamei a polícia, mas ainda não chegaram, vem para cá por favor - ela disse chorando desesperada.

- Calma, flor, eu estou indo, fique no seu quarto, não saia do seu quarto- eu disse, desliguei o telefone, já sentindo a raiva tomar conta do meu corpo, se aquele desgraçado fizer algo com Sakura eu não respondo por mim, fui para o closet, vesti uma blusa e um casaco de moletom, calcei um tênis, sai do closet, fui pro banheiro escovei o dente, e lavei o rosto, fui para o quarto pegando minha carteira, o celular, e as chaves, desci as escadas correndo, sai do apartamento indo para o elevador, assim que cheguei na garagem indo para meu carro, entrei, e segui as pressas para a casa de Sakura, assim que cheguei, ainda conseguir ver alguém sair correndo, pensei em ir atrás, mas Sakura precisava de mim, desci do carro, indo até a porta da casa dela, vendo que estava quase arrombada.

- Sakura- eu chamei, ouvi os passos rápidos, e logo a porta foi aberta, e uma Sakura completamente assustada, com os olhos vermelhos surgiu na minha frente, ela se jogou nos meus braços, a apertei contra mim, sentindo suas lágrimas molharem minha camisa, - Calma minha flor, eu estou aqui, nada vai acontecer com você, eu não vou deixar- eu disse acariciando seus cabelos, ficamos assim um tempo, até ela se acalmar, a peguei no colo, a levando para dentro da casa, me sentei no sofá com ela em meu colo, ela levantou o rosto, limpei suas lágrimas com a ponta dos dedos, - Está mais calma? – perguntei, ela assentiu

- Desculpa ter te acordado, eu não sabia a quem recorrer, liguei para Ino, mas ela não atendeu, a polícia não chegava, estava desesperada, ele veio aqui bateu na porta, disse que queria falar comigo, eu o mandei embora, e aí ele começou a chutar a porta, dizendo que ia falar comigo por bem ou por mal, parecia está fora de si, eu, eu.....- ela disse voltando a chorar

- Ei, ei, calma, estou aqui, e nada vai acontecer a você- eu falei, ela assentiu, um tempo depois que cheguei a policia apareceu, conversei com eles, explicando a situação, eles fizeram algumas perguntas a Sakura, avaliaram o estrago da porta, e que iam tomar as providências cabíveis, aproveitei a ocasião para falar com um amigo meu que era investigador de polícia, pedindo que levantasse algumas informações sobre Sasori e a família dele, queria saber tudo sobre aquele desgraçado, depois que o policiais foram embora, me virei para Sakura que estava no sofá, ainda assustado com o que aconteceu, - Vem, vamos pegar algumas roupas suas- eu disse me levantando

- Como assim? Pra que? – perguntou

- Ora você vem comigo, não vou deixar você aqui, além do mais sua porta está quase quebrada, não é seguro- eu falei, ela assentiu, a acompanhei até seu quarto.

- Eu vou me trocar- ela disse

- Não precisa amor, pegue suas roupas e o material de higiene pessoal, e vamos- eu falei

- Mas Sasuke eu estou de baby doll- ela disse

- Você está linda, e a uma hora dessa não tem ninguém acordado, agora vamos- disse lhe ajudando a pegar suas coisas, dei meu casaco de moletom para ela, peguei sua bolsa, ela apagou a luzes da casa, saímos, fechando a porta, que quase caiu.

- Vou ter que trocar essa porta- ela disse

- Provavelmente, mas não se preocupe, vamos dar um jeito- eu disse, ela se virou para mim, me abraçando, beijei o topo da sua cabeça, nos separamos, fomos para meu carro, coloquei sua bolsa no banco de trás, ela entrou no do carona, e eu fui para o do motorista, entrei e segui para meu apartamento, assim que chegamos, descemos do carro, pegando suas coisas, e fomos para o elevador, a puxei para mim, ela circulou minha cintura com seus braços, assim que chegamos no andar, saímos do elevador, indo até a porta do apartamento, abri, dando passagem para ela entrar, ela observou todo o apartamento.

- E lindo Sasuke, tem a sua cara- ela disse se virando para mim

- Vem, amanhã eu te mostro tudo, você deve está cansada- eu disse, ela assentiu, a levei até meu quarto, deixei sua bolsa em cima de uma poltrona, tirei meu sapato, me sentando na cama, ela tirou meu casaco colocando em cima da poltrona, ela veio até a cama, se deitando, eu fiz o mesmo, a puxei para mim, ela se aninhou em meu corpo, apoiando a cabeça em meu peitoral, fiquei fazendo cafuné em seus cabelos, até senti sua respiração acalmar, e ela adormecer, eu fiquei velando seu sono, até dormir também, sabendo que ela estava segura em meus braços.

No dia seguinte, acordei com o som do despertador, abri os olhos sentindo o peso em meu peitoral, abaixe o olhar vendo os cabelos rosados, me estiquei até a mesa de cabeceira, desliguei o celular, não queria acordar Sakura, mas logo senti ela se mexer.

- Bom dia- ela disse sonolenta, abaixei o olhar encontrando suas esmeraldas, fiz um carinho em sua bochecha, vendo-a sorrir

- Bom dia, dormiu bem? – perguntei

- Muito bem, obrigada- ela falou, arqueei a sobrancelha, - Por ontem, eu não sei o que teria acontecido se não fosse por você- ela falou

- Não precisa me agradecer, eu fiz o que tinha que fazer, e minha função proteger você, vou fazer isso para sempre- eu disse acariciando seu rosto, ela sorriu, aproximei nossos rostos, lhe dando um selinho, - Mas Sakura, precisamos falar sério agora, o que aconteceu ontem foi absurdo, não pode voltar a se repetir, Sasori não pode achar que pode fazer isso, e sair impune- eu disse sério

- Eu sei, mas tenho medo dele querer se vingar, eu sei que isso foi por causa que eu ganhei o concurso- ela disse, e puxei a encaixando em meu peitoral

- Eu vou proteger você, não vou deixá-lo fazer nada com você- eu disse, - Mas chega desse assunto, vamos levantar, tomar um banho, e comer alguma coisa- eu falei sorrindo, ela assentiu, nos levantamos, deixei ela ir tomar um banho no banheiro do meu quarto, eu fui para o banheiro do corredor, tomei banho, fiz o resto da minha higiene pessoal, vesti  uma calça jeans, e uma blusa polo preta, voltei para o closet calçando um sapatênis preto, quando sai do closet, Sakura saia banheiro usando uma saia longa branco, uma blusa verde musgo, e um cinto grosso de couro marcando a cintura, os cabelos soltos, o perfume de cerejeira tomou conta do quarto, me entorpecendo.

- O que foi? Tem algo de errado? – ela perguntou, eu sorri me aproximando dela, circulei sua cintura com meus braços, ela enrolou os braços em meu pescoço aproximando ainda mais nossos corpos.

- Não há nada de errado, apenas olhando como você é linda- eu disse beijando seu rosto

- Você também não está nada mal- ela falou, me dando um selinho, nos separamos, saímos do quarto, descendo para a cozinha, e começamos a preparar o café da manhã, e por um momento aquela cena de ter ela ali, me ajudando a fazer o café, circulando na minha cozinha, me pareceu tão perfeito, senti vontade que aquilo se repetisse todos os dias, mas tinha que ir devagar, tínhamos pouco tempo de namoro, e mesmo sabendo que era com ela que eu queria ficar, sei que ela ainda se sente insegura as vezes, - Sasuke- sua voz me tirou dos meus devaneios

- Oi- disse

- Você pode pegar mais geleia, essa acabou- falou

- Claro, morango ou cereja? – perguntei indo até a despensa

- Morango- ela respondeu, peguei pote de geleia, voltando para a cozinha, nos sentamos para começar a tomar café, mas logo a campainha tocou, - Você estava esperando alguém? – Sakura perguntou

- Não, deve ser Itachi, querendo se apossar do nosso café da manhã- eu disse me levantando, indo atender a porta, assim que abri, nem tive tempo de dizer algo, uma figura com os cabelos longos e negros como os meus passou pela porta como um furacão. – Bom dia mãe- eu falei vendo dona Mikoto varrer o apartamento com os olhos de águia.

- Cadê? – perguntou

- Cadê o que? – disse

- Ora Sasuke, não se faça de desentendido, cadê a minha nora? – ela perguntou, e eu soube que Itachi tinha dado com a língua nos dentes

- Bom dia filho, desculpe pela invasão, mas conhece sua mãe, assim que seu irmão falou que você estava namorando, ela nem terminou de tomar café, e correu para cá- meu pai falou entrando no apartamento.

- Itachi e essa mania de não saber ficar de boca calada- eu resmunguei

- Chega de enrolação Sasuke Uchiha, eu quero conhecer minha nora, e quero agora- conhecia dona Mikoto o suficiente para saber que ela não arrastaria um pé, antes de conhecer sua nora, não era bem assim que eu imaginava apresentar Sakura a eles, mas nem tudo é como queremos, por isso respirei fundo.

- Venham, Sakura está na cozinha, bom se vocês não fizeram ela correr com esses gritos- eu disse caminhando até a cozinha, levando um tapa no ombro da Uchiha mais velha.

- Aí deuses- minha mãe disse assim que entrou na cozinha vendo Sakura sentada

- Mãe, pai, essa é Sakura Haruno, minha namorada, Sakura, esses são meus pais, Mikoto, e Fugaku Uchiha- apresentei, Sakura parecia assustada, e não tiro a razão dela, não é todo dia que se cruza com o furacão Mikoto Uchiha às oito da manhã.

- Olá minha querida, você e ainda mais linda do que Itachi me contou, olha esse cabelos, parece algodão doce, e essas esmeraldas que tem nos olhos, você é um boneca de tão perfeita- minha mãe disse sorrindo se aproximando de Sakura, e eu me senti aliviado de saber que ela gostou dela de cara.

- Olá, é um prazer conhecê los, Sr. e Sra. Uchiha- Sakura disse um pouco tímida

- Ora minha querida, pode nos chamar pelo primeiro nome, você e da família agora- meu pai falou

- Isso mesmo, e além do mais Sra. Uchiha, eu me sinto muito mais velha- minha mãe falou divertida, - Sasuke onde você achou essa boneca? – se virou para mim

- No concurso para novo cozinheiro da equipe- respondi

- Oh sim, Izumi comentou, mas eu estava empolgada demais para me atentar a isso- minha mãe disse, - Querida bem vinda a nossa família, e só de ver o jeito que meu filho olha pra você eu sei que ele está feliz em estar com você, e isso por si só já me deixa feliz- minha mãe falou, me fazendo sorrir, sabendo que ela estava completamente certa, - Mas agora me contem, quando eu terei netos? – minha mãe perguntou me fazendo engasgar com o suco, e deixando Sakura parecendo um pimentão vermelho.

- Mãe- eu a repreendi

- O que foi? Itachi e Izumi já estão providenciaram meu primeiro neto, mas eu quero minha casa cheia de crianças- ela respondeu

- Mikoto, vamos com calma, os meninos acabaram de se conhecer- meu pai tentou acalmar minha mãe

- Tá bom, tá bom eu vou me controlar, mas quero vocês no jantar beneficente do próximo fim de semana- minha mãe falou

- Mãe não acho uma boa ideia- eu falei

- Ora porque não? – meu pai perguntou

- Bom, Sakura teve alguns problemas com Shion- eu falei

- Como assim? – minha mãe perguntou

- Ela não gostou muito de saber que eu e Sasuke estávamos juntos- Sakura disse, meu pai e minha mãe me olharam.

- Itachi comentou que tivemos um problema com um dos quartos do navio? – perguntei, eles assentiram

- Foi no meu quarto, Shion entrou e destruiu o quarto, e as minhas coisas que estavam lá- Sakura contou, eles nos olharam assustados.

- Por sorte Sakura não estava no quarto, mas o estrago foi feio, até o box do banheiro foi quebrado- eu falei

- Essa garota está maluca, como que ela faz um negócio desse Itachi disse que havia ocorrido um problema, mas não imaginei que tivesse sido grave, ela já foi informada que vai pagar pelos danos? – meu pai perguntou

- Sim, na verdade a conta já foi passada a pai dela, ele pagou pelos danos do navio, e pelas despesas que Sakura teve, já as roupas sapatos dela foram destruídos- eu expliquei

- Acho bom- meu pai disse

- Não se preocupem, vocês podem ir para o jantar, Shion está fora da lista de convidados, quero que todos saibam como a minha mais nova nora e linda- minha mãe disse abraçando Sakura, conversamos mais um pouco, e depois eles foram embora.

- Acho que eles gostaram de você- eu disse depois que deixar meus pais na porta, Sakura veio até mim, me abraçando

- Acho que sim, mesmo que no momento que ela entrou na cozinha eu fiquei um pouco assustada- ela declarou, ri dando um beijo no topo da cabeça dela.

- Dona Mikoto e muito empolgada, mas tudo bem, o importante é que ela gostou de você- eu disse

- Eu gostei dela, do seu pai também- Sakura disse me olhando nos olhos

- Não tem como não gostar de você minha flor- eu falei, colando nossos lábios, em um beijo rápido, nos separamos, e arrumamos a cozinha, e saímos para a empresa acertar os detalhes do seu contrato.

Depois disso os dias correram rápidos, a reforma do restaurante de Sakura começou a todo vapor, enquanto o restaurante não ficava pronto ela trabalhava comigo em um dos meus restaurantes, e como sempre a comida dela fazia sucesso. E no campo pessoal as coisas estavam ainda melhores, e mesmo que houvesse alguns desentendimentos, nada fora do comum de um casal, e assim se passaram seis meses de uma maneira tão rápida que eu nem percebi, e agora está se aproximando um dia muito especial, principalmente para minha flor, a reforma do seu restaurante, havia acabado, e em uma semana seria a inauguração, Sakura estava na casa dela nessa última semana, para acompanhar de perto o fim da reforma, mesmo depois da tentativa de invasão de Sasori, ela voltou para sua casa, mesmo que ficasse boa parte do tempo comigo, e eu já queria que ela viesse viver comigo de forma definitiva, mas sabia que na época era muito cedo,  e que com certeza ela não aceitaria,  mas depois desse tempo juntos, estava na hora de dar mais um passo em nossa relação, algo que eu nunca pensei que pudesse acontecer em minha vida, mas com ela, esse era o único caminho a se seguir, mas antes desse passo eu ainda tinha que resolver algumas coisas, e uma delas era com Sasori, estava na hora dele pagar pelo que fez, e devo admitir que eu fui ingênua por não acreditar nos temores da Sakura, pois no dia da inauguração eu descobrir que ele era um perfeito imbecil.


Notas Finais


E ai gostaram? me contem, espero que sim


Até a próxima, bjss 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...