1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Querido Destino - Harry Styles Fanfic >
  3. Capítulo 5

História Meu Querido Destino - Harry Styles Fanfic - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Meu Querido Destino - Harry Styles Fanfic - Capítulo 5 - Capítulo 5

 

Harry sempre achava Zoe linda, e naquela noite ela estava tao linda como sempre. O estranho era que ela não estava diferente das demais mulheres que presentes ali, Zoe vestia calças e jaqueta jeans, um tenis branco, mas o que era mais bonito nela era o sorriso que Harry estava encantado desde a vez em que se esbarraram num bar de madrugada.

Assim que Harry a viu saindo pela porta e adentrando no quintal, o coração deu uma descompassada. Sabia disso e sorriu de canto ao perceber o que havia acontecido com ele, e sabia que isso era totalmente inapropriado, afinal de contas, médicos não podem sair com pacientes. Isso é uma regra!

Mas sabia que não querer nada com a Zoe era um desafio que teria que enfrentar todas vezes que a via.

Louis, que estava ao lado de Harry, notou a reação do amigo assim que Zoe apareceu ali, dando uma gargalhada ao perceber que algo estava acontecendo. Mesmo que Harry não soubesse o que estava acontecendo.

- Ora, ora, ora! – Louis disse rindo, pegando Harry de surpresa, parando de olhar para Zoe e direcionar seu olhar para Louis novamente – Harry Styles está planejando algo para essa noite?

– Não! – Harry disse sorrindo de canto, dispersando seus pensamentos – É que eu conheço ela...

– É, do casamento – Louis confirmou com a cabeça – Parece conhecer muito mais, hein...

– Para de palhaça, porra! – Harry disse rindo, dando um tapa de leve no braço de Louis – Não tem nada a ver.

– Tranquilo! – Louis deu de ombros – Vou ali cumprimentar ela, quer ir comigo?

– Eu estou bem aqui – Harry disse sorrindo, erguendo a caneca de cerveja.

– Vou pegar mais cerveja pra a gente depois, já volto – Louis disse se afastando de Harry, que voltou seu olhar para Zoe, que estava rindo com os amigos.

Ela parecia bem e Harry ficou feliz por vê-la assim. Achava estranho se importar tanto com alguém que mal conhecia, mas apenas sentiu a sensação de alívio quando viu o sorriso lindo nos lábios de Zoe e ficou feliz por aquilo.

Viu Louis se aproximando do grupo em que Zoe estava e depois de um tempo falou algo no ouvido de Zoe, que logo parecia procurar alguém e assim que seu olhar se encontrou com o de Harry, o sorriso veio a tona.

Harry estava fodido, sabia disso. 

Piscou algumas vezes dispersando seus pensamento, e se levantou de onde estava sentado enquanto Zoe se aproximava dele, e andou alguns passos na direção dela, parando a cerca de um braço de distância entre os dois.

– Oi, doutor! – Zoe disse sorrindo.

– É Harry – Harry respondeu com um sorriso bobo no rosto – Você sabe disso.

– Então tá... Oi, Harry! – ela disse sorrindo o sorriso, estendendo a mão para Harry, que a cumprimenta – Acho que estamos nos encontrando mais do que o normal, não acha?

– Mais do o recomendando, com certeza! – Harry respondeu sorrindo – Como você está?

– Ah, estou bem... Não tenho sentido nenhum sintoma durante esses dias, e olha que eu não paro quieta no meu trabalho.

– Que bom! Você trabalha aonde?

– Em uma editora de livros e revistas, mas eu sou agente do chefe de edição.

– Que legal! – Harry disse surpreso – Gosta de ler?

– Eu gosto. Mas atualmente eu só tenho consigo ler livros que estamos publicando...

– Ócios do ofício... – Harry disse sorrindo de canto.

Zoe sorriu de canto achando estranho a forma que tudo estava acontecendo. Esbarrou com Harry num bar, depois conheceu o lado garanhão dele no casamento do Louis, foi um médico totalmente profissional e agora estavam conversando e ela sentia ele com uma aurea calma, talvez um pouco tímido e totalmente educado, se importando com tudo o que Zoe falara.

Achou bonitinho ver que ele estava se importando com ela.

– Ah... Posso te perguntar uma coisa? – Zoe perguntou de repente, enquanto dava um gole em seu champanhe.

– Claro! – Harry respondeu dando um gole na cerveja.

– Por que você não me chama pra sair? – Zoe perguntou.

– Quê? – Harry riu de forma nervosa, talvez incrédulo.

Não acreditava em como Zoe era tão cara de pau!

– É o quê? – Harry perguntou rindo.

– Harry, não vamos mentir – Zoe disse rindo – Nós sabemos que a gente quer um tempo a mais para nos conhecermos, para conversar, curtir, sei lá... Quem sabe beber um pouco e rir das besteiras que falamos – Zoe disse de forma calma, e num gesto totalmente normal para Harry, ele passa a língua pelos lábios.

Era comum Harry umidecer os lábios quando estava nervoso, ou até mesmo inseguro, mas Zoe não sabia disso. Mas tudo o que ela queria naquele momento era conhecer o sabor que aquela língua tinha. Já não conseguia conter os pensamentos maldosos em sua cabeça, e no mínimo, queria dar continuidade a esses sentimentos na vida real.

– Eu não posso sair com pacientes... – Harry respondeu sorrindo de canto.

– É? – Zoe perguntou, o vendo confirmar com a cabeça – Se você não contar pra ninguém, eu também não conto... – disse sorrindo, fazendo Harry morrer por dentro com aquele sorriso que ele achava lindo demais para ser real.

– Com licença! – um rapaz moreno e muito bem trajado disse um pouco mais atrás de Zoe, chamando a atenção dos dois, era Peter que se aproximava e abraçava Zoe pelo ombro – Boa noite! – disse olhando para Harry.

– Oi, boa noite! – Harry respondeu de forma educada.

– É... Zoe, a gente precisa ir lá dentro porque a Cammie está chamando a tia Zoe e o Tio Peter... – Peter disse enquanto Zoe confirmava com a cabeça, olhando para o Harry em seguida.

– Tenho que ir lá – Zoe disse, vendo Harry confirmar com a cabeça – Depois a gente continua essa conversa – disse sorrindo, vendo Harry abrir um sorriso e confirmar com a cabeça enquanto ela dava meia volta indo em direção à casa.

– Amiga, quem é esse homem? – Peter perguntou surpreso enquanto sorria.

– É meu médico – Zoe respondeu sorrindo – E por acaso, é amigo do Louis também.

– Olha, se esse cara fosse meu médico, toda vez que ele fosse me examina, ao invés de eu ficar tampando a bunda com aquela camisola horrível do hospital, eu já tiriaria e ficaria peladinho esperando ele me examinar...

– Peter, você é ridículo! – Zoe disse rindo – Ele é bastante profissional com relação a isso.

– Amiga, aproveite as coisas boas da vida! – Peter falou, dando uma olhada para trás olhando Harry.

Zoe já não fazia questão de olhar porque sabia que Harry estaria olhando os dois se afastando, e Zoe não queria ficar envergonhada com relação a isso.

– Ele está olhando pra a gente...

– Então vê se você sossega sua bunda! – Zoe disse de forma firme, olhando para Peter.

Ambos seguiram até dentro da casa de Louis e Ellis, onde encontraram Cammie na sala brincando com um monte de brinquedos espalhados pelo chão. Cammie é filha de Ellis e Louis, tinha três anos e era extremamente apegada à Zoe e Peter.

Zoe achava que Cammie era mais esperta e educada do que todos os seus amigos juntos, inclusive Ellis e Louis. Achava a garota alegre, inteligente, linda, com um coração tão puro, e era completamente apaixonada por Cammie. Zoe e Cammie sempre tiveram uma conexão de almas incríveis, que mesmo Zoe nunca tido sonhado com uma vida sendo mãe, a Cammie as vezes a despertava sensações únicas. Zoe passeava com Cammie, iam para sorveteria, zoológico ou até mesmo nos parquinhos que tinham pelo bairro.

Achava que Cammie poderia ser uma filha ou uma amiga que Zoe tivera em outra vida, porque era a única explicação plausível para explicar a conexão incrível que as duas tinha.

– Tia Zoe, tio Peter, olha o que a minha avó me deu! – Cammie disse animada enquanto mostrava uma coleção de cinco Barbies.

– Meu Deus, que lindas! – Zoe disse sorrindo surpresa enquanto se sentava ao lado dela no chão – Posso pegar uma?

– Pode.

– Olha como elas são bonitas, tio Peter – Zoe disse rindo, dando uma para Peter, que se sentava no chão.

– São mesmo! – Peter disse rindo – Eu sempre gostei de brincar de Barbie, desde pequeno.

– Era legal, não é? – Zoe perguntou nostálgica – Eu brincava muito com a Sarah...

– Olha essa aqui – Cammie disse, chamando a atenção dos dois enquanto mostrava uma boneca – Ela é a mais linda de todas né? Eu quero ser igualzinha a ela quando eu crescer. Loira, bonita, com os olhos azuis, um peito bonito...

– Ah não, Cammie... – Zoe disse interrompendo a menina – Ah não. Você não tem que ser a Barbie, sabe por quê?

– Por quê?

– Porque a Barbie é a Barbie, e você é a Cammie – Zoe diz com calma, e Cammie não parece entender nada, dando de ombros, fazendo Zoe pegar a Barbie nas mãos – Olha só, elas nem são de verdade, são bonecas... O cabelo não é cabelo de verdade, os olhos são pintados, o peito dela é duro e... Olha o peito da tia Zoe – Zoe disse explicando com calma, colocando a mão em seu peito – Não é tão duro quanto o da Barbie, porque ele é um peito de verdade e o da Barbie não é de verdade

– Onde você quer chegar com esse assunto, querida? – Peter perguntou, rindo.

– Que isso tudo aqui é falso – Zoe disse mostrando a Barbie para Peter – Pra ela não criar expectativas de padrões porque ninguém é igual a ninguém, muito menos igual a uma Barbie. Que ela vai ser linda com os olhos dela, com os peitos dela, com a vida dela, com os cachinhos lindos que ela tem no cabelo – disse voltando a olhar para Cammie – Entendeu?

– Entendi – Cammie confirmou com a cabeça. – Eu vou ser eu, e a Barbie vai ser a Barbie.

– Tipo isso – Peter disse rindo.

– O que eu quero falar é que você é linda, e vai ser mais linda ainda quando crescer... E não precisa ser igual uma Barbie, porque você é muito mais bonita do que elas – Zoe disse sorrindo calmo, fazendo Cammie sorrir enquanto confirmava com a cabeça, entendendo.

– Que papo mais maluco, Zoe! – a voz de Louis se fez presente no ambiente, fazendo Peter e Zoe se virarem para trás, vendo Louis e Harry parados no corredor, escutando tudo.  

– Foi são vocês dois escutando as conversas dos outros – Zoe disse rindo.

– Nós viemos pegar umas cervejas – Harry disse apontando pra cozinha.

– Estranhaaaa... – Louis cantarolou enquanto seguia em direção a cozinha.

– Eu ensinei a ela que ela é linda, fiz certo né? – Zoe perguntou, voltando a olhar para Peter que confirmou com a cabeça.

– Com relação a Cammie, sim! Com relação ao seu médico, você ainda não acertou...

– O que eu fiz com relação a ele? – Zoe perguntou confusa, sem entender.

– Nada! Você não fez nada! – Peter disse rindo baixo – Puta que pariu Zoe, que homem maravilhoso.

– Tio Peter, olha a boca! – Cammie disse enquanto brincava, sem olhar para Peter e Zoe, que riram baixo.

– Olha a boca, tio Peter! – Zoe disse implicando, repetindo as palavras de Cammie – Você está falando muita besteria.

***

E a noite seguiu de forma calma e tranquila entre os amigos de Louis e Ellis, que eram mais como família do que simples amigos.

Na hora do jantar, todos se sentaram em uma mesa grande que tinha na sala de jantar. Zoe se sentou ao lado de Sarah, que estava ao lado de Peter e James. Do outro lado, um pouco mais distante, estava Harry perto de Louis e alguns colegas do mesmo. Volta e meia Harry ria de alguma coisa que falavam, e as covinhas que apareciam em sua bochecha pareciam impressionar Zoe. Achava fofo demais.

Zoe odiava se sentir daquela forma, mas volta e meia, seu olhar se direcionava à Harry e via que ele estava confortável com os amigos ali, na outra ponta da mesa.

Mal sabia Zoe que, Harry também sentia a mesma coisa. Seu olhar cismava em qualquer deixa, olhar para ela. Ele a via sorrindo calmo com os amigos, tomando uma taça de vinho e sabia que estava encantado pelo sorriso dela. Nunca tinha visto nada tão lindo e ainda assim, misterioso.

As horas passaram, era cerca de onze e meia da noite. Zoe estava na cozinha junto com Ellis, a ajudando a lavar a louça e guardar todas as sobras de comida.

– Eu amo isso de estar com a casa cheia de boas pessoas, com a minha família, sabe? – Ellis disse enquanto lavava a louça.

– Ai, que bom! – Zoe disse sorrindo – Eu estou tão feliz por você e pelo Louis! Quero muito que esse neném na sua barriga chegue logo ao mundo para aproveitar essas comemorações e esse bem estar que você e o Louis proporcionam para a gente.

– Sem contar nos tios malucos que ele vai receber – Ellis disse rindo.

– E os papais também são meio maluquinhos – Zoe implicou, fazendo Ellis dar uma risada gostosa.

– É... Mas ainda falta um pouco – Ellis se apoiou na pia, fechando a torneira.

– Tudo acontece no tempo certo, não é? – Zoe perguntou sorrindo, vendo Ellis confirmar com a cabeça, de forma leve.

– Olha que lindo! Duas mulheres bonitas tendo uma conversa bonita! – a voz de Louis se fez presente, enquanto ele adentrava na cozinha acompanhado de Harry – Amor, o Harry já vai embora... – Louis disse olhando para Ellis, que logo olhou para Harry.

– Sério? Já vai? – Ellis perguntou se aproximando dele, o vendo confirmar com a cabeça.

– Amanhã eu estou de plantão às cinco da manhã... – Harry explicou enquanto dava um abraço em Ellis.

– Ah, sim... Muito obrigada por ter vindo, Harry!

– Obrigado vocês por terem me chamado! Me salvaram da comida congelada que eu ia comer hoje... – Harry disse rindo, fazendo Louis e Ellis rirem.

Zoe respirou fundo ao ver o sorriso de Harry, era demais para ela.

– Ainda está se mudando? – Louis perguntou.

– Comecei a mudança ontem, está tudo uma bagunça... – Harry disse revirando os olhos.

– Qualquer coisa me chama pra eu te ajudar – Louis disse prestativo, vendo Harry confirmar com a cabeça – Valeu por ter vindo, irmão! – falou enquanto abraçava Harry, que assim que saiu do abraço com Louis, direcionou seu olhar para Zoe.

Zoe estava parada encostada na banca da cozinha o tempo todo, desde quando Louis e Harry entraram na cozinha. Ele andou alguns passos até Zoe, que viu Louis e Zoe saindo da cozinha.

– Então... Eu já vou...  – Harry disse enquanto se aproximava.

– Ah é... Eu vi você se despedindo – Zoe disse sorrindo de canto, vendo um sorriso no rosto de Harry.

– Quer uma carona? – o rapaz perguntou enquanto colocava as duas mãos nos bolsos do sobretudo que vestia.

– Ahn... – Zoe disse pensativa.

– Amiga – a voz de Sarah se fez presente a chamando, fazendo com que Zoe a olhasse por trás do ombro de Harry – Eu já vou embora, vou dar uma carona pro Peter e James, vai com a gente?

Zoe respirou fundo e voltou a olhar rapidamente para Harry, que a olhava fixamente com um rastro de sorriso no canto dos lábios. Zoe soube que não conseguiria dizer não para o sorriso dele, nem para os olhos verdes, nem para a boca perfeitamente desenhada. Então deu um sorriso de canto e voltou a olhar para Sarah:

– Obrigada amiga, mas eu vou com um colega – Zoe disse sorrindo de canto, vendo Sarah sorrir e erguer uma sobrancelha, brincando.

– Te amo – Sarah disse enquanto saía da cozinha.

– Te amo mais! – Zoe respondeu, já não vendo a amiga no cômodo.

Voltou a olhar para Harry e o viu com um sorriso de canto, arqueando uma sobrancelha.

– Colega? – Harry perguntou rindo, franzidno o cenho.

– Nós somos colegas, né? – Zoe perguntou rindo.

– Acho que sim – Harry respondeu rindo – Vamos então – disse enquanto andavam saindo da cozinha.

Dez minutos depois, já haviam se despedido de todos e estavam dentro do carro de Harry indo em direção à casa de Zoe. Zoe tentou não pensar nisso, mas a Sportage de cor preta era extremamente cheirosa e confortável. O ar condicionado estava ligado, gelando o ambiente e no radio do carro tocava uma música de jazz, bem baixo.

Enquanto seguiam o roteiro que o GPS mandava, Harry e Zoe conversavam sobre coisas aleatórias. Zoe descobriu que Harry é natural de um local no interior da Inglaterra, uma cidadezinha chamada Holmes Chapel. Que ele tinha uma irmã mais velha chamada Gemma, e que o nome da mãe era Anne.

– E você gosta do estilo de Nova Orleans? – Harry perguntou enquanto dirigia.

– Eu gosto! – Zoe confirmou com a cabeça – Quer dizer... Eu amo jazz, amo cerveja e pessoas, ou seja, amo Nova Orleans – disse sorrindo, o que fez Harry rir.

– Você parece se dar bem com a cidade! – Harry diz olhando rapido para Zoe, que sorriu ao ver ele a olhando.

– É... Talvez seja porque foi aqui que eu consegui começa a realizar o meu sonho, sabe? Foi aqui que eu encontrei amigos incríveis, tirando a Sarah, que veio junto comigo da Flórida.

– A primeira coisa que me disseram quando cheguei aqui em Nova Orleans foi que um músico de jazz ou uma pessoa que curte jazz que estivesse sem namorado ou namorado é chamado de uma pessoa sem casa... – Harry diz enquanto dirigia, fazendo Zoe dar um sorriso.

– Não. A pessoa de jazz sem alguém do lado é chamado de pessoa sem teto – Zoe disse sorrindo de canto – Tenho que te ensinar algumas coisas pelo visto.

Harry sorriu de canto, confirmando com a cabeça.

– Sabe que o que estamos fazendo é totalmente errado de acordo com a minha conduta de médico, né? – Harry disse olhando para Zoe, e logo volta a prestar atenção na estrada – Não é o protocolo médico sair com pacientes.

– Harry – Zoe respirou fundo, com um sorriso nos lábios – Acho que somos dois bons colegas e por acaso, você está me dando carona, não acha? – Zoe perguntou, fazendo Harry sorrir e confirmar com a cabeça.

Ele achava que Zoe deixava o clima de qualquer coisa mais leve, amava se sentir bem com alguém.

– É por isso que não tem como dizer não pra alguém como você...

– Alguém como eu? – Zoe perguntou sem entender.

– Você é diferente, Zoe – Harry respondeu por fim, fechando o sorriso do rosto – Você é uma pessoa legal, é descontraída, é inteligente e sabe deixar os momentos serem leves, sabe? É bom ter companhia de pessoas assim... – Harry diz e olha rapido para Zoe, que sorri.

Num gesto sem pensar, Zoe sorri e faz um carinho rapido no cabelo dele, algo com muito cuidado e leveza, tirando a mão no instante seguinte.

– Então pode ficar relaxado que eu não vou falar pro seu chefe que você me deu uma carona – Zoe disse sorrindo, fazendo Harry confirmar com a cabeça – Se importa se eu fizer uma pergunta?

– Pode fazer.

– Por que você não tem uma namorada? – ela perguntou, fazendo Harry imediatamente a olhar, com o cenho franzido.

– É tão óbvio assim que eu não tenho namorada?

– É.

Ambos riram ao ouvir a resposta de Zoe.

– É meio complicado... – Harry disse, respirando fundo.

– Quer dizer, você parece ser uma pessoa tão legal de se estar junto, então... É estranho não ter ninguém ao seu lado. Ou você é contra relacionamentos igual a mim?

– Não, eu sou super a favor de relacionamentos. Eu gosto de ter alguém comigo – Harry disse rindo – Mas a minha rotina é bem apertada, e eu praticamente moro no hospital...

– Não tem muito tempo pra viver? – Zoe perguntou, o vendo confirmar com a cabeça – Que merda!

– Acontece que o doutor Sanders, que é um doutor de renome mundial, me escolheu pra ser aluno dele e trabalhar com ele dentro de mil pessoas que se candidataram – Harry começou a explicar – Eu não posso sacrificar essa oportunidade que eu tive por causa da minha vida pessoal, sabe?

– Entendo – Zoe disse confirmando com a cabeça – Então é por conta disso que você veste uma máscara de cafajeste e fica dando em cima de mulheres alheias em casamentos?

Harry deu uma gargalhada com a implicancia de Zoe.

– Sendo sincero, eu não costumo mais fazer essas coisas, mas de vez em quando é muito bom ter uma noite com alguém pra saciar a vontade, né? Eu sou um ser humano também...

– Tudo bem, eu te entendo perfeitamente – Zoe disse sorrindo de canto.

– E por que a senhorita não tem um relacionamento também? Ou por que você é contra relacionamentos?

– Por que eu sinto que as pessoas hoje dependem de relacionamentos para se sentirem bem, e eu definitivamente não sou assim. Eu sou feliz sozinha... – Zoe respondeu, olhando para a rua pela janela.

– Você não respondeu a pergunta – Harry respondeu com um sorriso de canto.

– Você vai ter que ler essa resposta no meu próximo livro: Por que os relacionamentos são um saco – Zoe respondeu sorriso de canto, o olhando.

– Acho que nunca conheci alguém que falasse tanto e não dissesse nada ao mesmo tempo – Harry respondeu sorrindo de canto, o que fez Zoe revirar os olhos.

Assim que fechou o sorriso, Harry parou o carro, o estacionando na porta do prédio de Zoe.

– É aqui que eu moro – Zoe apontou para o pequeno prédio de três andares e paredes de tijolos descontruídos.

– É um belo prédio.

– É rústico – Zoe disse rindo, arrancando um sorriso de Harry – Obrigada pela carona, Harry.

– Obrigado você por ter me distraído.

– Amanhã eu tenho que buscar os exames no hospital... – Zoe disse enquanto pegava sua bolsa no banco de trás do carro.

– É? Não sabia que já estavam prontos... – disse interessado – Vai dar tudo certo, você sabe disso né? Você está ótima!

– Eu espero – Zoe disse sorrindo – Vou nessa Harry, obrigada pela carona!

– Estou sempre a disposição – ele disse enquanto via a garota sair do carro, rindo.

– Boa noite, doutor Harry! – Zoe disse rindo, implicando com o rapaz.

– É só Harry! – Harry respondeu rindo – Boa noite, Zoe.

– Tchau – ela disse sorrindo, fechando a porta do carro enquanto sorria.

***

Zoe entrou no apartamento, tomou banho, colocou comida para o Sebastian e se deitou. E enrolou por horas na cama. Virou de um lado pro outro, não acompanhou o episódio da série, apenas pensou em algo bem diferente. Estava acostumada a pensar na vida, no trabalho, mas naquele dia ela pensou em como havia gostado de estar perto do Harry, uma pessoa que ela nem conhecia direito.

Estava acontecendo alguma coisa mas ela não sabia o que era.

Gostava do fato de se conhecerem de uma forma normal, de ter visto o lado galinha dele, o lado profissional, da forma que ele levava a vida e acima de tudo, do sorriso, das covinhas na bochecha e da voz rouca com o sotaque britanico.

Não sabia definitivamente o que estava acontecendo, mas queria saber. 


Notas Finais


oi gente, tudo bem? como vocês estão? eu só queria alertar todo mundo aqui com tudo o que está acontecendo, fiquem em casa, lavem bem as mãos, tentem não ter contato com ninguém que você não conheça perfeitamente saiba que está com a saúde cem por cento, sabe? pode ser um pouco menos letal para pessoas mais novas, mas ainda sim é algo que ninguém conhece, não sabem de uma cura exata e eficaz para todo mundo, então só tomem cuidado, lavem bem as mãos, evitem as mãos no nariz, boca e olhos, tudo bem? Obrigado por todo mundo que está tirando uns minutinhos dos seus dias, dos seus afazeres para ler a história. Espero que estejam gostando. Beijos gente, se cuidem por favor =)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...