1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Querido Diário >
  3. Mudança de ares.

História Meu Querido Diário - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, como vocês estão? Este é o primeiro capitulo da minha primeira história publicada. Espero que vocês gostem. Toda a semana capítulos novos!

Indiquem para os seus amigos, e me digam, o que acham que vai acontecer a seguir?

Capítulo 1 - Mudança de ares.


Fanfic / Fanfiction Meu Querido Diário - Capítulo 1 - Mudança de ares.


Eu nem ao menos sei como começar a contar minha história, é tudo tão confuso e ao mesmo tempo me atrai de formas tão surpreendentes. 
Eu cresci no interior no Canadá, com meus pais até os 8 anos, após isso, passei a morar com meus avós pelo motivo mais óbvio: separação da mamãe e do papai...e o drama começa aí.
Papai sempre apoiou meus sonhos e dizia que eu era uma guerreira, e que eu conseguiria...ao contrário da mamãe. Ela sempre foi egocêntrica e pensava apenas no que lhe daria algum retorno financeiro, e dizia;
- Deixa de besteira, ser escritora não vai te render um tostão, esquece isso e pense no dinheiro, isso tem que te mover. -
Eu sempre escutava e ficava calada.
Depois que fui morar com meus avós, eu ia um final de semana para cada casa, mesmo preferindo sempre o papai...até ele se casar de novo novo ter dois filhos com a nova esposa. Ele se esqueceu um pouco de mim, já não me ligava, nem me apoiava em meus sonhos. 
Vovó e vovô estavam velhinhos, e eu já tinha quase 21, trabalhava na sorveteria e gastava todo meu salário para ajuda-los em tudo que eu pudesse, eu não me importava, isso era parte de quem eu era, e eles eram as pessoas mais importantes do mundo para mim. 
Em dezembro, vovô acabou falecendo por um problema em seu coração, eu fiquei despedaçada mas me mantive firme pela vovó, eu precisava cuidar dela o máximo que eu pudesse...
Depois de 5 meses, ela acabou se juntando ao vovô, pelo mesmo motivo, e do mesmo jeito. Eu já não conseguia pensar em nada, minha vida tinha ficado um caos, papai e mamãe me ligavam e eu sequer tinha vontade de atender, eu apenas chorava, era a única coisa que eu podia fazer. 
Depois de um mês ignorando os dois, eles decidiram ir ver se eu ainda estava viva (olha, que bom que eles se importam, não?), foram até a casa dos meus avós e com eles, um advogado. Eles foram discutir o testamento da vovó e do vovô,  onde eles haviam deixado a casa e o carro para mim, especificamente. Papai e mamãe ficaram horrorizados... - Como eles puderam? Eu sou filha deles... -
O advogado retrucou: - Esse testamento não pode ser modificado, Emma é a dona legal de todos os bens que eles deixaram. Já estão no nome dela. Se me permitem, tenho que ir. - 
Ele me da um papel e uma caneta, e me diz para assinar alguns papéis, para a casa, o carro e uma conta poupança com algum dinheiro para a faculdade. Eu assino tudo e meus olhos se enchem de água, eu apenas estava com tanta saudade que meu peito doía como se estivesse sendo esfaqueado.
Depois de horas discutindo com a mamãe, principalmente, eu deixo claro que não vou abrir mão daquilo que eles deixaram, e aproveitei para dizer tudo que estava entalado em minha garganta. Ela nunca havia sido presente na vida dos pais dela, eu é que comprava os remédios e cuidava deles com todo meu amor, ela apenas queria o dinheiro deles...como sempre.
Papai ficou do lado dela pela primeira vez em 12 anos. Eu fiquei em choque, e os expulsei. 
Depois de uma noite raciocinando e pensando no que fazer, decido seguir meus sonhos, ligo para um amigo que trabalha com venda e aluguel e imóveis, e digo que quero colocar a casa dos meus avós para alugar com móveis e tudo.
Depois de algumas horas conversando e decidindo como seria o contrato, ele diz que conhece uma família que também é do interior que precisa de um lugar para morar, e avisa que vai me indicar imediatamente.
Meu plano estava completo: Eu iria me mudar para Londres e seguir meu sonho.
No fim de semana, tudo já estava resolvido, minhas malas estavam prontas e eu já havia colocado tudo no carro, peguei uma das cópias das chaves da casa e coloquei na minha bolsa junto com as fotografias e lembranças dos meus avós que eu ia levar comigo. 
Assim que a família chegou na propriedade eu já os levei para conhecer a casa, assinamos o contrato e finalmente o acordo estava fechado. Consegui cobrar um bom valor pelo aluguel da casa, o suficiente para eu me manter em um kit net em Londres, e ainda sobraria para a alimentação. 
Com o dinheiro que a vovó e o vovô deixaram pra mim, eu iniciaria minha faculdade, e conseguiria mantê-la por um bom tempo, finalmente me tornaria escritora, meu sonho finalmente se realizaria. 
Depois de acertar tudo que precisava ser acertado, parti para Londres, apenas eu, minhas roupas bregas e o carro dos meus avós.


Final do capítulo 1.
 


Notas Finais


Então, o que acharam do primeiro capítulo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...