História Meu "Querido" Esposo!!! - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Fukigen na Mononokean
Personagens Hanae Ashiya, Haruitsuki Abeno, Koura, Personagens Originais, Yahiko, Zenko Fujiwara
Tags Alfa, Ashiya X Abeno, Lemon, Ômega, Omegaverse, Romance
Visualizações 34
Palavras 1.713
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoooola! Graças a plataforma quase não sai atualização, sério, ontem não conseguia postar nada, alias, nem entrar.

Bem... Boa leitura!

Capítulo 18 - Fazendo amor


Fanfic / Fanfiction Meu "Querido" Esposo!!! - Capítulo 18 - Fazendo amor

Capítulo XVI 

Se ansiedade matasse, Hanae estaria completamente decomposto, não sabia quanto tempo havia esperado por isso, pelo dia que teria um Abeno completamente entregue a si; a imagem de seu loiro se despindo lentamente em sua frente era de alguma forma surreal. Começou a apressadamente retirar a própria roupa, se atrapalhando com a camisa e o costumeiro cardigan que usava, a cena era tão cômica que fez Haruitsuki interromper o que fazia e ir ajudar o esposo.

- Vá com calma, tempos bastante tempo. – riu enquanto puxava ambas as vestes emboladas da cabeça do príncipe moreno.

O sorriso envergonhado de Ashiya foi o suficiente para fazer o coração do rapaz de olhos dourados disparar ainda mais, não havia como se conter, por isso avançou com força na boca alheia forçando o outro a se deitar. Aquele beijo era bom, o toque intenso das línguas, o tórax de ambos despidos permitindo que pudessem trocar calor corporal, e o cheiro? Que cheiro! A mistura que começava a se formar com o aroma de ambos era inebriante.

Quando Abeno desceu para o pescoço de Hanae, este não pode conter um pequeno gemido, seu rosto ficou ainda mais vermelho quando sentiu a língua quente de Haruitsuki descer por sua clavícula em direção ao seu mamilo esquerdo, estava perdido, sabia disso, e teria se deixado levar pelas caricias do outro se não fosse o seu desejo de tomar por completo o corpo do loiro; assustou momentaneamente o ômega quando inverteu as posições.

- Hoje, eu quero que você se sinta bem, se sinta amado. – afirmou olhando nos olhos do rapaz abaixo de si.

- Me mostre suas habilidades então, Hanae. – soltou um risinho, porque sabia bem da inexperiência do alfa, o que não sabia era que o jovem moreno havia estudado, e estudado bastante em segredo, sobre como agradar um ômega na cama.

- Da-Darei o meu melhor! – afirmou antes de sem aviso enfiar a língua na boca alheia, arrancando um abafado gemido do companheiro; o gosto era bom, a sensação melhor ainda, como poderia alguém o excitar tanto com apenas um beijo, e por um instante Abeno pensou que talvez durante o mês longe, Ashiya tivesse praticado de alguma forma, e o simples pensamento lhe desagradou de uma maneira tão grande, que fez uma nota mental para tirar isso a limpo depois. Mas outra hora, agora aproveitaria cada uma daquelas sensações.

A mão direita de Hanae passeou lentamente pela lateral do corpo do ômega, enviando arrepios por toda a pele do loiro, então quando as bocas se separaram a sensação de vazio foi substituída pelo arfar e arquear de costas ao ter o mamilo sugado com força, logo sentindo o outro sendo beliscado e massageado. Enquanto sugava e mordiscava até deixar de forma durinha os mamilos do esposo, a mão esquerda de Ashiya pousou sobre o membro ainda coberto de Abeno; com movimentos de apertos já simulando uma lenta masturbação.

Os sons que saiam baixinhos dos lábios do príncipe mais velho, estavam enlouquecendo o alfa, seu pênis a muito desperto começava a reclamar, seu lado primitivo queria a todo custo se enterrar com força dentro daquele ômega que era seu. Embora ainda não vinculados, cada parte sua sentia que o outro lhe pertencia, bem como tudo de si era de propriedade do esposo.

Levantou-se para olhar um Haruitsuki corado e arfando, sua roupa íntima estava encharcada e o kimono persistente foi retirado, aumentando ainda mais a vista maravilhosa que Ashiya tinha, e como era lindo, cada pedacinho dele era maravilho, por isso se aproximou da cueca boxer do companheiro e colocou a cara ali, lambendo por cima da peça. Ele vai me enlouquecer! Abeno já não aguentava aquela tortura.

- Ha-Ha-nae, vai logo! – exigiu colocando as mãos no último tecido que cobria seu corpo, precisava a todo custo ser tocado diretamente.

- Vá com calma, temos bastante tempo. – teria rido se não fosse o velho olhar fulminante de Abeno por ter recebido como resposta a mesma fala que pronunciara mais cedo. Por isso sem demora, o alfa moreno segurou as mãos do esposo ao lado do corpo e com a ajuda dos dentes puxou a peça de maneira a liberar um membro duro que de forma saltitante bateu contra seu rosto.

A glande rósea parecia brilhar coberta de um líquido transparente e convidativo de mais para que o alfa não a engolir-se por completo, delicioso, sinceramente imaginou que não gostaria da sensação, no entanto era maravilhosa.

- Ahhh. – Haruitsuki agradeceu que a casa ficava afastada, pois tinha certeza que todo o palácio o teria ouvido gritar neste momento. Quando seus braços foram liberados, tudo o que pode fazer foi levar as mãos aos fios pretos-azulados e puxar com força ao mesmo tempo que forçava a cabeça do outro conta seu quadril.

Hanae não reclamou, engoliu por completo o falo alheio e levou uma mão aos testículos, massageando de leve, antes de retirar a boca e chupar uma das bolas ali presentes. Enquanto fazia isso, subia e descia a mão pelo pênis lubrificado, intensificando o prazer do loiro. Este que já gemia descontrolado, nunca tinha se sentido tão bem na vida. Não fazia ideia de quantas vezes já tinha chamado o nome do marido de forma manhosa para que esse parasse com as provocações e entrasse em si de uma vez; pedido que pareceu que seria atendido quando o moreno retirou finalmente a cueca de seu corpo.

Sendo colocado de quatro, o loiro olhava para trás, ansioso pelos movimentos que viriam, mas qual não foi a sua surpresa quando Hanae se abaixou e passou a rodear sua entrada com a língua; seus braços não puderam com o peso do seu corpo e sua cabeça foi de encontro ao travesseiro no futon, suas pernas também pareceram vacilar, porém foram sustentadas pelo braço esquerdo do alfa, que usava a outra mão para manter aberta as nádegas de Abeno.

Sua língua simulava estocadas e seus dedos apertavam com força a banda que agarrava, com certeza ficaria a marca da palma de sua mão ali. Duas falanges invadiram sem avisos o canal aveludado do ômega, o fazendo soltar um novo grito, assustando até mesmo o próprio Ashiya.

- Machuquei você? – levantou o rosto preocupado para olhar na direção do outro.

- N-Não, pode continuar. – era o que precisava para prosseguir, ver a face cheia de desejo do seu amado ômega.

Os dígitos procuravam um certo ponto, que em teoria, não ficava muito longe da entrada do ânus; acertou uma parte levemente dura ali dentro, e pelo gemido deleitoso que ouviu e o rebolar, tinha encontrado a próstata. Levou a boca a uma das bandas depositando uma mordida e chupando o local, queria marcar cada parte daquele lugar. As feromonas de Abeno ficavam cada vez mais forte, à medida que sua lubrificação escorria livremente por suas pernas.

- Eu não aguento mais, Hanae, por favor. – choramingou para a loucura do alfa que certamente estava em seu limite.

Retirou com cuidado os dedos, pedindo para que Haruitsuki deitasse virado para si. Precisava estar olhando nos olhos dourados para ter a certeza de que o estava satisfazendo como havia sonhado a muito tempo. Retirou a calça e boxer sob a vista atenta do esposo, logo em seguida se posicionando naquele orifício que se contraia em ansiedade, como se o chama-se. Depois de roçar um pouco sua glande, foi-se introduzindo lentamente, centímetro por centímetro, aproveitando o calor que o abraçava; Abeno era apertado e pelos deuses, tinha que fazer força para não gozar com o pênis ainda na metade.

Olhou para o rosto do loiro, sorriu ao ver que este cobria os olhos com um dos braços e mordia o lábio inferior, retirou com carinho o braço e se inclinou depositando um beijo casto na boca do ômega.

- Você está bem, Abeno-san. – gentilmente perguntou.

- Hunm. – foi tudo que obteve.

- Quer par...?

- Você não ouse! – não só foi interrompido, como teve as pernas do outro lhe rodeando e forçando a sua entrada de uma só vez. Hanae não pode conter um quase rosnado. Os braços de Abeno rodearam sua nuca e o beijo que veio a seguir retirava o folego de qualquer pessoa; era bruto e sedento, deixaria ambos com os lábios inchados depois.

O membro de Ashiya pulsava, por isso não demorou a se mover devagar e logo ir intensificando as penetradas. Sentou sobre as pernas e segurou as coxas alheias as arranhando de leve, flexionou os joelhos do loiro e passou a se movimentar com força, um vai-e-vem eletrizante para um Haruitsuki que não sabia se quer o seu nome a essa altura. O ômega estava muito perto de gozar, por isso alcançou as costas do esposo e fincou as curtas unhas ali, sentindo o êxtase lhe atingir deixando sua mente embaçada até sentir um líquido quente lhe preencher e o corpo pesado de Hanae sobre o seu.

As respirações descompassadas, o cheiro de feromônios e sexo, o suor dos corpos se misturando, o afago nos cabelos morenos, os braços envolvendo o corpo do príncipe mais velho em um abraço amoro; aquele quarto era um pedaço do paraíso, certamente concordavam nisso. Nem mesmo o desconforto com um nó em seu interior, era suficiente para tirar a boa sensação que permanecia no corpo de Abeno, e quando Hanae se retirou de dentro de si e o abraçou de lado, podia sentir o carinho que esse nutria.

- Você acha que pode engravidar com isso? – uma voz suave em seu ouvido.

- A ideia não é essa? – perguntou se virando para encarar o alfa.

- Sim, mas agora que estamos assim, gostaria de aproveitar mais um pouco, sabe. – riu sem jeito, coçando a nuca.

- Jamais imaginei que o príncipe de Eisige Erde fosse tão safado. – fingiu uma surpresa sentando-se soltando um pequeno gruindo de desconforto. - Preciso de um banho. – olhou para as próprias pernas e viu o sêmen que escorria por ali.

- Vem, eu te carrego. – Haruitsuki sorriu e se deixou ser mimado, estava se divertindo conhecendo mais um lado do alfa que tinha sido escolhido para ser seu esposo. Estava feliz e satisfeito, mas não podia deixar de pensar como seria bom repetir a dose quando ambos estivessem no cio. Talvez o safado seja eu... Sorriu internamente.


Notas Finais


Não é colocando desculpas, mas quem lê a minha outra fic, sabe que meus lemon apesar de não serem tão bons quantos em algumas histórias que já li, são mais "safadinhos", foi bem complicado fazer "amor" para esses personagens,por isso espero que gostem, e espero escrever um cap mais hot no cio.

Bjs, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...