1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Querido Idol - Hyunin >
  3. Seguir em Frente

História Meu Querido Idol - Hyunin - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Alguns GATILHOS estão presente na fic.

Olyaaa :D voltei rápido dnv, e quero dizer que com toda a dor no coração que essa fic está chegando em seu final, irei estar hoje postando o ultimo capitulo. Então já preparem-se para o final (que fofo no meu ponto de vista).

Espero que gostem.

Boa leitura 🐼❤

Capítulo 14 - Seguir em Frente


 ” Meu querido Idol, há tantas coisas que não pude dizer a você quando foi embora, as palavras que eu tanto queria dizer a você não saiam. Por mais chato que seja, não posso mandar um e-mail, pois sei que seu empresário ou seus pais podem lerem primeiro que você, e sei que essa carta virtual nunca chegará até você do jeito certo. Não irei relevar seu nome, porquê sei o quanto pode ficar polémico para seu lado. Também não irei relevar meu nome, mas irei tentar deixar tudo bem especifico para saber que se trata de você!

 Quando você escutou minha conversa com o nosso amigo francês, e escutou ele perguntando o porque de eu gostar tanto de você, não pude responder, do mesmo jeito que não pude responder quando você perguntou a mesma coisa. Não era como se eu não tivesse uma resposta, só não estava pronto para me abrir. Me abrir de verdade. No momento vi você ir embora, foi o que me deixou mais abalado, porque na minha cabeça... Me fez cogitar que se eu dissesse a você, você ainda estaria ao meu lado.

 O motivo de eu gostar de você, seja o mesmo que muitos outros fãs seu, você trouxe luz para nós em momentos difíceis. Quando perdi minha mãe, eu não sabia o que mais fazer na minha vida, mesmo tendo meu pai ao meu lado, sentia que meu mundo não era o mesmo, não era aquele colorido, as flores belas não eram tão belas, as “amizades” que eu tinha não eram as mesmas, me sentia perdido em um quarto preso enorme, onde a saída para um mundo melhor era impossível de se achar devido a escuridão. E eu me afundava mais e mais na solidão.

Devido a isso, não pude me cuidar direito, me sentia feio a todo o tempo, me sentia desconfortável quando as pessoas me olhavam, sentia que me julgavam, para mim tudo foi passando de pior para mais pior em minha vida.

 Entretanto, nesse mesmo período de tempo, eu estava navegando pelo meu YouTube, e coloquei em minha playlist depressiva, e foi naquele momento que tudo mudou. Você apareceu em um comercial de macarrão instantâneo, por mais normal que fosse, eu pude ver a luz novamente em minha vida, meu coração havia acelerado a cada detalhe que eu observava de você, e pude então concluir que seu sorriso, era de fato, a cura para mim.

 Quanto mais e mais procurava sobre você, mais eu saía daquela escuridão, pude achar a porta e sair daquele quarto que fiquei tanto tempo preso, pude ver o quanto o mundo podia ser lindo colorido; por sua causa pude me sentir feliz de novo.

 E quando você foi embora, meu mundo colorido foi tirado novamente, sendo assim, trancado naquele quarto maldito. Mas querido, não sabia que você passava por tudo aquilo que você me disse, se eu soubesse pelo menos uma metade daquilo, tentaria ajudá-lo, porque você é importante para mim. E sinto, que quando você estava comigo, aquele que fez me sentir confiante sobre minha aparência, aquele que correu de homens bombados para não apanhar por causa de um anão que nosso amigo francês fez o favor de irritar. Sinto que aquele não era seu personagem feito pelo seus pais, e sim, era você. E posso dizer, que no dia que descrevi suas personalidades, não foi aquilo que você havia se descrevido, não era seu personagem que eu descrevi, e sim foi você, foi as personalidades que eu raparei ao longo dos dias que ficamos juntos.

 Mas qual o intuito dessa carta afinal? É dizer que irei seguir em frente, irei seguir sem você. Não irei mentir que vai ser fácil essa jordana sem você, mas pro meu bem, é o certo a fazer. E quero que você faça o mesmo, quero que você consiga o que tanto deseja e siga em frente, pois tudo que você merece, é o universo inteiro. Eu te amo, por favor se cuide.

 Ah, e meu pai desejou um abraço para você, e o francês aqui disse que está com saudades de você.”

 

— E Enter — ao clicar a tecla de enviar, observou sua carta ser enviada. Fechou o notebook e colocou seu celular no bolso da calça se levantando sorridente — Vamos?

 

— Sim — os dois que antes sentados ao seu lado, agora estavam andando até a porta principal.

 

 Ao saírem de casa, Hyunjin colocou seu cinto e observou o Seungmin fazer o mesmo no banco de trás, e sem demorar muito, seu pai deu a partida. Enquanto isso, Seungmin e o Sr. Hwang conversavam entre eles, Hyunjin olhava para o lado de fora da janela, o colorido voltava gradualmente, sorriu franco encostando seu braço na janela, logo apoiando seu rosto em seu braço e vendo a bela vista que era de noite nas ruas de primavera. Sua cabeça um pouco atordoada devido sua carta postada em um site que é rápido até demais para as coisas vivarem notícias, mas quem se importa? Seus olhos enchiam de lágrimas, a vontade de não desfazer do Jeongin era grande, a cada momento que viveram juntos, foram como mágicos. Mesmo Jeongin sendo rabugento e nada simpático às vezes, aquilo dava um charme nele, como um ‘Bad Boy’ dos filmes de romance e nos livros também, aquele clichê que muitas garotas gostam.

 

 Mas com o tempo, esse Bad Boy mostra que na verdade, de mau, não há nada. Apenas um garoto que tentava fazer aquilo para não se prejudicar e prejudicar os outros. Jeongin é sim como todas as outras pessoas, ele é igual a mim afinal, mesmo sendo um idol, não quer dizer que tudo que ele faz é perfeito, porém dá seu melhor. Mesmo que outros fãs pudessem ver como ele é de verdade, ainda sim, Hyunjin iria protegê-lo, pois como todo ser humano, podemos recomeçar novamente.

 

 No entanto, como seu pai havia lhe dito, sua fase adulta está perto e ele irá se virar sozinho. Até lá, talvez ele tenha alguém especial, e esquecerá o Jeongin.

 

 Os dois garotos entregaram os ingressos para os professores que ficavam no corretor da porta da quadra de basquete. Sim, os bailes aconteciam ali, a quadra de basquete é grande por incrível que pareça. Ao entrarem, os olhinhos do Seungmin brilharam ao olhar em volta, Hyunjin apenas riu enquanto o levava até as mesas do lugar, se sentou junto com o Seungmin, e, claro que as garotas não iriam perde a oportunidade de xavecar o Hyunjin e a fada.

 

 À música brega que tocava, fazia Seungmin dançar sentado, mas quando a fada bateu seus olhos em seu par, viu que ele estava aéreo no momento. Ele sabia o que o garoto estava assim, foi a carta que Hyunjin havia enviado, fez um bico pensativo antes de fazer algo para ajudar seu humano destinado, fechou os olhos e se concentrou o máximo, tentando não fazer nada que possa prejudicar ninguém, e nem fazer alguém acidentalmente virar um animal. Ao perceber que conseguiu fazer o desejo certo, sentiu que estava bom na magia, algo que ele estava longe de ser bom novamente. Sorriu todo convencido de ser uma fada ótima, logo levantando e puxando o Hyunjin para a pista de dança e fazendo o garoto dançar com ele.

 

 Hyunjin estava pensante, mas deixou seus pensamentos para outra hora, pois no momento ele só queria se divertir com seu amigo — por mais que à música seja ruim demais para seus belos ouvidos —, ainda sim dava para aturar por uma note.

 

 Se divertir é o importante agora.

 

 

 Em Busan, as coisas eram as mesmas, nada havia mudado. O garoto de cabelos azuis escuro comia desanimadamente seu jantar, enquanto olhava para baixo, sem encarar as duas pessoas que eram para apoiá-lo em sua vida, que eram para amá-lo de verdade, e não o ver como uma máquina de dinheiro. Suspirou pesadamente, seu estômago já estava cheio, mas ele não podia sair daquela mesa sem terminar de comer tudo.

 

— Qual é, eu já estou cheio! — alegou olhando para os seus pais.

 

— Só ira sair dessa mesa até terminar de comer tudo. Eu não mandei você ir para Daejeon e voltar acabado como você está. O que seus fãs vão pensar quando ver o ídolo deles assim? Vão achar que você está usando drogas — seu pai alegou, fazendo o garoto serrar os dentes.

 

— Foda-se — chiou baixinho, mas não esperava que eles pudessem ouvir, sua mãe que se levantou da mesa e andou até ele.

 

— O que você disse? — Jeongin engoliu a seco, ele já sabia o que iria acontecer — Você acabou de dizer um palavrão?

 

 O azulado negou rapidamente com a cabeça.

 

— A mão, Yang Jeongin. Agora! — a mulher ordenou, fazendo até os funcionários presentes se sentirem desconfortáveis com o que estava acontecendo. O garoto então fez o que ela pediu — Minji, a régua por favor.

 

 Jeongin mordeu o lábio inferior com força ao ver a funcionária chegar com a régua que tanto odiava, ela entregou gentilmente para a Sra. Yang, que pegou a régua olhando com um sorriso cínico para o marido.

 

— O que já conversamos sobre você falando palavrão? — Jeongin não queria olhar para ela, não queria mais passar por aquela humilhação novamente, mas ele não conseguia fugir daquilo, seu olhar foi para sua mão, antes que ele pudesse dizer algo, uma reguada foi transferida em sua palma com força.

 

— Garotos bons não deveriam falar coisas horrendas — disse a frase que o acompanhou quase a vida toda.

 

— Que mais?

 

— Devemos ser educados com os mais velhos, principalmente com os nossos pais que só querem...

 

— Engole o choro, Jeongin. Só querem...? — suas lágrimas faziam sua visão embaçar.

 

— O nosso bem.

 

— Bom garoto — com outra reguada em sua palma já dolorida com a de antes, se permitiu abaixar sua cabeça — Vá para seu quarto. Só saía de lá quando eu ou seu pai mandar você sair. 

 

 E dito aquilo, saiu se curvando e andado rapidamente para seu quarto, com sua mão dolorida tocando seu peito. Suas lágrimas que não paravam de descerem, e seus soluços. Quando chegou em seu quarto, trancou a porta e andou até seu banheiro, onde ligou a torneira e colocou sua mão sob a água gelada, para tentar amenizar sua dor. Quando secou sua mão, foi direto para a sua cama, onde começou a chorar mais e mais.

 

 Olhou para sua gaveta, logo colocando algo em sua cabeça. Se levantou e andou tropeçando até sua gaveta. Revelando seus cintos, pegou o cinto mais forte, analisando-o todo, começou a chorar mais enquanto analisava aquele cinto, sentido que tudo não iria passar. Quando levou seu cinto até seu pescoço, escutou seu celular notificar. E como um sinal e curiosidade, se levantou indo até sua cama, pegando seu celular para ver o que se tratava a notificação. Ao clicar na notificação, viu que era um texto.

 

— Meu querido idol, há tantas coisas que não pude dizer a você quando foi embora... 

 

 Ao ler aquele texto, sentia que ele era para si, quando leu mais viu que era realmente para ele, e quem havia escrito aquela carta foi o Hyunjin, não conseguiu conter suas lágrimas, elas caíram na tela do celular ao terminar de ler aquela carta, fazendo ele jogar o cinto para longe e se jogar em sua cama, abraçando seu celular enquanto chorava.

 

 Se ele continuar assim, não conseguirá passar por mais dias como esse. Estava cansado, cansado.

 

 

 A cada mexida de corpo que dava ao dançar, era mais sem ar que ele ficava, o lugar estava abafado demais, Seungmin havia se perdido na música, o mesmo chamou a atenção da fada várias vezes, só depois que o Hyunjin deu um tapa na cabeça do Seungmin, fez com que o outro parece o que estava fazendo para ver o que o Hyunjin queria. Hyunjin disse que iria ao banheiro, e Seungmin apenas assentiu voltando a dançar no ritmo da música. Hyunjin apenas revirou os olhos enquanto tentava sair daquele aperto na pista de dança.

 

 Quando finalmente saiu daquele forno, foi direto para o corredor do banheiro, que cada vez que ele chegava perto escutava vozes, até que viu dois garotos encostado na parede do banheiro, eles pareciam bêbados.

 

— Eu estou te dizendo, nós temos duas bundas.

 

— Não cara, não temos duas bundas. Só uma.

 

— Você é teimoso cara, admite que está errado!

 

— Primeiro, suponhamos que você é mordido na bunda e é levado para o hospital, você vai simplesmente dizer que sua bunda direita foi mordida para o médico?

 

— Sim.

 

— Nãaao, você não iria falar isso.

 

— Estou te dizendo, vou falar pra alguém morde minha bunda, vamos lá.

 

 Hyunjin ficou de boca aberta com o que ele acabará de ouvir, mas que porra eles estavam falando? Só bêbados para fazer e dizer merdas. Sentiu seu celular vibrar no bolso da calça, fazendo ele pegar o dispositivo e ligá-lo, seu coração quase parou de bater ao ver que Jeongin o havia respondido, fazendo ele correr até o lado de fora, chegando no jardim, onde se sentou no chão e respirou fundo antes de começar a ler.

 

 ” Meu querido fã, eu não sei por onde começar. Primeiro que estou postando isso em minha conta oficial, todos que me seguem ou até mesmo aqueles que não seguem irão ver esse Twitter, mas foda-se, no momento quero apenas respondê-lo.

 Segundo que naquele dia que estávamos bebendo e curtindo, foi um dia libertador para mim, pois nunca bebi bebidas alcoólicas sem ter medo de quem iria ver, me sentia um adolescente com as pessoas que ele gosta, amigos eu diria. Nós dois fomos que mais bebemos, mas eu não sei você, mas naquela madrugada, eu soube o quanto eu gostava de você — ainda gosto —, e pode apostar que eu não estava tão bêbado para fazer aquelas coisas. Então se em algum momento você pensou que eu me arrependi de ter beijado você na boca, e ter feito outras coisas além de beijar, eu não me arrependi. E faria novamente se pudesse.

 Naquele dia que eu acordei, fiquei tão frustrado com os meus pais, pois eles haviam mandando coisas terríveis para mim, meu psicológico estava detonado naquele momento. Não queria que você me visse em um momento delicado, mas acabou que você viu e soube o quanto sou infeliz. Você disse que se sentia preso em um quarto escuro, e eu me sentia exposto a luz, onde todos pudessem ver o que eu fazia. Aonde quer que eu vá, essa luz ia junto.  

 Talvez essa fosse a luz que o iluminou, e mostrou que quanto mais eu tentasse ficar longe de você, mais interesse eu teria em você. Quando disse que não sabia o que era o amor, eu menti, menti porque eu estava inseguro. Inseguro com o mundo, por ser famoso as coisas iriam apenas complicar para o meu lado, mas não posso evitar.

  Terceiro que eu estava pronto para cometer uma loucura, mas você me fez enxergar que eu posso sim escapar de tudo isso, eu tenho 18 anos e irei lutar para o meu bem, essa merda de tortura ira acabar por aqui.

 Eu também não queria que acabasse assim, queria estar agora mesmo ao seu lado, dando o amor que você merece, mas não consigo. Não consigo porque não estou pronto para um relacionamento de verdade, ainda preciso fazer muitas coisas antes de me deixar levar para o paraíso. Respeito sua decisão de seguir sua vida sem mim, e irei fazer o mesmo. Nossos caminhos irão se dividir novamente, e poderemos ser aqueles que tanto sonhávamos.

 A felicidade que tanto quis estava sempre a alguns passos em minha frente, a cada vez que eu chegasse perto dela, mais longe eu ficava, mas quando você entrou em minha vida, pude então tocá-la por alguns minutos, e foi a melhor sensação que eu já tive. Obrigado por me salvar e mostrar que posso sim sair dessa prisão que é minha vida atual. Irei conquistar meus sonhos e quando eu finalmente ter tudo que eu sempre quis, irei olhar para trás e dizer: “eu consegui”.

 Diga para seu pai que ele está guardado em meu coração, junto com o nosso amigo francês e com você. Eu também te amo e boa sorte.”

 

 Ao fechar seus olhos com força, sentiu suas lágrimas descerem rapidamente, enquanto seus soluços soavam no local, sua mão em seu peito sentido algo inexplicável. Ah, então é esse sentimento que os personagens de filmes de romance sentem? Engoliu a seco enquanto enxugava suas lágrimas com o dorso da mão, e voltou sua atenção para seu celular ainda ligado. Clicou no perfil do Jeongin.

 

 “Deseja mesmo parar de seguir essa conta?”

 

 E com um sorriso e com a maior certeza, disse:

 

— Sim. 


Notas Finais


Sorry pelos os erros de ortografia e concordância verbal.

Então, sobre esse final, foi o único que achei que combinasse com essa fic. Por mais chato que seja ver seu casal não ficando junto (mas tem o final, não chorem ainda soldados), nesse momento, eles estão realmente fazendo o certo. Deixar de amar alguém e seguir em frente sem ela não é fácil, mas quando esse alguém machuca vc, não dá para viver assim. Não posso simplemente fazer o Jeongin ler a carta do Hyunjin e pegar um trem para Daejeon e ir encontrar o Hyunjin no baile e ficarem juntos, assim não dá, não combina com essa fic.

Adoraria ler a opiniões de vcs, sejam elas positivas ou negativas, irei adorar no mesmo jeito.

Lembrando QUE, ainda tem o cap 15 que é o final da fic.

Irei estar postando o cap 15 às 20:00 (se tudo der certo).

Ateh lá e amo vcs❤❤

Bjs e sorriem :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...