História Meu Querido (John) Jeon Jungkook - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 56
Palavras 1.721
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, eu precisava colocar essa fotinha JSHAKDHSAKSJ
O JK tá muito fofo, com cara de quem tá com ciúmes AJDKSJDKSANDKDJ
Sabe quando dá aquela raiva da internet? Então, eu estou assim nesse momento

Ah, me perdoem, me empolguei demais escrevendo JAHSKAJDHSKK

Capítulo 12 - Ciúmes? Até parece.


Fanfic / Fanfiction Meu Querido (John) Jeon Jungkook - Capítulo 12 - Ciúmes? Até parece.

Eu nem podia acreditar que eu havia sobrevivido ao domingo. O dia havia passado tão devagar que eu podia dormir dez horas e só haveria se passado dois minutos. Minha mãe perguntou o motivo da minha ansiedade e eu apenas disse que estava entediada, o que resultou em ter que arrumar meu quarto e colocar as atividades em dia. 

Quando cheguei na escola, vi que Taehyung estava sentado no lugar de sempre, mexendo no celular. Ele parecia bem distraído que nem me viu se aproximar dele.

— Bu!— vi ele dar um salto e depois suspirar aliviado que era eu.

— Vai se foder, Soo Ah! Você não pode ficar dando sustos nos outros assim— ele resmungou, passando a mão pelo rosto.— Se eu fosse cardíaco, eu estaria morto!

— Sem drama, Tae— eu disse, me sentando ao seu lado. 

Ele abaixou a cabeça e entrelaçou os longos dedos, o que fazia sempre quando estava nervoso. Toquei seu ombro e o fiz olhar para mim. Aí eu notei que ele estava ansioso para me dizer alguma coisa assim que ele umedeceu os lábios e abriu a boca, mas não disse nada. 

— O que foi? Aconteceu alguma coisa?

— Eu tenho que te contar uma coisa— ele sussurrou, passando a língua pelos lábios novamente.— E eu não tenho certeza como você vai reagir.

— Então fala logo.

— Eu e o Hobi... Nos acertamos. Eu... Eu...

— Respira fundo, parece que você vai desmaiar a qualquer segundo— eu resmunguei, apertando o ombro dele.

— Eu pedi o Hoseok em namoro.

Ok.

Taehyung.

Hoseok.

Namoro.

Alguém pode me explicar como essas três palavras estão numa mesma frase?

— Eu me declarei para ele no sábado, algumas horas depois de você ter ido embora— ele voltou a falar quando percebeu que eu estava chocada demais para falar alguma coisa.— Eu fiquei pensando no que você disse e notei que eu não quero perdê-lo. Que eu quero enfrentar meu medo com ele.

— Você falou para ele sobre... O que aconteceu?

— Não. E não pretendo contar tão cedo.

— Taehyung!— passei minhas mãos pelo rosto.— Você precisa contar para ele, porque se, por algum motivo, isso não der certo e você terminar, ele vai achar que a culpa é dele. Você sabe que por trás desse jeito energético e animado dele é apenas uma máscara! Ele se magoa facilmente!

— Eu sei! 

— A auto-estima do Hobi é mais baixa do que a minha e a sua juntas— eu disse, estava me controlando para não gritar.— Se você surtar e terminar com ele, sem explicar esse seu medo, ele vai achar que ele tem algum problema!

Tae suspirou e fechou os olhos, jogando a cabeça para trás. Eu sei que estava sendo dura demais, mas ele precisava falar sobre isso com mais alguém, especialmente para Hoseok. Eu sabia que o trauma dele era muito grande e que ele odiava falar sobre isso, mas ele precisava confiar no — agora — namorado. 

— Se acontecer algo e você não tiver contado, eu mesma contarei.

Ele me olhou e negou com a cabeça.

— Eu vou fazer isso— ele disse, baixinho.— Mas não hoje, não agora.

— Amo você, Tae, mas não vou deixar você machucar o meu solzinho só por um medo— murmurei.— Enfrente seu medo e se permita amar. Vocês dois merecem isso.

O mais alto assentiu e passou o braço pelos meus ombros.

— Ansiosa para encontrar o gostosão do Jungkook? 

Ah, porra. É sério que ele precisava me lembrar disso? Agora eu não ia conseguir me concentrar em nada, pensando em como vai ser esse encontro.

Ai meu Deus. Eu tenho um encontro com Jeon Jungkook? Sabe quanto eu esperei para ele sequer falar comigo? Sete meses! SETE MESES. E agora eu teria um encontro com ele. Meu Deus, será que ele vai me beijar? Eu não lembro como se beija, acho que a última vez que beijei foi, tipo, um ano e meio atrás. E se eu fizer algo errado e ele me rejeitar? E se ele desistir antes mesmo que eu possa errar?

— Ei, ei. Soo Ah, para de surtar— Taehyung me chamou, estalando os dedos na minha frente.— Você não pode pensar que algo ruim vai acontecer, sua mente tem um poder assustador quando se trata de imaginar coisas ruins.

— Taehyung. Eu tenho um encontro. Com Jeon Jungkook.

— É, eu sei. Você me disse.

Acho que a ficha ainda não tinha caído, afinal. 

— Ele vai para a biblioteca?

— Acho que sim, mas eu nem sei se vou conseguir estar viva até lá— eu disse, ainda encarando o nada.

— Quer que eu fique com você até ele chegar?— o garoto do sorriso quadrado perguntou, me fazendo sorrir.

— Você faria isso?

— Claro, não tenho nada para fazer mesmo.

O abracei e sorri ainda mais. Eu precisava controlar minha mente e não pensar em coisas ruins, apenas na situação real. Eu ia me encontrar com Jungkook.

 

Eu não podia estar mais nervosa. As aulas haviam acabado e eu nem sentir o dia passar. Yoongi havia faltado pois, de acordo com Jimin, ele havia dormido demais. Ah, Jimin havia pintado o cabelo e agora estava com os fios alaranjados. Ele estava tão lindo quanto poderia. Não comentei que teria um encontro com seu amigo de apartamento, apesar de achar que ele sabia disso. 

Me despedi de Hoseok, que estava mais radiante que nunca, mesmo que não tenha me dito que estava namorando. Sei que ele me contaria quando estivesse a sós. Jin decidiu que nos acompanharia até a biblioteca já que não tinha nada para fazer e nós três fomos para o meu trabalho. Bong Cha já conhecia Taehyung, mas não conhecia o primo dele. Os apresentei e corri para trocar de roupa.

Eu queria usar uma saia para o encontro, mas estava ficando frio e eu fiquei com medo de cair, o que estragaria tudo, então decidi usar uma calça jeans e uma camisa de mangas e gola longas. Aproveitei e peguei meu melhor sobretudo, um que ganhei do minha mãe no Natal. Ele era bege e tinha botões pretos grandes. Ele, quando fechado, parecia um vestido. Como ele era caro, eu só usava em ocasiões especiais. E eu acho que isso era uma ocasião especial.

Quando me troquei, fui até o balcão onde Jin e Taehyung estavam conversando com Bong Cha. Eles pareciam animados, o que me deixou relaxada.

— Qual é a comida que liga e desliga?— o mais alto perguntou ao outros, cobrindo a boca para evitar o riso.

— Ah, não, Jin...— o primo dele reclamou, cobrindo o rosto.

— Strong-on-off— e ele riu da própria piada.

Eu e minha amiga rimos, mas nem a gente sabia porquê estávamos rindo, se era pela piada em si ou pela risada do mais alto. Meu Deus, o Jin realmente era o rei das piadas de tiozão.

— Sabe como chamamos o Jay-Z quando está dormindo?— ele sequer deu tempo para pensarmos.— Jay-Zzzzzzzzz.

Admito que essa foi tão idiota que me fez rir. 

— É ridículo que vocês acharam graça nisso!— Tae disse, cobrindo o rosto.

— Essas piadas são tão sem graça que ficam engraçadas.

E assim eu passei algumas horas até vê-lo. Todo o ar que residia em meus pulmões, sumiu assim que eu o vi. Ele estava tão lindo que fazia meus olhos arderem. Os cabelos negros estavam divididos no meio, o deixando ainda mais elegante. Ele vestia uma camisa branca, coberta por um sobretudo preto e uma calça justa preta. Um par de botas bege e havia um detalhe ainda mais surpreendente. Ele estava usando um óculos.

— Tae, chama uma ambulância— eu murmurei, puxando a manga da camisa dele.

Quando ele— e Jin, consequentemente— olharam na direção que eu, senti meu coração parar por alguns segundos. Eu sei que é idiotice, mas acabei me escondendo, indo em direção ao quarto onde eu guardava minhas coisas. Não entrei no lugar, apenas me encostei na porta e fechei os olhos. Eu esperaria até que ele fosse embora. Isso não ia dar certo!

— Soo Ah!— Tae estava na minha frente, me olhando confuso.— O que você está fazendo?

— Me escondendo, não é óbvio?

— Por quê?

— Porque eu não sei como reagir! Ele... É bom demais para mim.

— Caralho, Soo Ah. Para com isso— ele segurou meu rosto.— Você é tão linda quanto qualquer atriz de dramas.

Acabei sorrindo com sua comparação, mas ainda não me sentia segura sobre o encontro. E se eu estragasse isso? E se eu não conseguisse nem ser amiga dele? 

Fomos interrompidos por um pigarreio que veio de nada mais nada menos que Jungkook. Ele parecia sério e eu entendi o que Hoseok tinha dito sobre áurea sombria. Ele parecia disposto a matar alguém.

— Interrompo algo?— ele perguntou e sua voz me atingiu em cheio.

Caralho, ele consegue ficar ainda mais gostoso quando está assim.

— N-não— eu consegui gaguejar. 

— Te vejo amanhã, Soo Ah— Taehyung disse, mas antes de ir embora, ele se inclinou e sussurrou:— Acho que alguém está com ciúmes.

Quando vi que ele e Jin saíam da biblioteca, acenei, me despedindo. Eu estava nervosa pra cacete e não conseguia encarar o homem na minha frente, só de saber que era ele, minha bochecha já se encontrava quente e eu já suava mais que porco no forno.

Meu Deus, me salva.

— Ele... É seu namorado?

— Q-quem?— o olhei e vi o quão... Decepcionado ele parecia.— O Taehyung? Não, ele é apenas meu amigo. Melhor amigo.

— Sério?

— É.

Então eu vi um sorriso lindo nascer em seus lábios. Ele parecia realmente aliviado e a frase que meu amigo sussurrou antes de ir embora voltou em minha mente.

Acho que alguém está com ciúmes.

Será? Ai meu Deus, o que eu faço?

— Acho que vou ter que esperar você largar para começarmos nosso encontro, não é?

Caralho, ouvir que vamos mesmo num encontro faz a porra toda ser real. Eu não tinha voz para responder, então só assenti e o vi dar outro sorriso, antes de se virar e sentar uma das mesas disponíveis para a leitura e pesquisa bem de frente para o balcão, onde Bong Cha apenas o encarava.

— Só te desejo boa sorte— ela disse quando me aproximei.— Ele deve ser enorme.

Só quando entendi o que ela quis dizer, corei. Eu sei que eu era bem mais pervertida, mas falar isso enquanto olho para Jungkook era bem mais constrangedor. 

Eu só torcia que essas três horas passassem rápido.


Notas Finais


GENTE, ME PERDOEM E NÃO DESISTAM DE MIM
Eu me empolguei demais e não deu pra escrever o encontro deles, mas deixo isso para o próximo capítulo, assim tenho mais liberdade para fazer <3
Às vezes eu acho que não sou normal
Aí eu lembro que ser normal é chato e prefiro ser anormal msm
Amo vocês
Lindos
Gostosos
tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...