História Meu Querido (John) Jeon Jungkook - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 56
Palavras 1.587
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, quase que eu infartava porque onde eu tinha escrito esse capítulo sumiu com uma parte dele e, graças a Deus, eu consegui restaurar o pedaço que faltava!
Alguém mais pode dizer amém?
AMÉM

APROVEITEM <3

Capítulo 8 - Eu estou fodida


Sabe quando você acorda e sente como se ainda estivesse dormindo, todo seu corpo ainda dormente e sua visão embaçada? Bem, era assim que estava me sentindo. 

Eu ainda estava me decidindo se eu era muito sortuda ou se era muito azarada, então apenas deixei isso de lado, por enquanto. De todas as formas que eu imaginei encontrar o Jungkook, essa, com certeza, não era uma delas. 

Merda.

Pelo jeito, ele também estava surpreso e eu tenho certeza que não de uma jeito boa. Se recuperando do choque inicial, Jungkook retirou seus sapatos e calçou uma pantufa escura, ainda me olhando. Nós não sabíamos o que falar, pelo menos eu não sabia, então ficamos em silêncio até que Yoongi saiu de um dos corredores, com os cabelos totalmente bagunçados e vestindo apenas uma calça de moletom.

E ele tinha um corpo muito bonito, magro, mas bonito. Ainda sim, eu não conseguia realmente apreciar sua beleza pelo fato de que o cara mais gostoso do mundo que também é meu crush estava na minha frente. 

Yoongi nos olhou e coçou a cabeça.

— Você chegou, hyung— ele murmurou, sua voz rouca e se virou para mim— Oi, Soo Ah. Você viu o Jimin?

— O Jimin? Ah, e-ele foi... Foi ajudar o Hobi a... Encontrar um banheiro— eu gaguejei, minhas condições mentais não eram as melhores no momento.

O garoto de cabelos esverdeados passou por Jungkook e sumiu no corredor que Jimin havia entrado antes. E o clima voltou a ficar estranho, desconfortável.

Sabe, se eu não tivesse um pingo de vergonha e pudesse fazer com que ele tivesse uma amnésia, eu correria para abraçar aquele homem e dar um beijo naquela boquinha que Deus desenhou perfeitamente. 

Estou começando realmente a pensar que a mãe do Jungkook demorou mais que nove meses para fazê-lo, porque, puta que pariu, que homem lindo. 

— Você é a amiga do Jimin?— ele perguntou, me fazendo arrepiar.

— Sim— eu respondi, quase sem forças.— Você... Também mora aqui?

— Sim, eu divido o apartamento com o Yoongi, o Jimin e o Namjoon. Já o conhece?

— Namjoon? Sim, eu o conheci faz um tempo...— eu murmurei e o vi trocar o peso de uma perna para outra.

Puta que pariu de novo. Ele tinha umas coxas tão bem marcadas pela calça que me causou arrepios em lugares que eu nem sabia ser possível sentir isso. Umedeci meus lábios e bloqueei o celular, pensando no que falar quando Jimin apareceu com outra roupa e com Hobi logo atrás dele.

Quando o loiro viu que Jungkook estava ali também, logo abriu um sorriso e pulou no mais alto.

— Hyung!— ele disse, sorrindo.— Você já conheceu minha amiga, Soo Ah?

— É, conheci.

Eu estava completamente envergonhada, sentindo minhas bochechas esquentarem.

Se algo tentasse usar o calor das minhas bochechas, poderia fritar um ovo.

Hoseok, sem perceber o clima que estava na sala, se sentou ao meu lado e passou o braço pelos meus ombros e começou a falar sobre como o apartamento deles era grande e bonito. Desviei o olhar de Jungkook e sorri para meu amigo.

Preciso fingir que sou louca para ter esse homem na minha cama.

Sério.

— Acho que eu poderia morar dentro daquele banheiro— Hobi disse, baixinho.— É luxuoso pra cacete.

— Não duvido nada— eu disse e coloquei minha mão no joelho dele.— Acho que a gente deveria começar a fazer o trabalho.

— É verdade— Jimin disse e se desgrudou do moreno, que continuava nos olhando.— Hyung, tem problema a gente fazer o trabalho aqui na sala?

— Não, ficarei no meu quarto— se virou para a gente.— Fiquem à vontade.

Ele saiu e entrou num quarto, no mesmo corredor que Yoongi havia saído. Meu coração voltou ao seu ritmo natural e eu respirei aliviada, mas com a sensação de quentura percorrendo meu corpo. 

— Soo Ah, você está bem? — Hoseok perguntou, tocando minha bochecha.— Você está quente.

— Estou bem, é o calor.

Meu amigo deu de ombros, o que me deixou aliviada por não ter qualquer tipo de interrogatório. Yoongi se juntou a nós um tempo depois, mais arrumado. Os cabelos penteados e vestindo uma camisa cinza, mas ele continuava com cara de quem tinha acabado de acordar. Jimin pegou um notebook e um caderno, além de um livro com título em inglês.

Peguei o livro e o olhei, mas eu não entendia muito além de algumas palavras. 

— Você consegue ler alguma coisa disso?— perguntei à Jimin, que se sentou no chão, perto da mesinha.

— Não, esse livro é do Namjoon hyung. Ele e o Jungkook são fluentes em inglês e japonês — ele respondeu, sorrindo. — Eu peguei porque pensei que poderia ajudar...

 — A gente pede pro Jungkook traduzir — Yoongi sugeriu, ainda sonolento.— Ele não faz nada mesmo, precisa ser útil em algo.

Acabei soltando um risada junto com Hobi e nos sentamos no chão ao lado do casal. Durante quase duas horas seguida, ficamos pesquisando e montando o trabalho. Era um pouco difícil porque tínhamos que pesquisar visões de três países diferentes sobre alguns temas dados pelo professor.

Nós quatro escolhemos três países, sendo esses Canadá, Brasil e Índia para compararmos com a visão da nossa sociedade. Fiquei para pesquisar a visão do Brasil, comparando coisas simples até as mais complexas com a visão da nossa sociedade. Fiquei bem impressionada com coisas como as relações eram bem mais abertas e como até mesmo as regras mais comuns para nós eram, para os brasileiros, muito diferentes.

Após terminarmos a primeira parte do trabalho, Yoongi reclamou de que estava com fome e que não aguentava mais ler. O seu namorado reclamou que ele parecia um velho de oitenta anos, mas isso não pareceu ofendê-lo. 

— Seu cabelo parece de uma velha — o de cabelos esverdeados disse, se levantando.

— E o seu parece... Um sorvete ambulante — Jimin disse, fazendo bico. 

— Isso nem é um xingamento — o mais alto disse e se inclinou, sussurrando algo no ouvido do outro, que ficou vermelho.

Eu apenas ria, não tinha como não fazê-lo. Os dois eram incríveis juntos, as personalidades tão diferentes, tão contrastantes, mas ainda sim, tão perfeitas que se encaixavam. Jimin era otimista, sempre sorria, animado e gentil. Yoongi era sempre pessimista, com uma expressão fechada e sempre sonolento, além de ser bem rude grande parte do tempo.

Mas, porra, eles eram tão bonitinhos juntos que eu não conseguia ver maldade neles.

Quer dizer, às vezes.

Eu nunca imaginei como seria os dois se pegando, jamais.

— Ok, ok, pelo bem do idoso aqui, vamos fazer uma pausa — o loiro anunciou e se levantou. — Vocês querem algo em especifico?  

Serve seu amigo gostoso que está dentro do quarto? Eu posso comer ele sem problemas, nem precisa embrulhar.

Precisei apertar meus lábios, senão eu iria dar uma gargalhada muito alta, talvez ainda mais esquisita que a do Jin. Eu apenas neguei e vi que Hoseok fez o mesmo.

O casal saiu da sala, discutindo alguma bobagem.

— Só eu que acho eles o casal mais fofo do mundo? — eu perguntei para meu amigo, quando ele deitou a cabeça no meu colo.

— Mais fofo que Namjoon e Seokjin? — ele perguntou, sorrindo.

— Ih, que difícil! — acabamos rindo. — Acho que deveríamos dar um empurrãozinho nesses dois.

— Definitivamente.

Segurei o rosto de Hoseok e apertei as bochechas dele, apesar dele não ter muita, eu adorava fazer isso, mas acabei recebendo cócegas de castigo. Quando abri os olhos para reclamar, vi que Jungkook estava no corredor, nos observando. 

O ruivo percebeu a presença do moreno e se sentou, um pouco distante de mim. Acho que ele sentiu essa áurea intimidadora do outro.

Entretanto, Jungkook não falou nada, apenas caminhou até a cozinha, nos deixando sozinhos.

— Hobi... Preciso te contar uma coisa — sussurrei, ficando próxima dele.

— O quê? Você também sentiu essa áurea assustadora? — ele perguntou, medroso como sempre.

— Sabe o garoto da biblioteca? — ele assentiu. — É ele. Jeon Jungkook.

— O quê? É sério?

Apenas balancei a cabeça e suspirei. Jungkook provavelmente estava irritado de ter que ver um bando de adolescentes idiotas na sala dele. Será que a gente fez muito barulho? Eu sei que eu consigo fazer muito barulho sem querer, minha mãe sempre dizia que eu não falava, eu gritava. O problema é que eu não tinha controle sobre isso, quando eu dava por mim, já estava gritando. 

— Eu acho que ele ficou irritado de ver a gente aqui — murmurei.

— Eu acho que ele ficou irritado por outra coisa — Hobi sussurrou. — Quer fazer um teste?

— Teste? O quê?

— Confia em mim porque eu acho que tu ainda pega esse boy hoje.

Fiquei confusa, mas dei de ombros. Eu confiava mais nele do que eu confiava em mim mesma, porque olha, eu só faço merda.

Quando os outros três voltaram, Hoseok passou o braço ao redor dos meus ombros e ficou o mais colado em mim possível. Percebi que Jungkook estava com os olhos grudados na gente.

— Hyung, você pode ajudar a gente? — Jimin perguntou, manhoso. — Esse trabalho é mais chato do que eu pensei.

— Não tenho nada para fazer mesmo — o mais alto disse, se sentando ao lado do loiro.

Sabe quando você não faz a mínima ideia do que está acontecendo ao seu redor, mas finge que está tudo bem? Então já sabe como eu estava. 

E fiquei assim por um bom tempo e nem sei dizer qual o motivo principal. 

Se era pela quantidade exagerada de toques do meu amigo ou se era por estar no apartamento do cara que eu tenho um precipício, tão perto dele que posso sentir o cheiro do seu perfume.

Eu estou fodida.


Notas Finais


A Soo Ah só não faz mais merda que eu AKSJALKSJALSJSKLAJ
Após me recuperar do mini infarto que foi pensar que o capítulo tinha se perdido para sempre, estou rindo de nervoso KAJSKLAJDKAJSKAJASK
Amanhã tenho aula e eu deveria ter feito as tarefas, se eu fiz? Nem toquei no meu caderno JHASHAKSHAJAHA
TAMBÉM ESTOU FODIDA, SOO AH


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...