1. Spirit Fanfics >
  2. Meu querido leão. >
  3. Capítulo V

História Meu querido leão. - Capítulo 5



Notas do Autor


ta, mas e eu que decidi voltar do nada???

Capítulo 5 - Capítulo V


- Claryssa Hydra. - Ouvi a voz tão conhecida de Draco.

- Vem aqui, loirinho. - Disse abraçando o mesmo, bagunçando seus cabelos perfeitamente alinhados.

- Você ousa desmaiar nos meus braços?! - Perguntou incrédulo. - Sinceramente, esperava mais de você.

- Ah, vá!- Exclamei rindo.

- O dia foi péssimo, ninguém pra conversar, ninguém pra falar comigo sobre a futilidade das outras casas... Tanta coisa que me lembrou você.

- Seja sincero, você quis dizer que não vive sem mim, Draco. - Disse convencida.

- Não ponha palavras na minha boca.

- Então... Deixa.

- Você sabe que eu sou incrível, então sua amiguinha Granger vai entrar. - Ele disse da porta.

- Hydra, oi. - Ela disse.

- Oi princesa. Tudo bem? - Perguntei flertando.

- Comigo sim, e com você?

- Ótima. - Disse e depois disso não soube o que falar.

Ficamos em silêncio, mas não foi desconfortável. Fiquei observando a gatota, até que ela teve que ir embora. Estava assustadoramente cansada, me cobri e dormi rapidamente.

----------------------------------------------------------------------------------------

Fiquei durante mais uma semana na enfermaria, fazendo os deveres que Draco trazia, soube até que por uma observação eficiente sobre poções, ganhamos 10 pontos. E ganhei 5 também em história da magia por algo que agora não me recordo.

Quando voltei as garotas com quem divido o quarto me receberam e eu agradeci pela cordialidade. Dormi finalmente na minha cama que, para minha surpresa e agrado, tinha o cheiro do perfume que eu uso todo dia. O travesseiro por sua vez tinha cheiro de shampoo.

O dia seguinte foi muito calmo e monótono, até a hora da nossa detenção, da qual a minha tinha uma semana de acréscimo pelas faltas.

- Boa noite, Hydra. - Disse a Granger.

- Melhor agora, boa noite princess. Disse usando um apelido com a mesma. - Boa noite também Potter e cenou... - Parei quando vi o olhar de repreensão da mesma. - Weasley.

- Boa noite, Hydra. - Disse Harry com seu tom de voz que me fez pensar que era satisfatório de se ouvir.

- Boa noite. - Disse Rony revirando os olhos.

Me estiquei pra pegar as coisas de limpeza e comecei no meu canto. Hoje a limpeza seria nos porão de coisas antigas, como eu decidi chamar por ter esquecido o nome. Lá tinham coisas como pergaminhos antigos, coisas importantes e chatas, mas que precisavam urgentemente de uma limpeza e organização.

Limpei onde alcançava e organizei da forma que podia. O que me incomodava era o silêncio que se estabelecia, sendo eles o trio mais barulhento de toda Hogwarts.

- Ah, vocês são quietos demais, sabiam? - Disse levantando e quase perdendo o equilíbrio.

- É por que somos um trio, conversamos entre nós. - Disse Rony rudemente.

- Ah, okay cenoura, nesse momento vocês podem até ser o bendido trio de ouro se assim quiser, mas enquanto vocês não estão sozinhos, gostaria de manter um diálogo, não que será explicitamente necessário que você participe, já que não consegue manter uma conversa sem ser rude, stultum (tolo). - Disse xingando ele no final.

- Não entendi o que você falou no final mas eu sei que foi uma ofensa! Você não é, e nunca vai ser uma de nós, e mais uma...

- Rony! Já chega, Clary está tentando ser legal enquanto você está sendo um idiota! - Hermione disse irritada.

- Harry, você só vai ficar aí em silêncio?

- Ron, elas não estão mentindo... Seja mais maleável.

- Então meus queridos, qual a matéria favorita de vocês? - Perguntei sorrindo enquanto ouvia protestos do ruivo.

- Defesa contra as artes das trevas. - Disse Harry.

- Não sei dizer, gosto de todas elas.

- Bom, a minha também é defesa contra as artes das trevas, e não é nenhuma surpresa que você não tenha uma predileta, Granger.

- Ah! - Mione disse rindo.

- Não vai responder, Ron? - Harry perguntou amigavelmente.

- Não quero, vou terminar o que estou fazendo. - Disse rudemente.

- Stultus carota. - Disse revirando os olhos.

- Ela me insulta em alguma língua e vocês não falam nada?

- Clary, não ofenda ele. E afinal que língua é essa? - Perguntou Hermione.

- É latim, querida. Antes que pergunte, aprendi com meu irmão.

- Você tem irmãos? - Perguntou Harry direcionando seu olhar para mim.

- Ah sim, tem o Nathan, ele é adulto e casado com uma trouxa, o mais velho dos três, tem 29 anos. E tem a Abigail, ela tem 20 anos e trabalha como Auror.

- E Nathan? Mora com seus pais? - Peguntou Hermione.

- Ele mora com os trouxas, e com Anny. Mas às vezes eles vem ver a gente durante as férias...

- Que esquisito, sua família é tão famosa, os Hydra blá blá blá. Me surpreende que você esteja na Sonserina, e seus pais aceitem trouxas. - Disse Rony.

- Não seja preconceituoso, stultus! - Disse ficando irritada. - Minha casa não é má. Somos incompreendidos e julgados. Sim, nós gostamos dos sangue puro, mas por um motivo, este que não vou explicar, pois você é muito néscio para entender.

- Sem brigas aqui! Terminem logo. - Disse Filch aparecendo com sua gata irritante.

- Bom, sua família deve ser bem legal né, Clary. - Disse Harry quebrando o clima.

- Ah, eles são legais sim. Não tem preconceitos com trouxas e... Mestiços, essas coisas que vocês bem sabem. Eles são bem liberais no geral, aceitam de tudo, meu pai e mãe se conheceram aqui em Hogwarts. Minha mãe era lufana e meu pai, corvino. Isso era bem legal no geral. Mike e Abby estudaram aqui também. - Disse rindo. - Quando eu tinha oito anos a Abby já estava no segundo ano. Ela foi da Grifinória, assim como Mike. Vivia fazendo besteiras e eu a considerava minha heroína.

- Que legal! Queria ter irmãos também. - Disse Hermione.

- Eu também. - Disse Harry. - Ron tem vários irmãos.

- Sim. - Ele disse, e a fala dele cortou a conversa.

----------------------------------------------------------------------------------------

Passei os outros dias de detenção rindo com eles, tirando Rony que não conversava comigo. Gostava de Harry, e principalmente, gostava de Hermione.

Em um dia como qualquer outro Draco disse que precisava falar comigo urgentemente.

- Hoje a noite no salão comunal, preciso falar com você. - Disse seriamente.

- Ok, estarei lá. - Disse sorrindo minimamente.

- Ótimo.

Passei o dia pensando naquilo. De noite vesti meu pijama e desci pro salão comunal, observando o quão maravilhoso o mesmo era. O melhor salão e a melhor casa.

- Claryssa Hydra. - Ouvi meu nome e logo virei olhando pros olhos cinzentos do garoto.

- Draco Lucius Malfoy. - Disse fitando o garoto.

- Me ajude... - Disse sentando do meu lado.

- Pode falando meu querido.

- Então... Tem algo de errado comigo. Eu tenho... - O garoto pareceu pensar se diria ou não, mas decidiu contar. - Eu venho notando coisas...

- Que tipo de coisas?

- Caramba, Clary... Eu tenho... Olhado, sabe?... No Potter...

- Como? - Eu disse confusa.

- Carambolas! Estou gostando do Harry Potter testa rachada, Claryssa! - Disse olhando pra mim.

- Vamos por partes... Você gosta de homens, Draco? - Perguntei olhando em seus olhos.

- Eu sempre achei que tinha interesse, mas nunca tive certeza. Mas tem alguma coisa me atraindo naquele... Eu não entendo, Clary... Estou tão... Confuso.

- Relaxa querido, deita aqui. - Disse puxando o garoto pro meu colo, e comecei a fazer cafuné no mesmo, que tinha seus cabelos macios e cheirosos. - Vamos por partes, se você acha e apenas acha que gosta dele, averigua primeiro, pode ser só curiosidade de pegar ou sei lá. Mas se você gostar, eu te ajudo a conquistar esse garoto. E nossa Draco... Uau.

- Eu já vi que você e ele são amiguinhos agora, e saiba você que eu não gostei nada disso... Porém, é a oportunidade perfeita para me aproximar dele.

- Ah, sim. - Disse rindo. - Eu não tenho interesses no testa rachada, querido.

- Tanto faz, Clary. Você não é mais uma garotinha, já é uma moça. E digamos que é uma moça bem desenvolvida, tendo em mente que vários garotos idiotas te devoram com os olhos, estes que depois caem da escada acidentalmente.

- Santa Morgana, Draco! - Disse rindo maldosamente. - Só da escada? Não precisa me defender.

- Sim, mas acho ainda sim que devo fazer algo para proteger minha melhor prima. - Disse rindo.

- Ah sim. - Disse rindo também. Éramos primos muito distantes, não sabemos na verdade como se deve nosso parentesco, mas também não damos importância. Algo fez Lucius me aceitar como afilhada e cá estou.

- Ah, Draco. Eu prevejo um futuro interessante, cheio de adrenalina e desastres, mas ao mesmo tempo, diversas coisas boas.

- Sei, sei. Lá vamos nós com esse papo de louco.

- Desculpe, mas muitas vezes eu penso, sabe? Estou cansada desse mundo de heróis e vilões, onde vilões vencem por um tempo, e depois o herói vence permanentemente. Onde casais aceitos são apenas aquelas entre um bruxo e uma bruxa. Um trouxa e uma trouxa. Onde nada nunca muda. Eu queria sair por aí, viajar. Depois voltar e assumir o controle. Esse estudo escolar não nos leva a lugar algum, é sempre a mesma coisa. Até quando tudo vai ser o mesmo? Quero sair por aí, depois voltar como o manda chuva do Ministério da Magia.

- A vida não é assim, e se fosse, ninguém se esforçaria para ser um bom bruxo para ocupar tal cargo. A vida não é boa, Clary. A mudança deve ser feita por nós, e vai ser feita por gente como eu e você.

- Assunto chato, vamos marcar seu encontro. - Disse revirando os olhos.

- Que encontro o quê Claryssa. - Disse cruzando os braços. - E outra, foi você quem começou esse assunto.

- Amanhã você vem comigo e nós vamos sentar com seu Potter.

- Nem morto!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...