1. Spirit Fanfics >
  2. Meu querido leão. >
  3. Capítulo VI

História Meu querido leão. - Capítulo 6



Notas do Autor


eu nao sei contar em romano e minha namorada ta dormindo e não pode ajudar 👍🏻
to c criatividade kkkkkkkk

Capítulo 6 - Capítulo VI


Estávamos entrando no salão comunal, quando, de repente, Dumbledore começou um anunciado, chamando atenção de todos.

- Boa noite meus queridos alunos, não pretendo tirar muito tempo de vocês, então serei direto. Teremos um baile interessante, o primeiro na história de Hogwarts. Um baile de aproximação das casas! Temos apenas uma regra, os pares não podem ser da mesma comunal. Casais do mesmo sexo serão permitidos, e as vestimentas são da preferência de vocês. Bom almoço! - Dumbledore disse se sentando, e logo começou a algazarra.

Alunos falando de todos os lados, e eu apenas sorri. Peguei a mão de Draco e o levei para a mesa da Grifinória. Todos no salão ficaram quietos, os professores nos observavam, e a expressão de Dumbledore era enigmática.

- Com licença, obrigada. - Disse enquanto sentava de frente para Hermione, que me olhava incrédula. Draco sentou do meu lado, emburrado.

- Clary... - Ela disse enquanto me olhava com uma feição confusa.

- Sim? - Perguntei com um sorriso mínimo, enquanto me servia.

- Bom dia, Hydra. - Disse Harry com um sorriso.

- Bom dia, Potter. Bom, não sei se foram devidamente apresentados. Draco, esses são Harry Potter, sim, esse que você implica, Harry, esse é Draco, do qual você também implica. - Disse irônica.

- Oi. - Disse Draco, com seu olhar.

- Oi. - Harry respondeu.

- Clary, me diga, por qual motivo você decidiu sentar na mesa de outra comunal? - Hermione perguntou.

- Ora, se não me quer aqui, avise! Não há nada nas regras dizendo que eu não posso sentar aqui. - Eu disse comendo minha torrada.

- Tem razão... Mas todos estão surpresos. - Ela disse.

- Problema deles. Draco, essa é Hermione Granger, da qual você também implica. Hermione, esse é meu primo. - Eu disse.

- Olá. - Hermione disse.

- Oi. - Draco respondeu com um sorriso mínimo.

O café da manhã foi normal para mim, mas todo o salão ficou nos observando.

As aulas foram normais, no geral. Um dia como qualquer outro.

- Hydra, você pode me ajudar com uma coisa? - Pansy perguntou. Achei estranho, mas respondi que sim.

- Podemos conversar na biblioteca. - Eu disse, e assim fizemos. Diferente do que pensei, ela não pegou um livro ou pergaminho. Achei suspeito. Nós fomos até o limite da biblioteca, num lugar deserto.

- Sabe, Hydra, eu estou cansada. Desculpe, isso é repentino. Somos da mesma comunal e tudo, por isso escolhi você. Sabe, eu... Eu não gosto do Draco, e eu não sou uma menina superficial e mimada. É como se estivéssemos num livro trouxa e eu fosse a garota mimada e bonita, que não pensa por si própria e tem uma paixão platônica pelo menino bonito. Essa não sou eu. Eu sou Pansy Parkinson! Desculpe por falar desse jeito. Não sou uma Sonserina esteriótipo.

- Uau, isso é muito para processar, Parkinson. - Eu disse meio surpresa pelo que ela disse. - Desculpe pelo tratamento até agora, somos Sonserinas e devemos nos ajudar. Eu realmente não sei o porquê de você implicar comigo, sinceramente, e isso é motivo suficiente para te odiar, mas eu não o farei.

- Sendo sincera, é como se eu tivesse acabado de acordar de um sonho. Um pesadelo, na verdade. Eu era uma garota esteriótipo, a rival. Eu tinha que gostar do Draco, implicar, e essa era minha vida. Parece que eu saí de um transe, estou confusa. Como se um livro criasse vida. - Ela disse.

- Uau, tudo isso é demais para mim. Pansy Parkinson, essa é sua única chance de se redimir. Não vou pedir para que se desculpe e et cetera. Pretendo ter você no meu círculo de intimidade, esse que é vago e pequeno. Não imediatamente, pois ainda não confio em você.

- Eu não tenho palavras para agradecer, Clary. Por enquanto vou acordar e agir como a garota empoderada que eu sou. Até outro momento. - Ela disse sorrindo. Sorri de volta e nós saímos da biblioteca.

----------------------------------------------------------------------------------------

- Clary, você não está ajudando. - Draco disse irritado.

- Claro que estou, você que é ingrato! - Disse batendo em sua testa.

Eu estava arrumando suas vestes e cabelos, pois iríamos a um encontro. Admito, não é realmente um encontro. Eu convidei Harry e Hermione para um passeio noturno contra as regras, e Hermione só foi por pura pressão.

- Vamos, vamos. - Eu disse o puxando. Nós descemos todos os lances de escadas, e ficamos a espera deles.

- Estão atrasados. - Draco disse e eu afirmei com a cabeça.

- Ei. - Ouvi alguém chamar baixo, e logo duas cabeças flutuantes apareceram.

- Meu Merlin! - Eu disse num susurro impressionado.

- Vamos! - Chamou Harry. Eu e Draco nos entreolhamos antes de entrar de baixo do pano.

- Eu quero levar vocês para a torre de astronomia, pois é o lugar mais deserto de toda Hogwarts. - Eu disse.

- Claryssa, a torre de astronomia está fechada durante essa semama. - Hermione disse.

- Oh. - Eu disse decepcionada.

- Não acredito! - Draco disse rindo, e por conta disso ri também.

- Silêncio, Draco. - Eu disse.

Graças a isso, ficamos andando por Hogwarts. Estávamos dando voltas enquanto tentávamos decidir para onde ir.

- Ei, essa porta estava aqui? - Harry perguntou apontando para uma nova porta.

- Não. - Draco respondeu.

Nós entramos, e era uma sala grande, com exatamente quatro poltronas. Fechamos a porta e observamos a sala.

- É a sala precisa... No livro Hogwarts: uma história, diz que é como uma lenda. Que incrível... - Ela diz olhando em volta.

- Tem razão. - Eu e Draco dissemos ao mesmo tempo, pois havíamos lido o tal livro.

- Sendo assim, eu vou beber limonada até não dar mais. - Eu disse sentando na poltrona com uma xícara.

- Então, o que fazemos agora? - Harry perguntou sentado em sua poltrona.

- Eu queria ver as estrelas e conversar, mas as estrelas não serão possíveis. - Eu disse bebendo mais da minha limonada.

- Às vezes parece que você não pensa, Hydra. - Draco disse, sentando e pegando uma xícara.

- Não, não pensei. Vocês tem alguma dificuldade em alguma matéria? - Perguntei, mas o único que tinha era Harry, que corou levemente.

- Poções. Não consigo entender, é muito complicado.

- Não é complicado, seu cérebro que não processa. - Draco disse com um sorriso mínimo, este que me fez sorrir também.

Draco fez ingredientes e dois caldeirões aparecerem, e ficou ensinando Harry.

- Então, princesa. - Eu chamei Hermione que estava prestando atenção na aula particular de Draco. - Como foi seu dia?

- Foi bem normal, Ron continua irritadiço com sua presença, Harry ainda enfrenta seus dilemas costumeiros. E eu sou Hermione Granger. - Ela disse com um sorrisinho.

- Ah, sim. Hermione Granger é tão incrível que devia ser um elogio. "Hey, você é tão Hermione Granger... Quer namorar comigo?". - Eu disse, fazendo a menina corar. Acredito que minha última frase tenha chamado atenção, pois os meninos me olharam curiosos.

- Você é engraçada, Claryssa. - Ela disse sorrindo e tombando a cabeça.

- E você é tão Hermione Granger. - Eu disse me divertindo.

- E me diz, como foi seu dia? - Ela perguntou desviando meu flerte.

- Eu tive algumas aulas, o de sempre. Conversei com uma menina super inteligente e bonita, ai eu convidei essa menina para um encontro sem encontro, mas meu plano foi pelo ralo quando eu descobri que o local estava fechado. Muito triste. Mas aí eu e meus amigos encontramos a sala precisa de Hogwarts, e isso foi incrível. Então eu comecei a conversar com uma menina super Hermione Granger. - Eu disse fitando a garota.

- Que dia interessante. - Ela disse meio corada.

- Sim, concordo.

- Você é muito devagar! - Draco disse me fazendo desviar o olhar. Draco e Harry meio sujos com uma poção que havia explodido. Draco começou a rir, fazendo o Potter ficar com vergonha.

- Voltando ao que me interessa, Hermione. Quando vai ser nosso próximo beijo? - Eu perguntei sorrindo. A menina corou e me deu um tapinha no braço.

- Que tipo de pergunta é essa? - Ela perguntou.

- Nem um selinho?

- Não!

- Nossa, você é muito mesquinha, viu. Só um não vai te matar! - Eu disse divertida.

- Você é muito indiscreta. - Ela disse com os braços cruzados.

- Que posso fazer? Você é muito atraente, senhorita. - Eu disse puxando sua mão, depositando um beijo ali.

- Claryssa, assim você me deixa sem graça. - Ela disse sorrindo.

- E o meu beijo? - Eu perguntei brincando.

- Quem sabe... - Ela disse, e isso me deixou com vergonha, então desviei o olhar para o outro casal.

Eles estavam muito próximos, pois Draco estava tentando consertar a poção falha do menino. Harry estava meio envergonhado, mas Draco não notou. Estava concentrado demais para isso.

- Hey, eles nem vão ver se você me der um selinho. - Eu disse brincando.

- Acho que sim... - Ela disse, depositando um selinho estalado em meus lábios. Eu aproveitei cada milissegundo, e quando ela se afastou, tive vontade de beijar a garota. Os meninos nos observavam, e isso fez a menina corar.

- Como vai a poção? - Perguntei com um sorriso bobo.

- Mal. Bem mal. - Harry disse.

- Só posso concordar, e pior, eu nem sei como isso aconteceu! - Draco disse indignado.

- Vamos fazer um grupo de estudos. Aqui mesmo. Estudos para Harry Potter. - Eu disse brincando com a última parte.

- Por mim, tudo bem. - Hermione disse.

- Por mim também. - Harry disse.

- Três vezes na semana, decidido. - Eu disse.

- Está ficando tarde, vamos. - Draco disse levantando.

- Sim, estou com sono. - Eu disse levantando e pegando a mão de Hermione, para que a mesma levantasse. - Draco, seja mais cavalheiro! - Eu disse como Narcisa diria.

- Claro... - Ele disse oferecendo a mão para Harry, que a olhou por um tempo e aceitou. Draco levantou Harry, e nós acompanhamos os dois para fora, ainda com as mãos dadas.

- Até amanhã, princesa. - Depositei outro beijo em sua mão. - Tomem cuidado na volta.

Soltei a mão da menina. Draco desejou um boa noite baixo para eles, e largou a mão de Potter. O caminho para a comunal foi silencioso.

Ao entrar eu sentei no sofá, chamando o menino.

- Vamos, conte. - Eu pedi animada.

- Ele é muito ruim em poções. Acho que perdi o interesse no momento em que ele errou uma poção guiada. - Draco disse.

- Sei, sei. Ajuda ele a melhorar, e de recompensa, você pede para dormir com ele. - Eu disse brincando, mas o loiro riu.

- Deixe comigo.

- Valei-me!


Notas Finais


esse valei-me foi minha tentativa de "VALAMEUDEUSDOCEUSENHORPAI" estilo clary
até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...