História Meu querido médico - Taekook - Oneshot - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Visualizações 154
Palavras 3.818
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Lemon, LGBT, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pessoal, esse é meu primeiro Oneshot que faço, espero que tenham gostado e Boa leitura...

Ah sim, a música eu vou deixar nas notas finais o link, eu não coloquei ela em inglês traduzi ela e coloquei somente a tradução para não ficar complicado.

Foi meu primeiro Lemon também então me desculpem se não foi tão bom quanto o esperado, e relevem se conter alguns erros.

Capítulo 1 - O começo do fim


Fanfic / Fanfiction Meu querido médico - Taekook - Oneshot - Capítulo 1 - O começo do fim

Talvez seja legal trabalhar como sucessor na empresa em que seu falecido pai deixou, mas não é o que quero por isso acabei deixando-a para meu irmão, Junghyun. Meu pai morreu à dois anos em um acidente de carro, então somos somente eu e minha mãe. Comecei a cursar Medicina cirúrgica a algum tempo atrás, tive que pagar a faculdade com minhas proprias economias, trabalhei em uma cafeteria perto de minha casa para poder ter algum tipo de renda estável. 

Minha mãe nunca aceitou o fato de querer cursar outra área, na visão da mais velha eu teria que manter a "Imagem" de meu pai. O falecido só tinha uma imagem de golpista na empresa por desviar dinheiro de outras fábricas de cosméticos para poder manter a nossa de pé. 

Atualmente eu estou fazendo residência em um hospital de minha cidade. Me lembro como se fosse ontem que, quando entrei no internato conheci um garoto que se tornou um de meus melhores amigos no trabalho e fora dele também, dividimos um apartamento fora. Me lembro de uma vez quando Jimin ficou doente e ele foi buscar gelatina para nós comermos e no meio do caminha acabou se esbarrando em uma médico que estava indo para a emergência e a derrubou toda no chão e para tentar limpar pegou uma esponja que ao invés de absorver acabava sujando mais ainda. O que menos pensava é que começaria a nutrir sentimentos por ele, sim, me apaixonei pelo mulherengo do hospital. Ja perdi as contas de quantas vezes o peguei na sala de suprimentos ou no descanso com alguma enfermeira, puff, ridículo. Porém, teve um dia em que ele parou, recusava as propostas de internos, dava foras em algumas enfermeiras que gostaria de tê-lo -Novamente- na cama, disse que estava cansado de apenas transar com as garotas e por uma obra do destino -algo realmente raro- disse que havia se apaixonado.

-Como!? -bato o copo de meu milkshake na mesa do refeitório atraindo olhares de algumas pessoas.

-Eu Kim Taehyung me apaixonei por uma pessoa que não corresponde -Mordeu seu grande X-Bacon rico em gorduras e altas taxas de calorias. 

-Que cômico, como que alguém conseguiu pescar esse lindo Coraçãozinho de Kim Taehyung? -Falar em diminutivos com Tae era como se o provocasse, ele odiava tudo que fosse em diminutivo.

-Não fale em diminutivos -manteve sua voz firme- mas enfim, esse alguém é realmente especial para minha pessoa. Seus olhos é como se fossem dois lagos em que me perco, seu sorriso? Puxa vida -sorriu abobalhado- como gostaria de me perder nesse sorriso. As vezes imagino como seria o gosto de seus lábios. 

Quebrado, uma palavra que realmente definiu meu coração. Saber que ele falava desta pessoa como se fosse a razão de sua vida acabava comigo mas eu não tinha o direito de reclamar ele não era meu tsc. Bobagem. Desviei o olhar para o canudo de meu copo do líquido gelado proibindo-me de encará-lo. 

-E o que deseja fazer com esse sentimento? Vai se declarar para a garota sortuda? -Brinquei com o canudinho vermelho com algumas listras brancas na diagonal. 

-Sobre isso, -Colocou seu lanche na bandeija e a empurrou para longe de seu corpo- não é uma garota. 

Arregalei os olhos no mesmo instante em que as palavras saíram dos lábios do castanho. Taehyung se apaixonou por um garoto? Muita informação para o meu lado Gay. Não pude conter abrir um sorriso que espontâneamente surgiu em meu interior, estava em festa apenas por saber que possa ter alguma chance com ele, mas, meu lado de fora estava completamente chocado e perplexo enquanto em minha cabeça estava o pequeno aviso "Downloading...". 

-Você também gosta de garotos? -Lhe lancei uma pergunta inesperada pelo rapaz que esperava, no mínimo, um surto. 

-Como assim "Você também"? -fez aspas com as dedos- você gosta de garotos, Moreno? 

Ah, moreno, eu amo esse pequeno apelido que recebo do castanho me faz se sentir especial perto dele. É incrível como um simples toque inocente de Taehyung sobre minha pele me deixava completamente mais apaixonado por ele, como um simples apelido me deixava completamente fora de sí permitindo com que meu coração errasse algumas batidas de rotina. 

-Não lhe contei? Devo ter esquecido, mas sim eu gosto de meninos, Tae -Reparei em um pequeno sorriso se formando em seus lábios avermelhados por conta de algum gloss labial que passava para não deixá-los se ressecar.

-Respondendo sua pergunta, menino Jeon, eu já tenho uma idéia de como contar sobre meus sentimentos a ele -encostou suas costas na cadeira- 

-Eu realmente espero que ele goste e que seja recíproco -Me levanto para jogar o copo plástico no lixo-  caso contrário estará desperdiçando um ótimo cara -vou até a lixeira e jogo o copo em seguida voltando a mesa.

-É, eu realmente espero -brincou com seus de dedos- e você? Está gostando de alguém? 

-É meio complicado sabe, até gosto mas ele está afim de outra pessoa -Abaixei meu olhar para o lanche de Tae que estava na bandeija. 

-Entendi, logo você encontra outro alguém e perceba o quanto esse garoto fora apenas uma paixão -colocou sua mão sobre a minha. Um simples toque, apenas um toque que me faz perder minha sanidade. 

-É difícil, eu realmente gosto dele -Solto um sorriso bobo apenas ao lembrar de seu sorriso- é como se só existisse ele na Terra e como se ele fosse minha outra metade -Mordi meu lábio inferior tentando deixar de lado todo o amor unilateral.

-Já tentou falar para ele o que sente? -Assinto.

-Já, quando eu decidi falar ele me disse que estava apaixonado por alguém -Ri irônico.

-De qualquer forma espero que encontre alguém que o ame -fez uma leve carícia no dorso de minha mão- bom, Moreno, eu vou indo tenho que me arrumar para a festa que vai ter no salão do hospital -se levantou- eu lhe avisei que me chamaram para cantar nela?

-Sério? -Abri um sorriso largo- que bom TaeTae, sua voz é ótima -Me levanto em seguida.

-Você vai também? -murmúrio um "Sim", aish esqueci que ele não gosta que murmurem ou sussurrem também- não murmure Kookie-Ah -suspirou- pretendo cantar para ele esta noite, foi uma música que eu mesma escrevi 

-Que garoto de sorte, uma homenagem em frente de centenas de pessoas com uma música exclusiva -Sorri forçado- ele irá amar.

-Eu realmente o amo, Jeon. Tenho certeza que ele irá gostar -Abriu seu lindo sorriso quadrado. Adoro seu sorriso fora dos padrões, é algo delicado e angelical e nada forçado. 

-Boa sorte grande TaeTae -Sorri e o abracei de surpresa que logo foi retribuído de bom grado. 

-Obrigado menino Jeon. Agora eu preciso ir, te vejo hoje a noite -se afastou- até mais tarde, bebê

Saio do pequeno refeitorio do hospita indo diretamente ao estacionamento com um grande sorriso estampado em meu rosto enquanto dava pulinhos atraíndo olhares estranhos a minha volta. Ele me chamou de bebê, sendo chamado assim por Kim TaeTae mexe estremamentes com minhas estruturas e com meu psicológico. Talvez ter feito essa pequena -ou grande- descoberta de que ele gosta de garotos me deixou com esperanças de tentar tê-lo para mim mas logo elas foram por águas abaixo quando me lembrei que ele estava apaixonado por outro garoto. 

Aperto minhas mãos no volante e pressiono os lábios. Imaginar ele abraçando, cheio de carícias e apelidos com outra pessoa que não seja eu é de doer o peito. Acabo me sentindo um completo inútil por estar o ajudando com seus sentimentos para conquistar o amado mas esqueco que nessa brincadeira acabo por sair machucado desta. Limpo uma pequena lágrima involuntária que caiu de meu olho e mordo meu lábio inferior tentando conter o choro. Paro com meu carro na garagem de casa e encosto o a testa no volante permitindo com que mais lágrimas insistentes caíssem. 

Mesmo o ajudando eu acabo me tornando vulnerável, meu coração agora certam todas as batidas lentamente enquanto se encolhe dentro de meu peito. Talvez seja o Yoongi, ele é uma boa pessoa fácil de se apaixonar alguém que tem sua razão acima das emoções e que não deixa se enganar por sua carranca que carrega na cara mantendo esse ar de Narcisista, Min é alguém doce e gentil por dentro que vive cuidando em segredo de seus Hyungs as cegas e alguém que sempre tenta ver o lado bom nas pessoas, mesmo naquelas mais perigosas, ou até mesmo, possa ser nosso solzinho da alegria, Hoseok, como Suga ele carrega energias positivas em todo seu corpo elétrico, não se deixa abalar por uma notícia ruim e quando um de nós estamos para baixo ou até mesmo sem ânimo Hobi faz questão de se tornar alguém que está disposto a retirar um sorriso nosso, mesmo ele estando em um de seus piores dias. 

Me afasto da direção e dou um soco na própria respirando fundo em seguida. Limpo os orvalho com o dorso das mãos e saio do carro indo em direção a porta de entrada. Que ingenuidade a minha achando que poderia descobrir por quem meu Tae havia se apaixonado. Tsc, se ele quisesse que eu ficasse sabendo de seu querido amado o castanho me contaria enquanto almoçavamos. Entro no apartamento e jogo a chave em cima do balcão do Hall de entrada.

-Jimin, Cheguei -Não obtive resposta. 

Ótimo estou sozinho enquanto as duas pessoas em que divido o apartamento saíram, provavelmente, para o Shopping. Sempre que tem festas eles saem para fazer novas comprar de roupas e para ir ao cabeleleiro pintar o cabelo de outra cor. Fico me perguntando de onde tiram tanto dinheiro para fazer isso todas as vezes. Subo direto para o quarto e entro no banheiro ligando o chuveiro. Depois do banho coloco uma roupa confortável e me jogo na cama sentindo meus olhos pesarem. 

-Jungkook? -sinto uma cutucada em meu ombro- acorda menino você irá se atrasar para a festa -Ouço a voz de Jimin me chamando. A festa, não estou com disposição o suficientemente para ir para lá e olhar Taehyung enquanto ele canta sua música para a pessoa que gosta. 

-Que horas são? -Resmungo com a cabeça por debaixo do travesseiro, sinto ele puxar o edredon fazendo-me encolher na cama- Hyung! -Resmungo.

-São sete da noite a festa é as oito trate de se aprontar, Taehyung estará nos esperando lá -Jogou o tecido na ponta da cama e saiu do cômodo. 

Me sento na cama encarando o nada enquanto continuava de olhos fechados, me levanto e vou diretamente ao banheiro jogando uma água em meu rosto para despertar. Céus, minha aparência está deplorável, estou cheio de olheiras e com o rosto inchado de tanto dormir. Faço minhas higienes bucais e vou direto para o quarto fuçando em meu guarda-roupa tentando encontrar algo que esteja ao menos no alcance de uma festa digna de sofrimento. Acabo por pegar uma calça Jeans larga de cor clara, uma camiseta branca solta social e uma Timberland mostarda. Minha vontade era mesmo de ficar deitado na minha cama mas com tanta insistência do Park acabei cedendo.

-Estou pronto -coloco minhas mãos no bolso da calça. 

-Perfeito, vamos -pegou a chave do carro e nos direcionamos ao veículo.

Como será que ele estava vestido? Qual foi a cor de cabelo que meu ex castanho pintou desta vez? Diversas perguntas rodeiam minha mente enquanto olhava para as casas passando pela velocidade do conversível.  Deixo escapar um sorriso abobalhado imaginando diversas cores de cabelo no mais velho, eu gosto de platinado destacaria o tom de sua pele e o estilo de seu cabelo atual. O Loiro liga o som do carro e começo a cantarolar baixinho uma música que me lembra Taehyung me fazendo sorrir bobo. 

Descemos do carro e entramos no grande salão podendo encontrar garçons carregando petiscos e outros algo alcoolizado. Pego uma taça de vinho branco e a viro de uma vez colocando-a em seguida em cima de um balcão qualquer. Um homem sobe ao palco pegando o microfone se preparando para o descurso de todos os anos: 

-Boa tarde a todos, estamos aqui novamente em nosso decimo quinto ano consecutivo comemorando o aniversário de nosso querido hospital de Busan -diversas pessoa batem palmas- queria agradecer à todos vocês que puderam vir participar de nosso aniversario. Então para comemorar convidei um médico para cantar em homenagem ao hospital. Por favor, Kim Taehyung suba ao palco.

O mais velho subiu no palco com seu lindo sorriso retangular recebendo aplausos de diversas pessoas que estavam presentes. Cara, como ele estava lindo, usando sua típica calça Jeans rasgada com uma camiseta branca da Supreme e com seus cabelos cinzas. Abri um sorriso maior que poderia caber em meu rosto enquanto  de bom grado o talentoso homem. Ele buscou alguém entre a multidão com seus olhos, certo, a pessoa a quem ele iria cantar meu ânimo novamente acabou se rebaixando o que me fez sentar na cadeira ao lado de Jimin juntamente com o resto das pessoas. Enquanto procurava com seus olhos olhou diretamente nos meus, me fazendo sentir arrepios pela intensidade, abrindo um grande sorriso, sorri como resposta o vendo ir pegar seu violão. 

Apenas mantenha a calma, Sim? Não chore ele não irá gostar de ver seu melhor amigo chorando por conta de uma simples canção de declaração para o tão esperado garoto que ele ama. Taehyung foi ate o banco se sentando e ajeitando o microfone, posicionou seu violão e começou falando: 

-Boa noite -Sorriu ao ouvir a multidão respondendo-o - vou começar cantando Uncorver uma musica que eu mesmo escrevi -Deu sua primeira nota do violão- Moreno, essa é para você -Olhei diretamente a ele com minhas mãos sobre a boca. 


"Nós somos um segredo, não podemos ser expostos

É como isso é, é como isso será

Longe dos outros, perto um do outro


Na luz do dia, na luz do dia

Quando o sol está brilhando

Tarde da noite, tarde noite

Quando a lua está cegando

Na vista de todos, a vista de todos

Como estrelas na clandestinidade

Você e eu, queimando

Junte dois mais dois, pra sempre nunca irá mudar

Junte dois mais dois, nunca irá mudar

Ninguém vê, ninguém sabe

Nós somos um segredo, não podemos ser expostos

É como isso é, é como isso será

Longe dos outros, perto um do outro

É quando nós nos revelamos, revelamos, revelamos

É quando nós nos revelamos, revelamos, revelamos

Meu refúgio, meu refúgio é em seus braços

Quando o mundo traz fardos pesados

Eu posso suportar umas mil vezes

No seu ombro, no seu ombro

Eu posso alcançar o céu infinito

Sentir como no paraíso

Junte dois mais dois, pra sempre nunca irá mudar

Junte dois mais dois, nunca irá mudar

Ninguém vê, ninguém sabe

Nós somos um segredo, não podemos ser expostos

É como isso é, é como isso será

Longe dos outros, perto um do outro

É quando nós nos revelamos, revelamos, revelamos

É quando nós nos revelamos, revelamos, revelamos

Nós poderíamos construir um universo aqui

O mundo todo poderia desaparecer

Eu não notaria, eu não me importaria

Nós podemos construir um universo aqui

O mundo poderia desaparecer

Eu só preciso de você por perto

Ninguém vê, ninguém sabe

Nós somos um segredo, não podemos ser expostos

É como isso é, é como isso será

Longe dos outros, perto um do outro

É quando nós nos revelamos, revelamos, revelamos

É quando nós nos revelamos, revelamos, revelamos

É quando nós nos revelamos" 

Assim que acabou a música eu ja não continha mais minhas emoções deixei as lágrimas escorrerem por meu rosto livremente. Tae desce do balco e vem até a mim com um sorriso formado em seus lábios, passou a mão direita em seus cabelos o jogando para trás para retirar alguns fios caídos em seus olhos.

-Gostou? -o acinzentado colocou as mãos no bolso da calça enquanto chutava o chão.

-Era eu o garoto? -limpei algumas lágrimas usando a manga de minha camiseta. 

-É sim -Riu fraco me pegando de surpresa por sua resposta- quando eu soube que você gostava de garotos aumentou mais ainda minhas expectativas, mas, elas quase foram por água abaixo quando soube que gosta de alguém que não corresponde -procurou algo em seu bolso.

-Tae? -Ouvi um "Hum" como um resmungo saindo de seus lábios- sobre o garoto que eu gosto, ele é v-você -sinto as maçãs de meu rosto se esquentarem me fazendo habitualmente morder meu lábio inferior desviando o olhar de meu garoto. 

-Sou eu? -Assenti com a cabeça- Sendo assim -Retirou de seu bolso uma caixinha azul flanelada e a abriu com duas alianças dentro- eu sei que demorei demais para descobrir meu sentimento, e quando descobri puff não me aceitava dizendo que era errado quando eu finalmente deixei isso de lado e aqui estou eu -rimos fraco- mas deixando esse clichê de lado e indo diretamente ao ponto, Jeon Jungkook, Aceita namorar comigo? 

Paralisei por alguns instantes antes de dar minha resposta ao Tae. Isso realmente está acontecendo? Fui algo de tão bom na vida de meu TaeTae que o fiz largar de enfermeiras e a começar se interessar por garotos como eu? Acho que minha resposta está em suas decisões e escolhas de hoje.

-Sim, claro que aceito! -me jogo em seu pescoço abraçando-o que logo foi retribuído.

-Você não sabe o quanto eu esperei por esse momento, Amor -Diz a voz rouca em meu ouvido, essa voz, em meus ouvidos me fazem ouriçar os pelos do corpo.

Soltamos o abraço aos poucos e colocamos as alianças em nossas mãos, sorri feito um Babo (idiota) ao sentir o anel em volta de meu dedo. Tae levou uma de suas mão ao meu rosto e se aproximou de meu ouvido.

-Somente em casa -Mordeu o lóbulo da própria e sorriu sapeca saindo de meu lado e voltando ao palco para continuar as músicas. 

-Seu Filho da-

-Seja educado menino Jeon -Jimin me repreende sapeca pelo meu ato. 

-Você sabia!? -fiz uma cara de espanto. 

-Em minha única defesa eu não pude te contar nada ou iria estragar a surpresa de Tae -confessou. Pequeno pilantra por isso s insistência demasiada para que eu viesse para a festa de declaração de Taehyung. 

[>>>>]

-Foi uma Boa festa, o que achou Jeongguk? -eu e Tae estávamos sentados no sofá de casa enquanto o acinzentado fazia algumas carícias no dorso de minha mão. 

-Foi a melhor festa -Sorri com seu sorriso. 

-Eu gosto de seu sorriso -tocou em meu rosto- é um diferente bonito -pude sentir minhas maçãs do rosto corarem.

-aish, eu não sou acostumado com isso -Fiz um pequeno bico 

Percebo o mais velho se aproximar e rapidamente selar nossos lábios com cuidado colocando sua mão em minha cintura. Levei minhas mãos a sua nuca, ele pediu passagem e eu cedi sentindo sua língua adentrar minha boca percorrendo cada canto dela. Tae apertou minha cintura e me puxou para seu colo, sem finalizar nosso ósculo, colocando minhas pernas ao redor de seu corpo. 

Deixei arranhões em sua nuca fazendo com que seus pelos se arrepiassem, sorri entre o beijo vendo o efeito que causava em meu Hyung. 

-Se segura -Ele pede e eu entrelaço minhas pernas em sua cintura.

Taehyung se levanta e vai para o quarto me jogando na cama e em seguida sobe em cima de mim ficando entre minhas pernas e novamente ataca meus lábios deixando neles mordidas me fazendo arfar dentre o beijo. Entro com minhas mãos em sua camiseta, ele parou o ósculo e desçeu os selareas ao meu pescoço intercalando com Chupoes e Mordidas. Retiro sua camiseta podendo ter visão de seu abdômen definido, levo minhas mãos ao mesmo contornando com meus dedos seus gominhos firmes. Realmente, Kim Taehyung não é daqueles de se jogar fora. Acabei por trocar as posições o deixando por de baixo.

-Fique aqui ja volto -Me levantei e desço até a cozinha pegando alguns cubos de gelo e o colocando em um copo logo voltando para o quarto.

-Para que esses gelos? -Arqueou uma sombrancelha.

-Você verá -coloquei o copo na banquetinha ao lado da cama e voltei ao maior.

Levei minha mão até seu mebro ainda coberto pela Jeans e o apertei retirando de Taehyung um gemido. Abri o botão de sua calça e a retirei de seu corpo junto com sua  deixando seu membro completamente exposto.

-J-Jungkook e- 

-Eu sei, sua primeira vez testando algo diferente, vai ser bom eu prometo -o vejo assentir levemente e colocar o travesseiro em seu rosto logo retirado por mim- Não precisa ter vergonha -sorri tentando lhe passar algum tipo de conforto. 

Levo minha mão ao seu membro e começo a fazer alguns movimentos retirando gemidos sôfregos do acinzentado. Vejo algo querendo sair, deve ser seu pré-gozo, e paro os movimentos ouvindo um suspiro de insatisfação de meu Hyung, apenas sorri sarcástico e fui até a cômoda pegando o copo com gelo e voltando ao Tae. Me abaixei na altura de sua cintura e tomei seu membro em minha mão passando a língua por sua extensão até chegar em sua glande o fazendo morder os lábios evitando com que mais gemidos saiam de seus lábios.

Contornei seu falo por inteiro com a ponta da língua e por fim o coloco por inteiro em minha boca podendo ouvir TaeTae arfar com seu tronco deitado na cama. Começei os movimentos lentamente e fui aumentando aos poucos, quando ele estava quase em seu ápice, novamente, paro os movimentos e pego um cubo de gelo colocando em minha boca e fui dando selares de suas cochas até seu abdômen deixando o cubo se derreter um pouco em minha boca. Soltei o gelado em seu umbigo o vendo franzir o cenho.

-está g-gelado -sua voz sai falha. 

Retirei de lá com a boca lambendo as gotículas de água ali presente e voltei minha boca, de novo, ao seu membro o fazendo arquear as costas por conta do choque do gelo com seu corpo quente. O gelo vai derretendo aos poucos com os movimentos e logo pude dentir o gosto de algo a mais que gelo se desfazendo em minha boca. 

-Ativo ou passivo? -pergunto ao Tae que se encontrava ofegante. 

-Passivo -Respondeu com dificuldade. 

Começei a me despir deixando o acinzentado com um pouco de vergonha. O virei de bruços e fiquei entre suas pernas. 

-Não vou mentir, de primeira dói então quando for para continuar avise -o vi assentir. Coloquei meu mebro em sua entrada e o penetro. 

-J-Jeon -Apertou os lençóis. 

-Eu sei, eu sei -Fiquei dentro do mesmo por alguns minutos e pude senti-lo se movimentar levemente.

Começei as estocadas devagar e fui aumentando a velocidade, enquanto ele soltava gemidos que no começo eram de dor, mas logo se tornou algo melhor. Depois de algum tempo o vejo se desmanchar no lençol e logo rapidanente eu chego ao ápice e me deito ao seu lado puxando o edredom e nos cobrindo tentando normalizar nossas respirações. 

-Isso foi demais -Sorri com a fala de Tae.

-É, foi mesmo -me viro para encará-lo.

-Nunca conseguiria imaginar você, Jeon Jungkook o tímido do hospital desta maneira -Me olhou nos olhos sorrindo de ladino.

-Sou uma caixinha de surpresas, Amor -Selei sua testa. 

-Eu quero ficar com você o resto de minha vida -Confessou- você foi a melhor coisa que me aconteceu.

-Eu prometo ficar ai seu lado e te amar para sempre.

-Eu te amo 

-Eu também te amo.








Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...