1. Spirit Fanfics >
  2. Meu querido professor (Namjoon) >
  3. Capítulo único

História Meu querido professor (Namjoon) - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Meu querido professor (Namjoon) - Capítulo 1 - Capítulo único

Eu estava sentanda em minha carteira como sempre. Observando o professor escrever na lousa, sua caligrafia era impecável de dar inveja a qualquer um.

Com seu suéter e calças pretas um pouco apertadas, seu físico era algo que não podia deixar de ser notado. Seus músculos eram bem definidos, tanto que se podia vê-los por baixo do tecido. Ele ajeitava várias vezes os óculos no rosto quase como uma mania. Sua inteligência era expecionate com seu QI de 148 ele era um dos professores mais procurados nessa área. O que fazia seu trabalho ser ainda mais importante.

Os outros alunos podem não gostar dele ou de suas aulas. Mas pra min é diferente. Tudo o que ele fala me cativa, como se sua voz tivesse o poder de me hipnotizar e fazer com que toda a sua explicação entrase em meu cérebro. E como se a parte sonora não fosse o suficiente sua aparência era ainda mais admiradora.

Quanto mais ele falava mais eu me perdia na curvatura de seus lábios. E acima da bochecha estava a arma que sempre atirava profundamente no meu coração.

Aquelas covinhas eram simplesmente graciosas me dava o desejo de aproximar e cutuca-las com os dedos.

Com seus olhos puxados eu pude notar seu olhar atrás dos óculos olharem diretamente para min.

- Srta. você pode responder a pergunta?

- Como?

- Irei repetir mais uma vez. Baseado em todo o conhecimento como Maquiavel julga o homem como um ser?

Eu estava tão avoada o analisando que me perdi de suas palavras. Como diabos eu vou saber responder essa pergunta. Mordi os lábios e deixei meu olhar vagar pelo caderno, mas não havia nada escrito ali que me desse a resposta.

- A Srta não vai responder?

- Não sei responder essa pergunta.

- É uma pena, mais alguém aqui quer se voluntáriar para dar a resposta? - ele se referiu ao resto da classe- Ninguém, bom então deixe-me responder.

O professor cruzou o braço e o deixou de apoio para levar o outro em direção ao rosto ajeitando os óculos com as pontas do dedo novamente.

- Para Maquiavel o homem..

O barulho alto do sino tocou repentinamente. Os alunos se levantaram as pressas empurrando as carteiras como se não quisesem permanecer mais nenhum segundo na sala. Depois de todo algazarro somente eu permaneci sentada.

- Professor Kim, o senhor poderia me contar a resposta?

- Você ainda está curiosa para saber?

-Estou.

- Mas a minha aula já acabou. Temo que você terá que esperar até a próxima. - ele caminhou em direção a sua mesa e começou a recolher seus pertences os colocando dentro da pasta pacientemente organizado.

- Você não pode me contar a resposta agora?

- Tudo bem, já que a Srta parece querer saber muito vou lhe dizer escute bem.- ele se preparou mantendo uma postura ereta como um mantra.- Pode se dizer, duma maneira geral, que os homens são ingratos, volúveis, simuladores, covardes e ávidos de lucro. - ele falava cativantemente vindo em direção a minha mesa- Enquanto lhes fazes bem são inteiramente teus, oferecem-te o sangue, os bens, a vida e os filhos.

- Mas isso não pode ser associados a mulheres também?

- De fato pode. Mas são termos especificamente ditos por Maquiavel em sua visão sobre os homems.

- Entendi.

- Alto lá Srta.Ainda não dei a resposta.

- Não? Então qual é a resposta?

Ele parou em frente a minha carteira. Como estava próximo e era muito alto eu tinha de inclinar a cabeça para ver seu rosto.

- Os homens são guiado por interesses, de modo que suas ações são imprevisíveis e inconstantes. - ele apoiou ambas as mãos em minha carteira se inclinou mantendo o olhar a minha altura sorrindo com suas covinhas.- Isso quer dizer deve-se tomar cuidado com os homens. Principalmente garotas como você. Nunca se sabe quando alguém está pensando em ti devorar.

- Eu acho que os homens só pensam em uma coisa quando olham as mulheres.

- E o que seria essa coisa? - ele manteve o olhar diretamente com o meu, eu estava tentando me controlar para não deixar tão claro o meu nevorsismo.

- Coisas carnais...como o ..

-Sexo ? - completou ele.

- S-sim.

- É normal pensar-se isso sobre os homens. Mas não podemos negar que várias mulheres também contém esse pensamento em seus subconscientes. Aliás elas assim como nós também tem o desejo carnal. É algo natural para a manter-se a reprodução da espécie.

- Mas os homens pensam nisso mais vezes que as mulheres.

- Têm certeza? Eu posso imaginar o que estava passando em sua mente há alguns minutos atrás. Você olhava para min mas não estava prestando atenção na minha aula. Ouso dizer que estava fantasiando em sua cabeça coisas consideradas carnais Srta.

Ele me pegou. Bom não importa, pelo menos tenho que manter alguma dignidade.

- Como pode dizer isso professor?

- Sei que no fundo essa é a verdade. E isso mostra que nem sempre os homens pensam nisso mais que as mulheres. Pois neste meio tempo enquanto este pensamento vagou várias vezes pela sua mente eu cogitei a imaginar apenas um vez.

- Como assim você cogitou apenas uma vez.

- A mente é o lugar onde você pode fazer tudo aquilo que é julgado crime pela lei e pela ética . Pois ao menos que você conte ninguém saberá de nada. Mas pra você. - ele se aproximou do meu rosto susurando em meu ouvido.- Pra você eu ouso contar. Depois de ter me fantasiado inúmeras vezes eu deixei minha mente fantasiar você. E eu confesso que seria extremamente excitante ter seu corpo nu sobre aquela mesa.

Eu senti meu corpo esquentar, meu rosto deveria estar vermelho o que entregava o meu estado para ele. Um arrepio percorreu pelo meu corpo e eu inconscientemente dobrei as pernas.

Eu não podia acreditar que aquilo estava acontecendo. E a questão agora era, eu o deixaria levar a melhor sobre min? Depois de ter ficado só imaginando eu finalmente poderia sentir aquelas sensações em meu corpo?

Eu abri a boca para falar, mas não consegui dizer nada. Aqueles lábios estavam tão próximos de minha pele que eu desejei que eles me tocassem.

- Você está envergonhada pelo o que disse? Eu não me importo se pensa coisas sobre min então eu não poderia pensar o mesmo de você?

- Profesor e-eu..

- Shii, eu acho que preciso lhe ensinar algumas coisas. - ele continuou dizendo perto do meu ouvindo enquanto depositava sua mão gentilmente contra a minha.- Primeiro fato que você deve observar é o de que sou um homem.- ele encostou levemente os lábios nas costas da minha mão.- E isso já deixa claro o tipo de ser que sou, e das coisas que sou capaz de fazer. Segundo como acredita-se Maquiavel “Onde há uma vontade forte, não pode haver grandes dificuldades.” Então minha querida se seu desejo for tão intenso como penso estaria disposta a submeter-se sem nenhuma luta ou controvérsia?

De uma coisa eu não tinha dúvida . Eu o desejava intensamente, mas não tinha certeza se estava pronta pra receber o que tanto aguarda-ra.

- Irei te ensinar mais uma frase sobre Maquiavel.

- Q-qual frase..?

- “Vale mais fazer e se arrepender, do que não fazer e arrepender-se.” Ou seja minha cara, você irá aceitar ou ficará aí passando vontade? Não importa o quanto imagine você nunca irá conseguir replicar a sensação por si só. Então deixe-me mostra-la esse verdadeiro sentimento completamente em sua pele.

O professor manteve-se segurando minha mão como um cavalheiro. Sua postura era um tanto nobre mesmo estando cativando a aluna a ter relações com ele. No entanto ao contrário do professor eu não era tão delicada como parecia. Eu tomei coragem e me aproximei segurando o rosto do meu querido professor com ambas as mãos, e de uma maneira nem tanto gentil coloquei meus lábios ao dele.

Eu estava tentando me manter ativa a sua frente. Mas seus lábios se moviam tão docemente contra os meus que acabei o deixando assumir o controle.

Eu estava derretendo com um só beijo. Eu não havia experimentado nada como aquilo antes, os beijos dos garotos eram tão apressados e rudes. Mas esse não. O beijo era perfeitamente ritimado e sua intensidade aumentava no momento certo. Sua mão alojada ao meu pescoço proporcionava ainda mais a sensação. Talvez essa seja a diferença em escolher um homem experiente.

Entre arfadas eu o senti desabotoar meu uniforme, suas mãos gentis faziam o trabalho rápido. Logo depois o sutiã também fora retirado e jogado junto com a camisa no chão.

Eu não tive tempo de me envergonhar pelos seios desnudos pois eles já estavam sendo sugados e acariciados pelos lábios do professor.

Um som baixo e grunhido saia sem o meu controle pelos meus lábios.

Eu fui erguida em seu colo. Ele me carregava mantendo as mãos de apoio na minha traseira. Ele não poupava suas mãos , por onde elas passavam aproveitava para apalpar e acariciar.

Mas tudo só começou a parecer real quando minhas costas foram postas contra a mesa dele. Seus lábios novamente encontraram os meus ,enquanto suas mãos se mantinham ocupadas a me despir.

Um arrepio correu pela minhas pernas e eu tive o desejo de fecha-las. Mas uma mão carinhosamente se pôs ali no meio acariciando com os dedos até que minhas pernas relaxassem e finalmente sedessem ao toque.

Após um dedo entrar eu só consegui senti uma leve cócegas era quase inofensivel. No segundo dedo eu senti eles se aprofundarem um pouco mais dava pra sentir eles brincando em meu interior. Quando eu achei que o terceiro dedo fosse entrar fui surpreendida pela a entrada de um objeto muito maior.

Um gemido involuntário passou por minha boca. Eu o podia sentir entrar cada vez mais fundo aprofundando pouco a pouco. Eu demorei um pouco para me acostumar, mas depois das primeiras estocadas eu pude relaxar o corpo e aproveitar o momento.

Eu não conseguia descrever a sensação em palavras. Eu só podia dizer que era bom, quanto mais ele fazia mais eu queria, meu corpo inteiro desejava aquilo.

Eu estava vivendo o que somente vinha imaginando a tempos. E nada do que eu pensei se comparava a isso.

Eu estava sendo subjugada pelo meu professor. Mas eu estava me sentindo ótima.

Eu senti um líquido me preencher e naquele momento eu sabia que acabará. Mesmo exaustas eu tirei forças para beijalo novamente.

Nada no mundo importava, eu lidaria com as consequências depois. No momento eu só queria desfrutar do querido professor a minha frente.


Notas Finais


Eu realmente fui pesquisar sobre Maquiavel kskk.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...