História Meu querido professor Otário. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite xuxus, turo bem?
Finalmente eu comprei um computador novo. Amém.
Mais um capítulo de Meu querido professor Otário, espero que gostem. ❤

Capítulo 2 - Ameaça Otária.


— VOCÊ O QUE? — o grito de Tsunade podia ser ouvido por todo o quarteirão. Sakura havia acabado de contar sobre sua demissão e o motivo dela. Como já se esperava ouviu o sermão e os gritos agudos da sua avó.

— Foi só um murrinho. — defendeu-se sorrindo na tentativa de amenizar a situação.

— Um murrinho é o que você merece no meio da sua cara. — Tsunade rebateu. — Trate logo de arranjar outro emprego!

— Sim senhora. — a rosada respondeu ao ver as madeixas loiras da avó passarem pela porta de seu quarto e sumir.

Sakura morava com sua vó, Tsunade Senju, desde os quatro anos. Sua mãe, Mebuki Haruno, havia entregado sua guarda para a avó paterna porque na época a jovem Mebuki não tinha condições de cuidar de uma criança. Desde então a rosada morava com sua avó e o marido dela Jiraya, que ela considerava um avô de coração.

Mebuki não era uma mãe relapsia ou irresponsável. Entregou a filha pra Tsunade visando a melhor criação pra rosada, já que a Senju tinha melhores condições de vida. Sempre foi muito presente na vida de Sakura e fez de tudo pra dar o que conseguisse pra filha, diferente do pai, Kizashi.

— Ainda bem que eu não contei o pequeno detalhe do cara ser o meu professor de Imunologia. — falou com B1, uma de suas gatas de estimação, que estava deitada ao seu lado na cama. — Com certeza ela faria eu pedir perdão de joelhos pra aquele arrogantemente.

Respirou de forma desgostosa. O primeiro dia de aula havia sido relativamente tranquilo, Sasuke parecia apenas ignorar sua presença. Por incrível que pareça o moreno era totalmente diferente quando estava a frente de uma turma, parecia ser outra pessoa.

A explicação era maravilhosa e ele fazia de tudo para que houvesse participação de todos, assim a aula não era algo tedioso. Mesmo a contra gosto, Sakura tinha que admitir que ele aparentava ser um bom professor.

Se fosse em outra circunstância, se não fosse Sasuke na verdade, a rosada já teria tentado algum tipo de amizade. Ela sempre foi uma pessoa muito sociável, falava com todos os professores e conhecia pelo menos metade das pessoas do campus da universidade.

Pensou em fazer a egípcia e ir puxar algum tipo de assunto com o moreno, já que a turma em peso, ou melhor as meninas, estavam em cima dele depois que aula acabou, mas não seria cara de pau pra chegar “ Oie, tudo bom? Eu sei que eu te soquei, mas vamos ser amigos?”. Talvez se apenas ignorasse ele seria melhor.

Levantou da cama e seguiu para o banheiro. Havia acabado de chegar da faculdade e estava morta de cansada, precisava de um bom banho. Esfregava os cabelos róseos com o shampoo maravilhoso da natura e, enquanto enxaguava, via a água cor de rosa descer pelo ralo. Os fios estavam recém-tingidos.

Saiu do banheiro e vestiu uma camisola cinza, que ia até metade de suas coxas, com a estampa do batman.

Deitou-se e se ajeitou ao lado da gata, de pelos brancos com manchas cinzas listradas, que dormia no meio da cama. Só de pensar que teria que olhar pra cara de Sasuke no dia seguinte sua vontade de trancar o curso aumentava. Tecnicamente as aulas Imunologia eram segunda e quarta na parte da noite, mas como haviam perdidos alguns dias haveria reposição pelas próximas duas semanas. Logo, Sakura veria todos os dias a cara do homem que ela havia socado.

(*)

Como era acostumada a ter que ir para o Café Delícia todas as manhãs, acordou cedo no dia seguinte. Levantou-se preguiçosamente da cama e amarrou o cabelo com uma liga preta que já fazia parte do seu pulso direito. Foi ao banheiro lavou o rosto e depois pegou seus fones de ouvido colocando a música aleatória da sua playlist do Spotify pra tocar. Whatever It Takes do Imagine Dragons foi a sorteada.

Abriu a porta de seu quarto dando de cara com os outros gatos da casa que já a esperavam para comer.

A casa onde vivia era muito bonita na opinião de Sakura. Ela era grande, lado negativo já que era mais trabalhosa pra limpar, com várias vasos de plantas espalhados por todo local. Tecnicamente o terreno tinha a casa da frente e a casa de trás onde uma área branca conectava as duas partes. A casa da frente era normal com dois quartos, sala e cozinha. A casa de trás era apenas dois quartos, parecia dois apartamentozinhos.

Na frente do quarto havia uma parte onde não era coberta, onde plantas de várias espécies a enfeitavam. Ao seu lado esquerdo, a alguns passos, havia o quarto de Tsunade e na frente dele uma mesa enorme de madeira com oito lugares.

Seguiu para a cozinha, que ficava na casa da frente, onde pôs-se a fazer o café, já que era a sua obrigação, e enquanto a água não fervia foi colocar ração nos potes de cada um dos seus cinco gatos. Sakura era uma amante de animais, principalmente de gatos. Mas isso não a impedia de ter dois cachorros também, a princesa, uma vira-lata de pelos negros, e Mithu, um projeto de poodle.

— Vai procurar emprego hoje? — Tsunade apareceu de repente na cozinha.

— Bom dia né. — Sakura disse enquanto acariciava Cheedar, sua gata de pelos amarelos. — Se eu conseguir passar na seleção do programa da faculdade eu não preciso de emprego.

A universidade oferecia um programa, que contava como horas complementares no currículo, onde alunos faziam diversas atividades como dança, canto e artes. Era remunerado e a seleção de novos membros aconteceria nessa sexta feira. Sakura iria cantar.

— Espero que consiga. As coisas não estavam fáceis pra gente. — Tsunade disse bebendo um copo de by água. Sakura revirou os olhos, mais uma vez esse papo de “as coisas não estão fáceis”. Sua avó trabalhava como professora pra crianças do fundamental, o salário seria relativamente maravilhoso se Tsunade não tivesse feito empréstimos um atrás do outro.

— Tudo bem. — a rosada respirou fundo, já havia brigado com a avó por causa do jeito impulsivo da mesma. Não iria fazer isso de novo. — A senhora pode me deixar na Hinata?

— O que você vai fazer lá?

— Visitar minha amiga poxa. Por causa da faculdade a gente quase não se vê. — respondeu fazendo bico. — Depois eu peço pra ela me deixar na UFK.

— Tá bom.

Sakura sorriu e voltou a preparar o café. Jiraya, seu avô de consideração, estava viajando, assim apenas as duas comeriam naquela manhã.

Mandou uma mensagem pra amiga, de cabelos azulados e olhos perolados, avisando que iria em sua casa. Antes de Tsunade ir para a escola que lecionava deixou a neta na casa de Hinata.

— Achei que não me amava mais. — Hinata disse assim que amiga entrou.

— Quem era a dramática da relação era eu. — Sakura rebateu a abraçando. — Tava com saudade.

— Também.

— Eu já teria vindo aqui, mas início de semestre sabe como é né? Uma loucura. — a rosada declarou seguindo para o quarto da amiga.

Hinata Hyuuga era uma das sua melhores amigas. A conhecia desde os sete anos de idade e na época do ensino médio ia quase todos os dias pra casa da azulada, sendo parte da família praticamente. Se afastaram um pouco, já que Sakura fazia faculdade na federal e Hinata em umas das particulares da cidade.

— Como vai a faculdade? Tá gostando de direito? — a rósea perguntou entrando no quarto de cor roxa e se jogando na cama enorme de casal.

— Até que eu to gostando, é bem legal. — Hinata respondeu. Nunca havia decidido qual curso iria estudar, mas como seu irmão, Neji Hyuuga, cursava direito resolveu cursar também.

— Que bom. — respondeu. — Onde tá a minha mãe?

— Ela foi deixar Hanabi na escola e depois foi trabalhar. — Hinata disse com um leve sorriso. Achava muito engraçado quando Sakura chamava sua mãe de mãe. — Meu namorado anda se comportando?

— Anda sim. — Sakura respondeu. Naruto Uzumaki era professor no curso de engenharia da UFK. Era um dos melhores amigos da rosada e namorado da amiga azulada. — Eu quase não o vi ultimamente pelo campus, mas minhas fontes me disseram que ele tá quietinho.

— Ele ta ocupado hospedando um dos amigos dele que veio de fora. Mostrando a cidade e tudo mais.

— Falando em veio de fora, eu nem te conto a minha desgraça de início de semestre.

— Me conte. — a azulada disse se aproximando da amiga. Sakura contou detalhadamente sobre o cliente carrancudo que havia socado, assim como a descoberta dele ser o novo professor de Imunologia. — Eu não acredito nisso. — Hinata gargalhava. — Você é muito azarada.

— Pois não é? Eu só posso ter pisado na cruz pra merecer uma coisa dessa.

— Ele falou alguma coisa? Tirou satisfação ou algo assim?

— Graças a Deus não. — Sakura respondeu enquanto escrevia alguma coisa no caderno em cima da cama. — Sasuke apenas me ignorou.

— Ele pode não ter te reconhecido.

— Vivemos em Konoha, Hinata. Uma cidade pequena onde todo mundo se conhece. — levantou-se e sentou na cama. — Além do mais, quantas meninas de cabelo rosa você conhece por aqui?

— É. Você tem razão. — respondeu acenando. — Ele pode ter tacado o foda-se.

— Eu espero, porque eu não quero e não posso reprovar nessa matéria.

— Relaxa. — acariciou a perna da rosada.

— Mano tu é gay? — Sakura disse em tom brincalhão com o gesto.

— Você é idiota mesmo. — Hinata empurrou a cabeça da rosada enquanto ria. — Tem notícias de Gaara?

— Não, ele me bloqueou nas redes sociais. — respondeu fazendo bico. Gaara No Sabuko era seu ex namorado. Eles haviam rompido, antes das aulas começarem, quando o ruivo foi embora para o sudeste do país com a família. — Pessoas tem suas formas de superar o término. A forma dele é essa. — Sakura deu de ombros. Sempre foi muito madura quando se tratava de relacionamentos. Não apagava seus ex da sua vida, nem o mais filha da puta, apenas aprendia a lidar com a separação e seguia normalmente sua vida. — Não quero namorar tão cedo, homens só servem pra dar dor de cabeça.

— Você disse isso da última vez e namorou dois anos com o Gaara. — Hinata lembrou rindo.

— Mas agora é diferente. — Talvez. — Ponha um pouco de fé em mim.

— Taaa bom. — levantou o braços se rendendo. — Hoje a noite Naruto vai fazer uma pequena festa de boas vindas pro tal do amigo dele. É aqui em casa e é pra você vim.

— Sim senhora, senhora. — respondeu. — Eu venho depois da aula de imunologia com o querido professor otário.

— Só voce mesmo. — Hinata sorriu.

A manhã seguiu tranquila. As duas amigas puseram os assuntos em dia, falaram sobre diversas coisas e assistiram um filme qualquer na Netflix. Depois do almoço Hinata deixou Sakura na UFK, já que a rosada teria aula de histologia pela tarde.

Histologia era uma a matéria preferida de Sakura. Quer dizer o professor de histologia era o preferido dela. Sasori Akasuna era um ruivo de olhos cor cobre e muito gentis. Usava um óculos que o deixava meio nerd e ao mesmo tempo muito sexy. Ele sempre vinha meio despojado pra lecionar, o que na opinião de Sakura devia ser um crime. Ela adorava ter várias dúvidas pra poder tirar pessoalmente com Sasori.

— Você tá com aquela cara de bocó. — Ino sussurrou pra rosada. — Só voce mesmo pra achar o professor bonito.

— Ele é muito bonito. — Karin defendeu-a. — Você tem que admitir isso Ino.

— Meus gostos são mais peculiares.

— Quando diz mais peculiar você quer dizer um homem com seus 1,90 de altura, cabelos e olhos escuros e pele pálida. — Karin disse com um sorriso malicioso. Sakura revirou os olhos ao entender de quem a ruiva se referia. Ino estava muito mais arrumada naquele dia, com um vertido roxo soltinho que marcava sua cintura e ressaltava o bumbum. Não só ela, mas a maioria das meninas da turma. Pelo jeito elas queriam fisgar o novo professor de Imunologia.

— Vocês só podem ser loucas por estarem interessadas no Sasuke. — Sakura declarou se ajeitando na cadeira. — Ele é um porre como pessoa.

— Por favor né, você tem que admitir que Sasuke é uma perdição. — Ino rebateu. — Eu não quero que ele seja gentil, quero que ele seja selvagem.

— Sua pervertida! — Karin disse rindo.

— Ele vai ser é preso por pedofilia. — Sakura falou.

— Nós já somos maiores de idade e Sasuke tem trinta e dois anos. — a loira argumentou. — Está tudo dentro da lei.

— Ele é doze anos mais velho que você porca.

— E o que tem? Ele pode ser um Sugar Daddy.

— Argh! — a rosada fez cara de nojo.

— Você só tá assim porque já pegou ranço dele no café. — Karin apontou. — caso o contrário você estaria investindo no Uchiha também.

— Discordo totalmente. — Sakura defendeu-se. — Sasuke é muito bonito, mas o que me chama atenção em alguém é a personalidade e ele tá longe de ser o meu tipo de homem.

— Você prefere os nerdzinhos pra corromper né? — Ino perguntou maliciosamente.

— Claro.

— Então Sasori é perfeito pra você. — Karin afirmou.

— Sim, mas acho que ele tá namorando com a professora Konan do curso de artes. — fez bico. — Uma droga mesmo.

— Logo você arranja alguém, relaxa. — Ino confortou.

— Eu não quero arranjar alguém. Eu só quero saciar meus desejos carnais

— Tradução: Eu só quero uma foda casual. — Karin disse.

— Exatamenthy. — Sakura disse com um sorrisinho de canto.

Assim que a aula de histologia terminou as meninas seguiram para a biblioteca para pegar os livros que foram solicitados pelo professor Sasori naquele dia.  Após um lanche rápido e uma retocada de maquiagem elas seguiram para sala onde aconteceria a aula preferida de Sakura. Só que não.

A sala parecia uma versão pobre de São Paulo Fashion Week. Todas as meninas estavam usando roupas que não seriam usadas para ir a uma faculdade e sapatos que com certeza era uma tortura usar. A única pessoa que se distorcia no meio dessa gente toda era Sakura, com sua calça preta folgada, all Star, uma blusa amarrotada do curso e o cabelo solto bagunçado.

As meninas se dirigiram até seus lugares onde Sakura afundou-se na cadeira com puro tédio. Se já era irritante olhar pra cara de Sasuke, seria mais irritante ainda ver um monte de meninas dando em cima dele com aquela cara irritante. A rósea vestiu o casaco preto do batman, colocou o capuz e os fones de ouvido. Pronto, agora sim ela era um ponto preto no meio daquele arco-íris de vestidos.

Alguns minutos depois Sasuke Uchiha entrou na sala vestindo seu típico traje, calça e uma blusa social com gravata e colete. Ele saudou a turma com um boa noite baixo, mas foi respondido por um coro de vozes femininas carregadas de feromônios.

Sakura retirou os fones e os guardou na bolsa, mas o capuz continuou no mesmo estado. Observou seu querido professor começar a escrever alguma coisa no quadro e depois virar-se para a turma. Sakura riu baixinho ao notar a expressão de indiferença, que o moreno tinha na face, ao ver diversas mulheres arrumadas na sala.

— Vai ter alguma festa na cidade hoje? — ele perguntou em tom sério.

— Não, professor. — Ino foi a primeira a responder. Aquele professor dito de forma arrastada fez Sakura bufar e revirar os olhos. AA menina descarada.

— Vamos dar início a nossa aula então. — Sasuke declarou voltando ao quadro.

Como na aula anterior Sakura foi totalmente ignorada, o que foi um certo alívio. Mesmo percebendo que de vez em quando o Uchiha lhe lançava umas olhadas assustadoras, em sua opinião, a rósea apenas fingia que tudo estava tranquilo.

A aula terminou cedo naquele dia, o assunto também era muito simples, e mesmo os alunos sendo liberados, as meninas, e até mesmo alguns meninos, não perderam a oportunidade de ficar ao redor da mesa do queridíssimo professor bajulando e tentando seduzi-lo de alguma forma.

— Ino, eu já tenho que ir. — depois de uma briga interna sobre se aproximar ou não da mesa, Sakura decidiu ir até lá.

— Já? — a loira perguntou fazendo a atenção de todos voltarem para a rosada.

— Eu tenho que ir, prometi que ajudaria Hina. — respondeu alternando o olhar entre a amiga e Sasuke que a encarava de forma intensa.

— Tá bom. Até daqui a pouco. — Sakura apenas acenou e seguiu até a porta sentindo suas costas queimarem.

Estava com um dinheiro na carteira então optou por pegar um uber pra ir até a casa de Hinata. Preferia mil vezes pagar um uber a esperar Ino, já que a loira também iria para a “festa”. Chegou à casa dos Hyuuga e as coisas já estavam animadas. Uma música tocava ao fundo e algumas pessoas, amigos de faculdade de Hinata, já estavam no local. Tinha karaokê e um Xbox pra animar a noite e a piscina também estava liberada.

— Que bom que você chegou. — Hinata disse carregando uma bandeja. — Você pode pegar o resto dos salgadinhos?

— Pra que tudo isso? Ele por acaso é o príncipe William? Que exagero. — Sakura pegou as bandejas.

— Você não conhece a mamãe? Bastou ela saber que ele é médico que ela resolveu encomendar salgados.

— O amigo de Naruto é médico? — perguntou surpresa, nunca tinha ouvido falar sobre.

— É sim! Sas...

— Sakura! — a mãe de Hinata chamou. — Quanto tempo minha filha.

— É a faculdade mãe. — Sakura respondeu abraçando a matriarca Hyuuga.

— Você continua linda como sempre. — ela disse apertando a bochecha da rosada. — Mas vá mudar essa roupa porque nós vamos receber alguém importante.

— Mãe! É só o amigo do Naruto, não precisa de tanto. — Hinata disse.

— Soube que ele é solteiro, aproveita minha filha. — ela disse em tom malicioso lançando uma piscadela em direção a rosada.

— Sim senhora. — Sakura respondeu rindo. — Mamãe é terrível.

— Mereço vocês duas. — Hinata disse seguindo para a área dos fundos onde aconteceria a festa. — Onde está Ino? Achei que ela viria com você.

— Ela tá dando em cima do novo professor.

— O professor otário?

— Aham.

— Ela não perde tempo mesmo. — declarou ajeitando a mesa de salgados.

— Não mesmo.

Assim que as duas terminaram de arrumar as coisas, Sakura foi trocar de roupa optando por um short jeans e uma blusa branca de alcinha. Juntaram-se aos amigos de Hinata que estavam sentados na mesa jogando baralho. Conversa vai e conversa vem, até que Sakura decidiu jogar no Xbox com Neji, o irmão mais velho de Hinata.

 Neji Hyuuga tinha seus vinte e cinco anos, era formado em direito e trabalhava no tribunal de justiça da cidade. Assim como a amiga ele eram um homem bonito com seus cabelos grandes e olhos perolados.

Os dois tentavam imitar a coreografia que aparecia na tela da Tv, just dance era um dos jogos preferidos de Sakura já que ela adorava dançar.

— Ganhei! — ela gritou quando a música finalizou.

— Não vale, você sabe as coreografias todinhas. — Neji rebateu. A rosada jogava tanto esse jogo que sabia a maioria das coreografias.

— Você que é um patinho. — ela disse tirando sarro.

— Eu escolho a música dessa vez. — o Hyuuga disse pegando o controle. Neji estava usando uma bermuda cinza e uma blusa regata branca. Era bem estranho vê-lo tão despojado assim, já que quando o via ele sempre estava vestido de social por causa do trabalho. Mas tanto faz né? Ele ficava bonito de qualquer jeito.

A música escolhida foi Daddy Yankee: Limbo. Que para o azar de Neji, Sakura sabia muito bem cada passo. Os dois começaram a dançar e rir um do outro quando erravam algum passo. Até o resto povo revolveu prestar atenção na competição que os dois faziam ao longe.

— GANHEI! — dessa vez Neji gritou. Seu cabelo grudava na testa por causa do suor e Sakura tinha a face ruborizada por causa do esforço.

— Eu deixei! — a rosada falou rindo.

— Se fosse funk, quero ver alguém ganhar do rabetão de Sakura. — Ino declarou ao se aproximar.

— Já chegou? — Sakura perguntou.

— Não, aqui é apenas uma ilusão. — a loira respondeu para logo receber uma careta da amiga.

— Naruto chegou! — Hinata avisou abrindo o portão. O loiro havia ido buscar o amigo novato, já que este ainda não tinha carro.

Sakura só não foi ao chão porque Neji estava atrás dela. Quando seus olhos verdes focaram na figura de Sasuke cumprimentando o pessoal ao lado de Hinata e Naruto, sentiu como se alguém tivesse socado seu estômago.

 Só podia ser assombração.

— Não acredito. — Ino cochichou. — Eu to no paraíso.

— Eu to no inferno. — Sakura respondeu.

— Essa aqui são minhas melhores amigas Sakura e Ino. — Hinata apresentou as meninas para o moreno. — Esse aqui é o Sasuke.

Os olhos verdes e ônix se encontraram. Por um momento Sakura percebeu a surpresa estampa da na face do Uchiha. Maldita cidade pequena onde todo mundos e conhece.

— Hinata, posso falar com você? — Sakura desviou o olhar pra amiga e não esperou ela responder, apenas pegou o braço dela e a arrastou para o outro lado da área.

— O que você tá fazendo?

— Hinata! Aquele ali é o Sasuke! — Sakura disse meio exaltada.

— Sim, eu sei que aquele ali é o Sasuke. Acabei de apresentar. — santa paciência.

— Não! Aquele ali é o Sasuke, meu professor de imunologia. — os olhos claros da amiga se arregalaram.

— O otário?

— Sim!

— O cara que você socou no café?

— Sim! Eu não acredito que ele é o amigo do Naruto. — pôs a mão na testa. — Eu só posso ter pedido pedágio na arca de Noé pra merecer uma coisa dessa.

— Para de ser dramática. Aja naturalmente apenas.

— Você tem razão. — Sakura falou ao se acalmar.

— Aconteceu alguma coisa, Saky? — Naruto perguntou ao se aproximar tendo Sasuke ao seu lado.

— N-Não. — Sakura respondeu nervosamente alternando o olhar entre o loiro e o Uchiha. — Tá quente aqui né? E-Eu vou beber água. — saiu o mais rápido possível da visão de Sasuke.

— O que diabos ela tem? — Naruto perguntou à namorada.

— Não liga pra ela. — sorriu forçadamente. — Sakura às vezes não é normal.

— Ela é meio piradinha, mas você vai gostar dela, Sasuke. — Naruto virou para o amigo. — Saky é muito legal.

— Hum. — foi tudo que respondeu. Pelo jeito Naruto não estava por dentro do que acontecera no café.

Sakura caminhou até a casa que ficava do outro lado do gramado e da piscina. Uma coisa era eles estarem na faculdade e Sasuke não poder confrontar por ser professor e ela aluna, mas outra coisa é eles estarem fora da faculdade.

Calma respira, ela tava exagerando. Sasuke não ia fazer nada do tipo né? Vamos esperar que sim. Bebeu um copo d’água e voltou pleníssima pra área de trás. Pra sua maior sorte, e irritação, Ino estava conversando com Sasuke. De longe dava de vê que ela dava em cima descaradamente e o mesmo parecia até gostar, já que vez ou outra um sorriso delineava aqueles lábios finos.

Sakura revirou os olhos e decidiu aproveitar a festa. Começou a tomar algumas bebidas disponíveis, comeu vários salgadinhos e começou dançar as coreografias do just dance novamente.

— Ganhei de novo. — Sakura disse com o rosto todo suado e vermelho. A voz estava levemente embolada por causa do álcool.

— Alguém tira a Saky desse videogame. — Naruto disse após ser mais um dos que perderam pra Sakura.

— Quero ver se ela sabe dançar sem ter coreografia. — uma menina de cabelos castanhos disse.

— Eita a Tenten desafiou agora. — Rock lee, um cara de sobrancelhas grossas gritou chamando a atenção do povo.

— Pois eu aceito o desafio. — Sakura bebeu de uma vez o líquido do copo que tinha na sua mão.

— Vai lá, Sakura! — Ino, que estava sentada grudada com Sasuke, em um pequeno sofá, gritou. — Mostra pra ela o poder desse rabetão!

— Sim senhora! — Sakura gritou virando-se para a amiga. Sasuke a encarava intensamente, mas a rósea estava bêbada suficiente pra não ligar.

— Eu quero ver bundas mexendo, então eu vou escolher aquecimento da Tainá Costa. — Neji disse conectando o celular no som que antes tocava alguma música sertaneja.

A música deu início e a morena de cropped rosa e short branco começou a dançar. Os que estavam presentes fizeram uma rodinha pra acompanhar a “competição”, até mesmo Ino e Sasuke se juntaram. Tenten sabia rebolar, mas não era grande coisa. Assim que a música chegou no meio ela parou e passou a vez pra rósea.

— Quero ver ganhar dessa, Sakura. Ela mandou bem em. — Naruto provocou a rosada.

— Neji! Põe a música do início. — o Hyuuga mais velho atendeu a ordem.

A música começou novamente e Sakura deu início ao movimento com o quadril. Se tinha uma coisa que Sakura Haruno sabia fazer era rebolar, as horas que ficava trancada no quarto dançando serviram pra alguma coisa. Parecia que aquele bumbum redondo, e marcado por causa do short, tinha vida própria. A rósea ainda debochou chamando Tenten novamente pra ser humilhada.

— E a campeã é Sakura! — RockLee declarou com um grito enquanto o resto do pessoal aplaudia.

Sakura sorria enquanto se abaixava para agradecer ao público. Quando o último pingo de vergonha se fez presente, a rósea lembrou-se da presença de seu professor naquela festa. Meeeu deus que vergonha, foi a primeira coisa que veio na mente ao ver Sasuke a olhando.

— Tá quente né? Eu vou beber água! — saiu em direção a casa.

— Tem água aqui Sakura! — Hinata gritou, mas foi ignorada.

Sakura entrou na cozinha e fez uma careta. Pronto, perfeito. Agora Sasuke vai pensar que ela era uma menina violenta sem um pingo de vergonha na cara por ficar rebolando a bunda desse jeito. Pôs a mão na face e gemeu de frustração.

— Aaalguem me mataaa. — disse baixinho. Sentiu uma presença e ao olhar para seu lado viu Sasuke parado. — Meu deus que susto! — Sakura deu um pulo para o lado se afastando do moreno. Ele estava encostado na porta com os braços cruzados. — É-É... você quer alguma coisa? — perguntou meio acanhada.

— Parece nostálgico essa pergunta, não é mesmo senhorita Haruno? — a voz rouca ecoou no cômodo.

— Perdão? — fingiu-se de desentendida.

— Não finja de desentendida. — repreendeu em tom de desgosto se aproximando e parando a centímetros da rosada que ficou tensa.

— Tudo bem. — Era melhor deixar as coisas claras. — Eu soquei você, agora o que você quer? — O corpo totalmente tenso com a aproximação repentina. Principalmente por Sasuke ser bem mais alto. — P-Professor...

— Eu quero um pedido de desculpas. — Sakura o olhou confusa, mas assim que sua mente junto com o álcool processou o que ele acabara de dizer, ela gargalhou. — Por que a risada?

— Você realmente é inacreditável, senhor Uchiha. — Sakura disse em meio a risadas. — Por que eu deveria pedir desculpas a você?

— Por ter me acertado e quase quebrado o meu nariz e sujado minha camisa preferida. — Sasuke dizia em um tom sério, mas para a rósea ele só podia tá zoando.

— Sobre o café eu já pedi desculpas. — virou-se pegando um copo na pia. — Sobre o soco, você mereceu.

— Então não vai me pedir desculpas? — levantou uma sobrancelha.

— Não. — deu de ombros levando o copo a boca. Talvez o álcool estive lhe dando coragem pra responder a Sasuke.

O moreno se aproximou e se abaixou o suficiente pra sussurrar no ouvido de Sakura.

— É o que veremos. — as palavras foram como um belo balde de água fria na rosada que recobrou a sobriedade num instante. Sentiu cada músculo tencionar quando a face de Sasuke ficou perto o suficiente de seu rosto pra ela sentir o hálito fraco da cerveja que ele ingeriu.

— Algum problema? — Neji perguntou ao entrar na cozinha e ver os dois.

— Nenhum. — Sasuke endireitou-se e pôs a caminhar para fora do cômodo.

— Sakura?

— Está tudo bem. — respondeu em um sorriso forçado. Meu deus do céu, ele só podia estar blefando né?


Notas Finais


O que acharam?
REITA1: Fazer a egípcia : Fingir que de desentendida, fingir que nada aconteceu.
REITA2: Patinho: Pessoa fraca que perde rápido e fácil em jogos.
Nos vemos sexta-feira com enigma❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...