História Meu Querido Vilão (Yaoi) - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Boys Love, Ciumes, Colegial, Comedia, Delinquente, Gangue, Gay, Homossexualidade, Lemon, Originais, Romance, Sexo, Yaoi
Visualizações 964
Palavras 1.830
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tô sem criatividade pro título ;-;

Capítulo 20 - Acordando Com Os Yuuya


 Meu rosto continuava com a expressão de susto e surpresa. 

— E-eu não posso afirmar isso! Vai que ele é apenas um conhecido! — falei pra mim mesmo — O Yuu-kun dos sonhos nunca ficaria inexpressivo e nem seria líder de uma gangue de um bando de delinquentes!

Percebi que eu havia falado um pouco alto demais quando o moreno se mexeu um pouco na cama. Felizmente ele estava tendo um sono pesado. 

Suspirei de alívio. 

— Acho que irei tomar água... — sussurrei me levantando da cama sentindo uma dor aguda e forte pelo quadril. 

— Ooh! Que merda! — gritei baixinho.

A dor era tanta que eu só consegui vestir o box. Peguei a camiseta listrada que Shun havia usado no jantar já que a regata que Aoi havia me emprestado não daria pra esconder nem meu umbigo. Para minha felicidade a camisa ficou folgada o bastante para cobrir o box e ainda os chupões no pescoço. 

Saí do quarto indo até a sala escura e já me direcionando pra cozinha quando ouvi um barulho vir do sofá. 

A grande televisão estava ligada, parecia estar passando desenho animado. Olhei para o sofá, o pequeno Seiji se encontrava lá encolhido assistindo calmamente o desenho. Quando percebeu minha presença ele me olhou surpreso e assustado ao mesmo tempo.

— Pervertido! Por que está vestido desse jeito?! — ele gritou se levantando do sofá em um pulo.

— Shhhh! Acalme-se! — Corri até ele e tampei a sua boca para que não acordasse mais ninguém, o que não foi uma boa ideia pois a dor piorou 10 vezes mais — Aii!

— V-você está bem?! — Perguntou o pequeno assustado.

— É só eu ficar parado...— sentei no sofá fofinho da sala tentando diminuir a dor. 

— E-eu s-sinto muito! — exclamou assustado o garoto moreno.

— Shh, só faça silêncio, tá? —acalmei o garoto.

— É-é que você não parava de gritar então eu p-pensei que Shun havia feito algo de ruim... — ele virou seu rosto um pouco corado para a televisão. 

— Eh?! Você ouviu?! — perguntei corado para Seiji.

— Dava pra ouvir de todo e lugar da casa... O Shun te machucou? — ele perguntou se aproximando corado. 

— Que fofo... — falei para eu mesmo, mas percebi pela expressão horrorizada que havia falado muito alto.

— F-f-fofo? O-o-o que é fofo? — seu rosto pálido estava corado com expressão de surpresa.

— Sim, você é fofo não adianta negar. — admiti. 

Ele me olhou silencioso com a mesma expressão até a que se jogou do outro lado do sofá com o rosto virado, mas ainda dava para ver um pequeno vermelho em seu rosto.

— Amanhã...V-você quer brincar c-comigo? — gaguejou o pálido. 

Pairou um silêncio contrangedor de 5 segundos. 

— Não é tecnicamente hoje que vamos brincar? Já são mais de meia noite. — sorri para o menor. 

— Então, vamos brincar mais t-tarde... 

— Sim, sim...— me levantei do sofá — E vá logo dormir, isso não é hora de criança ficar acordada. 

Saí da sala em direção ao quarto que eu havia saído.

Shun continuava dormindo pesadamente. Seu semblante entediado agora estava calmo e meigo.

"Eu acho que falarei com ele amanhã... Esse negócio foi tão repentino... "

Começei a me deitar na cama fazendo o mínimo de movimentos possíveis. Me encaixei em seu peitoral mais uma vez tentando não pensar em mais nada...

Sábado 9:31 AM

— Hiro, acorda. 

Senti cutucadas leves em meu rosto, abri levemente meus olhos vendo Shun com seus cabelos negros molhados e uma regata branca básica. 

— Hum... Eu quero dormir mais...— murmurrei fechando meus olhos mais uma vez. 

— Já são mais de 9:30, você tem que tomar café. — falou o moreno. 

Senti a cama abaixar um pouco e vi o maior sentado com a coluna virada para mim. 

— Você está se sentindo dolorido? — perguntou ele passando a mão pela minha testa. 

— N-não...— respondi corado. 

— Pois vamos antes que Seiji coma tudo...

Ele tirou o edredom de cima de mim, arrodeando seu braço na parte de trás do meu joelho e o outro braço nas minhas costas.

— O-o que v-você tá f-fazendo? — perguntei corado. 

— Você não quer banhar, não? — respondeu.

— M-mas eu posso banhar sozinho...

— Humph, tão teimoso. — Ele me ignorou e continuou o seu caminho até a suíte do quarto. 

O maior me colocou em cima de um pequeno banco branco que ficava no banheiro e começou a tirar as únicas e peças de roupa que haviam sobrado no meu corpo, então  ligou o chuveiro deixando a água se espalhar pela banheira branca brilhante. 

" Espera! O que eu tô pensando, preciso perguntar se Shun lembra de mim! Mas e se ele..."

— Venha aqui, patinho. — Ele arrodeou seus braços fortes pelo meu tórax me levantando. 

— Oow! Tá quente! — exclamei com meu corpo dentro da banheira. 

— É só se acostumar~ — murmurrou o pálido. 

Senti suas mãos passando pelos meus fios dourados e um líquido viscoso com cheiro de flores fazendo espuma pela minha cabeça. 

— Shun, eu preci- — fui interrompido pelo toque de celular des Shun que vinha lá do quarto. 

— Eu já volto. — Ele saiu me deixando sozinho no banheiro.

"E se ele não se lembrar de mim? Mas ele provavelmente lembra já que sempre guardou o cordão que lhe dei... Que eu quebrei..."

Suspirei.

"Mas por que ele colocaria um cordão que eu achei em um ovo da Pásco por 15.000?!"

Suspirei mais uma vez. 

"Eu sempre sou o último a saber das coisas...como na vez que descobri que a tia Aya era na verdade tio Ayato..."

Suspirei pela terceira vez. 

— TIO AYATO! — saí da banheira sem ligar para a dor no meu quadril que já não era tanta e corri para fora do quarto pelado. 

Shun estava sentado na cama com o celular na mão. 

— Cadê minha mochila?! —Gritei desesperado.

— No canto. — ele apontou para a parte lateral do quarto, surpreso.

Abri a bolsa sem paciência e peguei o meu pequeno LG.

— Merda — murmurrei olhando a quantidade de notificações. 

Chamadas perdidas 

Ayato 

Ayato 

Velhote 

Ayato 

Ayato 

Ayato 

Mais 13 chamadas perdidas

— O que foi? Se ficar andando por aí pelado vai acabar pegando um resfriado. — falou ele se aproximando. 

Merda... Eu vou morrer...— sussurrei paralisado. 

— É claro que você não vai morrer, baka. — Ele deu um peteleco na minha testa — O que aconteceu? 

Estendi o celular pra ele. 

— Ele parece ser bem coruja, não é? — riu o moreno com o celular ainda em mãos 

— Isso não é motivo pra rir! Ele vai me matar!

— Certo, certo...eu resolverei tudo...— ele falou dando um de seus sorrisos de garoto levado. 

— O que você vai fazer? 

Ele tirou a bateria do celular.

— O que você tá fazendo?! Devolve! — gritei irritado.

Ele colocou a bateria no seu bolso traseiro. 

— Pode pegar. — ele respondeu meu grito com um sorriso levado. 

Puxei a bateria de seu bolso. No mesmo momento ele me puxou colando nossos corpos comigo ainda nu.

— Você realmente quer me provocar, não é? — perguntou Shun. 

— É-é claro que não...— gaguejei. 

Os lábios de Shun estavam a centímetros do meu...

— Shun! Já acordou o Hiro-chan?! O café tá esfriando! —ouvimos o grito de Touka-san da cozinha.

— Já vou! — ele voltou seu rosto para mim — Deixe-me só fazer uma coisa.

Ele encaixou seu rosto no meu pescoço, sua respiração fazia cócegas no mesmo. Senti sua boca dar um pequeno beijo e logo depois começar a chupar fortemente o local. 

— O que está fazendo?! — perguntei quase gritando.

— Marcando território. — ele se soltou do meu pescoço dando um sorriso maléfico —Vai se vestir, patinho safado.

Ele deu um pequeno tapa na minha traseira e saiu sem dizer mais nada.

"Eu que sou o safado...?"

(...)

Terminei de vestir as roupas que Shun havia separado para mim e fui até a cozinha. Para minha felicidade a dor no meu quadril havia diminuído e já dava para eu andar normalmente. 

— Bom dia, Hiro-chan, dormiu bem? — perguntou a morena com uma espátula na mão.

— Sim...

Ao centro da cozinha tinha uma mesa redonda com quatro cadeiras de madeira lisa.  Me sentei ao lado do pequeno Seiji que comia ferozmente uma panqueca, deu até pena da coitada.

— Bom dia, Hiro...kun... — cumprimentou ele com o rosto virado para o outro lado.

Sorri. Era realmente engraçado ver a versão minimizada de Shun fazendo aquela expressão.

— Bom dia, Seiji-kun.

— Ei, Seiji, não tente flertar com Hiro. — ouvimos a voz de Shun vir da entrada da cozinha.

— E-e-e-eu não estou flertando com ele! Eu gosto de mulheres! — gritou Seiji corado.

— Humph. Ah tá. Com uma pessoa como essa vivendo com a gente— ele apontou para Touka-san que assistia tudo com um sorriso safado — nós nunca saberemos nossa sexualidade.

— Não me meta nas suas discussões!— ela voltou a fazer os ovos estrelados.

— Mas... Hiro-kun...vamos brincar hoje, não é? — perguntou o pequeno moreno.

— É claro! — sorri brincalhão.

Touka-san terminou de fazer os ovos e os colocou a minha frente em um prato branco.

— Coma tudo, tá? — ela apontou a espátula ameaçadoramente pra mim.

— Seu desejo é uma ordem! — falei com um sorriso nervoso.

Todos os que estavam presentes sorriram de minha reação...

Esconderijo Akumano 10:03 AM

— Fiz essa reunião para falarmos sobre a nossa grande inimiga Villains... Vocês provavelmente já souberam que Shun achou um novo protegido~

O delinquente ruivo se encontrava ao centro de vários outros delinquentes um mais intimidador que o outro. Ele levantou uma foto com o loiro em seu uniforme prateado de Yukina com detalhes pretos na gola e uma gravata escura perfeitamente ajustada.

— Esse é Hiro Masashi... Como podem ver é ele é bem gostoso e tem bunda bem redondi-

— Capitão, leve o assunto mais a sério.— um adolescente de óculos e madeixas preto-azuladas perfeitamente arrumadas o interrompeu com seriedade.

— Tá, tá... Eu quero que vocês encontrem ele e o tragam para mim sem nenhum arranhão. —Eu ruivo deu um sorriso maléfico — Só eu poderei brincar com ele, entenderam?

— Sim! — todas as vozes responderam em uníssono.

— Estão dispensados~ — todos saíram juntos do local ao ouvirem a ordem do capitão deixando apenas ele e o que o havia interrompido.

— Você tem certeza disso, capitão? A Villains não é uma gangue tão fraca assim... — advertiu o azulado com expressão preucupada.

— Nós também não somos fracos, né, Kumai? —o ruivo sorriu para o de óculos que deu um suspiro longo.

— Só não quero me meter em confusão...— murmurrou.

— Relaaaxa~ Não farei nada de mal ao Patinho-chan~ Apenas deixarei Shun irritado~

— Tá, tá...eu já vou indo, Tora. Me chame quando essa situação acabar — ele deu um beijo na bochecha do ruivo o fazendo sorrir malicioso — Não quero ver você dormindo com ninguém a não ser eu~

O moreno saiu da sala deixando o ruivo sorrindo bobamente.

— Aaah, um dia esse nerd me mata de tesão~

Continua


Notas Finais


Sinto cheiro de ships novos... :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...