1. Spirit Fanfics >
  2. Meu querido vizinho >
  3. 2. Fofocas...

História Meu querido vizinho - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Relevem erros.
Boa leitura.

Capítulo 2 - 2. Fofocas...


Fanfic / Fanfiction Meu querido vizinho - Capítulo 2 - 2. Fofocas...

Mamãe ia chegar tarde como sempre. Eu e meu irmao tínhamos jantado pizza e ele estava capotado no colchão no chão da sala.
Depois que lavei a louça estava descansando e esperando ela chegar sentada com as pernas encolhidas na poltrona, mexendo no meu celular. Ela chegou um tempo depois, me deixando um beijo na testa e em silencio pegou o Caio no colo e o levou pra cama dele. Ainda estava na mesma posição quando ela veio e se deitou no sofá depois de jantar.

- tudo bem filha?

- sim e a senhora?

- o jardim está bonito! tem cuidado dele pra mim? - mamãe me olhou de canto de olho.

- uhum - respondi sem olhar pra ela, mexendo no meu celular. Ela franzia a testa.

- temos um vizinho novo?! - insistiu. Olhei-a por cima do óculos e voltei pro celular ficando nervosa.

- serio? Qual casa? - sentia ela me encarando, agora eu estava so disfarçando.

- para de enrolar, Maya. Me conta.

- o queee?- Abaixei o celular derrotada.

- vai desembucha, sei que você ja deve ter a ficha o moço! - ela disse arqueando as sobrancelhas

Ta certo, era verdade eu estava passando tempo la na frente disfarçando, cuidando do jardim na esperança de ver ele ali fora um pouquinho que fosse. Eu ja tinha decorado o barulho da moto e do carro dele, quando ouvia chegando saia correndo pra tentar ver ele.
Nao que eu tivesse visão de raio x e conseguisse ver ele através do muro, mas sempre dava um jeitinho.

- ele se mudou há uma semana aqui do lado, só sei o que fofocam dele.

- que ele se mudou há uma semana eu tambem sei...é o resto que quero saber! - abaixei o celular a encarando.

- como ele se chama? - ela insistiu

-nao sei - dei de ombros e ela apertou os olhos - ja disse que nao seiiii - suspirei

- e o que ele faz? -

- falam que ele é policial - respondi voltando a olhar para o meu celular. Ela pigarreou querendo que eu continuasse. Bufei

- já falei mãe ... - ela me cortou

- Conta as fofocas Maya - bufei de novo me ajeitando sentando no sofá.

- que interesse hein mãe?? -  falei fazendo bico. Na verdade era só pegação no meu pé mesmo, porque ela ja sabia que eu poderia estar interessada nele. Ela mexeu as mãos impaciente pra eu continuar a falar, sem se importar com o meu comentário maldoso. 

- taaaa..... coreano, 26 anos, é policial civil há 2 anos, filho de pai coreano e mãe mestiça, mora aqui desde os 20 anos...- me interrompeu

- nossa pra quem não sabia nada hein!? É bonito?

Pulei do sofa empolgada, meu celular quase caiu no chão assustando ela.

- maaaae, pensa! Pensa num coreano fodido de lindo. Muito Gostoso! Nossaa...ele tem o braço todo tatuado.... - Tinha ficado impressionada com a sua beleza. -  E que braco tao sexy!

Eu era tarada por tatuados.

-eiiiii!!!

- ahhh mae, desculpa! mas....bem que eu queria saber se ele é mesmo!!


O fato é que eu nao conseguia para de pensar nele. Dormia e acordava pensando nele. Estava ate tendo sonhos eróticos e so de lembrar me dava calor. Ela arregalou os olhos .


-Juizo menina!!!! Mas, gostei do Curriculum dele - sorriu e voltou a se deitar.

- mas.... a última fofoca diz que ele é comprometido - disse dasanimada me afundando na poltrona.

- Afs tu nao tem sorte hein Maya. - me encolhi

- ah mãe homem bonito é comprometido, gay ou os dois! 

Nós rimos. 

- ainda nao vi nenhuma mulher sair de lá, mas vai saber ne?! - falei e fiz bico

- porque elas espalham isso? Como sabem tantas coisas em tao pouco tempo? 

Apenas dei de ombros. So queria que ele fosse solteiro.

- seu irmão vai ficar o fim de semana na casa da sua avó. Depois da aula vou levar ele, quer ir também? - ela quebrou o silêncio depois de um tempo, sorrindo sarcástica. 

- ta doida? E perder uma chance de ver ele? nao mesmo obrigada - levantei e fui pro meu quarto.

- toma jeito!!! quero a casa toda arrumada quando eu chegar hein, eu so volto a noite.


Balancei a mão concordando.


No dia seguinte...

Depois que cheguei do curso, almocei o que mamãe tinha deixado pronto. Vesti um short jeans preto todo desfiado e uma regata de alca fina azul. Prendi os cabelos num coque alto, mas alguns fios ficaram soltos.
Escolhi uma playlist para me animar a arrumar a casa. Olhei pela janela pedindo pra conseguir ve-lo hoje.
Ele era tão lindo. Suspirei me imaginando beijando ele, sentindo seu cheiro, ouvindo sua voz...
Fui varrer o quintal quando ouvi musica vindo de sua casa, era Nirvana. Combinava com ele, tão bad boy, tão sexy.


Quando fui varrer a calçada vi ele no seu quintal. Ele me viu e sorriu parando de lavar sua moto por alguns instantes. Meu coração disparou. Ele estava agachado,de bermuda jeans claro, uma camisa branca larga, usava um boné branco.


Continuei varrendo a calçada e a rua, sempre disfarçando e olhando p ele. Ja nao tinha mais folhas para varrer, eu tinha ensacado tudo. Estava varrendo o nada olhando disfarçadamente e nesse momento meu celular tocou no meu bolso, me trazendo a realidade. Tirei o celular do bolso de tras vendo quem ligava.

              " - oi pai! -" atendi recolhendo as coisas e entrando contrariada, dando uma ultima olhada pra meu lindo vizinho.

Meu pai morava em outra cidade, longe umas 2 horas dali, e não nos víamos já fazia um tempo. Meus pais se separaram quando o Caio tinha 3 anos. Ele estava em outro relacionamento desde então e eu ate me dava bem com ela.

- se programa pra vir com seu irmao passar as férias aqui!-  convidou choroso.

- nao sei pai, vou ver com a mamãe ta bom! - na verdade eu não queria ir, mas Ia amar se o meu irmao fosse pensei... teria alguns meses pra resolver isso.



No final da tarde ouvi um carro parar na frente da casa dele, a pessoa entrou depois que ouvi o click do portao abrir. Nao consegui ver, distinguir se era mulher, mas a duvida que aquelas linguarudas tinham despertado em mim me fez querer saber quem era. 

A calçada ja tava limpa, ja tinha regado o jardim, e o caio nao estava pra ser minha desculpa. Não poderia simplesmente ficar la, ia dar muito na cara. Resolvi dar uma volta no quarteirão, fingindo que iria para algum lugar.
Nao vi  nem ouvi nada. 

Na volta, a dona Julia, uma das fofoqueiras me cumprimentou, ela morava na esquina, e achei oportuno falar com ela, mas nem precisou. O portão dele se abriu e vi saindo o rapaz bonito do dia da mudança e ele logo atras.

Ele saiu conversando com o outro, e eu fiquei nervosa não sabia o que fazia. Nao sabia se ia ate a dona Júlia ou se voltava para casa passando ao lado deles. No instinto voltei. 

Meu coracao disparou. Passei por eles e sorri sem mostrar os dentes.


- boa tarde! - o amigo disse com um lindo sorriso quadrado.

- boa tarde - respondi num sussurro.


No segundo antes de entrar e o portão fechar, vi ele me olhando. O ar me faltou. Me encostei na porta da sala, respirando fundo. Comecei a rir da situacao. Duvidas surgiram na minha cabeca. Sem nunca termos conversado, o que eu sentia por ele? Era só curiosidade? eu poderia estar apaixonada?  Ele estaria interesssado??? 

Eu ia tentar. Ia pensar em me aproximar dele.


Talvez valesse a pena...    





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...