1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Refúgio - Evansson >
  3. Se lembrar de mim

História Meu Refúgio - Evansson - Capítulo 4


Escrita por: e AmandaMeloG


Notas do Autor


Olaá,

Bom dia 🌻

Eu quero tanto postar todos os capítulos ao mesmo tempo mas vamos com calma, né?!


Boa leitura pessoal 📖💖

Capítulo 4 - Se lembrar de mim


Fanfic / Fanfiction Meu Refúgio - Evansson - Capítulo 4 - Se lembrar de mim

Se existisse uma forma de atrasar as horas, se puxando os ponteiros do relógio isso fizesse algum efeito, Scarlett com certeza adotaria o método naquele domingo. O dia já iniciou mal por ter que se despedir de sua filha, como combinara com o ex, Rose ainda ficaria alguns dias com ele antes de voltar para ela novamente. Logo cedo o carro parou em sua porta e a pequena se despediu da mãe, indo com Romain.

Com o silêncio retornando à casa, ela voltou a ficar presa em seus pensamentos, o que levou-a a lembrar que mais uma coisa desagradável que aconteceria naquele dia, além de não ter Rose por perto. Tal coisa desagradável tinha nome, sobrenome e endereço, Colin Jost.

Sabia que não queria ir desde o dia que marcou a data, depois do que ele fizera não havia mais nenhum outro sentimento ao olha-lo além de tristeza. Desanimada ela tomou um banho rápido, colocando uma saia social azul marinho e uma camiseta branca por dentro, um colar por cima da mesma cor que a saia. Por fim, calçou saltos pretos e prendeu o cabelo em um coque, fazendo uma maquiagem leve.

Quando saiu de casa sua tranquilidade passou a ter minutos contados, afinal a cada esquina que virava ficava mais perto do café, que era o ponto de encontro dos dois, e consequentemente se estressaria com alguma coisa que o homem fosse falar na tentativa de justificar suas atitudes.

Chegando ao local viu ainda de longe que Colin já estava lá, sentado de costas em uma mesa para dois do lado de fora. Se lembrava das vezes que já se encontraram ali, não para uma conversa péssima como aquela, mas para conversas interessantes e divertidas, era assim quando se conheceram, mas tudo foi mudando com o tempo.

 

— Não sabia que ia acampar aqui na porta do café. – A loira ironizou em um tom irritado ao se aproximar da mesa e sentar-se na cadeira em frente a ele — Porque chegou tão cedo? – Ela complementou para explicar o que tinha dito anteriormente.

 

— Eu não dormi pensando na nossa conversa, quis vir o quanto antes. – Colin abriu mais os olhos parecendo surpreso e feliz com a presença dela.

 

— Eu especifiquei na mensagem: "duas horas da tarde, nem um minuto a mais, nem um a menos", não precisava se empolgar tanto. – ela comentou com indiferença — Também fiquei tantas noites sem dormir por sua causa, esperando você chegar, preocupada pensando que algo ruim havia acontecido com você, mas nós dois sabemos onde realmente estava...

 

— Scarlett... Eu vim aqui justamente conversar sobre isso... Não acho que seja certo você já vir com as quatro pedras na mão. – ele demonstrou certa irritação na voz, o que a fez desejar por um momento ter um café para jogar em seu rosto, não faria isso é claro, mas desejo não faltava.

 

— E o que quer que faça então? Que eu seja gentil com alguém que fingiu me amar? Que eu sorria para você e esqueça das vezes que chegou com um perfume diferente e me disse que foi porque cumprimentou muita gente na empresa? – Ela respondeu com mágoa e indignação, seu peito parecia queimar de dor.

 

— Eu sei que eu errei, tá legal? Eu errei feio, mas muitas pessoas erram. É como apostar em um bilhete de loteria, a gente nunca sabe se os números que marcamos são os certos. — Tentou se explicar.

 

— Você está comparando meu coração com um bilhete de loteria?! – A mulher aumentou um pouco a voz e começou a aplaudir ironicamente lento — Parabéns Jost, acaba de assinar em baixo que é um completo idiota.

 

— N-Não foi isso que eu quis dizer. – Ele cruzou os braços — Eu só quis dizer que não dá para saber se você está acertando suas atitudes vinte e quatro horas por dia.

 

— Não, com certeza não dá. — Concordou — Mas todo mundo sabe que o mínimo que se deve ter por outras pessoas é respeito, era sua obrigação acertar pelo menos nisso. — Pontuou.

 

Um garçom se aproximou da mesa naquele minuto, interrompendo o que Colin abriu a boca para dizer.

 

— Com licença. Vocês já pediram?

 

— Dois cafés, por favor. – Colin se adiantou.

 

— Não, para mim um chá gelado, por favor. – ela trocou o pedido, se encostando na cadeira e cruzando os braços.

 

— Mais alguma coisa? – O garçom questionou, anotando em sua caderneta.

 

— Não, obrigada. – a loira respondeu e o funcionário assentiu, se retirando.

 

Voltando a lançar um olhar frio para Jost, ela esperou que ele soltasse o que pretendia dizer. O homem encarou a pequena mesa de vime que os separava e respirou fundo.

 

— De que adiantou aquele anel de noivado tão grande, com todo um conceito por trás, se não havia amor? O que você pretendia afinal? – Os olhos de Scarlett marejaram, mas ela limpou a lágrima assim que ela ameaçou descer. Não choraria na frente dele, ele não merecia suas lágrimas.

 

— Eu não estava mentindo quando disse que te amo. – Colin soltou aquela frase, o que fez a mulher dar um riso irônico e balançar a cabeça desacreditada no que ouvia.

 

"Falar que ama é diferente de sentir. Se ele te amasse não a faria chorar", Scarlett lembrou do que Chris a dissera no restaurante mexicano, aquilo era claramente visível ali, Colin pronunciava a palavra "amo", mas a mulher não via mais nenhum outro sinal que a fizesse ter certeza de que ele realmente sentisse isso.

 

— Eu não sei o que dizer sinceramente... – A loira deu de ombros – Como já falei na mensagem, se me amasse não me trairia... Se me amasse estaria ao meu lado, se me amasse não me daria presentes apenas para tentar encobrir seus erros, se me amasse você iria demonstrar isso e eu teria certeza de seus sentimentos antes mesmo de você dizer com palavras. Mas isso não foi o que você fez Colin Jost, você me machucou. E se hoje eu quero me afastar de você é porque eu preciso juntar meus cacos, tentar colar todos eles...

 

O café e o chá foram trazidos à mesa, a mulher olhou para o copo, mas o nó que se formava em sua garganta a fez desistir de ingerir o líquido.

 

— Não desista da gente... – Ele pediu em um tom suplicante, Scarlett soltou o ar lentamente —Se quiser um tempo, vamos dar um tempo, você pensa melhor e depois nós nos falamos de novo. — Sugeriu ele em uma ultima tentativa.

 

— Você desistiu da gente primeiro Colin... – Ela afirmou, mexia nos anéis nos dedos e ele observou que ela já não usava o anel de compromisso — Eu não acredito que vou dizer isso, mas... Ainda não tenho certeza do que fazer, então eu acho que esse tempo realmente vai ser bom para nós, para eu refletir e saber se colocarei um ponto final nisso tudo ou não.

 

— Você não vai ser arrepender... Não vai mesmo... Nós merecemos uma segunda chance.

 

— Não sei... Veremos. – Duvidou.

 

— Posso fazer uma pergunta? — Pediu um pouco receoso. Scarlett assentiu aguardando. — Como descobriu?.

 

Scarlett abriu um pequeno sorriso amargo e se recostou na cadeira. Como ela tinha descoberto? Na primeira vez tinha sido fácil, uma pequena visitinha sem avisar aos Studios da SNL e ela tinha o pego no camarim com a outra.

 

E daquela vez? Imediatamente uma frase que tinha ouvido no Uber quando voltava para casa depois do fatídico jantar veio em sua mente "Eu sei que você esconde dois celulares"

 

— Da mesma forma que na primeira vez, você relaxou depois de ter me "reconquistado". Um dia você esqueceu seu celular na minha casa e eu já ia pedir para levarem para você mas... — Ela fez uma pausa dramática vendo o quão entretido ele estava por perceber o próprio erro. —  Reparei que não era exatamente o seu celular, o plano de fundo é uma foto nossa e naquele não tinha nada, só um fundo padrão. Eu já ia perguntar para a Amy se era de alguém até que uma mensagem chegou, um e-mail na verdade, "[email protected]" —  Ela tentou evitar, Deus sabe que sim, mas não conseguiu segurar uma leve risada ao lembrar o e-mail que ele utilizava. "a fera"? Sério? Estava mais para gatinho. Um gatinho assustado.

 

— Entendi — Respondeu envergonhado.

 

— Bem, agradeça a... Alicia? Esse era o nome dela? — Perguntou se referindo a garota que mandara a mensagem o convidando para um "passeio" na mesma quinta-feira que ela tinha marcado o jantar com ele. Ele assentiu — Se não fosse por ela não teria marcado o jantar na quinta — Contou surpreendendo o homem a sua frente.

 

— Aquilo foi o que? Um teste? — Ele não estava acreditando no que ouvia. Ela tinha planejado aquilo?

 

— Está se sentindo enganado? — Constatou com um leve tom de felicidade — Foi um teste e, aparentemente, eu não era o seu compromisso mais importante naquele dia — Concluiu se levantando da cadeira  — De qualquer forma, você ainda tem um tempo pra repensar sua lista de prioridade.  — olhando uma última vez, ela se despediu — Tchau Colin.

 

Em passos firmes ela se afastou do café, durante todo o percurso de volta para casa duvidando se havia feito a decisão certa.

 

☆☆☆

 

Era sempre muito difícil deixar as lágrimas de lado naquele momento, ela desistiu de lutar contra elas, permitindo que elas rolassem por suas bochechas. Encarando o teto de sua sala, ela estava deitada no sofá, com as pernas cruzadas e uma das mãos na cabeça.

Depois de algum tempo pensando no que disse e ouviu nos últimos minutos, um barulho seco de algo caindo no chão a fez se assustar, saindo de seu transe. Parecia ter vindo do andar de cima, não era muito alto para ser uma pessoa, mas também não fazia ideia do que poderia ser.

Apreensiva, subiu as escadas lentamente, a primeira porta que entrou foi a de seu quarto, acertando o local da origem do barulho, lá estava o gato branco do vizinho, sobre sua cama. Sorrindo para o felino, Scarlett em seguida olhou para a janela e notou que havia esquecido metade dela aberta, o que foi suficiente para que o fofo animal as entrasse.

 

— Olá Fergus. – A loira se aproximou, acariciando seu pelo, o que o fez fechar os olhos e aninhar a cabeça em sua mão — Fez uma bela bagunça aqui em? – Brincou ao notar que um suporte onde ela pendurava alguns colares estava caído no chão, continuando a acaricia-lo por mais algum tempo até que ele decidiu saltar do colchão e saiu novamente pela janela.

 

Já estava acostumada a receber visitas do animal de estimação da casa ao lado e adorava passar um tempo com ele. Sentia como se tivesse uma ligação forte com o felino.

Se levantando da cama ela recolheu o suporte, em seguida pegando os colares, os pendurando um por um, até que parou em um específico. Uma correntinha dourada com um pingente com a letra S com pequenos diamantes, se lembrava exatamente de quem a havia dado, sorriu ao pensar naqueles momentos que também já haviam acontecido a um bom tempo.

Sentando-se em frente ao notebook na escrivaninha, ela o ligou, abrindo o software que fazia chamadas de vídeo e clicando no perfil que desejava ligar. Esperou por pouco tempo, até que recebeu o aviso de que sua chamada fora aceita e a pessoa apareceu na tela.

 

— A gente sempre perturbando um ao outro não é Evans? – brincou, o vendo sorrir.

 

— Isso porque você me disse ontem: "Achei que só nos falaríamos terça". – ele tentou imitar a voz dela devolvendo a brincadeira e ela riu.

 

— Desculpa, eu não resisti. – ela fez uma expressão como se fosse uma criança que acabou de aprontar algo e fosse flagrada pelos pais — Eu achei algo que acho que você vai lembrar.

 

— Tomara, ultimamente minha memória é de um senhor de noventa e seis anos. – brincou e ela soltou uma gargalhada — Eu devo ter sido congelado feito o Steve.

 

— Idiota. – xingou de brincadeira, enquanto pegava a correntinha na mesa, em seguida a mostrando na câmera — Sabe quem me deu isso?

 

— Você ainda tem ela? – perguntou surpreso, um sorriso de tamanho generoso surgiu em seus lábios.

 

— Claro que eu tenho, nunca vou joga-la fora. – ela também sorriu.

 

— Foi durante as gravações de Diário de Uma Babá que eu te dei isso, né?

 

— Exatamente... – A loira respondeu, parecendo pensar naqueles momentos — Era tudo muito mais simples naquela época né? Sem muitos problemas... Apenas viver...

 

— É, era muito mais fácil... Isso me fez pensar que eu deveria ter te falado naquela época uma coisa... – Evans também parecia pensativo, olhou para um ponto qualquer do quarto, em seguida retornando os olhos nos dela.

 

—Dizer o quê? – Ela questionou curiosa, se aproximando um pouco mais da mesa.

 

— Não lembro exatamente agora... Se eu lembrar algum dia eu te falo...

 

— Ok... –ela franziu o cenho, estranhando — Você me deixou curiosa sabia?

 

— Eu falei que ultimamente estou tendo uma memória de um senhor de noventa e seis anos. – ele repetiu a brincadeira, na tentativa de afastar o assunto — Espera só um minuto, o Dodger estava na varanda e está arranhando a porta pedindo para entrar, vou abrir aqui.

 

— Tá.

 

O loiro saiu da frente da câmera, ela sorria sem ao menos perceber, pensando em como seu dia havia começado péssimo e como havia melhorado após uma simples conversa com Chris. Sempre foi assim, desde o primeiro momento, até os dias atuais.

 

Era ótima aquela cumplicidade que os anos de amizade os trouxera, as piadas internas, as referências e os objetos que acabavam lembrando momentos que compartilharam juntos.

 

— Christopher Robert Evans, espero que você tenha um bom motivo para me tirar nesse frio do conforto do meu trailer. – ela brincou, saindo para fora.

 

— Lindas pantufas. – ele observou, a fazendo rir, dando um leve tapa em seu braço.

 

Ambos estavam instalados em trailers durante as gravações de Diário de Uma Babá e em uma daquelas noites Chris bateu na porta do dela.

 

— Está realmente frio. – ele concordou, esfregando os braços — Mas eu tenho uma coisa para te dar, na verdade ia te dar no fim das gravações, mas eu não aguentei a ansiedade e decidi te dar agora...

 

— Vou te perdoar por me chamar nesse frio só por causa da sua fofura senhor Evans. – ela falou em um tom divertido.

 

— Obrigado. – ele riu levemente — Toma. É para você sempre se lembrar de mim.

 

Ele estendeu a correntinha dourada, com o pingente em forma de S, o que a fez sorrir. Fazendo um sinal para que ela virasse, ele abriu o feixo, o passando por cima de sua cabeça e o fechando novamente. A mulher olhou para o objeto repousado sobre a pele, se virando de frente para ele com uma expressão feliz.

 

— Eu amei! Obrigada Chris... Eu... Eu... — Ela parou um pouco pensativa sobre o que diria em seguida —  Eu nunca me esquecerei de você... — Completou com um sorriso tocando o pingente da correntinha

 

Uma voz fez Scarlett retornar para o momento atual, era Evans, que voltou a se sentar em frente a webcam.

 

— E então, como você está? – ele perguntou, se ajeitando também na cadeira.

 

— Não está sendo meu melhor mês... –A loira lamentou com um tom de voz triste — Ontem a Rose passou mal, hoje falei com Colin... Duas coisas que eu não gostaria que acontecessem.

 

— O quê?! A Rose passou mal?! Ela está bem?! – perguntou preocupado.

 

— Sim, está ótima. Foi só um susto, um mal estar... Obrigada pela preocupação.

 

— Que bom, menos mal... –Ouvir aquilo o tranquilizou — Eu sempre vou me preocupar com vocês. Qualquer coisa eu estou aqui.

 

— Obrigada. – Sorriu agradecida.

 

— Você também disse que falou com o Colin... Está tudo bem? — Perguntou um pouco receoso.

 

— Depois do que aconteceu dificilmente as coisas ficarão bem entre ele e eu. Nós não acabamos o noivado, mas pedi um tempo a ele. Não sei se fiz certo... As vezes penso que deveria ter terminado... Mas sei lá... Só tenho certeza que ele me machucou e ainda dói...

 

Chris odiava ver Scarlett chorar, odiava também Colin por tê-la machucado, tê-la traído. Tudo o que queria naquele momento era estar no mesmo local que ela para podê-la abraçar fortemente e ficar assim por quanto tempo fosse necessário, até que o choro desaparecesse. Seria ótimo achar uma maneira de afastar aqueles tristes pensamentos da mente da loira.

Os olhos do ator percorreram as fotos em sua escrivaninha, vendo ele e sua família em uma delas, ao fundo um lindo dia ensolarado na casa da praia. Era isso! A casa da praia.

 

— Chris... Terra chamando. – Scarlett brincou ao vê-lo disperso.

 

— Oi... – ele riu de leve — Provavelmente você vai achar loucura o convite que vou te fazer.

 

— Contanto que não seja mergulhar com jacarés... – zombou ela.

 

— Tecnicamente tem a parte da água, mas não dos jacarés. – ele respondeu rindo — Bom, sempre que nossa vida estava meio que virando uma bomba atômica, eu e minha família fazíamos uma viagem à casa da praia, lá é meio que nosso refúgio... E levando em conta que nós dois temos duas bombas aqui, que foi o que nossas vidas se transformaram ultimamente e estão prestes prestes a explodir, uma fulga de tudo isso não cairia mal né? Essa semana estaremos ocupados e semana que vem meus pais vão usar a casa, mas na próxima quem sabe nós poderíamos ir...

 

— Deixa eu ver se eu entendi... Você está dizendo para jogarmos tudo para o ar e passarmos um tempo na praia? Você definitivamente enlouqueceu Evans.

 

—Por quê? – Chris a olhou com um ar de riso no rosto.

 

—Porque nós não podemos Chris, não é mais tão simples como quando tínhamos a idade da qual nos conhecemos... Além disso, se viajarmos sozinhos, no dia seguinte vão dizer que estamos tendo um caso.

 

— Deixa que falem. Já falavam isso antes. –Ela sorriu olhando para baixo.

 

— Eu sei, mas sabe como aumentam as coisas... E também tem a Rose, essa semana que vai entrar é a última semana do Romain, ele vai trazê-la na próxima e eu gostaria de estar aqui com ela.

 

—É, realmente... Acho que eu me empolguei na tentativa de tentar te fazer sorrir e espantar essa tristeza que anda sentindo... –Chris comentou, sorrindo de leve —Mas você tem razão, eu lembrei também que tenho algumas reuniões sobre "Entre Facas e Segredos" que estão sem uma data específica, então talvez marquem para algum momento inesperado, melhor esperar.

 

—Mas... Nós não precisamos descartar totalmente... Quem sabe algum dia... Só você mesmo para me fazer entrar em uma loucura dessas.

 

—Eu vou guardar suas palavras em? Algum dia precisamos fazer isso.

 

—Pode guardar... Eu sei que vai insistir nisso em algum outro momento mesmo. –ela zombou, o fazendo rir.

 

—Deveria parar de ler mentes senhorita Johansson. –ironizou.

 

—A sua sorte é que eu tenho alguns emails para responder agora, então vou parar de ler sua mente, se não todos seus segredos viriam a tona senhor Evans. –ela fingiu um tom ameaçador, o vendo rir.

 

—Tudo bem, também tenho alguns para responder aqui... Até as gravações.

 

—Até... Vamos retirar essa bala de você de alguma forma. –ela brincou, se referindo ao enredo da série.

 

—Eu não quero morrer tão cedo, ainda tenho tantos planos. –ele zombou de volta, fazendo um falso drama.

 

Dificilmente conseguiam finalizar uma conversa no primeiro "tchau", então prolongaram a conversa por mais alguns minutos, finalizando a chamada de vídeo após isso.


Notas Finais


O que acharam da decisão de Scarlett? E essa ideia do Chris, teremos praia?

Espero que tenham gostado 🤗
Até semana que vem 🌼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...