História Meu Sol - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Hoseok!apolo, Hoseok!top, Sope, Yoongi!bottom, Yoonseok
Visualizações 113
Palavras 4.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, olha quem voltou? Haha
Boa leitura gente, espero que gostem ❤

[Leiam as notas finais]

Capítulo 2 - Conhecendo Afrodite


Fanfic / Fanfiction Meu Sol - Capítulo 2 - Conhecendo Afrodite

 

 YoonGi acordou e logo notou que estava sozinho na casa, como Jin não estava na cama ao seu lado, o pequeno estranhou um pouco, e logo levantou, circulando pela sala e chamando os nomes dos amigos, sem ser respondido. 

 

 Constatou que os 6 haviam saído e lhe deixado ali, mas haviam deixado um bilhete, que YoonGi logo reparou, estava em cima da mesa e nele dizia que os outros haviam saido pra turistar e depois iriam mergulhar, e que não haviam lhe acordado pois não queriam ser xingados logo pela manhã. 

 

YoonGi preferiu daquela forma, era bom saber que os meninos o conheciam bem, sabia que se fosse no passeio só lhe serviria pra reclamar do sol e do calor. Ele sabia que estava sendo mais um fardo do que outra coisa, cada vez achava mais que não deveria ter ido nas férias com os outros. Ele não se divertia, não passeava com eles, só resmungava e reclamava, sabia também que não estava sendo uma boa companhia, mas não tinha conhecimento do que fazer pra melhorar isso... 

 

 

 [...]

 

 

 Depois de estar devidamente alimentado com carne de cordeiro que havia achado na geladeira, o azulado foi de novo para o quarto. Não conseguia parar de pensar no sonho esquisito que havia tido, em que um cara havia aparecido na varanda da casa que eles estavam alugando, um cara ruivo com um sorriso super brilhante, esse mesmo alegava ser o deus Apolo. Nada daquilo fazia sentido, YoonGi nem ao menos lia coisas relacionado a mitologia... 

 

 O estranho era que ele ainda sentia o toque cálido em sua testa, como se realmente tivesse acontecido... 

 

 — Isso foi tudo apenas um sonho super estranho... – disse para si mesmo, escondendo o rosto no travesseiro, desejando mais que tudo ter seus computador e seus aparelhos ali para conseguir compor alguma coisa. Estava entediado, irritadiço, e só lhe via a mente as cenas tão nítidas do seu suposto sonho, tudo parecendo tão real.. 

 

 YoonGi levantou-se e caminhou até a janela do quarto amplo, que era todo pintado em um tom bege claro. Apoiou seus antebraços na mesma e ficou vendo a vista lá fora. Se voltou pra cima e notou o céu sem nuvens, com aquela bola de fogo enorme brilhando e trazendo-o luminosidade. 

 

— Eu te odeio, sol maldito... – praguejou, bufando. Encarando o ponto ofuscante no céu e piscando com as vistas doendo. 

 

Não entendia como iria se divertir se nem um pouco de sol ele podia pegar, amaldiçoava sua pele sensível por isso. 

 

Então, depois algum tempinho, como se suas palavras tivessem mesmo surtido efeito, nuvens negras começaram a cobrir o céu antes tão limpo. Em questão de poucos minutos começou a trovejar forte, e YoonGi encarava a cena estupefato.. O dia ensolarado estava dando adeus, e um dia chuvoso com muitas nuvens e pouca luminosidade começava a se formar. 

 

— Pelo menos o som da chuva vai me fazer dormir bem.. – YoonGi replicou, dando de ombros pra mudança repentina de tempo, tentando não se importar. Começou a chover forte e então ele fechou as persianas da janela. 

 

 Quando o pequeno virou-se tomou um tremendo susto, atrás dele, o mesmo cara do seu "sonho", estava parado em frente a porta do quarto, lhe encarando com o sorriso mais  radiante da face da terra. Usava uma camisa branca sem estampas e outro par de jeans claros. Seus cabelos estavam em um bagunçado natural bonito, e YoonGi perguntou se ele estava alucinando.. 

 

— Não Yoonie, você não está alucinando...  – HoSeok falou de repente, fazendo o Min arregalar os olhos, sem reação. 

 

— C-como você sabe o que eu estava pensando? – YoonGi gaguejou. — E como entrou aqui? – terminou de questionar o ruivo, sentindo um friozinho se aconchegar na boca do seu estômago. 

 

— Poxa, as portas não estavam trancadas, baixinho, deveria cuida-las melhor.. – Sorriu amplo, ignorando a outra pergunta. — Eu apenas transportei uma parte da minha essência pra cá. – respondeu simples, servindo apenas para aumentar o nó na mente do menor.  — Na verdade foi a maioria dela, por isso o tempo ficou assim... 

 

— Porque você não para de falar essas bobagens e me fala que tipo de maluco você é! – YoonGi bradou, falando alterado. Estava começando a perder a paciência com aquela situação, também estava começando a achar que o único louco ali era ele mesmo, um pouco totalmente alucinado.  

 

— Eu sei que ontem eu sai sem explicações, mas meu pai Zeus havia me chamado para o Olimpo, ele me xingaria se soubesse que estou me comunicando com algum mortal. — explicou o ruivo. Caminhando até a cama do Min e sentando-se, enquanto o fitava. 

 

— Ele acha que como seres divinos e imortais dar importâncias a mero mortais sem poderes como vocês é perda de tempo.. – mostrou um pequeno sorriso de escanteio. — Eu totalmente discordo, sabe? Eu realmente gosto de me envolver com vocês, humanos, ainda mais se for com alguém interessante como você, YoonGi. 

 

 Nessa hora as bochechas clarinhas do Min se tornaram quentes, pela vergonha de tal fala. Só que ele não entendia nada daquilo, muito menos como ele poderia se mostrar interessante para alguém, ainda mais um "deus todo poderoso" que aquele cara insistia em se intitular. 

 

— S-supondo que você seja mesmo esse tal deus, e que mitologia existe, por qual motivo me acharia interessante?  — indagou, procurando algum sentindo que na sua cabeça não existia. — Eu até mesmo odeio o sol, e você é supostamente o deus do sol, não é? Então eu te odiaria também, não tem porque gostar de mim. 

 

— Mas eu gosto de você exatamente por isso. – respondeu, simplório. — Eu gosto do seu aparente ódio contra o meu trabalho e o que eu represento. Também gosto do seu amor incondicional pela música, gosto do jeito como fica tão concentrado enquanto compõe. Você forma um bico tão fofo nos lábios, também gosto de te ver irritadinho por ter a pele sensível aos raios solares e não poder se expor a claridade, gosto de você, YoonGi. 

 

 HoSeok foi se aproximando do Min, que tencionou todo o seu corpo, com o coração pra lá de acelerado, estava mais envergonhado do que anteriormente. Aquilo era surreal pra cassete, mas ao mesmo tempo aquele cara - pra não dizer um deus imortal - sabia vários fatos sobre a sua vida, coisas que só realmente próximas e que lhe conheciam poderiam saber. Era como se ele realmente cuidasse seus passos. 

 

— Hey Yoonie, olha pra mim.. – murmurou o deus, com  voz aveludada e rouca. Pegou no queixo redondinho do Min com o polegar e o indicador e fez este olha-lo, ainda sem reação. — Você é interessante e muito singular, e com certeza não sou o único a enxergar tal coisa.

 

YoonGi queria desviar o olhar daqueles orbes  bonitos, intensos, porém não conseguia. O toque em sua pele era sútil e ao mesmo tempo firme. 

 

 Eram tantas informações diferentes para processar em apenas um curto período de tempo. Estava começando a levar as coisas que o desconhecido dizia mais a sério. Não sabia se deveria teme-lo, manda-lo embora e fingir que nada daquilo havia de fato acontecido, ou simplesmente continuar ouvindo tudo o que este dizia, e tentar entender porque tinha um deus super poderoso em seu quarto e os motivos dele gastar o tempo consigo. Tentar compreender o que ele queria de fato consigo. 

 

— M-me solta, seu estranho... – YoonGi murmurou baixinho, com a voz falhada. O deus logo soltou seu queixo, o olhando compadecido. 

 

— Eu sei que é muita coisa pra você entender e processar em um período de tempo curto demais. – disse, olhando o pequeno, e transmitindo seu próprio calor natural para o corpo alheio, que estava próximo do seu. 

 

— Eu só quero o seu bem, Min. Quero te mostrar os aspectos positivos de um sol que brilha intensamente, quero te fazer realmente viver e aproveitar os momentos. — afagou os fios azuis com calma. — Eu sei que é difícil lidar com o fato de que  deuses Olimpianos e tudo isso é real. Que estamos mesmos sobre suas cabeças, no Olimpo, vivendo a milênios... — respirou fundo. — Porém não tema nada disso, não fazemos mal a vocês, sempre estamos ocupados em nosso próprio mundinho divino, na verdade a maioria de nós nem liga pra mortais. 

 

— E-então você não deveria ligar pra mim, não deveria perder seu tempo divino com alguém como eu.  – YoonGi finalizou a sentença, se afastando da presença ofuscante e radiante do outro. — Eu estou pedindo que por favor, você me deixe sozinho. E-eu não consigo lidar com você, agora.. – a voz do azulado saia fraca, ele estava zonzo, com o estomago embrulhado.

 

Praticamente um deus imortal estava blefando consigo, e falando sobre si de maneira como nenhum homem falara antes. Sem contar que -supostamente-  existiam mais criaturas superpoderosas e divinas por ai. 

 

Nesse meio tempo eles ouviram vozes chegando pela porta da frente, tornando evidente que os meninos haviam voltado, muito provavelmente pelo mal tempo que havia estragado seus planos. 

 

— YoonGi tu ainda 'tá dormindo? – Jin murmurou, se aproximando do quarto que eles compartilhavam.

 

 O Min se assustou e fitou o deus com os olhos arregalados, murmurando vários "vá embora, ele não pode te ver".  HoSeok apenas soltou mais algum de seus sorrisos apaixonantes e desfez-se em luz, num radiante ponto brilhante que quase cegou o pequeno, obrigando este a fechar as pálpebras fortemente. No instante seguinte ao abrir os olhos novamente, o ruivo havia se ido. 

 

— O que 'tá fazendo ainda nesse quarto? Eu e os meninos vamos ao shopping local e depois em uma boate famosa por aqui e você vai junto...  — Jin anunciou, puxando o menor pelo pulso, tirando-o do quarto, enquanto ele estava ainda muito atônico para protestar sobre isso. 

 

— Então o querido urso polar finalmente resolveu parar com a hibernação? – indagou TaeHyung, tendo a cintura enlaçada por Jimin, que apoiava o rosto em seu ombro. 

 

YoonGi se forçou a olhar pra eles, e em seguida se deu conta do que estava acontecendo. Sacudiu a cabeça e tentou afastar os pensamentos que sempre iam em direção ao ruivo misterioso. 

 

— Eu não me lembro de ter concordado em sair com vocês.. – resmungou, como de costume de modo rabugento, vendo Jimin revirar os olho, sem paciência já pra lidar com o hyung teimoso. 

 

— Não mesmo, mas você 'tá vendo alguma merda de sol naquele céu? Eu só vejo um bando de nuvens e chuva. — Jimin resmungou, revirando os olhos. — O sol está escondido e ofuscado, ele não vai te fazer nenhum mal, para de agir como se fosse de açúcar, não tem desculpa pra você não ir.

 

YoonGi ficou sem respostas. Mordiscou fortemente seus lábios rosas e novamente se pegou pensando no que HoSeok havia dito. Que o tempo havia ficado daquela forma pois estava ele gastando a maior parte de sua essência em lhe dar atenção, não sabia direito o que aquilo poderia significar, mas se sentia constrangido por tal coisa. Afinal, era um baita de um efeito colateral aquele, como se ele tivesse tido o poder de mudar o tempo realmente... 

 

— T-tanto faz.. – inflou as bochechas, corado. Rezando para os outros ali presentes não notassem que do nada ele pareceu ficar sem jeito. 

 

— Ótimo, então vai se arrumar logo! – NamJoon exclamou, pegando a conversa no final. Já JungKook parecia muito concentrado em seu PS vyta, jogando algum jogo, ocupado para prestar atenção em si. 

 

 

 

[...]

 

 

 YoonGi estava sendo literalmente arrastado pelo shopping  com Jin grudado em si, fazendo questão de apontar tudo que e achava bonito e queria comprar - ou seja, metade do shopping -. Por sorte o moreno alto era rico, então poderia comprar realmente o que quisesse. 

 

— Vai seu chato, escolhe alguma coisa que o hyung Jin vai comprar pra você! – Jin exclamou eufórico. Enquanto eles passavam por uma série de lojas, separados dos outros meninos. 

 

— Eu já disse que eu não quero nada.. – YoonGi resmungou de volta, sem interesse em fazer compras, até porque ele odiava ter que comprar, ainda mais quando achava que não havia necessidade. 

 

 Eles passaram por uma certa loja que chamou atenção do Min. Era uma loja de instrumentos, no canto da vitrine havia uma lira exatamente igual a que estava nas mãos do deus na madrugada anterior, isso o chamou atenção e quando se deu conta ele já estava correndo até a frente do estabelecimento, sem lembrar que Jin estava o acompanhando. 

 

— Espera ai mocinho! – Jin falou alto. Se aproximando de onde o Min estava. — Você quer aquela lira? Não sabia que gostava de instrumentos mais clássicos... — terminou de dizer, fitando o menor que parecia hipnotizado ao cuidar o instrumento. 

 

— N-não eu, eu não quero, s-só fiquei curioso... — desconversou, tirando a atenção da lira, se afastando e começando a caminhar a frente de Jin, com as bochechas coradas. 

 

— UH, então tá, vamos encontrar os outros meninos... – Jin respondeu, tentando ignorar a atitude super estranha do amigo. Sabia que ele havia se interessado no instrumento, só não entendia o motivo de tentar esconder aquilo, decidiu enfim não pensar muito sobre isso. 

 

 

[....]

 

Acabaram que os 6 saíram do shopping local com várias sacolas e roupas com estampas do Havaí. YoonGi era o único sem nada, ainda sim Jin havia comprado uma camisa pra ele onde dizia "Aloha" bem grande, com estampas florais, bem feias - diga-se de passagem- e o azulado duvidava que se submeteria a usar aquilo. 

 

— Temos só mais 5 dias aqui, e então voltamos para Seul, devemos aproveitar.. – TaeHyung dizia, enquanto eles subiam na minivan de Jin havia alugado especialmente pra passeios com os amigos. 

 

— Sim, pelo menos o tempo melhorou agora. — constatou o mais novo do grupo, estava sentado ao fundo do veiculo, com Jimin e TaeHyung.  

 

— Yeah! Vamos aproveitar bastante a balada hoje. – Jin bateu palminhas, animado. Estava sentado ao lado de NamJoon, no volante e o outro no carona, enquanto o Min sentava atrás deles e na frente dos outros 3, em um banco sozinho. — Mas eu não quero bancar a babá de ninguém, portanto não bebam demais.

 

— Como se você não fosse um dos que mais bebe entre a gente, hyung. — retrucou o Min, apoiando sua cabeça na janela e fechando os olhos, colocando seus fones de ouvido, e acabando por cochilar  durante os 20 minutos restantes que levariam até chegar a propriedade. 

 

 

[....]

 

 

 

Estavam os 6 prontos para irem pra a tal balada. Min estava vestido com calça preta, jeans super justos, com rasgos nos joelhos, uma camisa listrada preta com vermelho e suspensórios.  

 

Ainda se encontrava meio rabugento por ter de sair a uma festa, onde veria pessoas -particularmente o azulado não gostava das mesmas-, e também teria música muito alta que fariam  seus ouvidos doerem, por retumbarem em seu cérebro. Isso tudo não lhe parecia muito reconfortante.

 

YoonGi também levava em conta que ele poderia ser um lunático, que começara a ver e presenciar coisas sem explicação, como ver alguém de transformar em luz... Mesmo assim ele temia ainda mais a ideia de toda essa loucura ser real, e que de fato exista mesmo um deus imortal em sua cola. 

 

"Reconfortante" 

 

Pensou irônico. Logo ouvindo os chamados de Jin do outro lado do quarto, pedindo para que ele saísse logo dali, já que eles queriam sair logo. 

 

— E ai ser mais rabugento da vida do hyuuung, melhorou seu humor?  – Jin perguntou, apertando as bochechas do Min e fazendo este criar um biquinho fofo no rosto - mesmo que forçado.- 

 

— Se você não me soltar agora eu juro que zero suas possibilidades de ter filhos.. – soltou com a fala soando estranha, parecendo um peixinho por estar tendo suas bochechas sendo esmagadas pelas mãos grandes do mais velho. 

 

— Credo YoonGi, nem pra ser grosso no bom sentido... – Jin respondeu-lhe, soltando suas bochechas agora avermelhadas. 

 

— Vou fingir que não ouvi isso.. – falou NamJoon, tapando os ouvidos e fazendo uma careta de escárnio. 

 

— Que seja galera, vamos logo... – JungKook se pronunciou, tomando a frente e saindo pela porta, seguido por Jimin e TaeHyung.

 

O Min apenas praguejou baixinho, sem ter muita escolhas a seguir, apenas indk atrás dos outros. 

 

 

 

[...]

 

 

 O nome da boate era "Hawaii Passion" o que na visão do azulado não poderia significar coisa boa.

 

 Os 6 saíram da minivan e YoonGi ficou notando como aquelas luzes chamativas poderiam cegar qualquer um com a visão mais sensível. A musica já era escutada pelo lado de fora e não era nada mais que uma batida que retumbava e não tinha letra alguma.. 

 

— Vou me divertir muito enchendo a cara no barzinho e fingindo que não conheço vocês se alguém perguntar quem são... –  o Min falou, caminhando a frente, ouvindo o Jin reclamar que não era pra ele beber demais, e logo mostrando sua identidade pro enorme segurança na entrada da boate.

 

Aquele amontoado de corpos suados que se sacudiam conforme a música quase lhe fizeram ter uma vertigem. Algumas pessoas se esfregavam, outras riam e tomavam drinks coloridos, outras se beijavam explicitamente e YoonGi odiou tudo aquilo. 

Seu pensamento era apenas um: beber, esquecer de tudo que havia acontecido desde o outro dia, e o mais importante, esquecer HoSeok. 

 

— Ótimo, ali estar o bar.. – constatou, passando pelas pessoas e até mesmo esbarrando em algumas duas sem pedir desculpas. 

 

Foi até lá e pediu o licor mais forte que tinha pro barman e este o atendeu com um sorriso de canto envolvendo os lábios. 

 

— Não te aconselharia este, bebe, deixa até o mais resistente de nossos clientes bêbados com apenas algumas doses... – piscou para o Min, que notou como o cara era envolto por braços fortes com bíceps que dariam mais que o triplo de grossuras dos seus. 

 

— Não sou bebe, só me sirva logo e pare de falar.. – retrucou afiado, fazendo o barman sorrir ainda mais e ir preparar a bebida. 

 

"Cara chato" pensou YoonGi. Logo apos alguns minutinhos sua bebida estava pronta e tinha um tom azulado parecido com os seus cabelos, parecia ser docinha e convidativa, mas ao por o canudo nos lábios delicados e sugar o conteúdo o baixinho fez uma careta totalmente desgostosa. Aquilo lá era extremamente forte e amargo, havia descido pela sua garganta queimando, parecia queimar ele todo, na verdade. 

 

— Que droga é essa... – resmungou, descontente, botando sua língua rosada para fora e soltando o ar pela boca, tentando aliviar a queimação presente. 

 

— Vejo que não teve um bom momento com a sua bebida.. – falou uma voz aconchegante e suave, ao seu lado. 

 

Estranhamente aquela voz fizera o Min arrepiar seus poucos pelinhos presentes no corpo, e ele sentia-se de alguma forma intimidando. Virou-se para seu lado esquerdo, de onde a voz vinha e notou ali o homem mais bonito a qual já pregara os seus olhos, tudo nele era assimétrico e perfeito, e ele exalava sensualidade. 

 

— Eu sou o Eunwoo, e como você se chama, gracinha? – perguntou o estranho extremamente bonito. Ele fitava o Min fundo nos olhos e mesmo com a pergunta casual, algo naquele cara deixava o Min desconcertado. 

 

— Y-YoonGi... – o pequeno se praguejou internamente por sua voz ter sair gaguejada, e suas bochechas logo tomaram um tom carmesim.

 

 Não entendia porque estava se portando como um maldito adolescente virgem, se aquele era só mais um cara -portador de uma beleza surreal-, mas mesmo assim, só mais alguém com quem ele deveria agir de modo grosseiro, como de costume, até faze-lo perder o interesse, no entanto  algo lhe impedia.

 

— Que nome bonito, combina com seu portador... – o tal Eunwoo falou de modo sedutor, piscando um olho para o Min que estava ainda mais corado. 

 

— Então YoonGi, porque alguém bonito como você estava aqui bebendo sozinho? – continuou o de cabelos negrumes. 

Ele usava uma camisa social cor sangue e seus lábios eram naturalmente avermelhados, também tinha traços asiáticos e falava coreano, fato que agora o Min também observara. 

 

— Porque eu quis assim... – o Min respondeu, tentando recuperar um pouco da sua compostura, pelo menos não havia gaguejado.  — Você também é coreano? – fez a pergunta, meio cauteloso.

 

— Pode se dizer que sim... – o de camisa avermelhada respondeu. — Aceita dançar com este humilde cavalheiro? – perguntou o rapaz extremamente belo, estendendo sua mão para o Min, que após hesitar durante um tempo, acabou aceitando. 

 

— F-faz bastante tempo que eu não danço.... – o Min tinha as bochechas róseas, queria achar que era pela bebida, mas sabia que não. — Não sei muito bem como fazer isso mais... 

 

— Eu te guio, YoonGi, sei que vai se sair bem... – Eunwoo entrelaçou ambas as mãos, transmitindo tranquilidade para YoonGi.

 

Os dois levantaram dos bancos e iriam até o meio da pista de dança, mas foram parados por uma forte presença que bloqueou a frente deles. 

 

Era HoSeok..

 

YoonGi de prontidão o reconheceu. Este usava uma camisa amarela clara, com uma estampa da banda Nirvana. Jeans costumeiramente claros também, e coturnos marrons. Seu rosto ao contrário de quase sempre, estava  com um semblante sério. YoonGi teve de constatar que ele era mesmo de tirar o fôlego. 

 

Sua mão entrelaçada com a do desconhecido começara a pesar, de alguma forma ele sentiu-se mal por HoSeok estar vendo aquilo, só não entendia o porque. 

 

— Apolo, o que faz aqui? –  a voz do rapaz que ainda segurava sua mão perguntou. 

 

— Eu  que te pergunto Afrodite, porque você está aqui e com o YoonGi? Como sabe sobre ele? – a voz do ruivo saia altiva e séria, até um tanto irritada. Mesmo em meio a batida e música alta YoonGi estranhamente conseguia entender com clareza tudo o que diziam, como se suas vozes se sobressaíssem ao barulho. 

 

O Min estava em uma confusão de pensamentos, largou a mão do tal desconhecido, e ficou sem saber o que fazer. Como eles sabiam um sobre o outro e os chamavam por nomes de deuses da mitologia? Como aquele cara poderia ser a deusa da beleza Afrodite..? Supostamente uma "mulher"? 

 

Então as coisas começaram a fazer sentido em sua cabeça. O jeito que a beleza do tal Eunwoo parecia se destacar e desconcertado qualquer um. O modo como o Min ficou sem reação e oralmente sem jeito perto dele. O modo como ele agia, falava, era tudo beirando ao sensual, ao belo, e ao irresistível. Isso malditamente fazia muito sentido. 

 

— Não seja tolo, solzinho, não é segredo pra ninguém a sua fascinação por mortais.. – sorriu Afrodite. — Eu só queria conhecer a causa de sua distração, ele é mesmo uma graça...  – se voltou para o Min, que recuou para longe de si. 

 

— Eu quero que você fique longe dele, ele já tem coisa demais pra assimilar e você não tem o direito de brincar com ele como bem entender. – HoSeok ainda falava de modo sério em um tom que fizera o pequeno azulado estremecer. Nunca havia visto e de tal forma. 

 

— Como eu amo o amor! Fazia tempo que eu não te via tão obcecado em um mero mortal, isso é fofo, certo? – a tal deusa ainda no seu disfarce mortal, bateu palmas, como se estivesse empolgada. 

 

— Será quase impossível de Zeus não descobrir sobre isso, espero que esteja pronto para sua punição. 

 

— Meu pai tem coisas mais importantes pra se preocupar... – retrucou o deus do sol, ainda com chamas claras banhando seus orbes  escuros. 

 

YoonGi encarava a pequena discussão divina totalmente amedrontado. Parecia que o ruivo iria incinerar a deusa a qualquer momento. 

 

— Ultimamente as coisas andam tão entediantes no Olimpo que até um romance entre um deus e um mortal seria motivo plausível para se levar a sério. 

 

— E-eu não tem nenhum romance entre nós! – YoonGi finalmente teve coragem para se pronunciar. Fazendo os deuses o fitarem.

 

— Não quero pensar que tudo isso seja algo além de maluquice em conjunto, de qualquer forma, eu e H-ho.. Apolo não temos nada, nem o conheço direito. – terminou de falar, querendo fugir logo dali e deixar os dois pra trás. 

 

— Você não me conhece, mas eu te conheço, YoonGi.. – o deus respondeu com a voz mais amena, fitando o pequeno e querendo fortemente o abraçar por vê-lo assustado. 

 

— Enfim, eu vou deixar os pombinhos em paz, sou totalmente a favor do amor! Até rapazes... – Afrodite exclamou, dando as costas para eles e simplesmente desaparecendo em meio a multidão. 

 

— Pelo menos ela optou pela saída discreta, normalmente não é desse modo.. – O deus do sol observou, mas logo foi até mais perto do Min, que recuou pra longe de si.

 

— Suponho que agora você acredite em mim... – Apolo observou. 

 

— O que você está fazendo com a minha vida, HoSeok? Porque me trouxe pra tudo isso? Eu nunca pedi pra conhecer um deus imortal super poderoso e muito menos, mais de um deus! 

 

— YoonGi para, tá tudo bem. Eu já disse que não vou te fazer mal, confie em mim.. – HoSeok se aproximou do azulado, o tomando em um abraço apertado e fazendo o rostinho do Min bater em seu peito.

 

— Eu nem ao menos sei quem você é de verdade, por fora de todos os mitos... — fungou contra o peitoral quentinho do maior, a qual ele não conseguia recuar. — Eu sou só mais uma pessoa qualquer, alguém sem atrativos que vive de música e se esforça pra pagar o aluguel todo mês. 

 

— Não YoonGi, você é bem mais que isso, e eu vou te fazer enxergar o quão bom você é ...


Notas Finais


E então, o que estão achando?
Vou explicar algumas coisas...

* O tempo mudou pois HoSeok é encarregado de ser o sol, de fazer ele brilhar no céu e trazer calor...
* Como o tempo mudou significa que ele não estava dando atenção ao seu trabalho como deveria. Ou seja, como ele não é um ser necessário "físico". Ele transferiu a maior parte da essência divina dele pra dar atenção ao YoonGi, então mesmo que ele possa estar em vários lugares ao mesmo tempo a sua atenção estava principalmente concentrada no YoonGi...
* Os deuses podem assumir a forma que eles quiserem, por isso Afrodite conseguiu se tranformar em um belo rapaz (já que tbm o Yoon é gay e assim seria mais fácil de "encantar" ele).

Qualquer coisa me perguntem <3...
Comentem o que estão achando, um beijãooo ❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...