História Meu Sol - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Hoseok!apolo, Hoseok!top, Sope, Yoongi!bottom, Yoonseok
Visualizações 142
Palavras 3.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi genteee...

Terminei o capítulo agorinha e me desculpa pela demora maior que o usual.. y.y

Boa leitura 💖
[LEIAM NAS NOTAS FINAIS]

Capítulo 4 - Karaokê


Fanfic / Fanfiction Meu Sol - Capítulo 4 - Karaokê

 

As mãos bonitas do azulado pareciam se encaixar muito bem nas mãos de dedos finos e longos, do deus do sol. Junto ao contraste bonito de pele com pele, uma clarinha e outra mais amorenada. 

 

HoSeok estava sentindo que aos pouco de fato estava conquistando a confiança de YoonGi. Estava conseguindo participar ativamente de sua vida, como sempre havia almejado e as coisas se encaminhavam para o lado certo, de alguma forma. 

 

Estava satisfeito consigo mesmo só por convence-lo a fazer algo que nunca lhe fora parte de seu cotidiano. Que ele sempre julgou como ruim.

 

— Só pra avisar que eu vou gravar todo a sua  cantoria YoonGi. – avisou HoSeok, enquanto o ruivo os levava até o local do karaokê. 

 

— E você tem celular desde quando? Alguém velho como você nem deve saber o que é um... – YoonGi retrucou de modo afiado, tentando não se importar com o fato de que ainda tinha sua mão entrelaçada com a do deus e que aquele contato lhe transmitia vibrações boas. 

 

— Isso não é verdade, claro que eu tenho um celular e ele ainda é de última geração.  – HoSeok retrucara, puxando de seu bolso um IPhone 7plus, mostrando ele ao Min. — Eu sempre estou por dentro de tecnologia de vocês, mortais, acho fascinante como as coisas sempre vão evoluindo gradativamente. — explicou. 

 

 YoonGi achou bizarra a ideia de um deus possuir um celular, que tipo de contato ele teria salvo lá? Outros deuses, seres mitológicos, monstros como nos mitos? Esse última alternativa fazendo o pequeno se arrepiar. Mas afinal, logo descartou a ideia, porque monstros teriam a porra de um celular?!

 

— Eu uso ele pra me comunicar com o pessoal do Olimpo quando não posso teletransportar minha essência até lá.  – HoSeok continuou explicando, como se tivesse de novo lido os pensamentos de YoonGi, porém daquela vez ele realmente não usara nenhum poder, apenas a velha e boa dedução mesmo. 

 

— Vou fingir que você não está lendo a minha mente. – YoonGi retrucou, irônico. Porém de alguma sabia que HoSeok não quebraria a sua palavra. 

 

— E eu vou fingir que você não sabe que eu não estou. – HoSeok respondeu de volta, encarando o menor e arqueando uma sobrancelha, fazendo este corar e desviar o olhar, de repente sentindo sua palma bastante suada junto a do ruivo, mas mesmo assim, não a soltou. 

 

— Parece que nos chegamos a espelunca! – YoonGi comentou, notando que haviam chegado até o tal karaokê. Não parecia ser tão diferentes dos karaokês coreanos. 

 

— Não chame de espelunca Yoonie, você nunca ao menos veio aqui. – o ruivo lhe respondeu, enquanto uma porta de vidro se abria automaticamente e então eles entraram. 

 

Passaram por algumas decorações estilo havaiano, com flores decorando as paredes. Foram recepcionados por uma moça ocidental que os levou até uma sala. E então ao entrarem haviam luzes piscando por todos os lados, luzes coloridas. Também havia uma grande televisão e alguns microfones para cantar. Junto a uma mesinha e um estofado para sentar.  Por último notaram que também tinha alguns chocalhos pra ajudar a dar barulho no ambiente, num clima de diversão que seria um bom tempo para passar com os amigos. 

 

— Parece que os karaokês são iguais em todos os lugares.. – o Min observou. Familiarizado com tal ambiente -mesmo que não de uma forma muito agradável.- 

 

— Podem ser iguais, mas o que acontecerá dentro deste será diferente do que aconteceu dentro de outros karaokês onde você já esteve. – HoSeok o olhou, sorrindo de canto. Sempre com a resposta na ponta da língua. 

 

E YoonGi se pegava pensando em como aquilo era possível. Pra tudo que YoonGi dizia, o ruivo SEMPRE tinha alguma resposta para confronta-lo. Erra irritante. 

 

— Veremos solzinho, não fique tão confiante.. – O Min respondeu de volta. Indo de sentar no estofado longo do local, perto da mesinha, pegando um dos chocalhos nas mãos. 

 

Mal sabia que para HoSeok falar para ele não ser tão confiante era a mesma coisa que dizer para o azulado não ser pessimista, realmente algo muito improvável de se acontecer. 

 

— Então eu começo, certo?  – o ruivo se pronunciou, ganhando a atenção do Min, que parecia entediado, fuçando no chocalho colorido em sua mão.  — Fique a vontade, encarnação da Whitney Houston. – YoonGi satirizou, vendo que aquela seria uma longa e torturante noite. 

 

E então o ruivo, atendendo ao sarcasmo do azulado, pegou o controle e procurou por músicas da Whitney. Selecionando a clássica "Will Always Love You". 

 

— Veja o puro talento YoonGi... – HoSeok anunciou, bastante confiante.

 

YoonGi estava concentrado em observar os gestos de HoSeok, como ele fechava os olhos e se empenhava em cantar a parte lenta, com uma voz grossa, porém suave, não era ruim. 

 

Ele estava encarnando a própria cantora ao fechar seus olhos e entonar toda a emoção na voz, fazendo alguns gestos com a mão em direção ao azulado, que apenas arqueava as sobrancelhas confuso, como se dissesse, "é mesmo comigo?". 

 

YoonGi não estava mesmo achando a voz de HoSeok ruim, até estava se envolvendo com toda a comoção transmitida em sua voz, porém isso não durou muito...

 

— I WILL ALWAAAAAYS LOVE YOOOU...... – HoSeok praticamente berrara as palavras, de modo extremamente alto, e totalmente desafinado. 

 

Parecia como um animal que estava prestes a ir para o abate e gritava, lutando por sua vida. YoonGi se achou completamente sortudo por não ter seus tímpanos estourados. 

 

— PUTA QUE PARIU NUNCA OUVI ALGO TÃO RUIM NA VIDAAA.... – YoonGi reclamou, falando o mais alto que conseguia, tentando sobressair  a sua própria voz daquele loop infinito do refrão que HoSeok não parava de cantar. 

 

E então, visto que reclamações eram em vão, o Min levou as mãos até os ouvidos, tentando de alguma forma protege-los, com uma careta de desgosto na face. Ficou encarando as expressões engraçadas que HoSeok fazia ao cantar, como ele era expressivo e apontava para si. Como se estivesse dizendo que amaria o pequeno para sempre... Tal pensando fez YoonGi se ruborizar, mas logo tentando afastar isso da cabeça. 

 

Afinal, a ideia de HoSeok sentir algo amoroso pelo Min era tão absurda quanto a ideia de Supernatural parar der ser lançado. Ambos muito improváveis, não é?

 

Afinal, HoSeok não tinha nenhum interesse real em si, para o azulado ele só estava entediado em sua vidinha como deus super poderoso, afinal o quão chato seria ser imortal, divino e dono do sol? (observem a ironia ai).

 

— YoonGi, pare com a inveja, eu sempre fui o cantor oficial no Olimpo, em todas as celebrações! – HoSeok respondeu em tom de brincadeira, ao terminar de cantar a música. 

 

E então a tela começou a computar o seus pontos e no final um incrível "100" brilhou em números grandes e destacados. Pontuação perfeita. 

 

YoonGi não quis acreditar, como aquela tortura sonora que ele chamava de canto poderia ter alcançado um 100?

 

O pequeno levantou de seu lugar com os braços cruzados sob o peito, como se estivesse ultrajado e se aproximou de HoSeok, ficando cara a cara consigo. 

 

— Pensei que você fosse o deus da música, mas você não canta porra nenhuma, Seokie. Estava bem desafinado – o pequeno comentou de modo afrontoso, olhando bem nos orbes escuros do ruivo e semicerrando os olhinhos. 

 

— E mesmo assim eu atingi pontuação máxima, legal, não é? – o Jung respondeu de imediato, lançando um mega sorriso cheio de dentes para o serzinho tão teimoso,  que teve vontade de socar o seu sorriso cheio de dentões assimétricos. — E além do mais, eu sou deus da música, não da afinação. 

 

Nesse momento as bochechas do Min ficaram rubras pela irritação e pela vergonha. Quem aquele atrevido pensava que era? – além de ser uma divindade imortal e muito antiga, é claro.- Ainda assim HoSeok continuava muito egocêntrico e cheio de si, em sua visão. 

 

Mal sabia o pequeno Min que HoSeok queria apenas deixa-lo mais a vontade consigo mesmo, com o intuito de fazer ele apreciar mais os karaokês. Mostrando que para se divertir em tal ambiente não precisava necessariamente saber cantar bem. 

 

— Até eu canto melhor que você, pode esperar o meu show sentadinho lá — apontou para o sofá. — Ou de pé ai mesmo! – YoonGi falou, cheio de uma nova confiança adquirida. 

 

Se HoSeok era a nova Whitney ele seria a própria Madonna. Foi até o controle e procurou alguma música da rainha do pop, até achar uma particularmente interessante. "Ray of Light", clicou na música e logo HoSeok não tardou em se pronunciar. 

 

— É uma homenagem pra mim, não é? – falou convencido, ao assimilar o nome da música. "Raio de luz". Só poderia ser sobre si... 

 

— C-claro que não, agora fique quieto! – YoonGi rebateu. Na verdade ele não havia se dado conta da tradução do nome da música, e agora que HoSeok enfatizara o fato havia lhe deixado com vergonha. 

 

— Zephyr in the sky at night, i wonder... – YoonGi cantarolava, em uma voz baixa e rouca. Num inglês meio embolado, não conseguindo acompanhar direito as palavras na tela. 

 

"Da próxima vez me lembre de fazer algum cursinho de inglês" Pensou consigo mesmo, com as bochechas naquele mesmo tom de vermelho que não debandavam de si. 

 

Ele começou a bater o pé no chão ritmicamente junto a cabeça, tentando esvaziar sua mente do micao que estava pagando diretamente e sem parcelas.

 

E então o refrão veio, junto as explosões de gargalhadas do ruivo. 

 

Se HoSeok parecia um animal indo para o abate o Min parecia uma Quimera¹ pronta pra dar o bote e assassinar sua membrana timpânica com suas garras afiadas. -uma comparação muito útil na visão do ruivo.-

 

— AND I FEEL, LIKE I JUST GOT HOME, AND I FEEEL... – YoonGi cantava de uma forma totalmente fina e alta, extremamente alta. Diferente de sua voz notoriamente mais rouca e grossa em estado normal. 

 

Os níveis de decibéis não eram as únicas coisas elevadas ali, também havia toda a sua empolgação sobre-humana de mais para um simples mortal. 

 

"Ótimo, pelo menos ele substituiu a carranca por uma careta desesperada enquanto aperta os olhinhos e escancara a boca, cantando na maior linha quebrador de taças possível."  Pensara o mais alto, totalmente orgulhoso de si e de YoonGi por estar deixando-se envolver pelo clima. Mesmo assim, não deixava de ser muito engraçado, o que o fazia rir aos montes. Sua barriga doeria de tanto rir caso sentisse dor. 

 

— E então, eu fui ótimo não é?  – YoonGi falou empolgado e alto. Virando-se para o maior que estava em pé ao seu lado e tentando regular a respiração ofegante pelo esforço em cantar como se não houvesse amanhã. 

 

E talvez realmente não houvesse, já ouviram essa música do Legião, certo? (uma pena que o Min não conhece nenhuma música brasileira.)

 

— Foi ótimo pra dar a sensação de que minha audição estava morrendo aos poucos. – HoSeok respondeu sincero, sem ironia. O agudo do Min havia atingido fundo em sua cabeça e retumbado lá com afinco. — Corpos humanos são frágeis. – lamentou-se, encarando um Min que exibia um belo biquinho chateado no rosto. 

 

— Vai se catar  HoSeok. Eu não quero mais cantar nessa porra! – reclamou o Min, totalmente emburrado.

 

HoSeok se perguntou o que ele poderia ter feito de errado, e então ele acompanhou o olhar do pequeno para o televisor e nela exibia um belo "99" em números grandes e chamativos. 

 

YoonGi havia perdido, perdido! Por 1 ponto! Havia dado tudo de si e mesmo assim não lhe fora suficiente, como  aquilo não poderia soar ultrajante?!

 

— Não, não, não! Isso é roubo né? Você falou que não ia usar os poderes HoSeok! – YoonGi olhou para HoSeok pronto para pular em seu pescoço e esgana-lo até fazer ele cantar "Último Suspiro". Porém algo lhe impediu, e isto era a cara de HoSeok como se estivesse sido ofendido. 

 

— Porque eu usaria qualquer poder em uma máquina idiota? Se eu fosse usar meus poderes seria pra manipular seus pensamentos e fazer você perder essa pose de marrento e teimoso! – HoSeok retrucou, pela primeira vez em muito tempo, perdendo sua linha de compostura. 

 

Talvez estivesse convivendo com mortais demais, -com um mortal em especial.- E estivesse adquirindo um pouco de seus sentimentalismos idiotas. Afinal, por que motivo ficaria """chateado""" com YoonGi pensando que ele havia trapaceado e não acreditava em sua palavra? Sem chances, certo? 

 

Errado! Ele estava mesmo chateado e YoonGi notou. 

 

— Okay, eu sei que você não roubou, 'tá? Agora desmancha essa cara de cachorrinho sem dono que isso não é nada elegante pra um deus. – YoonGi falou finalmente. Voltando atrás em suas palavras ao ver que o ruivo não estava sorrindo e aquilo era completamente anormal para si. 

 

E olha que em HoSeok muitas coisas poderiam soar anormais, mais não eram, comparado a não ter ele sorrindo a cada 5 segundos. 

 

— YoonGi você tem um coração tão grande ai dentro, cheio de bondade... – HoSeok falo de repente, indo abraçar o baixinho a força e deixando mais uma vez o rostinho dele em seu peitoril. 

 

— Tá me sufocando, Seokiee... – YoonGi sonhou manhoso, sem ao menos se dar conta. O cheirinho de girassóis do mais alto estavam lhe inebriante e do nada lhe deixando grogue. 

 

"Preciso me livrar disso -referia-se ao contato do maior-, antes que vire um problema". YoonGi pensou consigo mesmo, tentando ignorar seus batimentos acelerados e o friozinho na boca do estômago. 

 

Talvez ele só estivesse com algum sintoma de palpitação cardíaca devido ao nível de "estresse" que aquelas férias malditas estavam lhe causando né? Só poderia ser isso... Até porque ter que aturar a praga do HoSeok não era fácil, era como um castigo.

 

Um castigo que YoonGi no entanto não estava tendo muitos problemas em cumprir.

 

Com um pouco de dificuldade YoonGi se separou do abraço caloroso que lhe envolvia como um sol brilhante e quente -só que sem causar queimaduras na pele-.

 

— Vamos cantar mais algumas músicas, YoonGi. – HoSeok anunciou, empolgado. E YoonGi queria se agarrar ao tornozelo dele e implorar que por favor não fizesse isso consigo, mas aquilo não estava sendo tortura nenhuma como ele gostaria de achar. 

 

Estava sendo bem divertido, por mais sórdido e difícil que fosse admitir aquilo.

 

E então as horas passaram. E ambos compartilharam um ótimo momento juntos. Cantavam como se fossem dois cantores profissionais e não se importavam se suas vozes soassem como discos de vinil estragados, quebrados e pisoteados. Em que HoSeok realmente havia gravado o Min cantar em plenos pulmões. 

 

YoonGi soltava altas gargalhadas ao notar HoSeok pagando tanto mico quanto si. Tudo ficou ainda mais hilário quando o ruivo começou a dançar músicas de girlgroups de kpop, o que fez o pequeno perder o ar de tanto rir diversas e incontáveis vezes. 

 

 

 

[...]

 

 

Agora já era perto da meia noite e novamente as suas mão estavam entrelaçadas. E por incrível que pareça o ato havia partido do baixinho, que usou a desculpa esfarrapada de estar com os dedos gelados e que o arzinho frio da madrugada lhe incomodava. HoSeok obviamente não negou o pedido, na verdade seu interior ficara plenamente satisfeito por tal ação partir de YoonGi. 

 

"Ele esta começando mesmo a confiar em mim" Pensara o ruivo. Largando um sorriso imenso e bobo enquanto andavam pelas ruas vazias.

 

Nem mesmo lidar com o seu pai parecia ser tão ruim agora... Não com YoonGi lhe deixando entrar em sua vida. 

 

Já o pequeno pensava que estava ficando completamente insano, maluco. Talvez ele devesse mesmo começar a ir ao psicólogo de Jin, que o mais velho insistia em dizer ser o melhor de Seul, e que havia o ajudado com sua ato estima várias vezes. 

 

"Tanto que agora ele se acha o cara mais lindo do país". O Min divagou consigo mesmo, tentando espantar seus pensamentos que tentavam zanzar para longe, tentando o fazer parar de sentir o contato da mão do ruivo na sua, só que era praticamente impossível... 

 

— Yoonie, nós chegamos. – anunciara HoSeok, fazendo YoonGi despertar de seus devaneios e encarar o maior de cima, este que lhe encarava com uma expressão curiosa no rosto. 

 

— Han, e-então, obrigado por me trazer, HoSeok... – YoonGi falou sem jeito. Finalmente tirando sua mão da mão quentinha alheia. Se preparando para entrar na casa. 

 

Tentando não pensar que aquilo deveria ser como um maldito filme clichê em que no final do encontro o mocinho beijava a mocinha. Mas ele não era nenhuma "mocinha" e HoSeok não era nenhum "mocinho" e aquilo nem ao menos era um encontro, pelo menos ele queria pensar daquele modo, queria pensar que era apenas um passeio entre amigos, nada romântico....

 

E então ele sentiu suas mãos serem seguradas e um beijo cálido e carinhoso foi posto em sua testa, por cima de seus fios. Fazendo suas bochechas corarem fortemente como duas jujubas de morango.

 

— Boa noite Yoon, até amanhã... – HoSeok falara com uma voz doce e afável. Se despedindo do azulado enquanto o deixava em frente a casa. 

 

E YoonGi largou um intenso suspiro, antes de girar a maçaneta e entrar dentro da residência. 

 

Talvez, só talvez, bem lá no fundo de seu âmago, ele não quisesse ter que se despedir do maior. 

 

 

[...]

 

 

Um pouco depois de largar o pequeno seguro em casa, HoSeok acabou tendo uma surpresa. Parado em silêncio no meio da rua, estava seu meio irmão Hermes, lhe cuidando de modo curioso. 

 

— Eu tenho uma mensagem pra você, Apolo. – Hermes falou de modo direto, enquanto o deus do sol vinha em sua direção.

 

Hermes era o deus mensageiro, sempre fora responsável por mandar e repassar mensagens e anúncios de outros deuses, deuses menores e semideuses. Mesmo que já existisse o smartphone as mensagens sempre chegavam mais ligeiras até Hermes (acredite se quiser). 

 

— O que você quer?  – HoSeok questionou. Tentando ignorar o fato de que ele também sabia sobre o seu envolvimento com o azulado. Mas Hermes não era de se envolver em preocupações alheias, o que era irônico se fosse se levar em conta a sua função.

 

— Só vim avisar que Zeus quer ter uma conversa em particular com você. – Hermes falou. Usava uma calça esportiva e um tênis de corrida. E uma camisa com marca da Adidas. — Ele exige saber porque você quase não passa mais tempo no Olimpo. 

 

Tal informação fez HoSeok revirar os olhos. Não entendia o porque de Zeus querer perder seu tempo consigo, as coisas realmente deveriam estar tediosas lá em cima.. Mas ao mesmo tempo um pequeno temor passou por si, ele não poderia saber sobre YoonGi.

 

— Hera diz que você esta em algum complô com Hades e que ultimamente anda viajando só para o mundo inferior. — Ela ainda ousou dizer que vocês estariam bolando algum plano maligno para dominar o Olimpo e sucumbir o poder de Zeus. – terminou Hermes, falando tudo o que haviam dito com a maior precisão, sem deixar nenhum detalhe escapar. 

 

— Mas eu não visito o reino de Hades faz anos! Não tenho nenhum assunto para tratar lá mais... – HoSeok se defendeu, vendo como tudo aquilo só ficava mais absurdo. 

 

Mas não era de se surpreender que Hera inventasse tais acusações de si. Ela não aceitava muito bem os filhos de Zeus fora do casamento, como ele e o próprio Hermes. 

 

— Era só isso que eu tinha pra falar. – Hermes falou. — Você sabe como nossa madrasta é temperamental. 

 

E então Hermes se foi, saindo correndo quase que na velocidade da luz, enquanto desaparecia entre as árvores do que parecia uma "mini floresta" do outro lado da rua.

 

— Eu nunca mais fui ver ela nos campos elísios... – falou para si mesmo. Pensando consigo mesmo. Ele não havia mais visitado Wendy no mundo inferior, nenhuma vez em anos... 

 

"Curiosamente" perto do período em que conhecera o Min. 

 

"Porque Zeus não vem ele mesmo até mim para falar comigo?" Apolo pensara, mas sabia que Zeus só se importava consigo mesmo e seu reino. Não perderia nenhum pouco de seu tempo indo até HoSeok se ele tinha obrigação de it até si. 

 

Então HoSeok se tele transportou para o Olimpo, pronto para enfrentar isso de a vez por todas e impedir que a rainha dos céus continuasse inventando falácias sobre si.


Notas Finais


Hellu amorzineos ~

Talvez eu tenha deixado algumas pessoas (ou quase todo mundo) meio confuso com o final do capítulo entao vamos lá.

1: Quimera é um monstro mitológico com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de serpente. (Sim, isso mesmo 😂).

* Hermes é realmente o deus mensageiro, é filho de Zeus e faz parte dos 12 principais deuses Olimpianos.
*Hera é a deusa protetora do casamento, mulher de Zeus e rainha do Olimpo.
*Hades é o deus do mundo inferior e o seu reino fica lá. Ele não pertence ao Olimpo, Hades governa os mortos.
*Campos Elísios é um lugar no mundo inferior onde os que morrerem fazendo o bem e com grandes feitos ns vida vão para passar a eternidade, como se fosse um "paraíso".

Então, mais alguma pergunta? Quem seria essa tal Wendy? E porquê HoSeok visitava ela no mundo inferior? Alguns questionamentos no ar...
Tbm queria saber se vcs gostariam que no próximo cap fosse voltado para o HoSeok, para a gente entender um pouco mais dele.. Kkk

Obrigada pelos carinho e sorry pela notas finais gigantescas ☀💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...