História Meu Sol - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Hwasa, Moonbyul, Solar, Wheein
Tags 30 Days Writing Challenge, 30dayswritingchallenge, Deathfic, Dia 14, Wheesun, Whweesol
Visualizações 12
Palavras 943
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Shoujo-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse shipp é mara.
Enjoy

Capítulo 1 - Capítulo Único


Abro os olhos, logo os fechando novamente pela claridade. Estou em um quarto totalmente branco, a luz forte quase me cegou. Acabei me acostumando com a claridade, e logo reparei nos ‘’bipes’’ de um aparelho. Estou... no hospital? O que aconteceu? Olho ao redor e me vejo entubada, logo sentindo fortes dores na cabeça, nos braços, tronco, pernas. Vejo uma mulher entrar no quarto, uma médica. Li ‘’ Ahn HyeJin’’, em seu crachá.

— Você acordou, WheeIn! Que bom.

— O que aconteceu? Por que estou sentindo dores em todos os lugares?

— Você não lembra? Hum... – a vi anotar algo em uma prancheta. – Você foi espancada na rua, ficou desacordada por cinco dias.

Fiquei em silêncio, tentando me lembrar do que aconteceu.

Solar e eu andávamos de mãos dadas pela rua de noite, rindo. Estávamos voltando de uma festa, era o nosso aniversário de um ano de namoro. Estávamos muito felizes e animadas, vez ou outra trocando selares. Passamos em frente a um bar, cheio de gente, e, nesse momento, Solar me deu um beijo e uns homens se levantaram.

— Ora ora, mocinhas andando essa hora da noite sozinhas? – disse um, caminhando em nossa direção. Ficamos alertas, continuando a andar.

— As namoradinhas vão fugir? – disse outro, impedindo nossa passagem. Me assustei, tentando puxar Solar, para que corrêssemos. Não deu, nos cercaram.

— Não vai correr! – disse um outro, me empurrando com muita força. Me espatifei no chão, batendo a cabeça.

— WHEEIN! – Solar gritou, indo me ajudar, mas dois homens a seguraram. Ela se debatia. – ME SOLTA! CORRE, WHEEIN!

Os homens riram, e, quando tentei me levantar, um deles chutou minha barriga. Comecei a tossir, quando vi, minha mão tinha sangue. Mais um chute, dessa vez nas costas. Já não conseguia conter as lágrimas, assim como Solar. Ela gritava e se debatia, mas não conseguia se soltar. Olhei para ela, tentando me levantar novamente. Desta vez, todos –com exceção dos que seguravam Solar- vieram me bater. Todos rindo. Bati minha cabeça no chão mais vezes, estava quase desacordada. Tinha contado 40 chutes, quando vi Solar se soltar. Pararam de me bater. Ela me levantou.

—CORRE! CORRE! – Solar gritou. Um dos homens veio em minha direção, e, com a adrenalina, reuni forças que não tinha e saí correndo, Solar vinha logo atrás. Virei algumas ruas, sem saber onde estava. Não tão longe, trombei com uma moça na rua.

— Moça, o que aconteceu? – disse, exasperada.

— Liga pra polícia! Ambulância, não sei! Por favor! Solar! – Olhei para trás, não a encontrando. –... Solar? – sussurrei, sentindo lágrimas mais grossas escorrerem.

 

— Cadê... a Solar? – disse para a médica, já soluçando. Ela olhou a hora e anotou algo em sua prancheta, logo vindo em minha direção, sentando na beira da cama.

— WheeIn... – eu a olhava atentamente, ainda com um fio de esperança – sinto em dizer, mas YoungSun não resistiu.

Nesse momento, senti meu chão cair.

— O que? – disse, pausadamente, tentando processar. – Como? – ela ficou quieta por uns instantes, procurando as palavras certas.

— Solar não conseguiu fugir...

— E os caras?! – sem parar de chorar.

— ... Estão soltos. Sinto muito.

Não falei mais nada. Em prantos, pensei em como solar poderia estar aqui, agora, se eu tivesse visto se ela estava mesmo atrás de mim, logo no começo.

Se nós tivéssemos ficado em casa, como ela sugeriu. Se tivéssemos ido embora mais cedo, de carro, com uns amigos, mas não. Eu não olhei para trás, eu insisti para que saíssemos, eu a fiz ficar mais. E por culpa disso, ela não está mais aqui. Meu Sol não está mais aqui.

Senti uma mão em meu ombro, rapidamente olhei quem era. Era a moça que eu pedi ajuda.

— Sinto muito. – ela disse, com o olhar pesado.

— Vou me retirar, com licença. – murmurou HyeJin. Esta saiu de cena. Olhei para a moça de longos cabelos pretos, em um tom azulado.

— Meu nome é Moon Byul-ie. – ela disse.

— Jung WheeIn. – respondi, num fio de voz.

— Eu sei, HyeJin me contou... Solar era sua namorada? – perguntou, se sentando nos pés da cama.

—Sim. – era... vou ter que me acostumar com isso.

— Você se lembra do que aconteceu?

— Só até te encontrar... – fico olhando para minhas mãos, pensando nas vezes que Solar as tocou.

— ...Quer saber o resto? – disse, depois de pensar um pouco.

— Sim. – olhei para ela, interessada.

— Não conte para HyeJin, ela ficará brava comigo, mas acho melhor você saber o que aconteceu. –assenti. – Depois que você me encontrou, pedindo ajuda, chamei a polícia e uma ambulância para a rua em que você estava antes, como pediu. Pedi para que você me guiasse para onde tudo tinha acontecido, você estava visivelmente exausta, e eu precisei te ajudar a andar. Eu achei mais sensato esperar a polícia chegar para ir, mas você cismou que queria voltar, imediatamente. Fomos, e chegamos bem quando a polícia também chegou. Eu... eu vi Solar... – nesse momento, pareceu enjoada, pôs a mão na boca, aparentemente segurando o vômito. Gelei.

— Você... Ela... estava viva? – perguntei, trêmula, temendo a resposta. Ela me olhou, com dor nos olhos.

— Não. Antes que você visse, tapei seus olhos. Os caras tentaram fugir, e eu vi levarem o corpo de Solar. Levei você para a ambulância e você desmaiou. – Fiquei olhando para ela, atônita. – vim aqui todos os dias...

—... Obrigada por me contar, por se importar comigo. – respondi baixo. Ela murmurou um ‘’por nada.’’, e a olhei, lembrando de como ela falou de HyeJin. Pareciam íntimas – Você e a médica são amigas?

— Namoramos.

— Ah, sim... parabéns.

E, nisso, ficamos vários minutos caladas, até que Byul se retirou. Olhei ao redor.

— Como vou viver sem você, Solar? – sussurrei, sentindo as lágrimas retornarem e ouvindo o vento forte passar pela janela.


Notas Finais


Bad.

Dia 14 do 30 Days Writing Challenge
14.Uma death!fic


Sarahah: https://llawliet8.sarahah.com/
Curious Cat: https://curiouscat.me/L__Lawliet


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...