História Meu Sol - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Alice Cullen, Angela Weber, Bella Swan, Billy Black, Brady Fuller, Carlisle Cullen, Charlie Swan, Claire Young, Collin Littlesea, Corin, Edward Cullen, Embry Call, Emily Young, Emmett Cullen, Eric Yorkie, Esme Cullen, Freaky Fred, Jacob Black, Jared Cameron, Jasper Hale, Jessica Stanley, Kebi, Kim, Laurent, Leah Clearwater, Mike Newton, Paul Lahote, Personagens Originais, Quil Ateara, Rachel Black, Rebecca Black, Renée Dwyer, Rosalie Hale, Sam Uley, Sarah Black, Seth Clearwater, Sue Clearwater, Tyler Crowley, Victoria
Tags Bella Swan, Paul Lahote
Visualizações 77
Palavras 2.376
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, meus amores!
Demorei um mês, mas voltei.
Várias novidades estão por vir!
Ah, logo a Bella vai conhecer a mãe e a irmã do Paul... Bom a Renée logo vai aparecer também, ah e é claro uma certa fadinha! Isso mesmo Alice Cullen retornará no próximo capítulo!
Porque será que a Alice vai voltar? Criem suas teorias e me contem nos comentários.
É isso.
Me desculpem se houver algum erro.
Apreciem sem moderação!

B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 6 - Surpresa


Fanfic / Fanfiction Meu Sol - Capítulo 6 - Surpresa

Não dormi bem. Mesmo com o Paul ao meu lado tive vários pesadelos. Laurent e Victória não saiam da minha cabeça. Quando acordei Paul não estava mais na cama, me levantei e fiz minhas higienes matinais, tomei um bom banho em seguida me vesti. Vesti uma calça jeans, uma blusinha cinza, peguei uma camisa de flanela preta e branca, calcei minha botinha preta, peguei minha mochila e desci. Para minha surpresa Paul não estava mais em casa. E por falar em surpresa ele me prometeu uma para hoje a noite. E para minha surpresa Jacob estava lá, na minha cozinha preparando o café.

— Jake! - falei.

Ele sorriu.

— Bom dia, Bells! Paul já foi trabalha, ele me pediu para te levar a escola e cuidar de você...

Odeio babás.

— Sabe que odeio ter babá.

— Eu sei mas é para a sua segurança, fique tranquila, os rapazes estão cuidando do Charlie.

— Obrigado.

— Eles não vão pegar você! - Garantiu Jacob.

Sorri para ele.

— Sabe o que Paul está tramando para hoje a noite? - perguntei tentando mudar de assunto.

Jacob deu uma risadinha.

— Eu até sei... Mas, não posso falar.

— Isso não é justo! - reclamei.

— Vem tomar seu café.

Apenas concordei e me sentei, Jake comeu comigo.

Depois do café Jacob me levou para a escola, já imaginando as fofocas que a má língua da Jess faria. Fomos na moto dele.

— Até mais tarde, Bella! - falou Jake enquanto me dava um beijo na bochecha.

— Até! - O abracei e no minuto seguinte ele se foi.

Caminhei para dentro da escola, logo avistei Angela.

— Angie!

— Oi, Bella! Bom dia! - Ela sorria.

— Bom dia, Angie!

— Você está bem? Parece estar com medo...

— Bom, na verdade, estou ansiosa. Paul disse que fará uma surpresa pra mim hoje, e também, bom, um pouco de medo. Porque hoje cheguei com o meu amigo, o Jacob. Tenho certeza que a Jess fará mais fofoca.

— Hey! Se calme. Não se importe tanto com a Jess, sabe como ela é. E bom, sobre a surpresa... Tenho certeza que será incrível! - Me garantiu ela.

Deu um largo sorriso.

Em seguida o sinal tocou.

— Hora de irmos pra aula - falei.

Ela apenas acentiu.

Aparentemente Jess, minha ex-amiga não fez fofoca. Todos estavam me tratando normalmente, ninguém me encarava, o dia até que estava sendo razoavelmente bom.

(...)

As aulas estavam passando rapidamente, Angela e eu estavamos caminhando para o refeitório, pegamos a comida e nos sentamos na nossa mesa, logo Ben e Mike se jutaram a nós.

Vi perfeitamente quando Lauren se aproximou da Jess e cochichou algo no ouvido dela, amabas olharam na minha direção e deram uma risadinha estúpida, a elas lancei um olhar mortal, o que as assustou um pouco.

— Hey! Bella? - Mike me chamou.

— Ah! Oi, Mike. Me desculpe, o que falou mesmo?

— A gente podia ir para La Push no final de semana, o que acha? - sugeriu meu amigo.

— Claro, pode ser. Vou falar com os rapazes - falei.

Em seguida Érick se juntou a nós.

— E aí Bells? Como está?

— Estou bem, Érick. O pessoal está combinado de ir em La Push no fim de semana, topa?

— Tô dentro - respondeu ele.

Todos nós rimos.

Conversamos mais um pouco e depois o sinal tocou. Logo nos separamos, Mike e eu fomos para a aula de biologia, ele enfim entendeu que o máximo que podiamos ser era amigos e parecia feliz com isso. Sem o Edward o professor Molina colocou Mike para fazer dubla comigo na aula.

As aulas passaram lentamente, provavelmente por conta da minha ansiedade, mas enfim havia acabado. Peguei minhas coisas e segui para o estacionamento. E lá estava Jacob, de calça jeans, uma camiseta preta e um coturno. Fui diretamente na direção dele e o abracei.

— Jake!

Era um alívio finalmente sair da escola.

— Bells! Estão todos olhando - cochichou ele.

Não me importei.

— De qualquer forma vão falar mesmo...

— Alguém andou fazendo fofoca, não é? - Ele logo percebeu.

— Sim.

— Quem? - ele de imediato quis saber.

— Isso não importa, vamos para casa? 

Jacob me entregou o capacete.

— Vamos. Vou te levar na casa da Emily - conentou ele.

— Tá bom...

Jacob dirigiu diretamente até a casa da Emily, o caminho foi rápido, quando chegamos começava a chuviscar.

— Ela já está te esperando, eu tenho que voltar. Temos vampiros para caçar - brincou ele.

— Tome cuidado! - Pedi.

— Pode deixar!

Ele me abraçou e depois se foi.

Com a mochila nas costas segui para varanda da casa da Emily, ela estava lá fora, sentada, tricotando o que me pareceu uma roupa de bebê.

— Emily? - A Chamei.

— Ah! Oi, Bella! - ela falou sorrindo. - Nem vi você chegar, está com fome?

Eu ia dizer que não, mas nesse instante meu estômago roncou me entregando.

Sorri sem graça.

— Faminta na verdade.

— Venha, o almoço está quase pronto! - Falou ela com um sorriso simpático.

A acomapanhei até a cozinha, a cozinha dela é toda cheia de armários de madeira, todos bem detalhados.

— Sente-se, já eu termino.

Apenas concordei com a cabeça e me sentei.

Foram questão de segundos para meus olhos se fecharam. Quando os abri não era o cenário da casa da Emily que estava a minha frente, estava na praia.

— Bella? - Uma voz feminina me chamou.

Automaticamente me virei para ver quem era, porém, não era quem eu imaginava. Pensei que fosse a tártaravó do Paul, mas não era.

— Quem é você? - perguntei dando um passa para trás.

A mulher a minha frente tem um enorme cabelo preto como a noite, olhos azuis como o mar, pele branca com um certo brilho, ela trajava um longo vestido lilás.

— Isso é apenas uma forma de me comunicar com você, os lobos me conhecem. Ilumino as noites mais escuras e os mantenho seguros.

Lua. É isso que ela é, a Lua.

— Mãe! - fiz sinal de reverência.

Paul já havia me contado um pouco das histórias da Lua, ela é como uma mãe para os lobos. Ela os protege.

Ela sorriu.

— Sei que sabe um pouco sobre mim, você é especial, por isso a escolhi.

Estava comfusa. 

Ela me escolheu?

— Para quê me escolheu?

Ela novamente sorriu.

— Para me comunicar com Emily e Sam, e claro, também com toda a matilha.

Me senti honrada.

Mas porquê eu?

— Porquê?

— Você é especial, Isabella! Mas seus dias de luta ainda não acabaram. Uma tempestade está por vir. Sinto muito, mas você tem que passar por isso...

— Eu... Não compreendo.

— Mas vai compreender. Não te chamei só para isso minha menina especial!

Ela deu um largo sorriso.

— Porquê me chamou, mãe? - perguntei.

— Quero que leve um recado para Emily e Sam. Diga a eles que o pedido deles foi concebido.

— E eles irão acreditar em mim? - Perguntei confusa.

— Sim. Eles irão ver a marca e a verdade em seus olhos.

Apenas acenti.

— Farei como pediu. - Garanti.

— Boa menina! Seja forte.

Depois disso despertei.

Estava na cozinha da Emily, ela estava com um algodão com álcool em mãos.

— Bella! Ah! Enfim acordou! - Emily estava desesperada. - Quase liguei para o Paul.

— Eu estou bem, Emily - garanti.

— O que houve? - ela perguntou já se sentando ao meu lado.

— Talvez você não acredite... Mas de qualquer forma tenho que falar.

— Como assim?

— Essa é a segunda vez que isso me acontece, Emily. A primeira foi no domimgo quando sai para falar com a minha mãe, eu apaguei e quando acordei na estava na praia, estava em um campo e Helena Lahote, tátaravó do Paul estava lá, ela falou comigo...

— Oh! Você é a escolhida! Helena falou com você novamente?

— Escolhida? Pra quê? Não, dessa vez não foi Helena.

— Os anciões eram te explicar. Quem falou com você? - Ela quis logo saber.

— A Lua - falei.

— Bella! - Ela sorria.

— Ela me pediu... Bom, ela me pediu para dar um recado para você e o Sam.

— Qual?

— O pedido de vocês foi concebido - falei sorrindo. - Parabéns futura mamãe! - Eu já sabia desde o início sobre o que a Lua estava falando.

— Ela te contou? - Perguntou Emily.

— Não, eu apenas senti que era isso - falei.

— Muita emoção para um único dia, vamos almoçar!

Apenas concordei.

Emily e eu almoçamos tranquilas, dava para ver a felicidade nos olhos dela, se sentia a boa energia vindo dela. Depois do almoço comemos um pudim e depois demos uma caminhada na praia, no fim da tarde Jacob voltou.

— Bells!

— Jake! Aonde está o Paul?

— Hum... Está pra chegar, tenho que te levar para casa. Acho que você vai querer estar pronta quando ele chegar - comentou Jacob.

— Claro! Só vou pegar minha mochila e me despedir da Emily - falei.

Jake apenas concordou com a cabeça.

Fui em direção a casa, me despedi da Emily, peguei minha mochila e voltei para a moto. Jacob me entregou o capacete e em seguida subi na moto. Ele me deixou em casa, se despediu e logo foi embora. Peguei as chaves na minha mochila e abri a casa, começava a anoitecer, acendi as luzes conforme passava. Subi com a minha mochila para o quarto, a joguei em um canto do closet e seguida fui para o banheiro tomar um bom banho.

Tomei um banho bem demorado, a água estava ótima, saí do banheiro apenas enrolada em uma toalha e levei um enorme susto, pois Paul estava no quarto.

— Oi, pequena! Não queria te assustar.

Ele não estava mais com roupa de trabalho.

Paul estava com uma calça jeans clara, uma camisa preta e um coturno nos pés.

— Hã... Oi, amor! Em um instante eu me arrumo - garanti a ele.

Ele sorriu.

— Sem presa, te espero lá na sala.

Ele me beijou e em seguida saiu. 

Corri para o closet a procura do que vestir. Peguei um vestido de alçinha rosa bebê, uma sandália de salto nude, um cinto com pérolas, um casaco e minha bolsinha branca. Pentiei meu cabelo e cacheiei as pontas o deixando solto, passei um batom rosa, um perfume, peguei meu celular minha bolsinha e desci.

Paul me esperava ao pé da escada.

— Você está linda! - Falou ele me fazendo corar.

Sorri.

— Você também está uma graça! 

— Vamos? - perguntou ele me oferecendo o braço.

— Claro! Aonde vamos aliás?

Ele sorriu.

— É surpresa, mas, vamos jantar em um restaurante em Port Angels.

Apenas cocordei com um sorriso.

Fomos no Jeep dele, conversamos o caminho todo. Ele me contou como foi no trabalho e eu contei a ele como foi a escola, eu devia contar sobre a minha conversa com a Lua, mas achei melhor deixar o assunto para outro dia. A conversa foi boa, logo chegamos ao restaurante. Aparentemente o lugar havia abrido recentemente, a fachada era perfeita, com um lindo hall de entrada, tudo bem detalhado. Descemos do carro e Paul entregou a chave para o manobrista, que logo foi estacionar o carro. Ele pegou na minha mão e caminhamos para a entrada.

— Boa noite! - falou o recepcionista.

— Boa noite! - Respondeu Paul. - Tenho uma reserva feita.

— Qual o nome senhor?

— Paul Lahote.

— Ah! Claro. Seja bem vido senhor Lahote, aprecie o jantar.

Logo um garçom veio e nos guiou para uma mesa, o lugar em si tem um ar romântico. Nos sentamos e em seguida o garçom nos entregou o cardápio. O restaurante serve comida italiana, o que me parace bem apetitoso.

— Pode pedir o que quiser, pequena - falou Paul.

Eu apenas acenti e continuei a olhar as opções.

— Eu vou querer um Spaghetti e um Cotoletta alla milanese - falei.

Paul sorriu.

Ele chamou o garçom que anotou nosso pedido e seguida se retirou.

— Agora pode me falar qual a surpresa? - Perguntei curiosa.

Ele deu um largo sorriso.

— Prefiro mostrar!

— Como...?

Ante que pudesse dizer algo mais Paul tirou a caixinha vermelha aveludada do bolso, se ajoelhou ao meu lado e abriu a caixinha. Lá dentro está um belo e delicado anel com uma única pedra.

— Isabella Marie Swan, você me dá a extraordinária honra de se tornar minha esposa?

Por um instante me lembrei do futuro ao qual a tátaravó de Paul me levou para ver, o pedido de casamento que Edward iria me fazer. Saí daqueles devaneios, espantando os pensamentos.

— Sim! - respondi com um enorme sorriso.

Paul colocou o anel no meu dedo e em seguida nos beijamos.

— Eu te amo! - Ele sussurrou em meu ouvido.

— Eu te amo!

Pouco depois nosso pedido chegou, Paul pediu champanhe para comemorar, mesmo bebendo ele poderia voltar facilmente dirigindo para casa. Por conta da coisa de lobo seu organismo queima rapidamente o álcool.

Pedimos de sobremesa Cannolo, é um dos doces italianos mais famosa no mundo todo, o cannolo é um canudo de massa crocante recheado com creme doce de ricota de leite de ovelha, que pode ter cerejas, pistache, gostas de chocolates. É uma perdição. Muito bom.

Mais tarde...

Paul e eu finalmente estavamos em casa, a primeira coisa que fiz foi tirar os sapatos e depois me jogar nos braços do meu noivo. Paul e eu nos beijavamos intensamente, ele me pegou no colo e me carregou para o quarto, continuamos aos beijos, cada vez mais quentes. Comecei lentamente a desabotoar a camisa dele, e ele tirava os sapatos, mas em momento algum desgrudamos nossos lábios. Quando terminei com a camisa desabotoei a calça dele e ele tirou meu vestido, logo estavamos apenas de roupas íntimas, Paul me colocou na cama e começou a descer uma trilha de beijos pelo meu corpo. E pouco depois arrancou o resto da minha roupa, em seguida a dele. E logo fomos um do outro. Nos amamos.

Não sei ao certo que horas eram quando peguei no sono, mas estava feliz.


Notas Finais


Gostaram?
Espero quem sim.
Então, qual o palpite de vocês sobre a volta da Alice? Comentem para eu poder saber.
Logo apreço!
Bjss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...