História Meu Super Babá - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Christian Beadles, Hailee Steinfeld, Justin Bieber, One Direction, Zayn Malik
Personagens Christian Beadles, Hailee Steinfeld, Harry Styles, Justin Bieber, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Hentai, Romance
Visualizações 248
Palavras 3.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 51 - Capítulo Cinqüenta e Um


Fanfic / Fanfiction Meu Super Babá - Capítulo 51 - Capítulo Cinqüenta e Um

- Fala logo.

- Positivo.

Me sentei na cama imóvel.

- Calma que ainda tem mais 2. - Isa diz.

Meus olhos encheram-se de água. Abri a boca, mas um soluço saiu alto. Me joguei de bruços na cama, chorando.

- Calma. - Naty falou alisando meu cabelo.

- Saiu.. Positivo.

- Que desastre. - falei entre o choro.

- É... Você está oficialmente prenha.

Foi ai que eu gritei mais ainda, eu parecia uma criança chorando por que a mãe não comprou aquele brinquedo.

- Ai meu deus eu vou ser titia, que fofo. - Elo falou dando pulinhos enquanto eu chorava.

Merda.

-Pera ai, que eu tenho que fazer uma coisa.

Naty saiu do quarto e voltou com a Carmen.

- Ih ferrou. - Carmen falou quando me viu naquele estado. - Positivo?

- Três vezes.

- Eu vou morrer, meu pai vai me matar. - digo com a voz embargada.

- Ele vai ter que aceitar.

- O Justin vai surta. - falei chorando mais. Jully vem até mim e beija minha bochecha, pegando minha mão, olho pra ela e a aperto.

- Que tal a gente ir em um lugar.

Carmen fala, vindo até mim passando as mãos na minhas costas.

- Aonde? - questiono.

- Eu tenho um amigo que trabalha em uma academia de luta aqui perto.

- Isso, preciso bater em alguém. Vamos. - falei tentando parar de chorar.

- Ta maluca você não pode. - Elo fala.

- Quer ver como posso, vamos.

Seguimos caminho para a tal academia, já tinha parado de chorar um pouco. Chegamos lá tinha varias pessoas. Garotos e garotas. Realmente muito bonitos.

- Uau que coisa linda. - falei olhando em volta.

- Oh deus. - Jully fala olhando pra um cara musculoso e lindo passando por nós.

- JULLY.

- Direitos iguais. - ela dá de ombros e eu dou risada.

- Meninas venham comigo.

Seguimos Carmen até um homem bem malhado e gostoso. Eu namoro, mas isso não me impedi de achar um homem bonito.

- Olá, você por aqui, estava com saudade. - O cara falou abraçando ela.

- Eu também, bom vim trazer elas pra extravasar um pouco.

- Trouxe no lugar certo. - ele fala sorrindo.

- Meninas este é Richard, Richard essa é Elo, Naty, Isa, Olivia e Jully.

- Prazer em conhece-las. - falou e beijou a mão de cada uma de nós, que gentil.

- Então...

- Venham comigo.

Ele nos entregou umas roupas brancas e mandou a gente vestir, por cima mesmo da nossa, assim fizemos.

- Você pequena venha comigo. - ele levou Jully para o outro lado aonde só tinha criança, ela ficou lá com um menininho.

- E a gente? - pergunto, prendendo o cabelo em um coque firme.

- Pra vocês, eu tenho pessoas especiais. - Ele foi andando na frente e nós o seguimos.

Tinham alguns garotos e garotas juntos, ele chamou dois meninos e duas meninas.

- Pronto, Lucas pode ficar com Naty, Léo com Olivia, Bruna com Isa e Gabi com Elo.

Cumprimentei meu "adversário" e também os outros.

- Regras?

- Nada de soco, só derrubar entendidos? - ele fala olhando pra todos nós.

- Sim.

- Eu acho melhor a Olivia não fazer isso. - Naty murmura.

- Tarde de mais.

Só deu tempo de ouvir isso de Isa, depois que derrubei o menino.

(...)

Eu estava bem entretida tirando os gritos das meninas que estavam com medo de se machucar. O menino que se não me engano o nome é Léo, não estava pegando nada pesado comigo, acho que estava com medo de me machucar.

- Olivia eu acho melhor você parar com isso. - Carmen fala alto.

- Ele nem está me machucando. - grito.

- Aahhh. - Isa gritou e vi de relance ela caindo com tudo no chão.

- Você não pode fazer esforço.

- Porque? - Léo perguntou me segurando no chão e antes de responder eu troquei de posição deixando por baixo.

- Ela ta ..... Aii... Grávida.

- Grávida? - ele deixou o queixo cair.

- É. - falei ficando emburrada, mais ele me segurou pela cintura e puxou meu corpo pra baixo novamente.

- Para com isso... - Avisa Carmen mais uma vez.

- Ela não vai se machucar, muito menos o bebê. - Léo fala um sorriso amigável.

- A namorada dele luta aqui e também esta grávida. - arregalo os olhos quando Richard fala isso.

- Sério?

- Sério.

- E ela ficou com raiva quando descobriu? - pergunto.

- Chorou, e chorou igual um bebê. - ele diz rindo.

- Olha Olivia você tinha que conhecer ela. - Naty falou rindo e eu revirei os olhos pra mesma.

- Porque você chorou?

- Quem não choraria? Meu pai vai me matar. - falo ficando de pé, ajudando Léo a se levantar.

- Senta aqui. - ele sentou no tatame e eu sentei-me ao seu lado. - Quando a minha namorada descobriu que estava grávida, ela surtou, tipo ela tem 18 anos e eu 19.

- Quando você ficou sabendo o que aconteceu?

- Eu cai igual uma geleia no chão - ri do jeito que ele falou. - não esperava por isso, sempre tive vontade de ter filhos, mais não esperava que fosse assim, foi uma surpresa. - ele diz suspirando.

- E os pais dela?

- O pai dela não queria vê-la nem pintada de ouro, ficaram uma semana sem se falar e ela estava pirando, a mãe dela trabalha viajando, mais mesmo assim conversou com ela e deu um bom apoio.

- Mais eles voltaram a se falar né? - pergunto me referindo a garota e seu pai.

- Então, eu vendo que a situação estava ficando feia, fui conversar com ele, óbvio não queria ver minha princesa triste pelos cantos. Eu conversei com ele, e ele me deu uma bronca enorme, um sermão de mais de duas horas e eu tive que escutar. Eu tinha feito a burrada.

- Nossa que barra, mais e agora como ficaram as coisas? - pergunto mais interessada no assunto.

- Eles conversaram, o pai dela ta todo bobo e eu claro também. - ele dá um risada e eu o acompanho.

- É menina ou menino?

- Menina, e você mocinha? - ele falou apertando minha bochecha. - Escuta o que eu to falando é que no começo, você vai ficar igual esta agora, com medo, insegura.

-Hey eu não sou insegura. - reviro os olhos.

- Eu to falando é que depois você vai se apegar a essa criança como nunca se apegou a alguém.

- Será?

- Com certeza, e o pai do bebê já sabe? - ele pergunta me olhando seriamente.

- Não.

- Ta esperando o que pra contar?

- Coragem? - abro um sorriso amarelo.

- Minha namorada ficou uns 5 dias sabendo disso e não me contou sabia.

- E como você descobriu? - questiono.

- Depois de desmaiar eu surtei. Ela sabia que estava grávida e não me contou nada, um absurdo. Mais eu tive que entender o lado dela.

- Bom e que tal a gente continuar a nossa luta chata. - dou de ombros suspirando.

Ele da uma risada alta.

- Eu vou te mostrar a luta chata. - ele fala e rapidamente me deu uma golpe por trás, mais segurou meu braço pra mim não cair com tudo no chão.


Justin Bieber

O dia de hoje estava sendo bem maneiro. Estávamos agora dentro de uma pista de corrida. Incrivelmente grande.

- Uau. - digo de boca aberta olhando pra aquele lugar.

- Que show cara.

- A gente veio fazer o que aqui? - Chris fala com uma certa irritação na voz.

- Ih que, que aconteceu dentro daquele quarto pra estar mau humorado?

- Tadinho ficou no vácuo. - Chaz gargalha.

- Calem a boca seus putos.

- Calma meninos, o que a gente faz mesmo em uma pista de corrida? - Robson diz.

- Aposta corrida.

- Claro. - Robson acena pra Ryan. - Venham comigo.

Paramos em frente um local onde tinha vários carros, de várias cores. Um mais lindo que o outro. Observo que tinha uns cara lá, amigos possivelmente de Robson, por que vejo que eles engataram em uma conversa pra depois nós começarmos a correr.

- Escolheram um carro. - Robson pergunta já próximo de nós.

- O roxo. - falei indo até o carro.

- Eu prefiro o verde. - diz Ryan.

- Tanto faz. - Chris bufa e vai até o carro vermelho e Chaz até o amarelo.

Finalmente, começamos aquele bendita corrida. Sair em dispara na frente, mas Chris passa por mim. Eu estava em segundo.

(...)

Corremos umas 8 vezes, eu venci 4, Robson 2 e Chris 2. Já os outros...

- Aff esse carro tava ruim. - Ryan diz saindo do carro batendo a porta.

- Você que é ruim de roda mesmo. - o caçoo.

- Eu concordo com o Ryan. - Diz Chaz.

- Meu deus como vocês brigam, estão pior que as meninas.

- Falando nelas eu vou ligar pra Olivia, só um minuto. - falo pegando o celular do bolso.

- Ela passou mal de novo?

- Passou... - respondo Chris, discando o número dela.

- Olivia...

- Só um minuto... - era a voz de um homem. Será que eu liguei pro número errado? Afasto o celular do ouvido e olho pra tela vendo o nome de Olivia ali.

- Oi amor.

- Quem era o sujeito que estava com o seu celular? - pergunto sério.

- É o Léo.

- Léo?

- Meu parceiro aqui na luta amor. - ela diz simples.

- LUTA? OLIVIA MOORE AONDE VOCÊS ESTÃO? - sim eu gritei.

- Calma Justin. - ela murmura. - Estamos em uma academia de luta do Richard.

- Olivia quem é Richard? - os meninos me olham curiosos.

- É um amigo da Carmen... A quer saber eu to ocupada, depois falo contigo, beijos.

- Desligou, desligou o telefone na minha cara.

Falo indignado, olhando pro celular na minha mão.

- Quem é Richard?

- Um amigo da Carmen. - digo respondendo o Robson.

- O que a Isadora está fazendo com esse tal de Richard?

- Elas estão em uma academia de luta.

- Aonde fica isso? - Ryan pergunta.

- Eu ainda não conseguir colocar um GPS na Olivia. - reviro os olhos.

- Espero que o seu sogro tenha colocado.

- Eu ainda não cheguei a esse ponto de maluquice meninos - Robson fala risonho. - mais eu acho que sei aonde é.

Fomos para o carro e logo chegamos na academia aonde o Robson achava que era.

Entramos na mesma, olhando tudo.

- Bom isso parece uma academia de luta.

- Cadê elas? - Chaz questiona procurando por elas.

-Acho que encontrei. - diz Chris apontando pra Olivia se engalfinhando com um menino lá no chão.

- Aquela ali é a...

- Natalia.

- Venham. - seguimos o Robson ele até a Carmen que conversava com um homem alto, branco e musculoso. - Carmen.

- Vocês por aqui.

- Olivia. - a chamei e ela não deu a menor importância.

- Não posso falar agora. - ela diz ofegante.

- Vem aqui.

- Não posso.

- Natalia venha aqui. - Ryan grita.

- Não ta vendo que não dá.

- Meninas é melhor descansa um pouco. - Carmen falou e as meninas ficaram de pé.

- Muito obrigada.

Richard disse com duas meninas e dois meninos, um deles passou e falou algo com Olivia que concordou com a cabeça e sorriu, ele deu um beijo em sua testa e se despediu.

- Vem cá, eu posso saber o que a senhorita estava fazendo agarrada com esse garoto. - pergunto olhando o cara saindo.

- A gente estava se distraindo um pouco. - ela diz pegando uma garrafinha de água.

- Mais eu não gostei.

- Mais eu não perguntei.

- Valeu. - falei saindo.

- Ah Justin para vai. - diz Olivia abraçando meu tronco por trás. - A gente estava só se divertindo.

- Olivia nós podemos conversar. - Elo diz.

- Claro. - elas se afastaram um pouco fazendo uma rodinha, conversaram algo e logo voltaram.


Olivia Moore

- E ai vai contar? - Elo pergunta.

- Contar o que? - me faço de sonsa.

- Que você ta gravida . - Naty revira os olhos.

- Eu vou esperar um pouco. - suspiro.

- Melhor conta logo.

- Eu vou saber a hora certa ok? - falo já irritada com o assunto.

- Se você acha. - Elo dá de ombros.

Voltamos até os meninos, cada um deles estavam com a expressão brava. Fingi junto com as meninas que não estava ligando e ficamos conversando normalmente. Eles começaram a "brigar" no tatame e nós ficamos rindo da cena.

- Esses meninos são umas crianças.

- E como. - concordo com Isa rindo.

- Tomara que seu filho não nasça com essa babaquice toda.

- Vish, fica falando não, se não acaba nascendo assim. - falei e nós rimos.

Ficamos falando de como os meninos da academia eram gostosos, e como seria o nome do meu bebê. Do nada me deu uma fome desgraçada, desse jeito vou chegar a 100 quilos, fomos com Carmen na lanchonete em frente, enquanto os meninos ainda ficaram lá lutando.

Comi três coxinhas, sim três enormes.

- Gente eu vou ficar uma baleia. - falei choramingando.

- É só se cuidar durante a gravidez.

- Vou ter estria, o peito vai cair, minha barriga também. VAI TUDO CAIR. - falei já me acabando de chorar apoiando a cabeça no ombro de Elo. Droga de hormônios de gravidez.

- Deixa de ser boba menina, a pior parte é a hora de parir.

- Ah eu vou morrer. - falo chorando.

- O que houve? - escutei a voz do meu pai e vejo que todos estão me olhando.

- Nada. - limpo as lágrimas.

- Ta chorando porque? - Justin pergunta preocupado.

- Eu to sensível não pode?

- Eu acho melhor a gente ir embora. - Chaz fala bocejando.

- Concordo.

Fomos direto para os carros, Justin estava do meu lado calado olhando pro nada, as vezes cantarolava algum trecho de música, e eu fiz o mesmo. Fiquei olhando pro lado de fora da janela vendo os grandes prédios do Rio e pensando.

Chegamos rapidamente no hotel.

- Já parou de chorar? - Justin pergunta quando entramos no quarto, Jully estava com Carmen e meu pai.

- Sim. - digo soltando um meio sorriso. Sentei na cama tirando o tênis, vejo que ele senta ma minha frente.

- Quer dividir?

- Vai cair tudo. - solto rapidamente e choro. Puxo seu pescoço enterrando meu rosto nele.

Meu deus, mais que merda de hormônios são esses?

- Cair o que? - ele questiona confuso, fazendo carinho nas minhas costas.

- Depois você vai descobrir. - eu fungo.

- Ok . - ele suspira pesadamente. - Então, é que eu tenho que sair, vai ficar bem?

- Vai pra onde? - pergunto agora olhando pra ele.

- Em um lugar.

- Com quem? - semicerro os olhos.

- Uma pessoa.

Ele me deu um beijo lento e demorado, depois beijou minha testa e saiu do quarto correndo. Ele mal saiu e eu corri pro banheiro, bendito dia que Justin esqueceu a porra da camisinha.


Justin Bieber

Sinceramente, eu não entendo a mente das mulheres e já desisti de entender. Nego com a cabeça afastando pensamentos idiotas e bato na porta do quarto da Elo e do Chris. Ouvir os murmúrios acabarem quando bati na porta, demorou, mas quem abriu foi Eloisa.

- Oi.

- Eu preciso da sua ajuda. - falo.

- Pra que?

- Pra uma coisa, vem comigo que eu te conto no caminho e você me diz o que acha. - ela concorda rápido.

- CHRIS EU VOU SAIR E VOU DEMORAR. - ela gritou praticamente no meu rosto e fecha a porta. Saímos dali rapidamente, a contei tudo que estava pensando e o que estava querendo fazer, pra ela no caminho. Eloisa fazia caras e bocas enquanto eu falava.

- E ai o que acha? - pergunto a olhando ansioso.

- Cara você é de mais, e aonde estamos indo? - ela questiona quando entrei no carro no banco do motorista e ela no passageiro.

- Shopping.

- Quando decidiu isso?

- Ah algum tempo, mais não tive tempo de falar com você, porque sempre tem alguém por perto. - falo ligando o carro e seguindo caminho pelas ruas movimentadas do Rio.

- Verdade, mais meu amor, você vai arrasar. - ela diz animada piscando o olho pra mim.

- Quer comer no Mc?

- Com certeza, sou viciadas nos lanches da Mc.

- E uma pergunta, porque a Olivia estava falando que ia cair tudo? - pergunto pra ela parando no sinal.

- Informação secreta. - disse rápido.

- Que porra. - murmuro. Chegamos rapidamente no shopping, estacionei o carro corretamente na vaga disponível e descemos dele. Fui até ela e passei o braço em volta do seu pescoço.

- E agora nós já falamos muito de mim né senhorita, posso saber o porque de você e o Chris não se assumirem logo que se amam. - falo simples olhando as vitrines.

- Ah... Você ficou sabendo que o Chaz e a Isa já marcaram a data do casamento? - ela muda de assunto.

- Eloisa.

- Ta bom... Vou responder. - ela bufa.

- Eu to esperando. - falo a olhando de relance quando entramos na fila no Mc. Ela respira fundo e me responde.

- Sinceramente, nem eu sei a resposta, eu só acho que ele que tem que tomar a decisão.

- E ele continua sendo um bobão. Chris nunca foi bom em relacionamentos. - falo suspirando.

- Eu percebi...

Fizemos nossos pedidos e seguimos com eles até a mesa. Comemos e ficamos jogando conversa fora, falando de todos.

Cerca de 40 minutos voltamos para a ala das lojas e seguimos até a mesma. Comprei o que eu queria com muito sacrifício. A mulher da loja quase enlouqueceu.

- Justin já são quase 23h30min. - Eloisa fala olhando seu celular.

- Calma que já chegamos.

Falei estacionando o carro na garagem do hotel.

- Hora do interrogatório.

- Vish.

Entrei no elevador com ela e apertei no botão do nosso andar. Ela foi até seu quarto e eu pro meu. Encontrei Olivia sentada sobre uma cadeira reclinável na sacada com seus fones de ouvido. Cheguei por trás caladinho pra ela não perceber, puxei seu fone e lhe roubei un selinho. Ela sorriu de lado.

- Senta aqui. - falei batendo com a mão em meu colo e ela saiu de sua cadeira e e veio até mim. - Porque está assim?

Pergunto passando levemente meu nariz sobre seu pescoço e bochecha fazendo sua pele arrepiar. Ela arfa deitando sua cabeça em meu ombro. Olivia respira fundo, e espero ela falar.


Notas Finais


Quero saber os estão achando!! Bom, estou passando aqui rapidao, mais no próximo falo com vcs cm mais calma!! Bjus meus amores❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...