1. Spirit Fanfics >
  2. Meu talismã (Saida) >
  3. Doença e baile ( Não revisado)

História Meu talismã (Saida) - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Doença e baile ( Não revisado)


Por volta das meia-noite, Sana e Dahyun caminhavam pelas ruas de Seul, com seus casacos, porém, ainda encharcadas, nenhuma das duas ousou comentar sobre o beijo e a aproximação repentina.

_Dahyun ? Chama à atenção da garota que parecia tremer por conta do frio. _Se aproxime, se andarmos juntas podemos nos esquentar. Sorri envergonhada quando a mais nova faz o que é lhe pedido. _Vai mesmo para casa ? Não quer passar a noite no meu apartamento ? Prometo que minha família não estará lá. Ri fraco após pronunciar tais palavras. 

_O problema é que, não avisei nada aos meus pais, e meu remédio de alergia está em casa. 

_Está me evitando, por conta...daquilo ? 

_Umm ? Que bobagem ! Não estou te evitando, é a verdade. 

_Não sabia que era alérgica. 

_É como uma gripe forte. 

_Umm. 

_Ei, por que esse mal humor ? 

_Queria passar a noite com você. Faz um biquinho fofo, Kim nega com a cabeça rindo, logo sente as mãos de Sana sobre sua cintura. _Realmente gostei da pedra, é um bom lugar. 

_Podemos voltar lá amanhã se quiser. 

_Seria ótimo. Após as aulas ? 

_Claro, logo quando sairmos. 

_Dáh ? 

_Fala Shiba...

_O nosso beijo, e-ele significou algo para você ? 

_Somos amigas Sana, nada vai mudar isso, pode ficar tranquila. 

_Amigas... Balbucia. _É ! Claro, amigas !

_Sobre passar à noite na sua casa, por que não passa na minha ao invés disso ? Yamato irá se importar ? 

_Posso ligar para ele quando chegarmos, mas ele deve deixar sim, não sou um bebê, tenho 18 afinal...

_18, sorte. 

_Diz àquela que tem 16. Vira os olhos em ironia. 

_Meus pais me tratam como um bebê. Infla as bochechas emburrada. 

_Nem imagino o por quê. Zomba da morena. 

_Senti sua falta Sana. Você sempre foi minha melhor amiga, lhe ter de volta...é tão bom.

_Digo o mesmo, nós mudamos não posso negar, mas, de um jeito bom. Encara o rosto sorridente de Kim. O resto da "viagem" se passou em silêncio, mas não um que incomodasse. Mais uns 10 minutos de caminhada e logo chegariam à casa de Dahyun. 




A coreana toca à campainha, sendo recebida pela sua mãe, que abre um enorme sorriso ao notar à presença de Minatozaki. 

_Sana ? É você mesmo ?! Hyuna diz abraçando a garora forte. 

_S-sim, sou eu. Afirma quase sem ar. 

_Ai meu Deus, desculpa. Ajeita o casaco da mais nova que ria. _Fazem anos...você está enorme, mais alta que a Dahyun.

_É mãe, nós já percebemos isso. Cruza os braços arrancando gargalhadas das outras duas. 

_Falando em Dahyun. Arqueia a sobrancelha. _Onde as mocinhas estavam ? 

_Na pedra omma, não se preoucupe. 

_Na-na pedra ? Respirou fundo. _Precisamos conversar. Seu ar sério era deveras assustador. _Mas antes, entrem, se acomodem. 

_Com licença... Sana diz ao seguir as coreanas. 

_Yamato sabe que está aqui ? 

_Não, mas, irei avisa-lo. 

_Certo, não se esqueça disso em. Minatozaki assente com a cabeça. _Ainda lembra onde fica o quarto da Dahyun ? 

_Segunda à direita ? Coça a nuca meio confusa. 

_Esquerda, foi quase, mas sim, é esse, pegue alguma roupa dela, e toalha, o banheiro é logo ao lado, enquanto isso.... Encara a filha que desvia o olhar. _Terei de relembrar à minha filha sobre alguns comportamentos. 

A japonesa engole à seco, não poderia se intrometer no assunto, por isso, apenas reverencia subindo as escadas, se guiando até o guarda-roupas de Kim. 

_No que estava pensando ?!

_Sobre a Sana ? Não está feliz de recebe-la ? 

_Não se faça de sonsa Dahyun ! Você pulou daquela pedra, não é ?! 

_O-omma eu- 

_Já pensou ter uma crise ?! Seu coração poderia parar, ou até mesmo seu pulmão, só pode estar brincando comigo... A mulher põe as mãos sobre a cabeça se sentando no sofá. 

_Desculpa... A jovem se junta à ela, Hyuna chorava baixo. _Mãe...por favor, pare de chorar. 

_C-como parar ? Você é minha filha, e-eu poderia ter te perdido por conta dessas suas idéias estúpidas ! 

_Estúpidas ?! Eu sempre pulei daquela pedra ! Por que tenho que parar de fazer tudo que gosto ? 

_É preciso...seu corpo está fraco e debilitado, Dahyun...pare de se esforçar tanto, pelo seu pai...por mim...

_Não quero ficar atada à uma máquina minha vida inteira ! 

_E não vai ! Se levanta enxugando as lágrimas. _Você vai ficar melhor, os remédios estão dando efeito, até mês passado sua pele estava pálida e seus olhos tão perdidos,  a melhora é evidente. 

_Promete não mentir para mim ? 

_Umm, o-o que ?

_Só não crie falsas esperanças. 

_Não são falsas meu amor, seu appa trabalhou tanto hoje, conseguirá pagar o tratamento. 

_Só dou prejuízo à vocês. Fita o teto, não conseguia encarar sua omma. Hyuna volta à se sentar. 

_Só seja mais cautelosa, é o suficiente. Abraça à filha. _Agora... Acaricia o rosto da mais nova que já se encontrava com os olhos marejados. _Dê um sorrisinho para mim. A garota obedece abrindo um sorriso fazendo seus pequenos olhos fecharem. _Te ver feliz, faz todo o esforço valer à pena.

_Eu te amo mãe... Deixou as lágrimas escorrerem. As duas ficam ali somente entre olhares. 

_Aproveite sua noite com Sana, vocês eram tão amigas. A Sra.Kim muda de assunto já se levantando. 

_Ainda somos, omma, ela não mudou nada, nada além de seu corpo... Sussurrou a última parte para si. 

_Tem os traços de Naomi. Suspira. _O velório estava cheio ? 

_Não muito, umas 10 pessoas. 

_Sinto não ter ido, a empresa estava uma bagunça hoje, um turbilhão de documentos para assinar. Nega com a cabeça.

No balcão havia uma pequena caixa, repleta de remédios, a mulher aponta para a mesma, Dahyun assente com a cabeça se guiando até o objeto enquanto sua mãe lhe traria um pouco de água. A jovem passa alguns minutos ali fazendo uso dos medicamentos. 

_Suba logo, pode deixar que arrumo isso aqui, Sana deve estar lhe esperando. 

_Obrigada omma. Beija a bochecha da mulher que sorri satisfeita, Kim sobe as escadas devagar, dando de cara com Minatozaki usando um de seus pijamas, o mesmo ficava extremamente curto na mais velha. 

_Sua mãe está bem ? Era sobre mim que ela queria falar ? Posso ir embora se for o caso- 

_Sana ?

_Assim, eu não quero incomodar ninguém, ainda mais seus pais que são tão queridos e- 

_Sana ? 

_Devem estar cansados ou apenas enjoados do meu rosto, além de- 

_SANA ! 

_Meus Deus...para que gritar dessa forma ? Massageia os ouvidos. 

_Desculpa, mas eu precisava te interromper. Minha mãe só estava reclamando por eu ter entrado naquela água à noite, e depois ter pego vento, medo da gripe, coisas que só Hyuna de preoucupa. Ri tentando disfarçar. 

_Não me parece ser isso.

_Mas foi. Seu tom firme, amedrontou Sana por um instante. _Ah... Passa a mão sobre o rosto. _Desculpa de novo, estou cansada. 

_Não vou ocupar seu tempo, aquela bolsa que trouxe- 

_Lá na sala. Nem esperou à outra terminar. 

_Obrigada. A japonesa agradece sem-graça baixando seu short, Dahyun se sentiu culpada ao desejar que a mesma não tivesse feito isso. 

_É...v-vou tomar banho. Kim encerra o silêncio constrangedor. 

_A-ah, t-tá, é, eu vou lá para baixo. As duas assentem ao mesmo tempo seguindo seus caminhos.

¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

Dahyun já estava deitada em sua cama, quase fechando os olhos. 

_Dahyun ? Está dormindo ? Sana adentra no cômodo parecendo confusa. 

_Não, eu, n-não. Se senta coçando os olhos. _Pode falar. 

_Onde estão os cobertores ou o colchão ?

_Umm ? Para que isso ? 

_Para eu forrar aqui embaixo ? Ri como se fosse óbvio, na verdade, era sim.

_Chão ? Tcs, deita logo aqui, para de frescura. Chega para o lado levantando o cobertor. 

Minatozaki fecha a porta com cuidado apagando a luz. 

_Certeza disso ? Diz se aproximando, logo sentando ao lado de Kim, a mais nova se deitava.

_Já até apagou a luz, e eu estou me deitando, claro que tenho certeza. Toca na coxa da mais velha que sentiu um arrepio no pescoço, tal que se espalhou quando Dahyun arranhou a área. 

_D-Dahyun, o que está fazendo ? A mão da garota quase adentrava pelo short de Sana. 

_Umm ? Finge desentendimento. _Estou te incomodando ? Minatozaki apertou os lençóis ao sentir os dedos de Kim próximos à sua intimidade. 

_E aquele papo de amizade ? Trava o maxilar tentando não fraquejar. 

_Estou apenas acariciando você, não posso ? Amigas fazem isso. Voltou à se sentar. 

_E posso saber o que amigas não fazem ? Pergunta provocativa inclinando seu rosto para frente, Kim sorriu cúmplice aproximando o seu na mesma velocidade selando seus lábios mais um vez, era calmo, um precioso momento como aquele deveria ser aproveitado, Sana suspirou durante o contato, sua voz doce fazia a coreana enlouquecer internamente, a morena sobe em seu colo respirando fundo logo voltando à beija-la, rebolando na garota que continuava à suspirar segurando em sua cintura de maneira firme. 

_A-amigas... Estava ofegante. _Não fazem isso... O peito de Dahyun subia e descia tomando controle novamente de sua respiração. 

_Desculpe, ainda não entendi muito bem. Forja uma feição confusa rindo em seguida, Kim à empurra, deixando-a de costas no colchão voltando à beija-la.


¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

_Estamos saindo omma ! 

_Até outro dia senhora Kim ! 

_Boa aula meninas ! A mulher grita dentro da casa se despedindo, permitindo que Dahyun fechasse a porta. A de cabelos rosados junto à morena iria à pé até a escola, que não era muito longe dali. 

_Uma semana e três dias que estou morando aqui, passa tão rápido. Sana comenta iniciando um assunto. 

_Ah, o tempo às vezes joga contra o nosso favor. Dahyun parecia cabisbaixa. 

_O que quer dizer ? 

_Nada, apenas asneiras poéticas minhas. Ri sem humor fazendo à outra desconfiar. Estende sua mão, Minatozaki encara aquela pequena parte do corpo de Kim não tartando em segura-la logo sentindo seus dedos entrelaçarem. 

_Poética... Como andam os seus poemas ? Está conseguindo ter novas idéias ?

_Ainda nenhum novo, elas brotam do nada, talvez durante as aulas de hoje surja algum novo conceito. Sana assente com a cabeça continuando à caminhar, as duas conversaram o caminho inteiro, tendo de se separar já no ineterior do prédio. 

_Não esquece, na pedra, depois das aulas ! Dahyun diz ao longe. 

_Não irei esquecer ! Sana afirmar caminhando de costas, acaba por esbarrar num grupo de adolescentes.

_Ah, me desculpa. Os jovens à encararam sérios. 

_Sana. Escutou a voz de Rosé, a garota "popular" da escola, rica e sempre aberta à sentar num colo novo. _Não está sabendo do baile ? 

_Ah...não, e, eu só estava de passagem. Mais pessoas se aproximam impossibilitando à "fuga" de Minatozaki.

_Que baile ? Foi obrigada à perguntar. 

_Como assim "que baile" ? Jimin vira os olhos. _O de inverno, todos só falam disso. 

_Umm, não ouvi nada à respeito. 

_É claro, que eu vou com o Jungkook. Rosé afirma. _E você Saninha ? Tem par ? 

_Ainda não, talvez nem apareça nesse baile aí. 

_Simples, ela não vai por que ninguém teria coragem de aparecer com a garota mais idiota do colegial. 

Sana abaixa a cabeça apertando seu casaco enquanto todos riam. 

_Na verdade ! Escutou uma voz ao longe. _Licença, licença...  A pessoa se espremia entre as outras. _Ela vai comigo. Dahyun puxa o braço da japonesa atraindo olhares. 

_Com você ? Jimin riu. _"Garoto e garota", é o que está escrito aqui, desculpe, lésbicas não são bem vindas aqui. 

_Vamos dar um jeito, e, vocês são os idiotas ! Encara Sana com um sorriso de lado. _Esse baile, será nosso. Pisca para a mais velha que somente assentiu nervosa.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...