História Meu Titã - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bertolt Hoover, Connie Springer, Eren Jaeger, Erwin Smith, Hange Zoë, Historia Reiss, Jean Kirschtein, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman, Petra Ral, Reiner Braun, Sasha Braus, Ymir
Tags Ereri, Riren
Visualizações 44
Palavras 1.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo Dois


Depois de muita insistência, Levi finalmente conseguiu convencer o Titã (por menor sentido que isso não faça) a deixá-lo sair de suas mãos, ordenou que o gigante ficasse sentado quieto enquanto chamava seus subordinados para discutir sobre a situação.

— Então, o que acham? — pergunta, se apoiando em uma pedra pra não forçar muito a perna machucada.

Hanji é a primeira a se pronunciar, estranhamente séria.

— Que esse titã não é normal, isso é óbvio, o que mais me intriga é que ele parece nos entender.

— Estão evoluindo? — pergunta Connie, que mal consegue esconder seu medo pelo gigante.

— Será péssimo se estiverem evoluindo. — pondera Armin. — Se já quase acabaram com a humanidade, imagina o que vão poder fazer se conseguirem pensar ou planejar maneiras de nos matarem.

Silêncio cai sobre o grupo.

— Mas... — todos olham pra Sasha, que tinha tirado uma batata de lugar nenhum, quebrando o silêncio tenso. — Aquele titã não nos feriu. Pelo contrário, ele nos salvou! E ficou cuidando do capitão. E se... estiverem se tornando... hum... mais humanos?

Olham na direção do Titã, no exato momento em que ele começou a brincar com o topo dos galhos de uma árvore com metade do seu tamanho. Levi quase podia jurar que aqueles olhos verdes estavam brilhando de animação.

— Não podemos presumir que todos estejam evoluindo. — comenta Hanji, começando a ficar com aquela expressão maniaca. — Alguma coisa pode ter acontecido com ele para torná-lo diferente.

— Tipo o que? — Armin pergunta, obtendo um balançar de ombros de Hanji. 

E como sempre, a humanidade não tem certeza de nada sobre os Titãs. 

— A questão é o que vamos fazer com ele. — Mikasa diz deixando os outros surpresos porque quase nunca fala. 

— Temos que levá-lo para a base da Tropa! Preciso estudar aquele corpo lindo... — Hanji começa a babar.

— Para com isso, Quatro-Olhos. É perturbador. — Levi revira os olhos. Suspira e se levanta da pedra assim que toma uma decisão. — Vamos levá-lo para a base. Connie e Sasha, peguem dois cavalos e vão na frente avisar Erwin da situação, para preparar os soldados da base. O resto, arrumem suas coisas e vamos logo atrás.

Todos correram para seguir suas ordens. O capitão anda com dificuldade em direção aos seus próprios equipamentos, que foi levado por outro soldado porque o Titã não permitiu que fizesse esforço. 

Como se entendesse...

Levi começa a recolher o DMT mas para ao sentir uma dor intensa na perna. Bufa de raiva e tenta de novo. 

O chão começa a tremer levemente.

— CAPITÃO! — Armin grita em aviso.

Levi se vira pra ver o Titã indo na sua direção, se preparando para pegá-lo novamente.

— Não! — Levi diz firme, fazendo o gigante parar, a grande mão a poucos centímetros do pequeno corpo. — Você não vai fazer a mesma palhaçada de ontem!

Os soldados deviam estar olhando para ele como se fosse louco por falar com o gigante. Hanji só faltava desmaiar de animação.

— Merda. — resmunga, voltando a pegar seu equipamento. 

O Titã bufa, se senta no chão com os braços cruzados. Igualzinho a uma criança birrenta. 

Levi só percebe que está encarando o ser depois que ele olha pra si. Desvia os olhos rapidamente, pra logo se repreender por tal idiotisse, olha pro Titã de novo

— Você... consegue entender. — se sente a pessoa mais imbecil do mundo. — O que você é?

O Titã aponta pro próprio Levi, que fica confuso, tentando entender até ser interrompido pela maníaca da Hanji.

— EIIII! O que você está falando com o baixinho, seu lindo?? — diz afoita, pressionando ambas as mãos nas pernas do ser. — Sabia que você é maravilhoso? Você pode nos ajudar. Ajudar o Levi, porque aparentemente você gosta dele. 

— Para com isso, Hanji. — diz carrancudo, ignorando o "baixinho" que a morena ousou usar para dirigir a si.

Dez minutos depois todos os soldados partiram em direção a base. Connie e Sasha foram minutos antes. 

Dessa vez, Levi foi com um cavalo. Se recusava a passar a mesma humilhação do dia anterior, afinal, não teve escolha e não sabia como o gigante reagiria se recusasse fazer o que queria. 

Falando nisso. 

Levi olha discretamente para trás e se depara com o Titã o encarando, gira o corpo se amaldiçoando pelo arrepio que percorreu sua espinha. Maldito titã. 

Ele estava a uma pequena distância do capitão, o suficiente para não pisar nele enquanto anda e parecia alerta a cada movimento dele. 

De todas as pessoas, por quê esse titã de merda cismou justo comigo?

Um dia e meio depois já conseguiam ver a Muralha Rose. Por incrível que pareça, somente três titãs apareceram, que logo foram dizimados pelo Titã. Ele definitivamente estava protegendo o grupo de soldados, principalmente Levi. 

Todos perceberam que o Titã ficava agitado quando alguém do grupo deles se aproximava do baixinho, o que, para desgosto do Capitão, virou piada. Um titã apaixonado por um humano. Essa é novidade.

Apesar de ser assustador a ideia de ter um titã por perto, se acostumaram com a presença calma de quem apelidaram de Titã. Bem criativo.

Levi ergueu os olhos e viu que a muralha estava repleta de soldados armados, diversos canhões apontados diretamente para o Titã, prontos para atirar. 

Estava prestes a ignorar a dor na perna e disparar na frente para pedir que não atirem, quando se deu conta que se fizesse isso o Titã correria atrás dele, assustando os soldados na muralha, que atirariam. Desceu do cavalo e o entregou para Hanji.

— Vai na frente e diga para não atirarem.

Sem pensar duas vezes a morena sobe no cavalo e dispara na frente. 

Olhou pro Titã, odiando a ideia que acabou de ter.

— Ei. — o gigante se abaixa. Respira fundo e fala antes que se arrependa. — Me leva na sua mão.

Prontamente o Titã coloca as mãos em concha para ele subir.

— Deixe suas mãos abertas pra que eles consigam me ver. — e assim ele fez. 

À poucos metros da muralha já era possível ver a agitação dos soldados. Hanji estava ao lado de Erwin, que parecia relutante em fazer seus soldados baixarem as armas.

— ERWIN! TÁ TUDO BEM, ELE NÃO VAI MACHUCAR NINGUÉM! — grita Levi.

— COMO PODE TER CERTEZA?!

— EU AINDA ESTOU VIVO, NÃO ESTOU? 

As portas da muralha finalmente começaram a se abrir. O grupo cansado foram quase se arrastando para a base do outro lado. O Titã foi por último com Levi ainda em mãos e ao surgir do outro lado, uma fileira de soldados estavam com suas lâminas apontadas pro gigante.

— Mas que porra, abaixem as armas! — Levi esbraveja, já se irritando com essa situação. Só queria descansar em seu quarto. — Me coloca no chão.

Assim que toca o solo vai ao encontro de Erwin, que está descendo da muralha.

— Onde você encontrou ele? 

— Estávamos perto da Muralha Maria quando fomos atacados por um grande números de titãs. Ele apareceu e matou quase todos.

Erwin estufa o peito, analisando o Titã que tinha se sentado e olhava diretamente pra ele. 

— Isso pode não ser seguro. Ele pode surtar, voltar ao instinto original e tentar nos matar. 

— Ele pode tentar, mas vou matá-lo no instante que perceber algo diferente. Hanji quer estudá-lo, isso pode ser um passo para o triunfo da humanidade.

Erwin sorri.

— Ser tão espirituoso não é do seu feitio. Hanji disse que esse titã está apaixonado por você. O que isso quer dizer?

— Nada. — Levi anota mentalmente para não esquecer de dar uma surra na morena depois. — Ele só me obedece. 

— "Só"? — parece estar se divertindo com a situação. Seu semblante logo retorna a seriedade, enquanto olha pro titã. — Ele fica, vou garantir que essa informação não saia daqui. Vamos ver onde isso vai dar.








Notas Finais


A inspiração fugiu pra casa do caralho e só voltou hoje. Desculpem a demora😅

Quando estava relendo o capítulo, percebi que faço as coisas acontecerem rápido, isso incomoda vocês?
Não gosto muito de enrolar a história.

Obrigada pelos comentários e favoritos❤️🤗

Até o ₱róximo ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...