História Meu ursinho de pelúcia Ong SeongWoo - Capítulo 5


Escrita por: e polyloli

Postado
Categorias Wanna One
Personagens Kang Daniel, Seongwoo
Tags Fluffy, Ongniel, Yaoi
Visualizações 78
Palavras 762
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🐻

Capítulo 5 - Amar -


Fanfic / Fanfiction Meu ursinho de pelúcia Ong SeongWoo - Capítulo 5 - Amar -


Eu chorei, depois de todo o meu dia de procuras pelo Ong, eu chorei 


Quem diria que eu estou chorando por um ursinho de pelúcia/humano 


Logo eu, que achava que tudo isso era loucura. 


Agora, em pleno dois dias, longos e tristes, eu já não sei o que fazer, já fui em todos os lugares possível de se encontrar algo que foi parar no lixo, mas eu não achei, perdi ele junto com a minha felicidade. 


E agora eu pude perceber que estava gostando, ou melhor, que gosto dele, sim eu gosto de um URSINHO DE PELÚCIA! 


Isso é...tão idiota e até, bom ao mesmo tempo, e principalmente surreal...que ironia comparar a surreal, logo agora. 



Decido sair um pouco de casa, com o intuito de passar por onde andei com Ong e me corroer lembrando de suas reações com tudo que viu 


lá estava eu, dando importância até para uma folha caída no chão, assim como Ong fazia..


- Aish, isso é deprimente! - resmungo comigo mesmo.


Depois de um tempo decido voltar para casa, e no caminho, esbarro com uma criança que parecia estar bem distraída fugindo de outra e acabou deixando algo cair, algo não, um...NÃO PODE SER! 


- Ong???! - pego o pelúcia e viro avistando o nome que eu queria escrito, sorrio rapidamente e corro para minha casa, não me importando com os garotos gritando


Ao chegar em casa vou direto para meu quarto e abraço Ong, que ainda estava como pelúcia 


- Eu senti tanto a sua falta! - falei apertando-o contra meus braços, e assim permaneci muito tempo, e só então percebi que ele ainda está como um pelúcia, o que me causou certa angústia 


- Por quê você não vira humano? você não está feliz?? - e a única resposta que eu recebi, foi o silêncio 


- Ong... - sussurrei - por favor. 






E o que me restou nos próximos dias, foi um Ong como ursinho de pelúcia, e isso era mais triste do que não ter ele, eu queria saber o porquê!, o porquê dele não voltar a ser humano, será que ele não está mais feliz comigo? 


Eu já fiz de tudo que poderia deixar ele feliz, até levei ele para os lugares em que ele conheceu, mas..nada aconteceu 


suspiro e olho para Ong, como um flash black da noite em que praticamente o "conheci" lá estava eu, deitando, só que dessa vez vestido e ele em cima da minha escrivaninha, suspiro cansado. 


- Ah Ong...por quê? 


...silêncio 


- Por quê você não vira humano? 


...E mais uma vez, silêncio 


- Eu te amo...- reflito sobre o que falei sem nem pensar e rio irônico comigo mesmo - eu amo um ursinho de pelúcia!  - balanço a cabeça em negação e logo viro para o outro lado, me acostumando com o silêncio 


Que logo desapareceu com um estrondo, que me fez virar rapidamente e visualizar a fumaça


- ONG! 


Me levanto avistando um Ong nu e com os olhos brilhantes, e eu nem sei quem correu primeiro na direção do outro, só sei que sentir o abraço dele novamente, devolveu minha felicidade. 


- Eu também niel! eu também amo você! - sorrio mais, se é que isso era possível, e desfaço nosso abraço para fazer algo que eu nunca me imaginei fazendo 






beijar um ursinho de pelúcia. 






E realmente não me arrependo, foi, se não é, a melhor coisa que eu já fiz, é tão bom beijar a pessoa que você gosta. ainda mais quando ela não sabe e você precisa ensinar, claro que, beijando. 


E agora, com Ong devidamente vestido, não que eu não gostasse de ver ele nu, mas infelizmente ele já estava com frio 


me sinto o ser humano mais feliz do mundo, com ele em meu colo e os lábios avermelhados pelos beijos anteriores 


mas eu ainda tinha duas perguntas à fazer. 


- Ong, posso te fazer duas perguntas? - vejo ele sorrir e assentir 


- Claro que pode!


- Por quê você não virou humano assim que eu te encontrei? - perguntei o que estava me corroendo à dias 


- Eu fiquei em uma tristeza tão grande, que não consegui voltar, e nem ficar feliz, mas hoje, quando você disse me amar, acho que toda minha felicidade voltou em níveis que eu não consigo imaginar! - sorrio junto com ele e abraço-o fortemente 


- Niel?


- Sim? 


- Qual a outra pergunta? - separo nosso abraço e fito seus olhos 


E lá estava eu, fazendo mais uma coisa que nunca imaginei 






- Aceita namorar comigo, meu ursinho de pelúcia Ong SeongWoo? 







- CLARO!!!


            

                🐻



Notas Finais


Olha diabetes de graçaaa

Último capítulo e ih alá, Cypher e Polyloli também são da religião fluffy
:' )

RAA muito obrigado por todos os favoritos e comentários nessa fanfic, que polyloli criou quando estava bem aleatória brisando em como ela queria que ongniel fosse real - e cá entre nós que é real sim!...rs - e aí deu nisso kddjdkd, nós amamos escrever algo fluffyzenho justamente por ser eu - cypher ou bola de fogo, para os íntimos...q - e polyloli escrevendo algo F L Y F F Y. :3
Até porque é a primeira fanfic que escrevo decente...mas aí eu paro pra pensar e que tipo de decência eu acho que tenho? '-'

Teve muito conflito entre a gente também, porque polyloli é um animal difícil, DIFÍCIL, de lidar, principalmente por me fazer de escravo...help me plis!

Mas AAAAAAAA kaimos da motoquinha e ela ainda passou por cima. agora compramos uma lambretinha topsomzada.


🌞 Obrigado 🐦 Por ler!



🐻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...