História Meu vício - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino
Visualizações 354
Palavras 2.408
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Luta, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem

Capítulo 2 - Sequestro ?


Consigo chegar ao local onde ela iria estar demorei um pouco por causa daquele maldito trânsito  dou um suspiro longo e abro a porta do local tento procurar ela por todos os cantos , mas acabo encontrando ela de beijos com um homem .

Essa menina não sabe com quem se meteu  meu sangue ferveu , eu estava furuioso ela pertence somente a min   não aguentei e arranquei ela daquele local a mesma me olhava como alguém que não estava entendendo nada.

Chego até o meu carro onde eu impressiono ela naquele veículo , meu corpo estava tão quente só de sentir seu corpo colado ao meu , haa garota não sabe o quanto me deixa louco .

Agreste off

Dupain-cheng on

- Oque está fazendo Agreste , aquele era um dos meus melhores clientes.- digo inconformada com a forma como ele se comportou

- Quero-te de uma vez , não aguento vê você com um cara aos beijos ,  comigo - ele diz dando um sorriso malicioso - experimentará o mais puro e libertador prazer, ainda se lembra do que fizemos naquele local ? . - ele diz encostando o seu nariz em meu pescoço , sim aquilo me arrepiou me sentir tão molhada com as suas palavras .

- Agreste você me conhece e sabe que eu não posso ter relações sexuais com você .- digo tentando olha para outro lado , eu não conseguia olha para teus olhos.

- Olhe para min - ele diz pegando sua mão em meu queixo e virando para ele - pense no que minha boca pode fazer com cada pedacinho de seu corpo , tens um cheiro tão viciante quanto de uma flor , eu estou completamente louco para te jogar na cama e dar chicotadas em seu pequeno corpo.

- Está me desafiando Agreste , acha mesmo que eu te quero ? - digo mordendo os meus lábios , sim , eu gostava de provocar ele isso era algo excitante para min .

- Se você não me queres então porque olha para min com seus olhos desejosos ?, se não me queres porque toda a vez que eu toco em sua pele você se arrepiar ? E se você não me queres então porque estás molhada  ?- como ele sabe disso .

- Cretino , você não presta - digo rangendo os dentes - você só que o meu corpo para satisfazer os seus desejos.

- Você pode até está certa , mas eu nunca desejei tanto alguém como você , se soubesses a minha vontade de botares essa boquinha em meu pau , haaaaaa Dupain-cheng você não estaria respirando.

Mordo os meus lábios tentando decifrar qual gosto ele teria , sim eu queria ele loucamente .

- Sinto que estar ao seu lado é como enlouquecer progressivamente , mas é uma loucura que eu desejo conhecer , mesmo que não haja volta para min , tampouco para você meu doce - a Deus que homem cada palavra eu estava tão quente e descontrolada.

- Agreste você é a pior pessoa que eu já conheci .- digo com uma raiva imensa do que ele estava fazendo comigo .

- Posso ser tudo oque você disse , mas tu irás muda totalmente os seus pensamentos quando estiver gemendo o meu nome alto , e implorando por mais . Você não percebe o perigo que está em sua frente .

- E mesmo não acredito em nem um pingo de suas palavras repugnantes , você não pode me obrigar a ser sua sou uma mulher livre e exijo o meu direito.

- Tola , como eu disse não sabe com quem está falando tenho uma vontade demoníaca de possuir até mesmo sua alma , haa meu doce e belo anjo minha vontade é de como um animal em busca de seu mel minha pergunta é qual será o seu gosto ?- ele diz mordendo o lóbulo de minha orelha.

- Não , Não quero-te não desejo ficar perto de você aquilo que aconteceu era o meu trabalho ,acha mesmo que você irá me ter como todas que se dispuseram a sua vontade - digo dando um sorriso vitorioso

- Cala-se não sabes oque estás fazendo comigo , não sabes  minha vontade de possui-la como um demônio querendo uma alma para poder se saborear. Você não me conhece Dupain-cheng não sabes oque eu posso fazer contigo , e tudo que eu quero eu tenho pois aqui quem manda sou eu .

Logo após ele falar isso só sinto meus olhos pesarem e eu desmaiar mas antes de eu desmaiar o mesmo me segura em seus braços sinto o seu perfume viciante e adocicado , sim , era tão bom está perto dele mas algo me diz que ele é tão perigoso quanto a um monstro.

- tens um cheiro tão bom - digo sussurrando e assim eu apago , droga eu só me meto em merda agora olha onde eu estou , oh , céus , eu preciso sair de perto dele .

(....)

Acordo em uma cama tão macia , lençóis de seda me cobria era tão bom estar em um lugar confortável , mas aí eu me lembro do que aconteceu horas atrás ,arregalo os meus olhos e dou de cara com Adrien sem camisa somente com uma calça preta colada em suas pernas , suas coxas grossas e torneadas seus músculos , oh céus eu teria um orgasmo só de vê-lo ali .

Demônio , sim ele é ,droga porque tem que ser um homão  porque me sinto tão afetada só de olha-lo . Me sento na cama Adrien estava com óculos redondo e lendo o seu livro o mesmo estava de pernas cruzadas .

- Você não presta , porque me colocou logo aqui eu estava bem no lugar onde eu estava , demônio , você é o pior tipo de pessoa que existe .

- olha ela - ele disse fechando o livro é quardando em uma mesa de vidro que estava próximo a ele - sim , sou um demônio querendo teu corpo  mas você será minha , eu  não exijo que você amenta o seu tom de voz para min - ele diz saindo de sua cadeira e sentando perto de min na cama .

- você não presta até um grão de arroz vale muito mas do que você- digo cuspindo as palavras em sua cara , sim , ele me irritava e o motivo eu não sei .

Ele dá um sorriso malicioso para min e fica em cima de min me olhando com luxúria suas mãos vão até a minha perna onde aperta com força me fazendo eu dá um suspiro pesado.

- Se soubesses que eu estou louco para fazer com você Dupain-cheng , estaria queta ,seu jeito irritante - ele diz rindo fazendo eu cruza o seu braços - além do mais além de ser uma mulher extremamente sexy ainda é uma criança imatura que não sabe de merda nenhuma.

- Agora eu que sou criança ? , Você que me pegou e me trouxe para este lugar e eu que sou criança , você é apenas um homem que acha que todo mundo tem que satisfazer seus desejos.

Ele se aproxima de meus ouvidos e sussurra:

- Meu corpo sofre quando eu não estou fazendo oque eu desejo , isso me incomoda , eu te desejo aqui , perto de min , junto a min e principalmente dentro de min.

" Só em seus olhos eu escontro a paz  que sempre almejei , mas em teu corpo eu encontro o desejo de estar dentro de você "

Não posso negar que aquelas palavras mecheu comigo de uma forma intensa , mas porque eu não consigo resistir a ele seu olhar tão intenso e seu corpo tão colado ao meu . Sinto Agreste cola os seus lábios macios e avermelhados aos meus , sim ele tinha me beijado um beijo tão doce e longo era aquele por que sua boca era tão gostosa ? sua textura tão macia quanto um algodão doce.

Sim eu amava senti os lábios dele colados aos meus parecia que eu me sentia no céu , era algo tão viciante seus beijos e tão reconfortante seu corpo .

O mesmo separa os nossos lábios por causa do ar que avia  faltado , não podia negar que eu não queria que ele se afastace.

- Tão doces .... - ele diz pegando o seu polegar e passando em minha boca levemente ,com aquele simples toque senti meus pelos se eriçarem e o pior de tudo era que eu gostava daquilo.

Adrien se aproxima de meu rosto novamente e da um beijo em minha testa demorado , aquilo me fez eu apenas o observa .

- Irei te trazer algo para você comer , acho que não se alimentou dês da hora que eu trouxe você para cá - diz ele saindo da cama e indo em direção a porta .

- Ei , eu quero sair daqui Agreste ! - digo cruzando os meus braços e olhando para o mesmo que deu um sorriso malicioso para min.

- Tola , você nunca sairá daqui meu anjo sabes que tudo oque aconteceu entre nós e apenas o começo de muitas outras coisas , agora que eu me viciei em você serás difícil de eu me esquecer..- O mesmo fecha a porta .

Aquelas palavras me assustou , que ? , Como assim ? , Viciado em min ? , mais eu não fiz nada , tento pensar em outra coisa mais era quase impossível ,Agreste estava demorando para entrar no quarto então quando eu ia cair no sono , ouço a porta ser aberta .

- oh , você deve ser a nova mulher que meu senhorzinho escolheu , nossa é muito mais bonita de perto - Diz uma menina que estava com uma bandeja de várias coisas deliciosas para eu comer .

A mesma possuía uma pele mais escura do que a minha seus olhos eram castanhos escuros seus lábios finos e amarronzados claros , seu corpo era proporcional vamos se dizer era ela linda .

- Como assim o Agreste escolheu ? - digo arqueando uma de minhas sombrancelhas , a mesma me olha deixando a bandeja de comida em cima de uma mesa ao meu lado e se senta em minha cama me observando.

- Eu não posso te dizer nada minha bela moça , o único que pode te contar e o senhorzinho mas só posso te dizer uma coisa tenha cuidado com ele .

Logo após ela  dizer isso ela sai de perto de min me deixando sozinha naquele quarto , "eu tomar cuidado "eram palavras que não saíram da minha cabeça , agora  eu tou aqui presa em um quarto de um homem que eu nem conheço.

(.......)

Eu acordei sentindo toques pelo o meu corpo , as mãos grandes de Agreste tocava minhas coxas , cintura , braços e boca . Mantive de olhos fechados apenas sentindo .

- Tão linda - ele sussurra - pena que não é minha - aperta de forma possessiva minha cintura- Iria me saciar agora - sinto ele sarrar sua ereção em meu íntimo - dorme bem meu anjo - deixa um beijo estalado no canto da minha boca se levantando , abro os meus e logo sinto um peso no colchão notando ser Agreste que fica deitado atrás de min me abraçando com apenas uma mão.

- Tão quente - ele morde o lóbulo de minha orelha me fazendo eu me arrepia , isso fez ele dá um sorriso de satisfeito - Oque achou da comida Dupain-cheng ? Sabias que foi uma das minhas melhores empregadas - ele diz dando um sorriso gostoso .

- Estava ótimo - digo pegando minhas mãos e juntando acabado olhando para baixo observando minhas mãos porque eu estava nervosa ? 

- Parece nervosa ? - ele diz acariciando meus cabelos azulados , aquilo me deixava ainda mais nervosa eu não parava de mecher os meus dedos tentando me acalmar.

- Me desculpe eu ainda não estou acostumada com esse tipo de contato - digo sussurrando baixinho percebo o mesmo sorri com aquilo - Porque me trouxe para cá ?  - digo ainda olhando para as minhas mãos.

Sinto Agreste se levanta da cama e isso fez eu me sentir um pouco aliviada , o mesmo se senta em minha frente me olhando . Aquilo me deixava eu ainda mais nervosa nunca consigo manter os meus olhos diretamente para uma pessoa .

- Eu não posso falar ainda , não está na hora de dizer a você - ele diz me observando de uma maneira intensa , sinto suas mãos macias acariciar a minha face aquele contato era tão bom que acabo fechando os meus olhos aproveitando o máximo.

- Estou com saudades - passa seu polegar sobre meus lábios- só você me deixa com saudades de um simples beijo - morde meu lábio inferior puxando com os seus dentes me provocando - Você me vicia - Agreste quebra a pouca distância entre nossas bocas , logo pedindo passagem com a língua , o contato do seu musculo quente junto ao meu era gostoso , seu sabor de menta estava presente e suas mãos bobas em minha coxa.

Mas eu me separo daquele contato mesmo não querendo .

- Não posso Agreste - digo saindo de perto dele é batendo na cabeceira da cama - Não quero-te .

Sinto ele me olha com pura raiva , sim Agreste estava irado e era a primeira vez que o via assim .

- Você me tira do sério garota , tenho que repetir isso mais de quantas vezes não percebes que dês do dia em que eu te trouxe para cá você é minha ?! - ele diz pegando o meu queixo e apertando forte para olha para ele, sua voz era grossa e alta mas eu não posso dizer que ele estava sexy bravo.

- Eu estou aqui me segurando para não bater em suas pernas com o meu chicote e fazer você gemer com a minha língua em contato com o seu corpo - ele diz me olhando com pura luxúria .

- Por mais que eu odeio admitir , você me faz te desejar como um louco . Eu gosto da forma como o seu corpo se  acolhe ao meu , gosto da maneira que você me toca e do seu jeito que sua pele se arrepia quando deslizo minha mãos por cada pedaço seu. É uma necessidade de estar dentro de você .



Se não me desejas ,sábias que em palavras você mente mais teu corpo é como uma língua que em cada contato meu ele adora "




Notas Finais


Espero que gostem e me dê idéias


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...