História Meu vizinho de infância - Jeon Jungkook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


❀ೋEstou eu mais uma vez aqui, jagyias! <3

Bom, essa fanfic é uma repostagem do meu IG do Instagram, somente mudará os personagens principais e também um pouco da escrita.

— Jung S/N, 22 anos
— Cha Eun Woo, 25 anos
— Jeon Jungkook, 23 anos

Espero com sinceridade que vocês gostem dessa fanfic.

❀ೋTenham uma excelente leitura!

Capítulo 1 - Mudança de casa e vizinhos novos.


Fanfic / Fanfiction Meu vizinho de infância - Jeon Jungkook - Capítulo 1 - Mudança de casa e vizinhos novos.

Meu vizinho de infância

— Não está na hora de você dormir, meu bem? — Perguntou meu marido — Cha Eun Woo — que percebeu minha demora para ir deitar após ficar algumas horas na sacada da nossa casa. — Você não quer dormir? — Comentou em um tom repleto de sono, coçando os seus olhos avermelhados.

— Desculpe-me se acordei você, Eunwoo. — Levantei-me, ficando quase da altura do mais velho. — Mas, você sabe muito bem das quase todas as noites que eu costumo vim aqui na nossa sacada, aproveitar a vista.

— Sim, conheço muito bem essa sua atitude. — Aproximou-se da minha pessoa, colocando uma coberta grossa por cima de meus ombros, amenizando o frio que meu corpo estava consumindo. — Mas também, você esqueceu da viagem que faremos amanhã? Você tem que descansar e repôr suas energias, garota.

— Você tem toda a razão, Eunwoo... — Suspirei derrotada, ele tinha a total razão de repreender aquela minha atitude.

— Vem, eu vou te levar até a nossa cama. — Segurou docilmente a minha mão, me arrastando e levando até a nossa cama de casal. — Prontinho, agora podemos descansar, certo? — Sorriu abertamente com seu rosto, antes sereno.

— Por que és tão carinhoso comigo? Talvez eu não devesse perguntar isso, mas, gosto e admito que gosto de ser tratada assim por você. — Retribuir ao seu sorriso contagiante, tão meigo comigo.

— Só estou fazendo o meu dever, cuidar do que é meu... — Disse meio sem graça, ele sabia que eu não era sua, nunca fui.

— Já conversamos sobre esse assunto, sabemos que eu não estou convivendo nesse casamento por vontade própria, Eunwoo. — Tranquei meu sorrindo, voltando ao meu rosto sereno de antes novamente.

— Eu não quero brigar contigo, apenas descansar juntinho de você, tudo bem assim? — Assentir, finalmente deitando agarrada na cama com meu marido.

Estar com Cha Eun Woo, não era tão péssimo como parecia ser. Eu até que tenho um sentimento afetivo pelo mesmo, mas não é nada parecido com o que eu sentia pelo Jeon Jungkook, meu antigo vizinho e amor da minha vida toda na adolescência.

Mesmo que naquela época eu fosse tão nova quanto ele, era perceptível que meus sentimentos por Jeon, eram totalmente sentimentos verdadeiros de amor.

Agora, mesmo sem querer, tenho que aprender a conviver com meu marido por um tempo indeterminado, o que será difícil por não existir amor verdeiro da minha parte.

...

07:59AM

Acordo com as janelas do quarto abertas, dando a total liberdade para que o sol iluminasse meu rosto. Os raios de sol ainda estavam fracos, o que dava a entender que ainda era cedo da manhã. Tentei fechar o olhos e me concentrar em dormir um pouco mais novamente, mas, fui impedida por um ser acastanhado que entrou no quarto fazendo barulho com sua voz um tanto quanto rouca.

— Trate de se levantar da cama, Jung S/N! — Constatou, mirando seus olhos sobre mim, mantendo um semblante neutro — Quer mesmo se atrasar para nosso vôo?

— Deixe-me em paz, Eunwoo! Eu quero dormir somente um pouquinho mais... — Afago meu rosto no travesseiro e me enrolo nas cobertas novamente, na esperança que ele — Cha Eun Woo — desistisse do seu objetivo, me fazer sair da cama macia e aconchegante.

— Acha mesmo que irei desistir de te fazer levantar da cama, princesa? — Aliviou seu semblante sério, agora um pouco mais relaxado, aproximando-se da cama. — São oito horas da manhã, e você permanece querendo dormir. Já falei que vamos acabar perdendo o vôo por sua causa?

— Aish, você é um chato! — Argumentei, deixando o mais velho, ligeiramente com cara de tacho. — Saiba que, só estarei levantando da cama porquê você não pararia de mim importunar!

— Enfim, senhorita... — Sibilou sutilmente, mantendo-se calmo pelo meu nenhum interesse em obedece-ló. — Como era de se imaginar, sabíamos que você não arrumaria suas malas de viagem, então eu as arrumei... Elas estarão na sala, então, ao mesmo vá se arrumar, para facilitar algo.

— Ótimo! — Levantei-me calmamente da cama, calçando meus chinelos verdes e arrudiando a cama, indo até o mais velho, parando em sua frente. — Mesmo não parecendo, eu te acho maravilhoso, Eunwoo. — Beijei sua bochecha em um ato inesperado, e, caminhei até o banheiro ligeiramente, deixando-o no quarto pensativo.

— Além de me achar maravilhoso, por que também não poderia me amar? — Suspirou frustado, evidenciando o seu descontentamento, em relação a nunca poder entender o que acabou de se perguntar. — Eu mereço!

...

— Ufa, finalmente dentro do avião! — Afogo a cabeça no assento do avião em movimento, ficando totalmente confortável naquela posição. — Estava insuportável ficar no aeroporto com aquela multidão de pessoas. — Revirei os olhos, lembrando de toda aquela barulheira dentro do local.

— Tinha que passar um dia quase todo retrucando? Isso irrita para um cacete, garota! — O acastanhado, fingiu indignação.

— Você que é irritante, e além disso, se incomoda em tudo. — Pronunciei despreocupadamente, ignorando as palavras de ofensa de Eunwoo.

— Voltando ao assunto que eu iria falar antes, se você não reclamasse tanto... — Proferiu com um tom levemente irônico — Nossa casa está totalmente comprada e mobiliada, e sabe o quê mais? — Arquei uma sobrancelha, esperando que o mesmo continuasse o assunto. — Disseram que, teremos ótimos vizinhos!

— Que isso seja a mais pura verdade que disseram a você. — Sair da posição confortável de antes, e o olhei com depresso pelo que falaria adiante. — Porquê sinceramente, não estava dando para suportar nossos antigos vizinhos, eles fudiam todos os dias, praticamente. Os gritos daquela mulher — Minha vizinha, agora antiga — Eram insuportáveis!

— É, eu sempre soube disso, não precisava entrar em detalhes tão específicos... Mas, já que você falou desse assunto, eu digo que, também faria com você, mas precisa de colaboração para isso acontecer, certo?

— Estás ficando louco, Eunwoo? — Perguntei-lhe, de imediato.

— Não acha que pessoas juntas com as outras, deveriam fazer isso? Ter esse afeto amoroso? — Respondeu-me com outra pergunta, tentando manter-se indiferente possível, apesar de que, aquele assunto também estava incomodando o mais velho. — Tivemos relações íntimas somente duas vezes, isso me entristece...

— Me desculpe, sabemos que sou a pior esposa que possa existir nessa face de terra... — Rolei os olhos, olhando para o chão, um pouco constrangida com tal situação — Pensei que talvez... — Fui interrompida na minha fala, imediatamente.

— Tudo bem, meu anjo... — Tocou levemente minha cabeça, a levando até seu ombro, me fazendo deitar sobre o mesmo — Não vamos comentar sobre coisas que possam nos entristecer enquanto estamos indo tentar algo diferente, tudo bem?

Respirei fundo, puxando ar dos meus pulmões. Sim, eu sabia que nada mudaria para melhor estando em um casamento forçado, onde você não ama seu parceiro e nem a si mesma.

— Tudo bem então... — Fui vaga em minha resposta para o garoto, adormecendo em seu ombro com poucos minutos.

...

Desembarcamos finalmente em outro país, vulgo Coréia Do Sul. Não perdemos tempo em se direcionarmos até nossa nova casa, uma casa expendida aos meus olhos. A casa se encontrava com dois andares, da cor branca com cinza, um jardim bem chamativo na entrada, e murros pequenininhos nas redondezas da casa, o que facilitava facilmente a visão para a casa ao lado.

A rua onde iríamos morar a partir de agora, era bem calma, ninguém se encontra caminhando pela rua, nem mesmo nas calçadas de suas casas. Os nossos vizinhos eram tão silenciosos, nem se incomodaram em sair para fora vendo que a casa ao lado seria ocupada por novos vizinhos, o que me faz pensar que são um tanto quanto, antissociais.

— Devemos entrar agora, meu amor? — Indagou, contente. Céus, ele estava tão feliz.

— Há! — Parece despertar de um transe ao ouvir ele me chamar, sorrir boba ao ver o seu ânimo. — Claro, vamos entrar sim, agora mesmo!

Tiramos nossas últimas malas de roupas e acessórios do porta malas, logo fechando o porta malas e as puxando, entrando dentro da nossa nova e linda casa, fechando a porta, é claro.

— O que está achando da casa até agora, S/N? — Perguntou animado mais uma vezes. Essa animação não acabará?

— Eu estou amando cada centímetro dela, é simplesmente perfeita! — Disse ainda fascinada, olhando tudo ao redor — Nunca imaginei que fosse fazer uma escolha de casa perfeita como essa, Cha Eun.

— Fico feliz que eu tenha ao menos te agradado com isso, amor... — Comentou, abaixando a cabeça. Ele estava tímido ou triste? — Afinal, acho que vamos morar aqui até o final de nossas vidas, então... era o mínimo que eu poderia fazer, escolher uma boa casa.

— Entendo... — Não quis levantar críticas sobre o que acabou de sair pela boca do rapaz, mesmo não sendo a minha intenção morar com ele até o final de nossas vidas, estou aqui somente por pena, praticamente.

— Você acha que deveríamos contratar uma empregada? A casa ainda está um pouco empoeirada, isso prejudicaria a sua alergia a poeira, você é um pouco sensível. — Murmurou um pouco baixinho a última frase, quase inaudível, todavia, eu escutei perfeitamente, de modo que foi inevitável um sorriso de sacasmo escapar de meus lábios.

— É, você tem razão, precisamos de uma empregada por uns dias nessa casa. — Caminhei em passos firmes até sua frente, podendo sentir ambas respirações se misturarem. — Pois, como você disseste, eu sou muito sensível. — Me afastei de si, com um sorriso agora maroto em meus lábios, vendo que o mesmo suspirou aliviado com a minha afastação, pelo visto, não sou eu a sensível a certas "coisas."

— Então... está um calor, certo? Eu estou com calor, você não está com calor? Aposto que está sim com calor! — Indagou, todo atrapalhado com suas palavras, ato que me fez ri baixinho.

— Também estou sim, com calor, Eunwoo... — Mordir os lábios, tentando reprimir a risada gostosa que estava com vontade de soltar naquele exato momento, devido ao comportamento do garoto a minha frente. — Cuide em tomar seu banho, logo após você terminar, irei eu tomar o meu, tudo bem?

— Sim, tudo bem sim! — Céus, por que esse garoto fica tão nervoso somente com a nossa aproximação? — Estou indo. — Afirmou, subindo as escadas ligeiramente ao encontro do banheiro.

— Bom, vamos explorar mais essa mansão de três andares. — Sorri com meu comentário, logo subindo as escadas e indo em direção a um dos quartos da casa, vendo que umas das janelas do cômodo, me dava a total visão do quarto da casa vizinha. — Oh, parece que temos um casal de vizinhos. — Fiz mais um comentário, vendo que o quarto a minha frente, tinha todos os detalhes de um quarto de casal.


Notas Finais


Não prometo atualizar todo os dias, certo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...