História Meu Vizinho É Um Vampiro! - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Hoseok!top, Yoongi!bottom, Yoonseok
Visualizações 391
Palavras 2.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - 19


Min Yoongi

Jung Hoseok só me faz passar vergonha.

Por que, você me pergunta? Pois bem, eu posso explicar direitinho, parte por parte, desde que estávamos sem olhar um na cara do outro até agora, no caso onde estou de braços cruzados reunindo coragem pra dar um esporro milenar nesse imbecil bonachão e tosco. Se eu não sentisse algo próximo de um infarto por ele, acho que já teria deixado pra lá;

O clima lá em casa depois do desentendimento com Hoseok ficou totalmente pesado: Jin me culpou por tudo e passou dias sem nem olhar na minha cara, Namjoon não ficava satisfeito com nada, Jimin estava tendo ataques de raiva, Taehyung tinha crises de pânico e Jungkook estava perdendo cabelos por causa do estresse.

Já eu entrei em um estado depressivo mais intenso do que eu senti quando minha esposa ficou internada, a vontade de viver sumiu repentinamente, continuar firme e forte parecia cada vez mais impossível e eu estava prejudicando minha relação com as crianças porque elas tiveram que começar a se virar sozinhas por causa do meu estágio de total deterioração.

A coisa piorou mais ainda quando ele começou a sair - diga-se foder, eu não era surdo e o cara não era nada silencioso - com um tal de Ren, os dois realmente pareciam namorados e isso doía ainda mais no meu coração pelo fato dele ter me trocado tão rápido. Okay, pra falar a verdade dói mais meu ego por eu estar me desgraçando por um macho que sequer me dá bola por causa de uma visão estúpida que tem de vampiros. Meu Taehyung jamais seria um monstro!

Do nada Namjoon e Jin mudaram da água pro vinho e pareciam renovados, revigorados, eu até cheguei a perguntar se Jackson havia aparecido com pacotinhos suspeitos mas tudo o que me responderam era que eu ia presenciar uma mudança radical no modo como Hoseok estava nos tratando.

Fui arrancado da minha tristeza quando tive que começar a organizar a festa do meu garotinho de, agora, 14 anos e me encarregar de mandar convites para todos os outros pirralhos e pais chatos, isso também incluiu os irmãos pestilentos do meu genro junto com os pais bombados dele mas pelo menos Jin não ficou feito uma velha sem sexo me incomodando por causa da poeira acumulada no armário de vinho.

Quando eu estava pra chamar uma coleguinha de Namjoon percebi que os convites já estavam todos enviados, perguntei para meu filho o que havia acontecido e ele disse que chamou um convidado surpresa. Eu tentei dizer pra ele que se Jackson aparecesse na nossa csa os dois apanhariam ele apenas riu e disse que eu ia ficar muito surpreso mesmo.

De fato, eu fiquei.

A festa começou, as crianças e adolescentes começaram a chegar, meus filhos começaram a se divertir e eu tive que ficar lá numa rodinha desconfortável de pais velhos reclamando de política, capitalismo, hippies e punks enquanto eu apenas pensava que minha família era justamente um bando de punks anarquistas e sanguinários, pessoas que eles aparentemente odiavam.

Do nada a estrela da festa sumiu e eu já estava com o cu na mão do mongoloide ter resolvido beber sangue com tantos humanos por perto mas Jin começou a encher linguiça falando sobre o refrigerante ter acabado e eu precisar buscar mais. Mesmo que eu tenha visto seis garrafas de refrigerante genérico e barato que eu comprei pra não gastar tanto com os humanos fedidos, fui lá buscar mais uma até porque humanos são pragas que bebem e comem tudo o que for possível, até parecem eu. A diferença é que eu sou superior.

Como eu suspeitei o puto do Namjoon estava armando alguma coisa e o vadio do Seokjin estava o acobertando, então tentei seguir meu filho mas nem precisei porque ele veio correndo, ou melhor, foi correndo atrás de alguém que eu não pude acreditar quando bati meus olhos, era ele, em carne, osso e puro sangue.

Hoseok.

Eu corri atrás do louco desvairado antes que alguma criança precisasse de uma lobotomia e litros de ácido nos olhos e consegui prendê-lo e limpá-lo, mas ele fugiu quando fui limpar os machucados. Em seguida ele bateu a testa na pilastra da casa e caiu que nem uma banana, então todos fizemos uma rodinha em volta dele.

Estava tudo certo até que ele começou a gemer meu nome e dizer que "estava amando devorar meu cuzinho", que eu "era um puto de um apertado", entre outras coisas constrangedoras, e eu estava descobrindo novos tons de vermelho porque minha cara estava toda colorida tamanha vergonha, ainda mais com os outros pais em volta me julgando com o olhar. Valeu, Hobi.

 Depois que eu gritei e o enchi de tapas, ele acordou e então eu tentei ao máximo expressar com meu olhar que ele morreria e não passaria mais dessa noite, mas me detive em usar força física e o carreguei pro meu quarto, onde esperei ele acordar e tomar vergonha na cara, o que obviamente jamais vai acontecer porque ele é Jung Hoseok.

E aqui estamos.

— Hoseok... — Me abaixei em sua altura, colando nossos rostos, em seguida rosnando e o fuzilando com o olhar, se eu tivesse visão de calor eu já teria derretido essa cabeça enorme. A de baixo também, se possível. — Cê tá de putaria com a minha cara?!

— Yoonie...

— Yoonie é meu ovo, rapaz! — Dei um tapa estalado em sua cara. — Tá achando o que?! Que você faz merda, a gente conversa, eu choro, você come meu cu gostoso pra caralho aí acontece merda e o ciclo se repete?! Tem muita coisa errada nessa história e não é uma simples fodinha que vai apagar toda a merda que você fez, seu puto ingrato! Eu salvei sua vida dos meus filhos, evitei que meu amigo tentasse te comer, cuidei de você de longe durante esse tempo todo e você me retribuiu saindo com um garotinho que tem idade pra ser seu filho!

— Escuta aqui, nós não temos nada e você também errou! — Ele resmungou, se ajeitando no travesseiro e massageando o local que levou o tapa. — Tá doendo!

— Que bom porque foi pra doer, se fosse pra ser bom eu sentava na sua rola!

— O foco não é esse, eu me equivoquei e disse besteiras mas você tá todo errado de querer exigir fidelidade minha, em algum momento você já cogitou me pedir em namoro? Você por um acaso me ama?

— Hoseok, o que você tá falando?! — Exclamei, andando pra trás com as mãos nos cabelos. — Caralho, o que você tá falando?! Eu sou a porra de um cara de 32 anos viúvo que precisa sustentar 5 crianças, três delas tem problemas psicológicos, duas vivem tendo acessos de raiva e minha criança de 7 anos está dando indícios de Transtorno Explosivo Intermitente! Eu estou um caco e você não se preocupou comigo, se preocupou só com as suas fodas e seus desejos sexuais porque foda-se Min Yoongi, foda-se o fardo maldito que ele carrega, foda-se o fato de eu ter ofendido Min Yoongi e seus filhos, eu posso tudo! Não é assim que você é?! Sempre se achando o dono de tudo?! O bam-bam-bam, o dono do pedaço, reizinho do mundo?! Pois saiba que eu não ligo pro que você pensa que pode ser, eu não sou a porra do seu capacho, seu merda do caralho, e jamais vou ser porque eu sou dono de mim e de tudo o que está aqui, inclusive de você, seu lixo, e eu te ordeno que pare de achar que manda em alguma coisa, estamos entendidos, seu egocentrista narcisista de merda?!

— Yoongi... — Ele ficou sério do nada. — Você é uma delícia.

— Tá de sacanagem?! 

— Não, não estou. — Ele me puxou pra si, me sentando em seu colo. Corei, tentando me soltar inutilmente enquanto ele me segurava pelas coxas e me encarava com aquele sorrisinho cafajeste. — Você é tão gostoso, foder o Ren não é nada perto da sensação de foder você e esse seu cuzinho apertado, Yoongi. Mesmo que eu tenha morrido de medo por todo esse tempo eu consigo ignorar o fato de você ser um assassino que vê meus semelhantes como caixinhas de suco. Eu peço desculpas pelo modo como te tratei mas é que eu fiquei assustado, é tudo muito novo pra mim. E eu ainda quero um gato novo!

— Hobi...

Ele nem esperou eu terminar e falar e atacou meus lábios com volúpia, me odiei por corresponder e por estar gostando, comecei a chorar e não era de tristeza e sim de raiva de mim mesmo por ser tão burro e simplesmente ceder aos sentimentos que esse puto me faz sentir como se a miséria que ele me meteu durante esse tempo pudesse ser esquecida.

Foda-se, estou na seca, gosto do Hoseok e ele fode gostoso, que mal tem?

— Eu não quero preliminares, Yoongi. — Ele disse pra mim, se despindo rapidamente e fazendo o mesmo comigo. Em pouco tempo já estávamos os dois nus, ele entre as minhas pernas e eu circulando sua cintura com as mesmas. — Eu preciso muito te comer, não vou ter paciência pra te preparar e por isso vou ser o mais gentil possível, quero que você se lembre dessa foda pelo resto da sua vida. Aliás, não, não vamos foder, vamos fazer amor, Yoon.

Ele penetrou lentamente em mim e eu senti uma dor que eu jamais havia sentido antes, penetração a seco é uma morte lenta e dolorosa e Hoseok percebeu isso porque começou a dar beijos no meu rosto incessantemente, sussurrando coisas bonitas sobre mim, esfregando seu rosto no meu e lambendo meu pescoço.

— Olhe pra você, todo bonzinho me recebendo, Yoongi. Tem noção de quão perfeito você é? Dos pés à cabeça, de dentro pra fora... — Ele disse enquanto começou a estocar lentamente num ritmo praticamente inexistente, eu sentia seu membro abrindo caminho pela minha entrada e essa sensação me agoniava. — Eu te amo tanto, eu nunca vou cansar de te dizer essas coisas e talvez algum dia você sinta o mesmo, mas eu jamais teria coragem de ficar bravo nem te forçaria a nada, meu amor. Eu quero que você goste de tudo  tanto quanto eu gosto.

A intensidade aumentou mas ele continuou naquele vai e vem torturante, por mais que a força compensasse. Meus olhos estavam quase fechados devido ao prazer que aos poucos me inundava mas eu me esforçava ao máximo para manter meus olhos nos de Hoseok, que me olhava de forma predatória mas ao mesmo tempo carinhosa.

— Você é tão especial pra mim, Yoongi. — Ele juntou nossas mãos acima da minha cabeça, entrelaçando nossos dedos. Revirei os olhos ao sentir ele ir fundo e começar a aumentara velocidade. — Eu gosto tanto de você...

— Awn, Hobi! — Gemi, tentando me soltar. — Eu também gosto de você! 

— Que bom, meu doce. Eu amo seu jeitinho, é tão perfeito... — Acertou minha próstata arrancando um grito meu, aquele homem me leva do inferno ao céu em questão de segundos de uma forma tão desgraçada que eu sinto que deveria socar seu rosto várias vezes e depois beijá-lo. — Mesmo assim suado você continua uma gracinha, com essa boquinha rosa aberta gemendo meu nome... Você me faz questionar minha sanidade de vez em quando, Min Yoongi.

— Hoseok! — Resmunguei, me soltando e segurando seu rosto entre as mãos. — Por favor, vá mais rápido! 

Nos beijamos, dessa vez com mais carinho, enquanto ele se enterrava novamente em mim de uma forma mais bruta, eu comecei a gemer esganiçado e ele também, a sensação de estar me juntando com Hoseok daquela forma era incrível e eu não tenho nem palavras além disso pra descrever o quanto gosto de foder com esse homem.

Bem, eu até gostava depois do presentinho que o puto do Taemin me deixou, mas isso fica mais pra frente, ou melhor, pra daqui a pouco.

— Hobi! — Implorei, quase chorando. — Goza dentro de mim!

— Sim, bebê, sim! Argh, céus, como você é apertado!

Ele resmungou mais algumas coisas e gozou dentro de mim, depois me masturbando para me ajudar a chegar ao ápice. Ele se deitou do meu lado e me puxou pro peito dele, fazendo um carinho de leve em minha cabeça, O olhei com a cabeça encostada em seu peitoral e ele olhou de volta, sorrindo, fechei a cara e fiz uma careta.

— Não é porque "fizemos amor" — Usei aspas. — que vamos nos resolver assim logo de cara, ainda estou magoado.

— Okay, eu entendo. — Ele beijou minha testa. — Agora vamos descansar, por favor.

Acabamos dormindo, eu nem sei o que houve depois que dormimos, se a festa deu certo, se Namjoon matou os convidados, se tinham todos fugido, ou sei lá que porra poderia acontecer, mas só sei de uma coisa porque meu corpo fez questão de confirmar me fazendo correr pro banheiro rapidamente para evitar desastres.

Eu vomitei pra caralho. E eu nem bebi.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...