História Meu Vizinho Ginecologista - Capítulo 10


Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor Doentio, Meu Vizinho Ginecologista, Obsessão, Possessão
Visualizações 158
Palavras 1.381
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 10 - Onde só eu posso te alcançar


P.o.v Polyana


Flashback on:

Caminhei o mais rápido possível,ouvindo passos rápido e pesados me seguindo,mas o medo de impedia de lançar um olhar para trás.O vento forte cortava minha pele enquanto eu rezava para quem quer que estivesse atrás de mim desistisse e fosse embora.

-Que belezinha bem- ouvi uma voz rouca e logo uma risada de escárnio- vai me proporcionar uma ótima diversão putinha de esquina.

Tentei correr mas logo mais fortes estavam segurando meus braços e eu estava sem saída.Ah não.


Flashback off:

-Vocé esta bem Polyana?-dona Soraya me perguntou,parando na minha frente.Não pode ser esse nojento.

-Tá tudo bem dona Soraya,é que só me deu uma tontura- sorri amarelo,evitando olhar para o maldito que me encarava com um sorriso descarado do canto da sala- é melhor eu ir,tenho alguma coisas pra fazer.-

Me despedi rapidamente da Maya e da dona Soraya e sai de lá,completamente transtornada.
[...]

P.o.v Maya: 

Me joguei na cama,pensando no modo estranho como a Poly agiu depois que o babaca do Tyler chegou,será que ela já o conhece e ficou com vergonha de dizer?Que estranho.

-Maya,vem aqui filha-ouvi minha mãe chamar e me levantei da cama,dando de cara com ela no corredor.

-O que foi mãe?

-Já que você acha o doutor Bryan tão bonito,vai lá até a casa dele e leva esses biscoitos e aproveite e faça sua consulta sozinha filha,eu estou bem ocupada e não posso te levar-

Ela me entregou um prato cheio de biscoitos de chocolate e eu a olhei incrédula.

-Mas mãe,a senhora nunca foi de fazer biscoitos,e porque justo pra aquele...pro doutor Bryan?E porque eu tenho que ir ao ginecologista de novo?-Reclamei,rezando pra que ela desistisse dessa ideia maluca.

-Porque é preciso,quero que você faça mais alguns exames e os biscoitos é porque o doutor é muito educado querida,e largue mão de ser preguiçosa e leve logo-

Ela deu um beijo em meu rosto e me largou com aquelas drogas de biscoitos .Mãe,se a senhora soubesse que esse cara tá me perseguindo nunca pediria pra eu levar esses biscoitos e ir a essa maldita consulta.


[...]

Atravessei a rua e bati na porta três vezes,sem receber resposta,o que será que aquele doido está fazendo?Bati mais uma vez e não tive resposta,então resolvi entrar.Subi as escadas e olhei a extensão do longo corredor,tentando me lembrar onde ficava o quarto daquele doido,mas logo me ocorreu que ele poderia não estar em casa,tido alguma emergência,então dei meia volta,disposta a sair dali,até que ouvi um gemido abafado vindo de uma das portas.

Seja o que for,eu vou descobrir.
Caminhei pelo corredor,até chegar a porta correta,e cobri minha boca com espanto quando percebi o que estava ocorrendo ali.

Espiei pela fresta da porta e vi Bryan e uma mulher desconhecida e eles estavam...ai meu Deus.

-Quem está aí?-ouvi a voz dele e paralisei,sem fazer a mínima ideia do que fazer,encarando o prato de biscoitos no chão -Maya?!O que você...?

-Nada,desculpa,eu tô indo pra casa- Dei meia volta pronta pra sair correndo mas senti sua mão grande me segurar.

-Espera Maya,você...viu?

-Vi o suficiente Bryan,agora me solta!-tentei soltar meu braço,que foi segurado com ainda mais força.

-Maya,eu...me desculpa amor,ela não significa nada pra mim!-ele me encarou,parecendo arrependido.

-Não precisa me pedir desculpas Bryan,nós não temos nada um com o outro,eu só vim para a minha consulta que por acaso era hoje é nesse horário e trazer essas porcarias de biscoitos que a minha mãe fez pra você,mas percebi que você esta ocupado com outras coisas.

-Calma Maya,por favor vamos conversar amor...-ele segurou meu rosto,me fazendo olhar pra ele.

-Acho que a outra ali está te esperando Bryan,com licença-me desvencilhei das suas mãos firmes e sai correndo,ignorando seus gritos insistentes.


[...]

P.o.v Bryan:

Mas que droga,porque ela tinha que aparecer justo agora!Eu preciso fazer com que ela me ouça,preciso dizer que a Gabriela não é nada pra mim,que a única mulher que eu quero é ela,só ela.

Ela só se afasta de mim porque está assustada e é muito jovem pra corresponder meu amor,mas eu vou esperá-la,eu vou esperar até que ela seja uma adulta e entenda meus sentimentos.

Mas,enquanto isso não acontece,eu preciso garantir que ela não vai ser tocada por nenhum outro,que eu vou ser o único homem com qual ela vai ter contato.Eu preciso vê-la e explicar tudo isso,assim tenho certeza de que as coisas vão ficar bem mais claras pra ela.


[...]
              P.o.v Maya

Tentei,ao máximo,ignorar aquele nojento sentado no sofá ao lado,me comendo com os olhos,enquanto a mamãe distraída assistia um filme na TV.

-Já está meio tarde So,o que acha de a gente ir se deitar?-o idiota encarou minha mãe com um olhar malicioso que me deu vontade de vomitar,como pode a mamãe não perceber qual é a desse babaca?

-Estamos indo dormi Maya,você vem?-assenti e recolhi meu cobertor e travesseiro,desejando poder ter uma boa noite de sono pra acordar e poder pensar melhor em toda essa merda que está acontecendo comigo.


           P.ov Bryan



Me pendurei no parapeito da janela,logo pulando pra dentro do quarto da minha pequena Maya.

Me encostei na parede,encarando a minha garota que já dormia feito um anjo no meio de todos aqueles cobertores.Há momentos em que ela me perturba tanto,e outros,como esse,nos quais ela só me deixa em paz,como se todos os problemas da minha vida tivessem parado para admirar a beleza e a pureza dessa garota.Ela me faz querer viver,no sentido real da palavra.

Nunca imaginei,em nenhum momento da minha vida,sentir algo como isso que eu sinto pela Maya...

-Sua vadiazinha gostosa,hoje você não me escapa-encarei surpreso o maldito que entrou no quarto repentinamente,proferindo essas palavras.Sera que é o tal Tyler?

-Não!-ela se levantou assustada,e eu corri até ela,ignorando o olhar incrédulo dos dois sobre mim.

-O que você faz aqui seu desgraçado,porque está aqui?!-gritei,puxando Maya pro meu peito e a apertando com força.

-E você,o que faz no quarto dessa vadia?Até imagino!-ele disse,debochado,e eu não me segurei e avancei sobre ele.

-MALDITO,QUEM VOCÊ PENSA QUE É PRA FALAR ASSIM DA MAYA SEU DESGRAÇADO!-desferi socos sobre seu rosto,ignorando os gritos da Maya para que eu parasse.

-Bryan,por favor,solta esse idiota,você vai matá-lo!-suas mãos delicadas me puxaram,e eu larguei o maldito no chão quando percebi meu punho coberto de sangue e que ele estava desacordado.

-Maya,filha,o que aconteceu?!-dona Soraya entrou correndo e eu me afastei quando ela se aproximou do verme desacordado no chão-o que você fez com ele Bryan?!Ele está morto!

-Esse maldito estava tentado estuprar a sua filha!-gritei irritado,como ela foi cega o suficiente pra colocar um filho da puta pedófilo dentro da casa dela?

-Maya,isso é verdade?-ela encarou Maya com lágrimas nos olhos.A minha pequena apenas assentiu,encarando a cena completamente assustada.

-Ei amor,tá tudo bem,eu te salvei-puxei seu corpo delicado pra perto do meu,mas ela se afastou e me encarou como se não acreditasse.

-O que você estava fazendo no meu quarto Bryan?!Você é surdo?Eu já mandei você ficar bem longe de mim!
          P.o.v Maya

Gritei com aquele louco pra ver se ele entendia alguma coisa.É verdade que ele me livrou de ser estuprada pelo Tyler,mas ele tem que entender que eu não quero nada com ele!

-Mas Maya,eu só quero cuidar de você pequena,graças a mim esse idiota não tocou em você!-ele gritou,tentando me puxar pra perto dele.

-E também graças a você ele está morto agora Bryan!-dona Soraya gritou,tentando limpar o sangue do rosto daquele babaca.

-Bryan,olha o que você fez!Pelo amor de Deus me deixa em paz!-ela me encarou com os olhinhos cheios de lágrimas e meu peito doeu,porque aquela parecia ser sua decisão definitiva.Mas não a minha.

-VOCÊ VAI PRA CADEIA POR ISSO BRYAN!-Soraya gritou,totalmente descontrolada.Definitivamente eu não vou pra cadeia por livrar o mundo de um desgraçado como esse.

-Maya,amor,pegue algumas roupas suas e ponha numa mochila,nós vamos embora-puxei meus cabelos,nervoso.Eu deveria ter apenas quebrado a cara dele,mas ele mereceu isso.

-O QUÊ?Qual parte do "me deixa em paz" você não entendeu Bryan?!

-FAZ LOGO O QUE EU MANDEI MAYA E VAMOS EMBORA!-gritei,Maya já está me tirando do sério desse jeito.
Ela permaneceu parada me encarando,então eu mesmo entrei no closet e comecei a recolher algumas roupas dela aleatoriamente.Peguei sua mochila de escola e despejei todos os livros no chão,enfiando as roupas lá dentro e a colocando em minhas constas.

-Vamos embora Maya!-puxei a mão dela e a encarei com súplica-por favor Maya!

-VOCÊ NÃO VAI LEVAR A MINHA FILHA A LUGAR NENHUM SEU MALUCO-Soraya gritou,mas eu já estava na metade da escada,com Maya jogada sobre meus ombros,gritando em meu ouvido para que eu a colocasse no chão.

-Nós vamos pra um lugar bem longe querida,onde só eu posso te alcançar.


Notas Finais


Até a proxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...