História Meu..babá? (Sebaek) - Capítulo 46


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Tao, Xiumin
Tags Exo, Hunbaek, Lgbt, Sebaek, Yaoi
Visualizações 246
Palavras 1.528
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 46 - Sem idéia para título


P.O.V CHEN 10:12

-baek, baekhyun!-o chamo pela 7° vez.

-o que foi, chen?-ele diz com uma voz sonolenta.

-eu já acabei o seu café! Vamos!-cruzo os braços.

-mas eu não quero.-ele bate no seu travisseiro.

-você tinha pedido!-digo em um tom alto.

-ele levanta da cama, com a cara emburrada.-eu não estou bem, chen.-ele se aproxima.

-mas isso não é desculpa para que você não tenha que comer. -digo, com minha mão em em seu cabelo.-agora vamos.-andei até a cozinha, e o mesmo me seguiu, logo sentou-se na mesa.

-engraçado, eu nunca mais havia dormido aqui.

-realmente, assim eu pude me concertar bastante nos meus estudos e recuperar minhas notas!-falei me referindo a ele, enquanto estava de costa para o mesmo, colocando sua refeição numa bandeja amarela.

-aish! Eu nunca atrapalhei você, eu também tiro notas boas.-ele disse.

-ok, você tira!-me viro com a bandeja.-mas você sabe que eu não sou bom em decorar facilmente.-coloco a bandeja em sua frente.-você apenas me distraia.-pego a minha outra bandeja vermelha e me sento na ponta da mesa, como ele.

-mas você gostava de como eu distraia você.-ele disse com uma voz maliciosa, o que me fez ficar envergonhado só de lembrar.

-baekhyun!-falo em um tom alto, o que fez o mesmo rir.-da para você não tocar nesse assunto?!-falo, pegando meu sanduíche.

-ah ok, me perdoe.-ele fala ainda com aquele sorrisinho.

-filho, bom dia!-minha omma abre a porta com mil sacolas na mão.

-Omma!- vou até ela.-quer ajuda?

-já estou a ajudando.-uma voz do além aparece, e logo quando entra, vejo xiumin.-a encontrei no meio da rua com um milhão de sacolas, então resolvi ajuda-lá.

-esse menino é um anjo!-minha Omma fala colocando aquelas sacolas encima do balcão. Ela vai até xiumin e pega as sacolas das mãos dele, as colando junto com as outras e um pouco na mesa.-obrigado, meu querido!

-ele muda sua feição para uma confusa.-  baekhyun?

-presente!-diz em volta de algumas sacolas que a minha omma também colocou na mesa.

-o que ele está fazendo aqui?-ele arqueia uma sobrancelha.

-aconteceu um ocorrido grave na casa dele, então ele veio para a minha. Não quero explicar.-falei sério. me virei e o maior agarrou minha cintura.-xiumin! Para com isso, tem gente aqui.-disse baixo

-E?-ele ataca meus lábios, com seu mesmo e de sempre beijo feroz, que tira o meu folego.

-me afasto, sem olhar em seus olhos. Andei até a mesa e continuei a minha refeição sério.

-uau!-disse baekhyun.

-mais uma sua eu pego você!-disse entre os dentes.

-tá bom, tá bom..sem humor.-ele morde seu sanduíche.

 -sinto uma mão em meu ombro.-o que foi?-falei sem o olhar.

-aconteceu alguma coisa?- ele disse massageando meu ombro com aquela mão.

-nada.-disse curto, seco e grosso.

Desgraçado.

-acho que você está mentindo.-ele aperta meu ombro.

-você quer saber?-o olho.

-claro.-ele tira sua mão do meu ombro.

-andei em passos rapidos até o meu quarto enquanto xiumin me seguia.-agora..-tranquei a porta.-como pode ser tão falso?-fala de um jeito irônico.

-falso?-ele cruza os braços.-qual foi a fofoca, e de quem?-ele se encosta na porta.

-não interessa! Eu só não termino com você porque eu não sei o certo.- me sento na cama, com as duas mãos na nuca.

-o certo é que nada do que essa pessoa falou, é verdade.-Ele se aproxima.

-xiumin!-o olho.-não foi só uma, nem duas, muito menos três! Foi várias, seu otário!-bufo.

-e..o que...-ele se para na minha frente.-eles contaram para você?

-eu não quero falar sobre isso.-coloco minhas duas mãos entre minhas pernas. 

-ele solta um riso.-deixa eu advinha, falaram que eu transei com alguém?- ele aponta para mim com aquela carinha de ironia que dá vontade de trancar ele no quarto com kyung e o deixar ser assassinado.-você vai acreditar neles, ou em mim?-ele aponta para sí mesmo.

-aish, xiumin! eu não sei!-me levanto, mas o mesmo me empurra na cama.

- em quem?-ele fica por cima de mim.

-para com essa merda!- disse empurrando seu peitoral.

-ele segura minhas duas mãos.-eu não vou fazer nada, eu só quero que fale.

-solto os meus braços.-eu..

Olha onde eu fui me meter.

-pense bem, sua resposta vai ser justa!

As pessoas: foram muitas, e não sei se todos são amigos. Mas podem não ser também, aliás, foi tanta gente...

Xiumin: é meu namorado, se ele não gosta de me dividir com niguém...ele pode me achar algo precioso, e por isso não teria me traído.

AAAAAAAAAAISH

-então?-ele me perginta.

-respiro fundo.-acho que você está certo.

-que bom que acredita em mim.-ele acaricia minha bochecha.

-faço nenhuma feição.-agora saia de cima de mim.

-vai ficar bravo por algo que eu nem fiz?-ele diz, com um pequeno sorrisinho. Ele se aproxima do meu rosto.

-viro a cara. Ele tentou novamente, mas a virei denovo.-xiumin.-viro novamente.-xiumin!

-Me deixe tocar você...-ele fala perto do meu ouvido.

-tem gente lá embaixo e...-o mesmo da uma pequena mordida no meu lóbulo.

-sabe...ouço tantos murmuros de você...-ele da um selar no meu pescoço.-mas eu tento os evitar, porque eu acredito em sua palavra.-ele beija minha boca. Como até seus beijos calmos podem ser excitantes?-mas parece que isso não é igual para você, não é?

-uhum..-mordo o lábio inferior de um jeito inquieto.

-você precisa entender que...

-porra xiumin, me beija de uma vez, inferno!-bufo.

-as vezes eu realmente não entendo você.-ele pega no cabelo e em seguida me beija.

P.O.V BAEKHYUN 

-sabe o que aconteceu com eles?-a Omma do Chen pergunta.

-balanceio minha cabeça negando.-você quer ajuda?

-não precisa.-ela sorri.

-está bem.- pensei em ir lá em cima, mas então no meio da escada comecei a ouvir algo batendo, então voltei e saí para a rua.

-Preciso de roupas.-disse segurando a minha camisa, que era uma cinza e uma calça preta de moletom, e claro, meus chinelos e meias. -mas que dro...-meu celular começa a vibrar, então olhei e vi o nome, o que me fez abrir um grande sorriso.

-alo?

-baek...hyun?- ouço sua voz fraca.

-você está bem?

-preciso de você...

Como eu queria o beijar agora.

-qual é o seu hospital? 

*manda o indereço*

-logo, logo chego aí.- desligo.

Entrei novamente e fui até a Omma do Chen.

Estou prestes a fazer isso mesmo?

-...tia?

-sim, baekhyun?-ele me olha.

-você teria...12,00 para me emprestar?-falo em um vermelhão.

-para o que seria?-ela disse enquanto cortava algumas verduras.

-visitar o se-sehun.-baixo a cabeça.

-ô!-ela me olha.-claro, claro!-ela vai até a sua carteira e tira 12,00 reais certinho.

-obrigado, eu vou pagar você novamente.- me curvo envergonhado.

-vá! vá!- ela me empurra até a porta.

-obrigado novamente.-fiquei parado na calçada enquanto chamava um táxi.

Depois de alguns minutos ele aparece, então adentrei e já o paguei direito.

NO HOSPITAL

-moça.-chamo a atendente.

-gostaria?-ele me olha.

-gostaria de visitar oh se-hun.

-um minutinho.-ela baixou seus olhos para o computador e em seguida olhou para eu novamente.- 3° andar, sala 42.ela diz com um sorriso gentil.

-obrigado.-atirei o modo "the flash" e andei o mais rápido que pude até o elevador. Cheguei e por pouco tempo não fui dividido em mentades, porque ele já estava se fechando.

Cheguei no terceiro andar, e fui até o a sala, antes de entrar, sorri ofegante. Adentrei na mesma e o meu sorriso sumiu quando uma mulher que parecia infermeira dava comida na boca dele.

-o mesmo me olha.-baekhyun!-ele sorri.

-meu sorriso voltou, então fui até o mesmo e o beijei.-você esta bem?

-melhor agora com você.-ele acaricia meu cabelo.

-com licença.-a infermeira se retira da sala. ao mesmo tempo me deitei em seu lado e o abracei forte.

-dorme comigo hoje?

-sorrio de canto.-claro!-ele acaricia minha cintura.

-o que aconteceu com jimin?

-ele...foi preso, não só por isso, mas...por outras coisas também.-falo brincando com os meus dedos.-te explico quando você estiver em casa, imagina se você tenha uma parada cardíaca só de eu contar tudo.-falo sério, mas ele ri.

-que exagero.-ele revira os olhos.

-é verdade, horas...-ele pegou em meu queixo e me beijou novamente.

-que bom que você veio.-ele sorri.

-deitei minha cabeça no seu peito, enquanto fazia carinho na sua nuca.

P.O.V SUHO 

CHAMADA ON

Lay-caramba, onde você está?

-eu que pergunto a você! 

Estávamos no shopping tentando se encontrar, já que a última vez que nós nos vimos foi no natal. 

Lay-como você está?

-é..-sou uma curta revisada na minha roupa.-estou com uma camisa branca e é uma jaqueta jeans marrom claro. E você?

Lay-...um moletom azul.

-ajudou muito, lay! Sabe quantas pessoas estão com um moletom azul? Tipo? Passou um cara no meu lado com um moletom azul, agora.

Lay-desculpe! Eu também estou com uma calça jeans preta...

-como você facilitou.- desligo.

Continuei a minha caminhada, andei, andei e andei e nada. Então resolvi ir logo para casa. Peguei um sorvete  uva, e desci a escada rolante. Quando as portas de se abriram para mim, sinto alguém pular em minha costa.

-achei você!-ouço aquela doce voz no meu ouvido. Ele desceu e nos abraçamos.

-finamente!-sorrio.

-você já estava desistindo!-ele fala com uma cara brava.

- olha, eu tenho muita paciência, Fiquei duas horas no shopping tentando se encontrar com você.-disse apontando na sua cara.

-ele baixou a cabeça e puxou meu tronco, colocando sua cabeça no contra o meu ombro.-desculpa.

-e-eu não...não..des...-suspiro.-você é fofo demais.-reviro os olhos.

-saraghae!-ele faz coraçãozinho com dedos que estavam quase tapados pelo seu grande moletom.

-sorrio de canto.-você quer?

-ele baixou a minha mão e deu umas 3 lambidas.-obrigado, mas...eu estou com dor de garganta, então...

-então por que o chupou? se está doente não é para chu...-coro com as palavras que disse.

-ele ri.-que fofo!-ele aperta minha bochecha. -vamos logo.-ele mostra seu mindinho.

-olho o mindinho do mesmo.- o que quer que eu faça?-pergunto confuso.

-aigoo.-ele pega meu mindinho e os entrelaça.

Fizemos comprar, lanchemos, íamos assistir algum filme, mas me recusei mil vezes a não assistir um de terror. As vezes gravavamos alguns vídeos curtos de zoação. 

Quando bateu 19:40, resolvemos ir embora, então o acompanhei até alguma parada de ônibus.














Notas Finais


Estava com saudades desses shippes, então os coloquei. Sz

Perdão se ficou ruim, não me matem.

Perdão algum erro. Sz

Espero que tenham gostado.

Beijos com arco-irís. 💙🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...