História Meus olhos não veem, mas eu sinto o amor! - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Tags Yuwin
Visualizações 55
Palavras 1.781
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Essa one shot foi inspirada na novela "Tempo de amar", quem esta assistindo essa novela, vai perceber.

Boa leitura ♡

Capítulo 1 - Você é a minha cura


Mais um dia de aula passa na velocidade da luz, Sicheng arrumava sua mochila para voltar para casa, mas ele demorava bastante para arruma-lá, o chinês se mudou para Coreia do Sul após a morte de seus pais, não querendo ver coisas que fazia lembrar deles, decidiu fazer um intercâmbio na Coreia, desde que se mudou, ele morava em um pequeno apartamento perto da escola. 

Quando terminou de arrumar suas coisas, deu uma olhada na sala, tinha sobrado apenas ele e um menino estrangeiro, não sabia muito sobre ele, apenas que era japonês e era do time de futebol. Após perceber que tinha pego tudo, saiu da sala, um pouco mais atrás de si, vinha o japonês, mas o mesmo entrou na biblioteca e Winwin continuou andando em direção a saída. 

No meio do caminho para casa, Winwin foi barrado por quatro homens que o arrastaram para um beco e desferiram varios socos em si, e por ultimo, um deles pegou uma pedaço de madeira e bateu com força na cabeça do chinês que desmaiou na hora, os homens pegaram sua carteira e sairam do beco. 

Yuta que passava por ali, viu aqueles homens sairem do beco e jogarem uma carteira no chão,  Yuta esperou os homens sumirem de sua vista e correu até o objeto, o pegou e viu a identidade de Winwin, o mesmo reconheceu - já que eles eram da mesma sala e Yuta o apelidava mentalmente como "Chinês fofinho" - , ao olhar para dentro do beco, viu o chinês desmaiado e correu até o mesmo. 

- Sicheng? Sicheng! Acorde!!!

Yuta colocou a cabeça em seu peito e ouviu seu coração bater fraco, pegou seu celular e ligou para seu tio - que era médico. 

- Tio? Preciso de uma ambulância... Perto da escola... Em frente a uma loja de conveniência... Obrigado!

Yuta desligou o celular e pegou o chinês em seus braços e o levou até a calçada. Logo a ambulância chegou e Yuta foi junto, pois o mesmo sabia que seus pais não moravam na Coreia e ele não tinha nenhum amigo.

Quando chegaram no hospital, Winwin foi levado para uma das salas e Yuta ficou esperando por alguma noticia do mais novo. Uma hora e meia depois, seu tio aparece e o chama para sua sala, quando chegam lá, Yuta se senta em frente à seu tio, que começa a falar : 

- Vocês são amigos?

- Apenas colegas de classe. 

- Você disse que os pais dele morreram não é? Ele não tem nenhum amigo?

- Não, na hora do intervalo, ele sempre fica na sala. 

- Entendo. Ele foi diagnósticado com cegueira, a pancada foi muito forte.

Yuta apenas ouvia e concordava, mas estava preocupado. 

- Você sabe onde ele mora?

- Ele é o meu vizinho. 

Seu tio concordou e pegou um papel e começou a escrever algo, após terminar, entregou para o sobrinho e falou em seguida : 

- Esse remédio é para aliviar as dores no corpo, parece que ele levou muitos socos por todo corpo. 

Yuta concordou, pegou a receita e quando iria sair da sala, seu tio o chamou novamente : 

- Peço para que deixe ele ficar com você, assim alguém poderá cuidar dele. 

- Está bem!

Yuta saiu da sala e foi até a farmácia do hospital e pediu pelo remédio recomendado. Pegou o remédio e foi até o quarto onde o chinês estava, abriu a porta e encontrou o mais novo deitado com algumas faixas em seus olhos. Se sentou em uma cadeira ao lado da cama e ficou observando o "Chinês fofinho". Até que o mesmo começou a falar : 

- Quem estar aí? 

- Sou eu, Yuta! Somos da mesma sala. 

- O japonês do time de futebol. 

- Sim! 

Yuta sorriu com o apelido. 

- Por que esta tão escuro? 

- Por causa da pancada que você levou, você acabou ficando cego... 

- Cego? Mas e agora? Eu moro sozinho, não vou conseguir viver assim...

- Você pode ficar em minha casa, nós somos vizinhos!

- Somos? Mas nunca vi você sair de casa.

- Eu não costumo sair de casa. 

Eles conversaram por mais alguns minutos, até que Winwin ganhou alta e foram para casa do japonês. 

(o^▽^o) 

Quando chegaram em seu apartamento, Yuta levou o mais novo até um dos quartos e o deixou na cama, mas antes que Yuta pudesse sair do quarto, Winwin o chamou : 

- Hyung, desculpe, mas eu não sei... 

- Yuta, Nakamoto Yuta! Sei que a maioria só me conhece por causa da minha nacionalidade. 

- Desculpa, eu não queria...

Winwin parou de falar quando sentiu uma mão bagunçar seu cabelo. 

- Tudo bem. Eu não me importo! 

Winwin não podia ver, mas sentiu que Yuta estava sorrindo. Ouviu o mais velho se afastar do quarto e decidiu se deitar um pouco. 

(⌒▽⌒)☆ 

No dia seguinte, Winwin sentiu o cheiro de panquecas e se levantou da cama, usou suas mãos e as paredes como guias até a cozinha - todos os apartamentos eram iguais - , quando chegou perto da porta da cozinha, tentou encontrar algum apoio, mas acabou por ouvir um barulho de prato e em poucos segundos, braços lhe envolverem, o ajudando a se sentar. 

- Desculpe!

- Não precisa se desculpar! 

Yuta se sentou ao seu lado e cortou um dos pedaços da panqueca e colocou perto dos lábios do mais novo, viu os mesmos se abrirem e colocou o alimento dentro de sua boca e o retirou quando a mesma se fechou.

- Está gostosa! 

- Obrigado. 

O café da manhã se passou calmo, logo eles tinham que tomar banho - como Winwin estava debilitado de sair de casa, a escola permitiu que Yuta o ajudasse e ficasse esse tempo com o mais novo, sem descontar em nada - , Winwin não queria que Yuta o visse sem roupa, mas o mais velho insistiu e Winwin acabou por deixar.

Quando chegaram no banheiro, Yuta o deixou sentado no vaso sanitário e foi pegar algumas roupas e uma toalha, quando voltou, ajudou a tirar as roupas do mais novo e abriu a torneira da banheira e esperou ela encher. Fechou a torneira e ajudou o mais novo se sentar, Yuta viu que ele ainda estava com as faixas - os médicos disseram para deixa-las assim não entraria poeira nem nada do tipo em seus olhos - , então Yuta as retirou e viu seus olhos castanhos abertos, mas olhando para o nada. 

Yuta começou a passar a esponja pelo corpo do mais novo, depois passou o shampoo. Após tirar toda espuma de seu cabelo, Yuta pegou a toalha e ajudou Winwin a se levantar e enrolou a toalha em seu corpo. Enxugou o corpo do mais novo e o vestiu, quando foi enxugar os cabelos do chinês, percebeu que seu rosto estava vermelho. 

- Winwin, você está com vergonha?

- Sim, é que eu não costumo tomar banho com alguém me olhando... 

- Tudo bem, mas acho que você não vai conseguir tomar banho sem ver nada. 

Winwin apenas concordou, Yuta o levou de volta para o quarto, o deixou deitado na cama, abriu a janela e ligou o ventilador, estava muito calor nesse dia.

Yuta pegou outras faixas e colocou nos olhos do mais novo, mas quando ia sair do quarto, sentiu a mão de Winwin segurar seu pulso. 

- Fica comigo, por favor!

- Eu só vou tomar um banho, fica descansando por enquanto. 

Winwin balançou a cabeça e se virou para o lado da parede. Yuta foi para a banheiro e aproveitou a água do banho de Winwin. 

Colocou uma roupa mais leve e voltou para o quarto, encontrou o mais novo sem a camiseta e respirando calmamente, Yuta se aproximou do mais novo e tocou em sua barriga com as pontas dos dedos, e viu os pelos de Winwin se eriçarem. 

- Yuta?

- Desculpa... Eu não queria te acordar! Por que tirou a camiseta?

- Ta muito calor pra ficar com aquela camiseta. 

Quando Yuta foi falar algo, viu Winwin respirar rapidamente, até que ele lembrou que os médicos disseram que Winwin levou alguns socos em seu peito e para que ele voltasse a respirar normalmente, precisava fazer respiração boca a boca. Então Yuta se aproximou de Winwin e pressionou seus lábios contra os deles e começou a fazer respiração boca a boca, durante o processo, Yuta percebeu que Winwin segurava seu ombro. Quando Winwin voltou a respirar normalmente, Yuta parou e se afastou do mesmo e viu o peito do mais novo desce e subir calmamente. 

Yuta saiu do quarto e se encostou na parede ao lado da porta, escorregou até se sentar no chão e colocou seus dedos em seus lábios, não acreditando no que tinha acabado de fazer. Winwin não estava diferente, mas por dentro, Winwin queria muito mais um beijo daqueles lábios, corou com esse pensamento e se deitou na cama e tentou dormir sem pensar no que tinha acabado de acontecer. 

(ノ´з`)ノ

Uma semana se passou, Yuta e Winwin ficaram amigos durante esse tempo, quando Winwin tinha falta de ar, Yuta o ajudava sem pensar. Nesse tempo juntos, Winwin acabou por se apaixonar por Yuta, mas nunca contou para o mesmo. Até que em mais um dia, Winwin ficou com falta de ar e Yuta o ajudou mais uma vez, mas quando Yuta se afastou, Winwin o puxou novamente e disse antes selar seus lábios : 

- Me desculpa!

O selar durou por alguns segundos, mas quando Winwin iria se afastar,  Yuta o puxou novamente e começaram um ósculo. Quando o beijo parou, Winwin começou a falar : 

- Desculpa, mas eu te amo! Esse sentimento começou quando você fez respiração boca a boca em mim pela primeira vez. Eu não... Consigo controlar ele, eu sempre te quero por perto... 

Winwin foi calado por mais um beijo e Yuta falou : 

- Eu também te amo, não importa se você pode me ver ou não, eu te amo de qualquer jeito!

Quando Yuta falou isso, viu que as faixas que cobriam os olhos de Winwin começaram a ficar molhadas, e viu o mesmo tirar as faixas e enxugar os olhos, mas quando Winwin mirou os olhos para Yuta, eles se arregalaram e Winwin falou um pouco assustado : 

- Eu estou te vendo!

- Mesmo?

- Sim!

Winwin continuou a chorar e Yuta o abraçou fortemente, quando Yuta se afastou, começaram um novo ósculo. Quando se afastaram, Winwin falou : 

- Você é a minha cura!

(♡μ_μ)

Um mês se passou, Winwin e Yuta começaram a namorar, passaram a morar juntos. Yuta sempre diz que isso tudo era o destino, Winwin não achava, mas desistiu de negar o que o namorado dizia. Mas uma coisa que Yuta e Winwin concordavam era que Yuta era a cura de Winwin. 




Notas Finais


Comentem e deixem sua opinião!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...