História Meus professores. - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Superman
Personagens Christian Grey, Clark Kent (Superman)
Tags 50 Tons De Cinza, Christian Grey, Clark Kent, Henry Cavill, Jamie Dornan, Professor, Professor X Aluna, Professores X Aluna
Visualizações 93
Palavras 1.895
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem. Kissus *3*

Capítulo 10 - A noite perfeita.


Fanfic / Fanfiction Meus professores. - Capítulo 10 - A noite perfeita.

-Conta tudoooo, preciso saber como foi.- Disse mamãe com um sorriso enorme no rosto, lavou as mãos na pia e se serviu do Strogonoff de frango que eu havia feito. A olhei e arqueei uma sobrancelha, como uma mãe pode ficar tão feliz pela filha ter perdido a virgindade?! Não que eu seja do grupo de pessoas conservadoras, mas acho meio estranho.

-O que eu quero saber é se usaram camisinha corretamente.- Meu pai insistia nisso mesmo já tendo dito por telefone que foi usado camisinha, ele se serviu e sentou na ponta da mesa.

-Primeiramente: Pai, já disse que eles usaram camisinha. E mãe...- Suspirei e coloquei mais uma garfada de comida na boca.

-Eles foram bons com você, né? Porque se não foram eu vou pessoalmente arrancar o pau deles fora.

-Não é isso, mãe...- Revirei os olhos. –Eles foram legais... super atenciosos comigo, foram gentis...- “Só quando eu pedi para irem mais devagar.” Pensei.

-E aí, sangrou muito?

-Na verdade não sangrou muito não... Mas doeu muito, quase chorei de dor.

-Também né, foi perder logo as duas virgindades, quer o que?!- Disse papai. –E outra, não vá seguindo a “carreira” da sua mãe não, hein. Isso vai te dar dor de cabeça.

-Isso é verdade...- Disse mamãe pensativa, provavelmente estava lembrando de suas aventuras.  –Foi para a escola?

-Fui, eles me levaram junto...

-Foi sem uniforme, né. Porque foi pra lá sem uniforme, aliás, como tudo começou? Como da aula de reforço você pra casa deles?- Papai indagou me encarando de olhos estreitados.

-Um deles me mandou mensagem, e quando o professor saiu pra fazer sei lá o que, eu vi. Ele tinha pedido para eu ir lá pra poder... “estudar”.

-Hum... sei... Enfim, e como vão as aulas?

-Vão bem, eu acho...- Se eles soubessem que eu tive apenas uma aula de fato, iriam me matar.

-Poderia passar o contato de seu professor? Gostaria de saber sobre suas aulas.- Gelei e olhei pra mamãe.

–A-ah... claro, amanhã é dia de aula de reforço, eu pego com ele.

-Ótimo, quero conhecê-lo por fazer esse sacrifício de colocar a matéria em sua cabeça.

Terminamos de comer, ajudei mamãe a arrumar a cozinha e subi para o meu quarto. Suspirei pensativa.

“Será que mamãe e papai reprovariam minha relação com Henry e Jamie? Eles são tão liberais que me deixam essa pequena dúvida. Na verdade essa relação não deve passar de uma simples transa para eles...” Bufei e revirei os olhos, ouvi meu celular tocar e o peguei para ver quem era, mas era um número desconhecido.

-Alô...?

-Kath? É o Henry.- Meu coração quase pulou da boca.

-Como conseguiu o meu número?

-Sua amiga, Agatha me deu.- Ah, aquela... maravilhosa <3

-Ah, entendi...

-Tem compromisso para agora de noite?

-Não, por que?

-Gostaria de jantar comigo?- Ai meu Deus, ele me convidou pra jantar... Droga eu acabei de jantar.

-Se tivesse me ligado uma hora mais cedo eu aceitaria, eu acabei de jantar...

-Não faz mal, iremos para outro lugar então. Ahn... que tal...- Ele ficou alguns instantes em silêncio. –Não precise se arrumar muito, vamos à um lugar bem reservado, pode ir de jeans ou coisa assim. Eu te pego daqui à 30 minutos.

-Tá, mas e meus pais?- Pergunto me levantando e abrindo o meu closet.

-Inventa uma desculpa, sei que consegue fazer isso. Até.- Então desligou, mordi meu lábio um tanto nervosa e sorri igual uma criança quando vê um monte de doces. Ele havia me chamado pra sair! Dei uns pulinhos de alegria e logo tratei de tomar um outro banho e de ver alguma roupa, por fim coloquei um jeans escuro, all-star preto e uma blusa branca com um decote moderado. Deixei os cabelos soltos e peguei uma jaqueta.

Ouvi um barulho de mensagem no celular, peguei o mesmo abrindo na mensagem de Henry dizendo que estava em frente à porta de casa. Passei um rápido perfume e desci correndo as escadas.

-Não corre.- Meu pai me olhou. –Aonde pensa que vai à essa hora?

-Vou sair com a Agatha, vamos ver um filme. Não volto muito tarde e ela me traz até em casa.- Mamãe me olhou e deu de ombros.

-Tudo bem então, vai. Precisa de dinheiro?

-Não, eu já tenho. Fui...- Corri até a porta e suspirei aliviada por não quererem falar com Agatha antes de irmos. Mordi meu lábio e abri a porta, encarando um tesla preto novinho. Meu pai iria desmaiar de ver um carro desses na frente de casa.

Henry saiu do carro ignorando qualquer risco de meus pais ou vizinhos o vê e abriu a porta do carona pra mim, ele estava bem esporte. Calça jeans, tênis de marca e uma blusa pólo preta. Ele estava lindo, e com um belo sorriso também nos lábios, me aproximei dele.

-Está linda, princesa.

-Obrigada, você também está ótimo.- O sorriso dele abriu mais e eu entrei no carro, colocando o cinto em seguida. Ele deu a volta no carro e entrou, colocou o cinto e logo começou a dirigir para sei lá aonde. –Para onde vamos?

-Saberá quando chegar, mas tenho quase certeza que vai gostar.- Disse concentrado na estrada, eu que não iria atrapalhar ele. Liguei o som do carro e estava tocando Sexy Love de Ne-Yo.

Sexy love

(Amor sexy)

Girl the things you do (oh baby, baby)

(Garota, as coisas que você faz (oh baby, baby))

Keep me sprung

(Você me deixa louco)

Keep me running back to you (oh baby, I)

(Me faz correr para você (oh baby))

Ohh I love

(Eu amo)

Making love to you

(Fazer amor com você)

Baby girl you know you’re my

(Garota você sabe que é meu)

Sexy Love

(Amor sexy)

 

Henry deu um sorriso maldoso, pegando minha mão e a levando até seus lábios para beijar o dorso da mesma. Aquilo fez meu coração parar, será que para ele não era apenas sexo? Será que na primeira aula de reforço, aquilo não era coisa da minha cabeça e Henry realmente estava com ciúmes? Será que ele gosta de mim? Esses pensamentos fizeram meu coração palpitar cada vez mais, pensava que teria um infarto de tão rápido que ele estava.

Ele me olhou por poucos segundos e voltou a olhar para a estrada.

-O que aconteceu hoje na escola?- Sabia que ele iria me perguntar isso. Contei à ele, menos a parte em que Jamie ficou comigo em casa e nós transamos, ele não precisava saber desta parte.

-Mas eu estou bem, não precisa se preocupar.- Ele assentiu e me observou um pouco antes de voltar o olhar para a estrada.

-Essa música representa bastante a minha situação com você.- Fiquei vermelha e desviei o olhar para as minhas mãos, o que eu teria que dizer agora? Poxa, eu nunca namorei, não sei como funcionam essas coisas. –Estamos quase chegando.

Eu optei por não falar nada, quase não notei que estávamos subindo uma serra, subindo cada vez mais, até ele parar e estacionar o carro. Saiu do mesmo e veio para o meu lado, abrindo a porta para mim.

-Madame.- Saí dando um sorriso tímido à ele, ele trancou o carro e segurou a minha mão para que eu o seguisse. Andamos um pouco até finalmente parar, antes deu observar o lugar ele para na frente. –Fecha os olhos.- Pediu e o obedeci, ele segurou as minhas duas mãos e me fez dar mais alguns passos para frente.

-Pode abrir.- Abri os olhos e olhei aquela paisagem me impressionando com a mesma, estávamos no topo, dava para ver as luzes acesas da cidade e um lindo céu estrelado. Era mais uma das coisas mais lindas que já vi na minha vida.

-Henry... É lindo...- Ele sorriu ainda mais.

-É sim, princesa. Essa paisagem só não é tão bela quanto você.- Meu coração deu uma batida forte com essa frase, o olhei.

-Ta ok, não precisa exagerar.- Ri um pouco e voltei a observar, ele segurou minha mão me fazendo olhá-lo. Estava com as sobrancelhas franzidas.

-Não estou exagerando, nem mentindo.- Seu rosto suavizou. -Você é linda, princesa... Quero você só pra mim...

Ele me puxou para mais perto de si e me beijou. Não um beijo selvagem ou cheio de malícia, era um beijo suave e apaixonado, cheio de sentimentos. Me envolveu com os braços me fazendo colar em seu corpo e aprofundou o beijo, enterrando seus dedos no meu cabelo. Depois de um tempo nos beijando, ele se afastou me observando o rosto, deu um lindo sorriso e beijou minha testa. Me colocou a sua frente me abraçando por trás, observamos a linda paisagem.

Ele começou a beijar minha têmpora, ia abaixando para a bochecha, me fez virar de frente para ele e me beijou novamente e dessa vez era um beijo mais excitante, ele passava a mão por todo o meu corpo, indo para a bunda a apertando com força moderada, fiquei molhada logo. Ele me levou para o carro e já podem imaginar o que fizemos ali. No meio do ato fomos interrompidos pelo meu celular que tocava, ele suspirou mas continuou metendo, eu atendi mesmo assim e tentando não gemer.

-O-oi mãe...- Ele beijava meu pescoço e meus mamilos, me deixando mais e mais excitada.

-Onde você está, Katherine? Já deu a hora, vem pra casa já está tarde.

-Ta...- Mordi meu lábio com força para não gemer. –Já vou indo.

-Está tudo bem filha? Não ta passando mal, né? Ta com a voz estranha.

-Ta tudo bem, mãe. T-tchau...- Desliguei na hora em que eu gemia um tanto alto, revirando os olhos de prazer com o orgasmo. Ele sorriu e me beijou mas não parou, continuou me penetrando com força até gozar. Ele respirou fundo e me beijou, um beijo suave e cansado.

-Vamos... você precisa ir pra casa.

[...]

-Tchau...- Digo tirando o cinto e abrindo a porta para sair mas Henry me impede, me puxando pela mão e me beija mais uma vez.

-Para você não se esquecer de mim.- Sorriu de canto e me deu uma piscadela.

-Não tem como eu me esquecer de você, Henry.- Seu sorriso abriu mais, saí de seu carro e entrei em casa.

-Até que enfim, queria ir dormir.- Disse mamãe se levantando do sofá, papai não estava mais ali. A olhei.

-E por que não foi?

-Até parece que eu ia dormir com você ainda na rua, né.- Mamãe me observou. –Você não saiu com Agatha, não é?

-Claro que eu saí com ela, mãe.- Digo ficando vermelha, como ela percebeu?!

-Não saiu não, você está com um brilho nos olhos e um sorrisinho de quem aprontou. Vamos filha, me conte... Sou sua mãe mas também sou sua amiga, amiga mais velha e mais experiente, mas mesmo assim amiga.- Suspirei, eu e ela nunca guardamos segredos uma da outra, mas tem certas coisas que eu não posso contar, tipo... “Estou transando com meu professor de história e o de matemática, e eles são irmãos, empresários e podres de ricos.”

-Eu saí com um deles...- Mamãe suspirou.

-Olha... só quero que na próxima vez me avise, ta bom?

-Tá ok.- Ela sorriu.

-Boa noite, putinha.

-Boa noite, mãe.- Subimos e cada uma foi para o seu respectivo quarto. Tomei um banho e deitei na cama, dormi com um sorriso nos lábios pensando no que me ocorreu com eles hoje.


Notas Finais


Gostaram? Quero que saibam que esse final de semana não irei postar capítulos pois estarei ocupada rsrs. Mas compensarei na segunda. Kissus *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...