História Mi amor - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Edinson Cavani, Neymar, Thiago Silva
Personagens Edinson Cavani
Visualizações 347
Palavras 1.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Jantar


Aproveitei que hoje não tinha nada pra fazer e fui pra casa do menino Ney almoçar com a Rafaela, ele estava de folga do clube mas foi tirar umas fotos pra uma marca.

- Eu só quero saber porque você ainda não assinou a caralha do contrato - Rafaella falou depois que eu contei tudo que aconteceu esses dias

- Por que eu estou pensando - falei como se fosse óbvio

- Quando a gente recebe uma proposta de trabalho digna e com um ótimo salário em Paris, a gente não pensa, a gente vai - falou me olhando como se eu fosse louca

- Eu tô bem inclinada a aceitar, conversei com os meus pais e eles super me apóiam - falei me ajeitando na cama

- Se você não aceitar eu te dou uma surra - falou me ameaçando

- Tô morrendo de medo - debochei e ela me deu dedo

- Agora me diz tudo do encontro com o "el matador" - falou animado e eu ri

- Não sei pra onde vamos - falei dando de ombros - Mas eu iria até pra baixo da ponte com ele

- Ele tem um charme, né? Não sei explicar mas tem - minha amiga falou e eu concordei

Emendamos em outro assunto mas do nada ela arregalou os olhos e começou a sacudir meu braço.

- Tá passando mal, peste? - perguntei me soltando dela

- A depilação tá em dia? - perguntou super preocupada

- Não é como se eu fosse dar pra ele mas sempre está em dia - falei revirando os olhos

- Vai saber - falou dando de ombros

- Relaxa, não vou matar o "el matador" hoje - falei piscando e ela soltou uma gargalhada

- Então você pretende? - perguntou me jogando um travesseiro

- Acho que uma boa parte da população feminina de Paris tem essa vontade - falei rindo

- Isso é verdade - falou se deitando ao meu lado - Quer que eu vá pro hotel pra te ajudar?

- Não, vou me arrumar do meu jeito - falei e ela bufou - Qualé, Rafaella, não vou pra nenhuma cerimônia do Oscar

- Nem discuto com você - falou meio emburrada mas logo estavamos rindo de novo

Depois que o Júnior chegou ainda fiquei um bom tempo lá com eles mas logo fui pro hotel, queria descansar antes de começar me arrumar. Tirei um pequeno cochilo mas quando acordei tomei um senhor banho, sequei meu cabelo no secador, fiz uma maquiagem, coloquei um vestido e coloquei um salto. Escutei meu celular apitar e quando vi era mensagem dele avisando que estava lá embaixo, era 20:00 em ponto, passei um perfume e desci.

- Cavani Narrando -

Eu não sei o que me deu pra chamar a Alice pra jantar mas algo me dizia que eu jamais me arrependeria dessa decisão, o jeito todo atrapalhado dela me chamou a atenção e eu gostei. Ela era linda, loira, olhos azuis, 1,62 mais ou menos e um corpo sensacional. Acho que eu quase babei quando ela saiu do hotel.

- Bem pontual você - falou sorrindo assim que se aproximou do carro

- Jamais deixaria você esperando - falei dando um beijo na bochecha dela e a mesma corou

- Realmente um cavalheiro - falou sorrindo e eu abri a porta do carro pra ela entrar

- Quando me permitem tal atitude - falei assim que entrei no carro

- Pra onde vamos, Cavani? - perguntou me olhando

- Pra começar me chama de Edinson, parece muito formal e brava me chamando de Cavani - falei e ela riu

- Também acho mas posso te chamar de Edi? - perguntou com vergonha e estranhamente eu gostei do apelido saindo da boca dela

- Pode sim - falei e ela sorriu - E respondendo sua pergunta anterior vamos em um restaurante italiano que eu gosto muito

- Eu amo comida italiana - falou animada - Mas e se eu não gostasse?

- Eu fiz reserva em mais três restaurantes - falei sem graça

- De qualquer forma você acertou - falou quando eu estacionei o carro

Entramos no restaurante, fizemos nosso pedido e começamos a conversar sem parar.

- Você não mora em Paris, né? - perguntei e ela negou

- Moro na Espanha, vim só pra tirar as fotos de vocês - falou explicando

- Espanhola - falei e ela riu negando

- Sou brasileira, filha de pai alemão, fui pra Espanha fazer um curso e me apaixonei - falou sorrindo

- Pra quem você torceu no 7x1? - perguntei e ela soltou uma risada baixa

- Todo mundo pergunta isso - falou bebendo um pouco do vinho - Por causa do meu pai eu tenho muito contato com a cultura alemã, todo ano visitamos nossa família na Alemanha. Então quem ganhasse eu estaria feliz mas achei o placar um exagero

- Em compensação caíram na fase de grupos - falei e ela assentiu

- Ai tá tudo empatado - falei e ela concordou

- Tenho que ouvir k-pop durante um mês - confessou me olhando

- Por que? - perguntei curioso

- Fiz uma promessa que se eles ganhassem o jogo eu iria ouvir por um mês - falou dando de ombros

- Você é louca - falei rindo

- Como é ser o El matador? - perguntou me olhando

- Apesar das cobranças e tempo que passo longe dos meus filhos tudo que estou vivendo hoje é a realização de um sonho. Quando eu criança me imaginava no máximo jogar em um time bom do meu país - falei sorrindo

- E hoje é ídolo da seleção e de um time francês - concluiu sorrindo

Fomos praticamente expulsos do restaurante, o assunto rendia de uma forma incrível. Ela me contava coisas do trabalho dela, histórias da infância.

- Quando você voltar pra Paris nós vamos sair novamente - falei estacionando em frente ao hotel

- Quem disse que eu vou voltar? - perguntou arqueando a sobrancelha

- Você vai assinar com o PSG, moça - falei piscando e ele soltou uma gargalhada

- Tá certo - falou rindo

- Adorei nossa noite - falei deixando um beijo no canto da boca dela quando ela se despediu

- Eu também, Edi - falou sorrindo e saiu do carro, se apoiou na janela e ficou em olhando - Me manda mensagem quando chegar em casa

- Pode deixar - falei me despedindo 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...