História Mi Vida Eres Tu! (SasoDei)Hiatus - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~DestinyHatake

Postado
Categorias Naruto
Personagens Personagens Originais
Tags Canibalismo, Estrupo, Gaanaru, Sasodei, Sexo, Sobrenatural, Vampiro, Violencia
Visualizações 121
Palavras 2.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me perdoem! Minha net caiu! Por isso não postei ontem.

Agradeçam a Destiny por este capítulo!
Sem mais delongas, bora ler!

Capítulo 5 - Seja meu. (Parte 1)


Fanfic / Fanfiction Mi Vida Eres Tu! (SasoDei)Hiatus - Capítulo 5 - Seja meu. (Parte 1)

Sasori

Eu estava em meu quarto sem fazer nada. Não conseguia pintar, minha mente estava com o loiro. Seu cheiro, o gosto adocicado de seus lábios.

Tenho que vê-lo outra vez! Hoje mesmo!

- Sasori! - ouvi a voz de minha avó me chamar.

- Já vou! - falei indo em direção a porta e a abrindo. Mas minha vó não estava lá.

- Que estranho. - andei até o andar de baixo desconfiado.

Quando cheguei na sala do trono.

- FELIZ ANIVERSÁRIO!!! - minha vó, meu pai e meus irmãos estavam lá com um bolo de chocolate.

Arregalei os olhos e sorri. Eles sempre fazem isso, não sei porque ainda fico surpreso. Claro que todo ano eles fazem algo de diferente.

- Obrigado! - agradeci indo abraçar eles.

- Abraço em família! - Gaara gritou e todos se abraçaram.

- Bom, vamos comer! - eu e meus irmãos comemos o bolo, já que somos meio vampiro podemos sair durante o dia se o sol estiver fraco ou estiver nublado, e também podemos comer comida humana.

- Bom, Sasori, não queria Estragar seu aniversário mas, precisamos conversar. - disse meu pai em um tou serio. Assenti e fomos para outro lugar, mas óbvio que meus irmãos vão escutar.


- Bom, me deixe falar sem interrupções. - concordei para que ele proceguisse. - Bom, como você já está com 136 anos, e já passou da hora de se casar... - já sabia o que ele iria dizer é isso não me agradou. - O reino de Konoha está tentando formar uma guerra com nosso reino. E para evitar que haja muitas mortes, você e a filha do duque teriam que se casar. - O que?! Não! Não vou me casar, não agora que....

- Não! Não vou me casar com quem eu não conheço! E você sabe que eu não curto compromisso! Apenas uma noite já basta! - gritei em plenos pulmões.

- Não me interessa! Você vai se casar e ponto! Quer que haja uma guerra?! - neguei com a cabeça. - Pois então este assunto está encerrado!

- Mas... - tentei argumentar mas ele me cortou.

- Chega! - fechei a cara, mas não sou mais uma criança para não aceitar, já sou um homem adulto e maduro o suficiente para saber lidar com esse tipo de situação. Assenti e me curver para reverencia-lo e girei nos calcanhares e sai dali.

Como já era noite optei por sair do castelo, é melhor eu dar uma volta por aí e esfriar a cabeça.


Já era 19horas, eu já estava perto de uma floricultura quando sinto o cheiro de Deidara, o cheiro vem de dentro da floricultura. E ouço uma música de beile tocar. Provavelmente de uma vitrola.

Fui andando calmamente até a floricultura e abri a porta, o sino que indica que alguém entrou tocou mas o loiro estava tão entretido dançando que nem persebeu.

Ele se movimentava com elegância, seus cabelos se moviam junto a ele dando uma visão maravilhosa.

Fui me aproximando dele calmamente. Ele nem se quer me persebeu ali. Coloquei uma mão em sua cintura.

Ele se virou e eu peguei em sua mão. Ele pareceu surpreso de início mas logo após abriu um lindo e largo sorriso. Começamos a dançar. Eu comandava a dança e ele apenas sorria.

Uma de suas mãos estava depositada em meu ombro. Segurei apenas a sua mão e o fiz girar no lugar, para depois voltar com a mão na cintura fina do loiro.

No final da música eu segurei em suas costas e o fiz se curvar um pouco para traz. Quando a música acabou o levantei de vagar. Quando ele já estava de pé selei nossos lábios, pedi passagem com a língua, demorou um pouco mais ele cedeu.

- Pensei que não viria. - ele falou logo após de nós separarmos.

- Pensei que não quise-se que eu viesse. - o provoque, ele nada disse apenas desligou a vitrola e voltou a varrer o lugar.

- por que está a essa hora aqui? - não resisti e perguntei.

- Minha mãe me encarregou de limpar a floricultura. - falou simples varrendo o chão.

- Hum, bom eu posso te ajudar se você ir passear comigo. - ele me olhou com surpresa.

De- Ahm, Sasori, quantos anos você tem? - ele perguntou logo que terminamos de limpar tudo e ele já estava trancando o lugar.

- 235, quer dizer 236 hoje. - respondi olhando para o lindo céu estrelado. - E você?

- 15, Espera, hoje é seu aniversário? - ele me olhou e eu assenti. - meus parabéns!

Ele me abraçou, eu fiquei surpreso mais correspondi. Quando ele persebeu o que havia feito tentou se afastar mas eu não deixei e apertei mais o Abraço.

- Não! Por favor vamos ficar assim! Meu aniversário não está tão bom assim, ao menos com você me sinto bem! - ele voltou a me abraçar forte, não sei por quanto tempo ficamos assim e nem me importo. Só quero ele perto de mim.

- Vem, não tenho um presente para dar a você mas posso lhe levar a lugares bem legais aqui! - ele se afastou do abraço e me pegou pela mão.


Em quanto caminhavamos ele perguntava coisas sobre mim tipo, qual minha cor favorita, flor favorita, se gosto de ler, o que acho sobre a arte e entre outros. Claro que não fiquei para trás também, perguntei tudo que tinha direito, queria saber mais sobre ele.


- E aí meu pai me ajudou a subir de volta antes que as cobras qua havia na armadilha me matassem. - ele falava do dia em que caiu em uma armadilha, ele estava andando em cima de um tronco caído no chão com os braços abertos para se equilibrar.

- E oque ouve com seu pai? - não resisti em perguntar. 

- Eu não sei, só sei que ele era caçador e que saiu para uma caça e não voltou, minha mãe diz que ele morreu para um lobo, mas sei que é mentira pois não há lobos aqui em Iwagakure. - ele se desequilibrou e caiu, mas eu o segurei.

- Você é bem desastrado não? - ri de sua cara de indignação.

- Cala a boca!

- Vem calar com a sua! - o provoquei ele deu a língua. Eu ri com isso.

- Estamos quase chegando! - ele disse animado.

- Exatamente a onde? - o perguntei, afinal, não conheço nada de Iwagakure.

- Você já verá. - e nisso ele saiu correndo em minha frente. Comecei a correr atrás dele para não perde-se de vista.

Corri logo atrás do loiro para dentro de uma caverna, logo no final dela vejo uma luz mas continuei a correr quando do de cara com um lago muito lindo, em volta dele era cheio de flores coloridas, a luz da lua cheia iluminava o local que era protegido por um paredão enorme de conde escorria água, a água era cristalina. Tinha algumas árvores no local que também possuíam lindas flores.

Adimiro pela beleza do local olhei para o loiro que estava dando carinho em um coelho branco de olhos vermelhos. Me aproximei dele é o coelho fugiu

- Este lugar pertence a minha família, minha mãe ama este lugar, nos o protegemos de moradores local, eu sempre venho para cá para relaxar e ficar longe de pessoas, só eu e minha família conhecemos este jardim, e a gora você também. - falou se levantando e me olhando.

- É lindo! - falei olhando ao redor.

- Promete que não vai contar para ninguém deste lugar? - ele parecia preocupado. Assenti e ele sorriu. Eu agarrei sua cintura e o puxei para perto de mim me deitando na grama verde o fazendo deitar por cima de mim.

Olhei em seus olhos azuis e acariciei sua face, seus cabelos loiros caiam como cascata sobre a grama.

Ele levantou apenas o tronco e me olhou sorrindo. Uma sensação de paz e tranquilidade tomou conta de mim neste momento, ele faz isso comigo, ele tem o dom de me acalmar.

Ele se abaixou e me beijou timidamente, neste momento eu me esqueci de tudo, de meus problemas, do casamento arranjado, de meu pai, tudo. Só me consentrei no loiro e eu.

Depositei minhas mão em sua cintura a agarrando firmemente e o senti estremecer com o toque, em um movimento rápido mais cuidadoso o joguei para o lado ficando por cima sem cessar aquele beijo.

Após nos separamos pela falta de ar nos olhamos e trocamos sorrisos carinhosos.


××××


- Por que você deixa seu cabelo ser longo? - perguntei alisando suas madeixas loiras. Estávamos deitado de baixo de uma árvore, Deidara estava deitado entre minhas pernas brincando com um galho que possuía umas flores rosas.

- Não sei ao certo, eu gosto de ter cabelos longos. - falou fazendo um bico como se pensa-se no por que de gostar de ter cabelos ombros. Achei sua reação fofa.

- Você fica lindo com os cabelos soltos. Pude ouvir seu coração acelerar, ri disso.

Ficamos em cilêncio por alguns minutos até que ele quebrou.

- Então, o que achou de seu presente de aniversário? - ele virou o rosto para me olhar.

Sorri de lado ao ter uma ideia.

- Gostei, mas, eu adoraria se você toma-se banho comigo neste lago. - sorri sapeca e o loiro corou mais ainda, mas assentiu.

Ele se levantou e eu também, fui tirando minhas vestes até ficar totalmente nu e pulei na água. Quando voltei a superfície vi que o loiro estava muito acanhado. Então decidir o ajudar com isso.

Com um sorriso maldoso no rosto sai da água é andei lentamente até ele que estava me olhando com surpresa, seu coração batia cada vez mais forte conforme eu me aproximava dele. Quando estava bem perto dele segurei em sua cintura, ele tremeu e quase caiu.

- Ei, não precisa se acanhar, vem vamos. - falei em seu ouvido.

- E-Eu n-Nao sei nadar, e-eu t-t-tenho vergonha. - ele falou baixo, e escondeu a cabeça em meu peito.

Levantei seu queixo e o beijei, sério, me viciei nesses lábios rosados.

Tirei sua camisa e logo depois a calça, ele tirou sua cueca com o rosto muito vermelho, nunca pensei que alguém pudesse corar tanto.

Entramos na água profunda do lago, ele altomaticamente enlaçou minha cintura com suas pernas, fazendo com que nossos membros se tocassem e eu arfei com o contato.

Ficamos lá nos beijando por sei lá quanto tempo. Seu pescoço já estava bem marcado e suponho que o meu também esteja.

Eu já não aguentava mais, tinha que tê-lo.

- Dei, seja meu. - falei olhando em seus olhos. Ele corou mais ainda, ele parecia exitar mas concordou com a cabeça tímido.

Voltei a atacar seus lábios com ferocidade.

Me levantei com ele em meu colo e sai da água, nos deitando na grama.

Eu passei a beijar seu pescoço e persebi que ele estava tenso.

- O que foi? - perguntei rouco.

- É que, eu-e-eu nunca, fiz i-isso, eu não sei O-o que fazer. - ele virou a cabeça para o lado envergonhado.

- Não precisa ter medo, só me deixe no comando, prometo ser carinhoso. - ele assentiu e voltei a beija-lo.


[...]


Destiny

Esse loiro só sabe deixar a gente preocupada.

- Aí meu Deus onde está seu irmão?! Por que não está na floricultura?! - pergunta minha mae, nos já fomos até a floricultura para ver o porquê de sua demora mas ele não estava lá.

- Vamos procurá-lo! - sugere Naru.

Minha mãe parece aprovar a ideia então saímos de casa para procurá-lo.

- Ele só sabe sumir! - disse minha mãe. - Ele não era assim.

Não era mesmo, desde que aquele ruivo o encontro ele está agindo assim.

Já estava dentro da floresta quando trombamos com dois ruivos.

- Ah olá! - disse a garota ruiva. - Meu nome é Naomi e esse é Gaara. - apontou para um garoto também ruivo. - Estamos procurando nosso irmão mais velho, o nome dele é Sasori, ele é alto é é ruivo de olhos castanhos. 

- Me chamo Destiny, essa é minha mãe Kuchina e este é meu irmão Naruto, acho que sei de quem você está falando! - disse demostrando raiva ao cogitar de aquele ruivo estar com meu irmãozinho.

- Bom, podemos nos separamos e os procurar. - disse minha mae. E assim foi feito, eu e Naomi fomos para um lado e Kuchina, Gaara e Naruto para o outro.

Estávamos caminhando quando ouvimos um barulho entre as árvores.

- O que foi isso?! - pergunto.

O barulho foi se aproximando até que dois homens morenos apareceram.

- Olá damas, estão perdidas? - o moreno de cabelos curtos e curiosas cicatrizes no rosto pergunta.



Continua...


Notas Finais


No próximo capítulo vai te lemon!!!
Eu estou morta!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...