História Midnight - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Cruella De Vil, David Nolan (Príncipe Encantado), Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Elsa, Emma Swan, Fa Mulan, Henry Mills, Ingrid / Rainha da Neve / Sarah Fisher, Lacey (Belle), Lilith "Lily" Page, Madre Superiora (Fada Azul), Malévola, Marian, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Milah, Paige (Grace), Personagens Originais, Princesa Aurora, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Ursúla (Bruxa do Mar), Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Chapeuzinhovermelho, Lanaparrila, Onceuponatime, Ouat, Reginamills, Wolfqueen
Visualizações 30
Palavras 838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem. Sei que pode ser esquisito/ interessante e vocês se perguntam "oncer mas, sem história Swanqueen?" vou arriscar talvez mais pra frente, valorizo o meu pescoço e é um fandom exigente d+ 😂

Capítulo 1 - Prólogo


– Ruby, você tem que sair um pouco – Ouvi minha vó reclamar de novo

– Eu sei que você está cansada da minha cara, mas eu não gosto de sair – Revirei os olhos

– Você vive enfurnada nesses livros, nessas series, nesses estudos. – Minha avó riu – Estudar é bom, se divertir também.

–Nunca vou entende, você nunca foi aquela vó normal que diz pros netos estudarem, ficar em casa, ter juizo, faz docinhos..

– Ruby, criei você e lógico que quero que se dê bem na vida – Ela abraçou -me – Mas, me ouça divirta -se antas de virar uma velha como eu

– Vovó, você  não é velha – Me irritou ouvir ela falando assim

– Aceite a realidade querida – Disse ela sorrindo

Mais tarde

Eu estava mais uma vez mergulhada nos estudos. Amava física e queria me formar nisso. Eu iria tentar entrarbna faculdade no começo do próximo ano e essa era a minha meta. Eu não saia de casa faziam alguns meses e esse era o desespero da minha avó

– Ruby, venha jantar! Ouvi sua voz no andar debaixo

– Estou indo – Marquei mais um tópico importante antes de ir

Passei pelo corredor e eram 20:49 PM. Eu havia começado à estudar às 16:00.

– Achei que não viria – Provocou vovó – Pedi à Kristen que te tire de casa hoje

Eu estava preparando para brigar com vovó quando Kristen minha melhor amiga entrou

–CHEGUEI. – Ela abriu os braços rindo da minha cara de irritação – Sua vó tem razão: Você precisa mesmo sair sua nerd.

– Kristen, eu preciso estudar!

– Nada disso! Você faz apenas isso há meses! – Ela foi me puxando pela mão em direção ao quarto – uma noite de tequila não fará mal há ninguém

– Kristen, há quanto tempo você está planejando isso? – Olhei para minha vó que havia nos acompanhado – Claramente com sua ajuda

– Sim, você precisa sair – Rebateu minha vó

Kristen já havia mexido em meu guarda-roupas e pegou um dos meus vestidos mais curtos

– Você está louca se acha que vou sair com isso! – Gritei

Era um vestido branco com detalhes prata bem curto que eu já havia aposentado pelo mesmo motivo

– Ruby, você tem corpo pra isso me poupe – Ela jogou o maldito em cima da cama – Hoje você está por minha conta

Ela me maquiou ( eu nunca vi alguém demorar tanto) sob meus protestos.

– Pronto gata.– Disse uma hora depois você está um perigo.

Me encarei no espelho e não me reconheci. Eu estava perfeitamente maquiada com uma sombra dourada, um batom leve e o vestido realmente me realçava

–  Eu tô... – Não consegui encontrar palavras

– Maravilhosa?  – perguntou convencida

– Obrigada Kristin – Agradeço automaticamente

– De nada meu bem a tequila nos espera!

Nós despedimos de vovó que desejou que nos divertissemos.  Fomos para a Gate, uma danceteria famosa que por sorte não era muito longe de casa.

– E você o que anda fazendo? – Perguntei enquanto caminhavamos 

– Trabalhando naquele café sem graça, me cansando cada dia mais e... – Ela me mostrou a mão – Oficialmente solteira

– Mas? – Parei a frase porque me achei curiosa demais

– Graham me traiu – Disse por fim – Fui trocada por Mérida

–  A sua colega de trabalho? – A surpresa me fez dizer meus pensamentos

– Essa – Ela concordou – tome cuidado com seus amigos e ainda mais em quem confia.

Eu tô chocada. – A abracei sem perceber

– Vamos nos divertir. Hoje não quero nenhuma tristeza –  Ela me deu a mão enquanto seguranças nos davam às boas - vindas e pagamos nossos ingressos.

Depois da minha terceira dose de tequila, Kristen convidou -me para dançar. Só pude perceber que a música era uma das minhas velhas conhecidas e amadas de David Guerra, mas, em dose alta de tequila ( pra mim a nerd certinha, fui incapaz de recordar seu nome.

– Vou sair, encontrei uma pessoa. – Kristin disse animadamente – Disfarça, mas olha o bofe – Ela riu

– Hmm parece que era pra eu me animar, mas o jogo virou em Kris? – Provoquei – É um gato!

– Ei! Fura olho! Vá com calma! – Kristen gargalhou – Vem vou te deixar em casa

– Não, pode ir. Ei vou ficar mais um pouco e depois vou – Eu estava mesmo começando a me soltar.

– Tem certeza? – Perguntou Kristin em meio ao barulho

– Claro, vai lá – Concordei – Você não quer perder mais um minuto com o bonitão, quer? – Pisquei

 – Com certeza não – Kristen retribuiu o cumprimento e afastou – se

03 : 35 A.M

Eu havia saído da boate, e confesso que havia passado do limite na bebida. Desde que Kristen se fora pelas minhas contas eu havia tomado mais quatro doses de tequila.

Eu tinha consciência do meu estado, estava mal e não cheguei à pedir ajuda. Tinha que voltar pra casa mas, minhas forças eram poucas. Minha sanidade (a pouca que restava) indagava o que havia acontecido comigo.

Eu sabia estar na rua a caminho de casa, estava chovendo forte e estava com frio. Ao mesmo tempo sentia uma estranha felicidade.

Um carro parou ao meu lado e o meu instinto me fez correr. Há poucos metros senti meu salto quebrar e caí.  

Portas de carro bateram e comecei a rezar. Eu estava enrascada.

– Ei, você está bem? – Ouvi uma voz feminina que tocou meu braço





Notas Finais


E ai ficou bom??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...