História Midnight in Paris { Kaisoo } - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, F(x)
Personagens Amber Liu, Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Krystal Jung, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Kaisoo, Kaistal
Visualizações 155
Palavras 1.363
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oioi
*a imagem do cap é uma representação de onde o Baek e o Kyung marcaram de se encontrar. cr; pinterest*

Capítulo 18 - Eu te amo, Kim Jongin.


Fanfic / Fanfiction Midnight in Paris { Kaisoo } - Capítulo 18 - Eu te amo, Kim Jongin.

- D.o Kyungsoo On -

Como prometido, à tarde combinei com o Baekhyun de nos encontrarmos no Café de Fleure. Tarde meia nublada, o sol se escondia por trás das nuvens mas seu brilho permanecia, deixando algumas nuvens em tons de amarelo e laranja. Era final de outono, mesmo assim algumas pessoas andavam sem pressa alguma com suas botas e seus longos casacos, com algumas exceções. Logo seria inverno, época triste como Hemingway e outros chamavam, mas eu achava essa uma época maravilhosa. O frio se instalava por toda parte, nossos narizes ficam vermelhos como botões de cereja e não tem muitas pessoas na rua, estão em casa se esquentando debaixo das cobertas, provavelmente com alguém.

Ao chegar lá, tive a surpresa de ver Baek me esperando, achei que eu chegaria primeiro; me aproximei e puxei uma cadeira para sentar-me.

- Kyung! Achei que não viria. – Baekhyun sorriu e acenou.

- Ué, mas são... COMO EU ATRASEI MEIA HORA?

- Você estava observando as coisas, creio eu. Distraído.

- É, perco tempo fácil fazendo isso. Ainda não explorei toda a cidade. Tenho muito tempo para isso, mas eu não me aguento. Já pediu algo?

- Não, estava lhe esperando, Chanyeol me fez companhia, mas ele teve de ir à casa do Jongin. – Levantei a sombrancelha e fiz uma cara interrogativa – Não se preocupe, ele deve ter pedido ajuda em alguma coisa, ou um conselho, talvez. Eles são amigos.

- Não fiquei preocupado.

- Pela sua cara... – Ele chamou um garçom e pedimos algo para tomar. Cappuccino e Café, que logo chegaram. – E então, você e o Jongin...?

- Somos só amigos.

- Sei – Bebericou o Café – Kyungsoo, eu sei que gosta do Jongin. Ele também gosta de você.

- Sei que ele gosta de mim, ele flerta comigo, eu sinto isso. Mas acho que ele não quer admitir.

- Ele namora a...

- Krystal – Revirei os olhos

- Também não gosta dela?

- Nem um pouco! Quando estou com o Kai ela me come com os olhos, parece que quer me matar.

- Credo. Mas... Quando você vai se declarar?

- Quê? Eu não vou me declarar. Ele namora, Baekhyun.

- Kyungsoo... Você tá apaixonado. Aproveite, é recíproco, se não fosse você estaria se machucando mas ele te ama. Não percebe?

Não sabia mais o que falar, então permanecemos em silêncio por uns minutos. Era muito provável que ele me amasse. Ele me beijou, e eu mandei ele embora. Foi mágico... Eu só queria que o tempo parasse.  Que ele me tocasse daquele jeito novamente, que ficasse comigo.

- Você beijou ele não foi?

- Ahn? Quê? Eu? Não... – Tentei desfarçar bebendo meu capuccino

- Beijou sim!

- Fala baixo!

- Eu sabia! Meu casal é real!

- Quê? Baekhyun, menos. Sim, nos beijamos, mas não é pra contar pra ninguém. Mas depois do beijo eu mandei ele embora. Não sei porque fiz aquilo... Eu estava nervoso e confuso, não pensei duas vezes.

- Você não tem coração mesmo!

- Tenho sim, tá? Não consigo demonstrar meus sentimentos muito bem, mas com ele... Me sinto livre. À propósito, você já beijou o Chanyeol? – Se engasgou com o café – Calma calma, foi só uma pergunta. – Ri

- E o que te leva a pensar que eu beijei o Chanyeol? Quem te contou? Aish! Quem disse isto está com os dias contados!

- Foi só uma piada, Baek. Espera aí...

- Vai começar... – Cobriu o rosto

- VOCÊ BEIJOU O- – Eu iria gritar, mas ele tampou minha boca, e todos olhavam de recanto para nós dois.

- Fica quieto!

- Eu não acredito...

~ Horas depois ~


Estava sentado na janela, observando os pingos de chuva cair sob a janela, as folhas voando pelo ar e o silêncio em meu quarto. “Época triste”. Não concordo com isso, eu prefiro chuva e gosto da sensação do frio, mas queria que um certo alguém me esquentasse quando estivesse nesses tempos. Mas sei que talvez isso nunca aconteça.

Porque eu fui expulsá-lo...

Fui interrompido de meus devaneios por meu celular tocando. Era Kai.

~ Telefone On ~


- Alô? Kai?

- Kyungsoo... Preciso falar sério com você.

- Ahn, claro. Mas, primeiramente, o que houve com a sua mão?

- Não é nada, não se preocupe.

- Eu me preocupo sim! Me preocupo com você. Você está bem?

- Eu terminei com a Krystal. – Fiquei por uns segundos em silêncio, sem reação.

- E-eu sinto muito por isso...

- Não sinta. Não havia mais amor na nossa história, eu a peguei na cama com outro homem. – Suspirou fundo e ficamos por mais alguns segundos em silêncio, escutando sua respiração profunda e vazia.

- Nini?

- Soo? – Percebi o ar de surpresa em sua voz por voltar a chamá-lo por esse apelido.

- Eu queria... Eu não sei... AISH! – Respirei fundo e tentei novamente. – Nini, me desculpe.

- Soo, poderíamos falar pessoalmente?

- Claro, quando?

- Está muito ocupado?

- Não estou não, eu posso ir aí?

- S-se você quiser...

- Eu vou me arrumar. Nos vemos daqui a pouco. Au revoir.

~ Telefone Off ~


Agora ou nunca.


- Kim Jongin On -


- Chamou ele?

- Sim, ele está vindo.

- Agora vê se faz as coisas direito, tente não avançar em cima dele.

- Cala a boca Chanyeol! – Joguei uma almofada nele, e ele jogou de volta.

-  Mas é sério, cuidado com o que você for falar, ele pode ser sensível, pode magoar ele.

- Eu não vou falar nada que possa magoá-lo. Eu o amo, Chanyeol. Ele me faz sentir bem.

- E Krystal?

- Ela é passado. Nem que ela viesse rastejando e implorasse. Eu não consigo tirar aquela cena de minha cabeça.

- Novamente, sinto muito por isso.

- Não sinta – Enfiei o rosto no amontoado de almofadas – É inútil.

- Ao menos você tem o Kyungsoo.

- Tenho sorte. Muita sorte. Mas, então... – Cruzei os braços no sofá e apoiei minha cabeça neles. – Você e o Baekhyun.

- Aah! Pare com isso!

- Vai pedir ele em namoro?

- Não tenho certeza, eu quero, mas tenho medo da rejeição.

- Ele não vai te rejeitar. Ele te ama também seu otário. É bom fazer ele feliz.

- Você não presta, né?

- Aprendi com você. – Ri

- Bom, está tarde e seu futuro namorado está prestes a chegar. Não quero atrapalhar o casalzinho, vou me retirar.

- Babaca – Joguei uma almofada em suas costas.

- Você me ama que eu sei. – Riu e saiu, no fim apenas escutei o som do carro de Chanyeol partir.

Não demorou muito para escutar o carro chegar em frente de casa. Me levantei em desespero, e respirei fundo. Não sei porque estava nervoso, não havia o que temer. A campainha tocou e fui diretamente à porta, pois não queria deixá-lo na chuva. Abri a porta, e ele olhou fundo em meus olhos.

- Entra, Soo. – Pediu licença e entrou, fechei a porta e me virei para recebê-lo – Kyungs... – Não disse uma palavra e me abraçou, fiquei sem reação mas logo correspondi o abraço.

Pare tempo, pare...

Ficamos abraçados por mais uns minutos, em silêncio, aproveitando o momento e sentindo o calor um do outro. Dei um beijo em sua cabeça e afaguei seus cabelos, ele se afastou de mim um pouco e percebi que estava com os olhos cheio de lágrimas e vermelhos. Chorando em silêncio.

- Soo? Não chore, tá tudo bem. – O puxei novamente para perto e ele começou a chorar em meus braços, apertando-o. – Por que você está chorando? – Me apertou com mais força, mas não falava nada. – Shhh, não chore, eu estou aqui. Eu estou aqui, mon amour.

Passaram-se poucos minutos ali em pé, então peguei suas pernas e as enrolei em minha cintura, ele envolveu seus braços em meu pescoço e o carreguei até o sofá.

- Calma, calma – O coloquei em meu colo e ele escondeu o rosto na dobra do meu pescoço, segurando forte meu moletom e soluçando.

- K-kai eu... Me desculpa Nini.

- Do que você está falando? – Voltou a olhar nos meus olhos e eu sequei suas lágrimas, na tentativa de acalmá-lo.

- Eu não posso mais... E-eu não queria ter te mandando embora. Isso não sai mais da minha cabeça.

- Soo? – Escondeu novamente o rosto em meu pescoço e suspirou.

Ele disse algo, mas não consegui entender pois seu rosto estava repousado em meu ombro, tapando a boca, apenas escutei murmúrios.

- Mhn mhn mho...

- O quê?

- Eu te amo Jongin. – Virou a cabeça para o lado fechou os olhos com força e me abraçou mais ainda.

Eu também te amo, D.o Kyungsoo.


Notas Finais


OIOI MEUZAMÔ
estão bem? espero que sim :))
durmam bem meus anjos

xauxuxu ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...