1. Spirit Fanfics >
  2. Midnight Nightmare >
  3. Separados

História Midnight Nightmare - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Opa, e aí? Como você está? Já lavou as mãos hoje? Acho bem que tenha lavado.

Então, é mais um capítulo aí e é aqui que a agonia começa, com força.

Boa leitura.

Capítulo 6 - Separados


LOUIS TOMLINSON

Entediante. Essa palavra definia bem nosso dia. A única coisa inusitada foi o café da manhã do Niall, mais nada, mas eu senti que isso logo mudaria. Olhei em volta tentando achar algo para fazer além de reclamar a cada minuto ou brincar com o copo em minhas mãos.
Estávamos todos como desleixados e jogados pela sala. Eu estava com uma camisa branca e preta listrada e uma bermuda azul, nada fora do comum. Harry estava ao meu lado com uma almofada no colo, vestia um conjunto de moletom cinza, critiquei ele o máximo que consegui. Liam olhava para o teto no outro sofá, estava com uma regata branca, parecia uma lataria de um Camaro com aquelas duas faixas pretas no peito e por algum motivo ele usava bermuda jeans. Niall estava do lado da lareira olhando para o fogo e era o mais arrumadinho entre nós, estava com uma regata preta, por cima uma camisa xadrez monocromática e calças escuras. Zayn estava bem casual, camisa simples, calça jeans e foi inteligente, estava no andar de cima procurando algo pra fazermos.
Antes que eu pudesse reclamar ainda mais, ouvi alguém fazer um barulho ritmamente agradável, era Liam batendo na coxa. Aquele ritmo estava me lembrando uma música, mas eu não conseguia lembrar qual, Harry me lembrou cantando.
- A week ago you said to me, "do you believe I'll never be too far". If you're lost, just look for me, you'll find me in the region of the summer stars. The fact that we can sit right here and say goodbye, means we've already won. A necessity for apologies between you and me, baby, there is none.
Era melodiosa, prazerosa de se ouvir. A visão do de olhos verdes lembrando da música era engraçada, tinha uma careta pensativa enquanto olhava para o teto.
- Awh, we had some good times, didn't we? Awh, we had some good tricks up our sleeve, awh, goodbyes are bittersweet. But it's not the end, I'll see your face again.
Niall logo continuou seguindo o ritmo imaginário da música com a cabeça.
- You will find me, and you will find me, in places that we've never been, for reasons we don't understand, walking in the wind.
O refrão era... Mágico. Eu simplismente amava o que dizia e da forma que conseguimos expressar, era outra música que eu amava de coração.
- Yesterday I went out to celebrate the birthday of a friend, but as we raised our glasses up to make a toast, I realized you were missing.
Cantei sorrindo e isso deixou minha voz mais... Aberta? Não sei explicar o sensação, mas que ficou bonito ninguém podia negar. Era a vez de Liam, mas Payne cantando sério não é Payne. Ele se levantou e começou a cantar.
- Awh, we had some good times, didn't we? Awh, we wore our hearts out on our sleeve, Awh, goodbyes are bittersweet, but it's not the end, i'll see your face again.
Logo Niall se juntou a ele também, quer dizer, o loiro foi quase que obrigado a se levantar e dançar, já que ninguém, em sã consciência, iria passar esse tipo de vergonha.
- You will find me, and you will find me, in places that we've never been, for reasons we don't understand. Walking in the wind. Walking in the wind.
Mas, ao contrário do que disse, eu me levantei mesmo e dancei com a música. Estávamos entre amigos ao som de uma música boa, no fim Liam tinha razão. Vamos dançar mesmo e dane-se.
- I know I'll be your anchor, just close your eyes and see, I'll be by your side, any time you're needing me. Walking in the wind...
Harry não conseguiu terminar por que não parava de rir, então todo mundo perdeu o ritmo. Essa com certeza era uma das músicas que mostrava nossa evolução como compositores, talvez até como cantores. Não diria que é a minha atual favorita, mas é uma boa melodia, isso ninguém pode negar. Antes que eu pudesse me recuperar, Harry começou a cantar outra das nossas músicas, era uma das mais animadas.
- You don't understand, you don't understand, what you do to me when you hold his hand, we were meant to be, but a twist of fate, made it so we had to walk away.
Aquela eu conhecia bem, teve alguns belos dias em que Niall não parava de cantar ela, era só ter dois minutos de silêncio e eu já escutava "we're on fire, we're on fire".
- 'Cause we're on fire, we are on on fire, we're on fire now. Yeah, we're on fire, we are on on fire, we're on fire now.
Ajudei o loiro a cantar enquanto ficávamos na frente da lareira, era a sua parte favorita da música e ele gostava de uma segunda voz de apoio, dizia que preenchia mais. Sabia que o refrão dessa música era bem animado e não me importei de puxar Harry para se juntar a nós três.
- I don't care what people say when we're together, you know I wanna be the one who hold you when you sleep, I just want it to be you and I forever, I know you wanna leave, so come on, baby, be with me so happily.
Minha garganta já doía levemente, fazia um tempo que eu não cantava do jeito certo, normalmente nas festas eu simplismente deixava a voz sair de qualquer jeito e num volume prejudicial. Tinha perdido a manha, mas só da música mesmo, porque no quesito dança eu estava humilhando, eu e Niall, os dois pulando como dois coelhinhos em volta da mesa de centro. Hilário.
-Oh, oh, oh, oh, ohhh. Oh, oh, oh, ohhh, we're on fire now.
Sorrimos ao terminar, afinal, eu e o loiro não conseguiríamos sustentar o resto da música. Eu sentia saudade daqueles momentos em "família", éramos mais do que amigos, quem via de fora, nos via como irmãos de sangue, unidos e felizes juntos, brigando as vezes, mas se amando mesmo assim. Tudo bem que existiam algumas relações a mais do que amizade e irmandade, como Liam e Niall, eu vi que os dois tinham algo a mais, se reprimiram com a desculpa de "sem compromisso" mas estavam loucos pra dar um passo a mais. Ontem eu tinha entrado no quarto pra ver se o loiro estava bem e encontrei os dois dormindo, agarradinhos, o castanho abraçava o menor de forma possessiva, era fofo.
Queria viver algo assim. Não sei se eu poderia ter a mesma experiência, nunca me envolvi muito com ninguém, a única pessoa que eu senti uma mínima faísca foi Harry. Tínhamos um mini caso, ficamos por uns meses, mas nada sério. Se me sinto culpado por ter mentido no eu nunca? Claro que não! Fazia parte do jogo omitir algumas verdades.
Enquanto viajava em meus pensamentos, senti um olhar sobre mim, e quando fui olhar de volta, ele desviou o olhar envergonhado. Harry estava me encarando. Não tive tempo de pensar, Zayn desceu as escadas só de calça jeans e com um violão na mão.
- E aí? Ainda têm garganta pra mais uma?
- Você não vai falar merda?
Perguntei o provocando, recebi um olhar entediado.
- Quer que eu peça desculpas? Não seja por isso. Niall, mil perdões pelo que disse, a vodka me deixou um sem noção.
Disse quase se ajoelhando em frente ao loiro, nós cinco rimos pelo tom de ironia evidente que ele esboçava. Ele não conseguia pedir desculpas sem nos fazer rir, mas bem no fundo, aquela frase tinha seriedade e Niall percebeu.
- Tudo bem, mas só se cantarmos mais!
Disse Niall pegando o violão, se sentou no braço do sofá e começou a bater nas cordas. Era a música que mais tocávamos juntos, alguém sempre sugeria ela, principalmente Liam, que sempre começava cantando. Mas, como vimos antes, Liam cantando serio não é Liam, ele pegou a vela na mesa de centro e começou a usá-la como microfone.
- People say we shouldn’t be together, too young to know about forever, but I say, they don’t know what they talk talk talking about.
Ele caminhava dramaticamente entre nós e eu só conseguia rir. Quando terminou a estrofe, rapidamente o castanho foi até Harry e apontou a vela para ele, que a pegou animado e começou a fazer o mesmo que Liam.
-'Cause this love is only getting stronger, so I don’t wanna wait, any longer, I just wanna tell the world that you’re mine, boy.
Alguma palavra que saiu da boca de Harry pareceu... Não ser da música. Não era "boy", era "girl". Percebi que as bochechas do menor ficaram vermelhas, ele parou de dançar e seus olhos se desviaram dos meus. Precisava ter uma conversa sobre o comportamento de Harry nos últimos dias, ele tem agido diferente do que me lembro.
-They don’t know about the things we do, they don’t know about the I love you's, but I bet you if they only knew, they would just be jealous of us. They don’t know about the up all nights, they don’t know I’ve waited all my life, just to find a love that feels this right, baby, they don’t know about, they don’t know about us.
Niall respirou fundo para começar a cantar, mas um barulho de vidro sendo quebrado ressoou pela sala, parecia vir do corredor dos quartos no nosso andar. Nunca tinha ido até aquele local, achei que fossem os quartos que os Malik's usariam normalmente.
O som harmonioso do violão parou de ser emitido, estávamos todos perplexos, travados de medo. Todos estavam trocando olhares, menos Zayn, ele não esboçava nenhum outro sentimento a não ser raiva, muita raiva.
- Eu não acredito, esse guardinha de merda foi longe demais!
Esbravejou, pegou uma blusa branca jogada no sofá e foi em direção a porta da frente. Eu tinha um mau pressentimento, alguma coisa não estava certa.

AUTOR

Zayn estava extremamente irritado com o dano que, supostamente, o guarda florestal causou. Saiu da casa com passos firmes sendo acompanhado por Liam e Harry assustados, os dois não sairam para fora da casa, estava escuro lá fora, mas Zayn não temeu, adentrou a escuridão sem demora.
Louis tinha se levantado e esperava que os outros confirmassem que tudo estava bem, ele não viu que Niall se aproximava cuidadosamente do corredor escuro onde tinha quebrado a janela. O loiro estava em transe, olhava para o buraco na parede e para o horizonte escuro. Começou a chover moderadamente. O loiro estava prestes a ver a grama molhada quando sentiu um caco de vidro machucar seu pé descalço, grunhiu e se afastou, mas logo continuou a olhar para frente. Se assustou. Uma figura humanoide estava em pé, bem em sua frente fora da casa, parecia um homem de grande porte. Niall gritou e ia correr, mas sentiu sua roupa sendo puxada. Em seguida o loiro estava rolando ladeira abaixo  passando entre os muros esburacados em volta da propriedade.
Com o grito, Liam e Louis correram para ver o que tinha acontecido, mas encontraram somente o corredor vazio. Se aproximaram e viram sangue em um dos cacos presos na janela, a figura apareceu novamente, mas dessa vez estava ameaçando entrar. Xingaram quase ao mesmo tempo e voltaram à sala desajeirados.
Zayn estava no jardim escuro, ele gritava mil e um palavrões e ofensas direcionados ao guarda florestal curioso. Ouviu passos pesados na madeira da varanda, mas eles pararam subitamente, quando o moreno se virou, viu uma sombra entre ele e a casa. Se assustou e deu dois passos para trás. Parecia um homem, do seu tamanho, mas era forte o suficiente para acabar com Zayn, e ele não queira ter uma luta corpo a corpo. Isso estava prestes a acontecer. O homem se aproximava sem pressa, até que para de um vez com algo batendo em sua cabeça. Harry estava no pé da pequena escada e tinha jogado um pedra, ordenou que o moreno corresse e ele logo obedeceu.
Agora o homem estava focado em pegar o cacheado, queria acabar com ele depois de ser atingido na cabeça. Os três mais jovens entraram na casa com velocidade, mas a luz caiu, tinha ficado escuro como lá fora. A chuva batendo nas paredes e o vento uivando pelas janelas confundia os homens dentro da casa, quase não viam um palmo da mão diante os olhos.
Liam, no desespero de não enxergar, tropeçou nos próprios pés e caiu na base das escadas, as subiu com cuidado e chegou no segundo andar. A lua ilumunava o corredor e tinha algo que chamava a atenção do moreno, era algo pendurado, como uma pequena corda, fina e quase transparente. Era a escada para o sótão.
Harry e Louis conseguiram se achar no meio da escuridão, estavam agarrados um ao outro, ambos suando de nervoso, até que ouvem algo metálico rangendo. O homem tinha aberto uma porta. Logo  o de olhos azuis sentiu seu corpo sendo puxado e tocando um chão frio, o rangido soou de novo, depois uma chave girou e por fim ouve um som alto de metal na fechadura. Ele estava preso.
O cacheado, assustado com o brusco afastamento do outro, começou a andar no escuro tentando se lembrar onde tinha visto uma possível rota de fuga, até que chegou em uma porta, a abriu, passou para o outro lado e a fechou, sentiu uma chave na fechadura e a girou. Era algum lugar pequeno, pelas frestas das madeiras a luz da lua entrava. Harry estava dentro de um quarto cheio de ferramentas.
Um raio caiu entre as árvores, os cinco ouviram o trovão e viram o relâmpago. Zayn correu pela floresta. Naill parou na margem de um rio. Louis sentou no chão gelado. Liam passou as mãos pelos cabelos curtos. Harry abraçou o próprio corpo no chão de madeira. Todos estavam em situações difíceis e precisariam fazer o que era preciso para sobreviver, tinham um problema, a lenda local era real, estavam sendo atacados, e se os cinco outros homens fraquejassem, poderiam morrer da pior maneira e talvez nunca encontrassem os corpos e/ou vestígio de suspeitos.


Notas Finais


Então, comenta ae o que achou. Vocês não tem ideia do quanto eu amei fazer essa última cena narrada pelo autor, tanto que a ideia da fic inteira veio dessa cena.

Eu tinha anotado ela no bloco de notas do celular em julho do ano passado, só que eu não conseguia desenvolver nada em cima, então deixei lá. Quando chegou esse ano, me bateu uma crise de criatividade que já tenho enredo pra outras três histórias (que talvez virem livros, ME AGUARDE BRASIL), então assim, estou dando prioridade pra essa, mas as outras três estão sendo desenvolvidas também.

Então até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...