1. Spirit Fanfics >
  2. Midnight (solangelo) >
  3. Capítulo único.

História Midnight (solangelo) - Capítulo 1


Escrita por: soulangelo

Capítulo 1 - Capítulo único.


 

— Você sumiu hoje.

 

Foi a primeira coisa que Nico ouviu ao entrar na pequena tenda da enfermaria. Will nem ao menos tinha se virado, mas ele sabia que era o garoto ali. Só ele aparecia tarde assim.

As pequenas lamparinas iluminavam o local, onde anteriormente havia apenas o loiro, arrumando algumas ataduras em suas gavetas.

Ele se virou a tempo de ver Di Angelo dando de ombros.

— Dia difícil? — Perguntou ao perceber o olhar cansado do loiro, que assentiu sorrindo de lado e continuando a o encarar, como se esperasse ele responder o porque de não ter aparecido o dia inteiro.

Nico pegou uma das almofadas amarelas do pequeno sofá que tinha ao seu lado e a colocou em uma das macas que ficavam no canto da "enfermaria", lado a lado, se deitando logo depois.

— Era dia de captura a bandeira, eu estava me escondendo. Não iria correr o risco de ser obrigado a participar.

Will revirou os olhos mas não conseguiu conter uma pequena risada, porque, bem, isso era a cara de Nico. Ele evitava qualquer situação naquele acampamento em que tivesse que interagir com alguém. Por mais que o loiro tentasse mudar isso, mesmo aos poucos, ele sabia que o outro tinha milhares de formas de sumir quando necessário.

 

Will se preocupava, achava que era importante que ele fizesse amigos, que percebesse que ninguém ali tinha medo dele, mas era complicado quando as únicas pessoas que Nico fazia questão de interagir eram Hazel, Reyna e Jason, que ficavam naquele constante bate-volta do acampamento romano para o grego. E isso fazia Solace parar para pensar as vezes no motivo de Di Angelo ter resolvido ficar lá, sendo que praticamente todos os seus amigos ficam fora a mais parte do tempo.

O loiro nunca iria admitir que seus pensamentos as vezes o levavam para a compressão de que: talvez ele tentasse fazer o outro ter mais amigos ali para que ele quisesse ficar por algum motivo aparente.

Que idiota. Como se alguma coisa fosse fazer Nico Di Angelo, a pessoa mais teimosa que ele conhecera, a tomar una decisão contrária da sua própria. Mas a vontade de fazer com que ele sentisse que deveria ficar era maior. O menor não se aproximava de ninguém, a não ser de Will, depois de tanta insistência. Talvez isso fosse o bastante. E quando parava para pensar nisso, Solace realmente sentia que conseguia ajudar nem que fosse um pouco. E isso por enquanto era bom o bastante.

 

Will deixou de lado as ataduras, já com a bancada quase toda arrumada depois de um dia tão complicado que se repetia tantas vezes. Se algum pai assistisse três minutos do captura a bandeira deles, com certeza repensaria a ideia de deixar seu filho ir para um acampamento tido como tão seguro. Esse pensamento o fez rir. Nico levantou uma das sobrancelhas. 

— Você é tão estranho. — Disse. — E coloca uma música aí, se eu quisesse ficar num lugar pequeno e deprimente eu estaria no porão do meu pai.

— E eu que sou estranho? — Rebateu, revirando os olhos e indo até o pequeno aparelho de som que tinha ali. Trazia seus cds de casa para lá sempre, já que amava música e não tinha como ouvir na internet por conta de ser praticamente um sinalizador para monstros.

O loiro pegou outra almofada do travesseiro, a colocando na maca que estava junta a do menor, se deitando ali também e encarando o teto daquela tenda, depois de dar play em um de seus cds.

O silêncio reinava, e isso não era particularmente ruim. Era até comum. Nico sempre aparecia para essas visitas noturnas, já que se sentia confortável em sair de seu chalé só naquele horário, e sempre encontrava Will ali, arrumando as coisas depois de um bom dia de trabalho. Não era fácil ser conselheiro do chalé de Apolo desde tão novo, mas a companhia do filho de Hades depois de um longo dia era algo que conseguia o deixar de bom humor, sendo nos dias que não conversavam e apenas ficavam olhando para o teto ou quando falavam como se fossem amigos de infância.

 

— Amanhã você podia trazer seu violão, né? Acho que mereço te ouvir cantando pelo menos uma vez. — Di Angelo rompeu o silêncio, ainda encarando o teto mas percebendo quando o olhar do filho de Apolo foi direcionado a si.

— Vá sonhando. Eu não mostro meus talentos para qualquer um tão fácil assim- ai!

— Qualquer um? — Nico perguntou após dar um soquinho no braço de Will, que riu.

— Mil perdões, vossa majestade das almas penadas que habitam a escuridão e as trevas.

— Você se supera ás vezes. — O menor disse cobrindo o rosto com as mãos, tentando esconder o riso que insistia a vir. O loiro sorriu e Nico percebeu isso. Também percebeu quando Solace o observava descaradamente, mas isso já era algo que já tinha se acostumado. Ele também era observador, de forma muito mais discreta.

— Bem, eu nem queria mesmo. Você ia começar a cantar Taylor Swift. — Di Angelo revirou os olhos, apontando para o aparelho de som que tocava Cornelia Street bem baixinho. Não queriam arriscar acordar o acampamento e acabar aparecendo alguma Harpia para devorá-los. Ou pior, alguém do chalé de Ares que acabara de acordar.

— E você não tem o direito de ouvir antes de prestar atenção na minha lista de motivos pelos quais eu tenho certeza que ela também é filha de Apolo. — Will retrucou, e dessa vez Nico riu sem esconder. — É sério, eu tenho certeza que se não fosse pela carreira dela, ela saberia. Mas é muito difícil carregar a indústria da música e ter que matar monstros por aí-

O de cabelos escuros gargalhava depois de acertar sua almofada no rosto do loiro, o interrompendo.

— Você é tão idiota! — Se virou de lado, e logo Will fez o mesmo, o encarando. Seus olhos eram tão lindos que Nico realmente não se importaria de ficar ali o encarando até que amanhecesse. — Eu vou te mostar música de verdade quando as férias acabarem.

— Você está me chamando para passear em um castelo no submundo? Nunca estivesse tão empolgado!

— Estou planejando te deixar por lá também.

— Você não sobreviveria!

Nico desviou o olhar, evitando continuar o encarando por uma vergonha repentina. Mas Will não. Ele não desviava o olhar. Gostava de observar o filho de Hades. O achava extremamente interessante.

 

Quando menor, Solace era viciado em quebra cabeças, e quando cresceu, passou a ser aficionado por cubos mágicos também. Tem uma cômoda em seu quarto cheio deles, que brincara tantas vezes ao ponto de que aquilo nem era mais como um desafio mais. 
 do que o desafiava a entender, a colocar tudo no lugar e poder olhar amplamente para observar o que tudo aquilo resultava.

E Nico com certeza era o maior desafio que já viu. Teve certeza disso até conseguir se aproximar dele, e foi aí que conseguiu ter noção do quão complexo ele realmente era de se entender. E como ele sabia disso também e tentava buscar pelas peças dele que não encaixavam. Will queria o ajudar. Queria poder terminar e olhar amplamente para ele, tendo sua companhia, e mostrar o quão completo ele era. Mesmo com tantas peças confusas e perdidas.

 

— Não precisa ficar envergonhada, Nico. — Quebrou o silêncio com um sorriso divertido, atraindo a atenção do outro novamente. — Eu aceito ir para seu palácio das trevas e ouvir suas músicas de emo.

— Você é insuportável. — Revirou os olhos e mordeu o lábio inferior para segurar um sorriso. — E eu não sou emo, supera isso.

— Você já viu seu cabelo? — Brincou, recebendo um olhar indignado. — É sério, precisamos fazer algo a respeito desse cabelinho emo.

— Não tem nada de errado com o meu cabelo. — Disse contendo a vontade de pegar aquela almofada e a jogar novamente no rosto do loiro. 

— Ele está escondendo esse seu rostinho bonito, eu não posso permitir isso.

Di Angelo desviou o olhar novamente e chegou a se levantar, sentando na maca. Não queria que Solace visse aquele rubor tomando conta de suas bochechas pálidas. Odiava se sentir desnorteado assim, e odiava ainda mais quando não entendia o porque de ficar assim com qualquer coisa que o loiro falasse que acabava sendo levada para um lado mais fantasioso de sua mente.

— Você devia dar um jeito no seu primeiro. — Retrucou. Will se sentou também, arqueando a sobrancelha.

— Posso saber o que tem o meu cabelo? — Conteu a risada pela situação de Nico, que nem sabia direito o que estava falando.

— Você parecesse um hippie estranho, é isso que tem. — O menor disse virando o olhar para o filho de Apolo, que ria, e não tardou em o olhar de volta.

— Você é impossível.

— Você já se conheceu?

Ambos se provocavam, mas não tão seriamente como queriam. Não era possível focar em nada além do quão próximos eles estavam naquele momento.

— Você me dá vontade de ir lá para fora e ser devorado por uma das Harpias.

— E por acaso tem alguém te impedindo? — Nico arqueou a sobrancelha, aproximando seu rosto do de Will, que sorriu de lado. 
Não sabiam dizer ao certo quem se aproximou primeiro mas no momento seguinte as mãos quentes do filho de Apolo já estavam na bochecha gelada do filho de Hades, que não sabiam direito o que fazer com as suas mas tomou a iniciativa de impulsionar seu corpo na direção do outro e beijá-lo.

 

Era um beijo meio desajeitado, já que era a primeira vez e eles não tinham certeza do que fazer direito. As mãos de Solace foram até a cintura do outro, a segurando levemente e os aproximando um pouco mais, enquanto Di Angelo levou suas mãos até a nuca dele, arriscando deixar seus dedos passearem nos cabelos loiros que ele na verdade tanto gostava.

— WILL!

 

Os dois garotos ouviram o grito e se afastaram rapidamente. Não era ninguém ali fora, mas a única pessoa que podia ter feito isso era Austin, o irmão de Will, o gritando quando percebera que ele não voltara para o chalé ainda e não se importando de acordar metade do lugar para o chamar.

Solace sorriu envergonhado, coçando a nuca, e Di Angelo riu de forma fraca, ambos pensando no que acabara de acontecer.

— Acho melhor você ir. — Nico disse.

— Mas eu-

— É sério, Will. — O interrompeu e colocou sua mão em cima da do loiro. — Eu termino de arrumar as coisas para você.

O filho de Apolo estava prestes a discordar mas recebeu aquele olhar do filho de Hades, mostrando que não adiantaria se ele fizesse isso. Por fim, sorriu e se levantou.

— Obrigado, de verdade. — Ele inclinou o corpo na direção do que estava sentado na maca ainda e lhe deu um selinho. — Amanhã eu trago meu violão, acha isso um bom agradecimento?

— Acho que é o mínimo.

Solace riu e o olhou uma última vez antes de ter que sair da tenda, indo ao encontro de seu irmão antes que ele viesse ao seu.

 

Nico sorriu. Ele não imaginava que aquilo fosse acontecer algum dia, mas quando aconteceu, percebeu que já esperava isso a mais tempo do que tinha noção.

Terminou de guardar alguns remédios que já tinha visto o filho de Apolo colocar nos lugares certos antes e colocou as almofadas de volta no sofá. Tinha que admitir que a música servindo de trilha sonora não era tão irritante. Tentou prestar atenção na letra para perguntar a Will qual era. Ele com certeza saberia.

 I once believed love would be black and white.

But it's golden

 

Nico sorriu de novo, desligou o aparelho de som e voltou ao seu chalé.





 


Notas Finais


Oi! Gente então queria tanto escrever alguma coisa desses dois e resolvi fazer essa oneshot ao invés de uma fic mesmo. Tudo pelo meu shipp de conforto. Mas enfim espero que tenham gostado! Minha escrita tá meio ruim esses dias então não sei, e perdão pelos erros porque ainda vou revisar!

Obrigada por lerem até aqui, bebam água e se cuidem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...