História Mieczyslaw Morningstar (Reescrevendo) - Capítulo 2


Escrita por: e JuhAlvarenga


Notas do Autor


Cá estou eu de volta, é volta que vcs queriam? Toma 3 k de palavras, porém não vai ter mais disso tão cedo.

Comentem, quero saber o que acharam.

Capítulo 2 - Two


Lúcifer se encontrava inconformado, não havia a mínima chance do garoto a sua frente ser seu filho. Chegava a ser cômico no olhar do diabo, pior ainda, o castanho parecia acreditar nas próprias mentiras.

Agora estavam os dois acompanhados de Chloe no laboratório de Ella. Lúcifer se encontrava sentado em uma cadeira de frente para o outro, encarando o mesmo confuso, por que diabos aquela criatura aparecerá para lhe atazanar logo agora, onde talvez finalmente teria paz juntamente a detetive.

"Como eu disse, ele não é meu filho. "Afirma o moreno, Chloe o olha desacreditada.

"Considerando sua vida sexual, Lúcifer. Pensei que você teria mais de um filho."

"Detetive? Eu me preveni por todo esse tempo." Diz "E, eu não teria um filho adolescente."

"Eu não sou adolescente, tenho vinte e um anos." Corrige o castanho. "E sim, você é meu pai, até você acha isso, se não pensasse assim não estaria falando comigo até agora."

"Você pode provar?" Pergunta Chloe.

"Podemos fazer um exame." Propõe Lúcifer. "Vamos logo." Diz já se levantando.

"Não vai ser nescessário." Diz Stiles abrindo a mochila que estava em seu colo. "Eu trouxe." Diz estendendo uma espécie de carta para Chloe.

Surpreendendo a loira, que pega o envelope surpresa, o mesmo continuava lacrado, o castanho não havia aberto.

"Quanta confiança." Diz olhando Lúcifer rapidamente, o moreno a olhava atentamente. "Bom..." Começa fazendo suspense.

"Vamos logo com isso, detetive." Apressa Lúcifer.

"Ele está falando a verdade." Diz surpresa relendo cada palavra que continha no papel.

"Detetive." Chama Lúcifer, os dois se afastam do mais novo. "Isso é impossível, e faz pouco mais de cinco anos que eu vim..." Diz Lúcifer abaixando o tom de voz. "Que eu vim para terra."

"Você comentou comigo que já havia vindo antes, em visitas." Diz "Ele é tipo, o bebê de Rosemary?" Pergunta confusa, essa coisa de diabo ainda era bem recente para a mesma.

"Não seja boba detetive, ele não é meu filho, e nem fruto de uma ceita satânica, eu acho." Diz Lúcifer.

  "Ele é seu filho." Afirma.

"E se esse exame for forjado?" Pergunta levantando levemente uma das sobrancelhas.

"É, tem chance." Concorda Chloe, logo se lembrando de algo. Como poderia deixar algo tão importante passar? Logo a loira sai puxando Lúcifer pelo pulso até o castanho. "Como conseguiu o DNA do Lúcifer?" Pergunta a detetive.

"Ah, sim. Eu entrei na Lux. Inclusive, aquele lugar tem uma péssima segurança, todo mundo entra." Diz o castanho divagando, Lúcifer já se considerava de saco cheio da enrolação do outro.

"Tá, tá. Como conseguiu material genético meu?" Pergunta apontando pra si no final.

"Bom, como disse. Entrei na Lux e fui até a sua cobertura, e lá eu procurei qualquer coisa que pudesse me ajudar." Começa a falar sobre como achou o fio de cabelo do qual precisava no terno Prada do moreno, este que achou enquanto fuçava o closet do mesmo.

"Isso é invasão de propriedade, Stiles." Informa Chloe.

"E por onde esteve todo esse tempo?" Pergunta Lúcifer se aproximando. "Por que apareceu logo agora? Quem é sua mãe, ou melhor, sua família. Por que veio atrás de mim?" Disparou o Morningstar olhando seriamente para o pálido a frente. "O que realmente deseja?"

"Eu..." Começa com um suspiro baixo. "Eu quero, que você pare de me olhar assim, é assustador."

"O que?" Lúcifer se encontrava surpreso, assim como Chloe. A única pessoa em milênios que não foi 'hipnotizada' fora a loira.

O clima tenso que se aprofundou no recinto foi cortado por Dan que aparecera com alguns papéis.

"Seja lá o que estão fazendo, parem." Disse. "Temos um caso." informa.

*****

O corpo da jovem foi jogado em um terreno baldio próximo a uma universidade. Foi encontrado depois de algumas horas por estudantes que passavam próximo dali.

"Essa é Alisson Swan." Informa Ella. "Jovem, tanta vida pela frente, que foi arrancada..." Começa.

"Já entendemos Ella." Afirma Chloe. "Alguma ideia do que a matou?"

"Bom, não tenho certeza. Mas ela foi enforcada por alguma coisa próxima a uma corda." Informa. "Com as mãos não foram. Não deixariam uma marca tão visível."

"É, eu vou interrogar algumas pessoas." Diz Chloe.

"Pode começar com ela." Diz Demi apontando para uma jovem a alguns metros dali.

"Sim, eu vou..." Começa a loira, que logo se interrompe quando olha quem conversava com a jovem ruiva.

"Mas que inferno." Xinga Lúcifer acompanhando Chloe até os jovens. "O que diabos você faz aqui?" Pergunta irritado ao castanho

"Conversando com uma velha amiga." Responde com uma sorriso largo após uma troca de olhares com a amiga da vítima. "Está aqui é Lydia Martin."

  "Parece que é de família se meter em cenas de homicídios!" Exclama com um olhar de deboche direcionado ao Morningstar.

"Não me venha com essa detetive." Diz se aproximando de Lydia. "Depois conversamos. Antes vou ter uma conversinha com essa ruiva." Diz.

"Na verdade, ela é não é ruiva e sim loira." Corrige.

"Vocês dois poderiam me deixar a sós, preciso interroga-la." Diz empurrando-os para longe.

"Detetive!"

Chloe fez um sinal com a mão para que se afastassem o que é atendido mesmo a contra gosto.

Depois de alguns minutos de silêncio, Stiles decide acabar com o silêncio.

"Ela disse que Alisson e a mãe discutiram recentemente." Informa Stiles, lhe lançando um olhar sugestivo.

"Uma mãe matar a própria filha?" Pergunta Lúcifer torcendo o nariz.

"Eu já pesquisei bastante sobre homicídios, e há muitos que foram cometidos por parentes."

"Bom, a detetive não vai sair daqui agora." Conclui Lúcifer. "Então eu mesmo vou ter que falar com a mãe dessa garota."

Talvez, Lúcifer apenas estivesse tentando ficar o mais longe possível do castanho.

Logo caminhou para o carro  se preparando para arrancar dali, se não fosse surpreendido pela figura castanha abrindo a porta e sentando ao seu lado.

"O que pensa que está fazendo?" Pergunta irritado. Isso já estava virando perseguição. "Não ache que por ficar perto de mim, poderá me convencer dessa farsa, nunca!"

"Olha só, eu não estou mentindo. E se você quiser, podemos refazer o exame de DNA." Fala gesticulando.

"Não importa. Por que está aqui mesmo? Fama? Dizer ser filho de Lúcifer Morningstar deve render algumas boas conversas com mulheres interessantes." Conclui Lúcifer logo deixando escapar um sorriso malicioso.

"O dinheiro, claro." Diz pegando a carteira e pegando um maço de dinheiro. "É o que humanos gostam, ou melhor, amam. Você deve sumir depois que eu te entregar alguns míseros dólares."

"É claro que não é isso." Diz ofendido. "Eu preciso da sua ajuda, e tenho como provar que sou seu filho." Fala olhando nos olhos do moreno. "E você precisa de mim para ir até a casa da Alisson."

"Claro, e por quê?" Pergunta com sarcasmo.

"Por que eu tenho o endereço." Mostra o celular com o GPS aberto.

*****

"Eu fiquei sabendo a pouco tempo."
Fala a Sr. Swan com a voz trêmula, assim como as mãos que carregavam uma xícara de porcelana.

"Sentimos muito." Diz Stiles, que estava sentado elegantemente com as pernas cruzadas. Se não fosse pelas roupas típicas de universitário, seria confundido facilmente com um lorde britânico.

"Bom." Começa Lúcifer, conciedentemente sentado da mesma forma. "Soubemos que você e sua filha tiveram uma discussão recentemente."

"É, tivemos sim." Concorda em voz baixa. "Tivemos uma leve discussão por conta de algumas coisas."

"Que coisas?" Pergunta Stiles.

"Bom, Alisson vinha querendo saber do pai." Responde. "Mas não é como se fizesse diferença."

"Por que não faria?"

"Por que ele não queria o mesmo que ela." Responde a mulher. "De qualquer forma, eu não disse a ela."

"Por que?" Pergunta Stiles.

"Você não entende." Diz aflita. "Ele era, e ainda é casado. Isso arruinaria  a vida dele."

"Isso não importa." Contrária o castanho. "Mesmo que isso fodesse com a vida dele, ele era o pai, tinha responsabilidades, deveres. Ela tinha o direito de saber quem é." Fala olhando Lúcifer rapidamente.

"Ou ela podia deixar o homem em paz e seguir a vida." Lúcifer retribui o olhar, em seguida solta um sorriso de lado para Sr. Swan. "Afinal, ele nem sabia da existência da criatura não é mesmo?"

"Não, ele não sabia." Afirma tomando um gole curto do chá.

"Viu, ele não teve nenhuma culpa sobre os problemas dela com o pai. Ela deveria ter deixado de lado e seguido a vida, sem ele." Justifica.

"Ela tinha total direito de saber mais sobre si mesma." Defende Stiles. Os ânimos logo começaram a se exaltar. "Talvez ela precisasse de ajuda."

"Talvez, fosse apenas uma aproveitadora. Talvez, nem fosse mesmo filha dele, ela realmente tinha um pai?" Fala quase gritando.

"Talvez, por conta dos problemas paternos do pai dela, ele não queria assumir a porra da responsabilidade e se quer cogitar que tinha uma filha." Diz em tom de voz mais alto que o normal.

"Por que inferno depois de tanto tempo ela iria querer vê-lo?" Pergunta à Sr. Swan como se estivesse fazendo a pergunta de sua vida, como se a resposta fosse decidir a vida ou morte da senhora a sua frente. "Vinte e poucos anos e surgir de uma hora para outra."

"Talvez por que ela tivesse medo de ser rejeitada. Exatamente como está sendo." Justifica Stiles para a senhora a sua frente, que apensas murmurava começos de frases, e sempre era interrompida.

*****

"Você, Lúcifer, tem um filho." Repete a doutora Linda.

"Na verdade, ele diz ser." Corrige. "Eu não tenho um filho."

"Você não acabou de dizer que ele levou um exame de DNA?" Pergunta.

"Sim, mas isso não quer dizer que seja verdade." Justifica seu ponto de vista pela milésima vez naquele dia. "Eu descobri isso hoje, queria o que?"

"Okay, entendo que pense dessa forma. Porém, você já pensou na possibilidade de que a pessoa que você diz não ser seu filho, seja realmente seu filho?"

"Ele não é, Linda." Fala sorrindo, este que se apaga aos poucos. "Deve ser só mais um tipo, de prova ou seja lá o que for, mandando pelo meu pai."

"Ou você talvez não queira ver a verdade."

"E qual seria a verdade, doutora?"

"Que você está com medo de que isso seja verdade. E não sabe como agir se for." Conclui ajeitando o óculos no rosto.

"E o que diria que eu deveria fazer?" Pergunta sorrindo.

"Eu diria que deveria conversar com esse jovem, tentar saber mais sobre ele, porquê veio até você depois de tanto tempo." Concluí. "Talvez se conversarem, você possa entender os motivos dele, e vocês se acertem."

"Acontece Linda, que eu não vou me acertar, conversar ou seja lá o que for, com um farsante."

"Você não está dando chance nem a ele, nem a você." Insiste, por mais que soubesse que suas tentativas seriam falhas.

"Exatamente, eu não vou dar chance para meu pai vir me perturbar logo agora."

"E se isso não tiver nenhuma ligação ao seu pai?"

"Tem dedo do meu pai nessa história." Afirma. "E por isso, prefiro me manter longe desse garoto."

*****

"Bom dia detetive." Comprimenta Lúcifer.

"Ah, bom dia Lúcifer." Responde levantando da sua mesa seguindo para sala de interrogatório. "Não veio acompanhado do seu filho?"

"Não comece detetive." Diz revirando os olhos.

"Bom, ontem eu fiz outro exame." Comenta deixando Lúcifer chocado.

"E não me disse nada, detetive?" Pergunta.

"Não achei nescessário." Responde estendendo um envelope ainda fechado para o moreno. "Achei melhor você abrir."

"Sim." Concorda o Morningstar, depois de alguns segundos de dúvida, decide abrir apenas depois. Guardando o envelope no bolso do terno. Chloe decide ignorar isso, talvez Lúcifer estivesse tentando adiar com medo do resultado.

"Eu falei com o namorado a Alisson, Brendon. De acordo com o que ele disse ela se preparava para encontrar com o pai, na universidade." Conta Chloe.

"Ora ora, então a mãe estava mentindo." Afirma sorrindo.

"Mentindo? Do que está falando Lúcifer?" Pergunta confusa.

"A sim, ontem fui até a casa da Alisson e conversei com a mãe dela." Diz em seguida narrando os acontecimentos da manhã anterior.

"Lúcifer, você não deveria ter feito isso." Fala irritada, os dois se encontravam já na frente da sala de interrogatório. "Ela tinha acabado de perder uma filha, nós esperamos ela se recuperar para fazer as perguntas."

"Ah por favor detetive." Revira os olhos com os protestos da loira. "Aquela senhora falou que não disse a Alisson quem era o pai."

"Então como a Alisson descobriu?" Pergunta Chloe.

"Adoraria saber detetive." Os dois adentram a sala onde se encontrava o professor de Alisson, Mark.

"Sr. McLean." Comprimenta Chloe. "Gostaríamos de fazer algumas perguntas sobre Alisson Swan.

"Ah sim, claro." Responde, o homem parecia levemente abatido, algo esperado para alguém que passava tanto tempo com a vítima.

"O senhor soube de algum tipo de briga recente da Alisson com alguém, com um dos colegas talvez?"

"Na verdade, não vinha acontecendo nada de diferente." Depois de alguns minutos de reflexão.

"Soubemos que Alisson iria se encontrar com o pai na universidade, você ficou até tarde com ela no dia do crime."

"Bom, eu fui embora e ela continuou lá." Responde imediatamente. "Alisson costumava fazer algumas pesquisas ultimamente, pensei que iria ficar fazendo isso."

"Ela ficou sozinha lá?" Pergunta Chloe. Recebendo um 'sim' como resposta, trocando um olhar rápido com Lúcifer.

"Ela costumava ficar até tarde com a amiga, Lydia."

"É, ela citou algumas horas a mais de pesquisas com Alisson." Murmura Chloe. "Obrigada pela ajuda."

A loira não espera a resposta e sai rapidamente da sala sendo seguida por Lúcifer.

"Detetive?" Decker ignora o mesmo e pega o celular ligando para Lydia, talvez ela soubesse mais um pouco além do que estava dizendo.

*****

"Por aqui." Indica Lydia. Chloe e Lúcifer a seguem por um curto caminho até o dito refeitório da universidade.

A dita 'ruiva' coloca alguns papéis em cima de uma mesa qualquer ali, juntamente com o notebook.

"Nós estávamos procurando pelo pai dela." Conta Lydia. "A mãe dela ficou grávida na faculdade, e pelo que ela falou, era alguém próximo na época, então, nos fizemos uma lista de todos os alunos que faziam o mesmo curso que a mãe da Alisson."

"E conseguiram achar?" Pergunta Lúcifer.

"Aparentemente, Alisson o achou, mas não quis me contar quem era, nem para o Brandon ela contou." Responde. "Quando juntamos todos os nomes do curso da Sr. Swan, a Alisson continuou a procura só."

"Entendo. Poderia me passar a lista?" Pede a loira.

"Bom, é aí que está. Eu achei algo." Diz Lydia, a de olhos verdes mostra uma foto antiga onde estavam todos os alunos da tal classe da Sr. Swan.

"Este é..." Chloe fica chocada ao ver, a foto mostrava também o professor de Alisson, Mark.

"O professor. O que ele faz abraçando a mãe da Alisson?" Completa Lúcifer.

"É isso que eu adoraria saber." Lydia parecia tão confusa quanto os dois a sua frente. "Até onde eu sei, vinte anos atrás ele já era casado a um bom tempo."

"Lúcifer..." Começa Chloe lançando um olhar significativo a Lúcifer.

"Eu sei detetive, ele é o pai." Completa

"Temos que ter certeza disso, eu vou ligar para a Demi e tentar descobrir mais sobre esse professor." Diz a loira se retirando do local ao lado de Lúcifer.

  Ao chegarem próximos ao carro da detetive, a loira começa a falar.

"Vou falar com a Sr. Swan, se o professor Mark for mesmo o pai da Alisson, ele é o principal..." Chloe se interrompe após perceber a falta do moreno. "Lúcifer? Lúcifer!"

*****

Mark McLean já estava na casa dos quarenta  anos, casado desde o ensino médio e pai de dois adolescentes. O homem loiro de olhos claros se assusta com o barulho da voz do outro no cômodo.

"Para um homem da sua idade, você está ótimo." Diz Lúcifer com um sorriso largo. "Porém, acho que remorso não é algo que faz bem a beleza."

"Você? Estava com a policial." Lembra. "Eu pensei que já tinha respondido todas as perguntas."

"Oh não, ainda falta uma."  Diz se aproximando do loiro. "O que você deseja?"

"Eu..." O homem de certa forma se encontrava sem palavras, que logo surgiram derrepente, se sentia hipnotizado e trancafiado pelos belos olhos escuros do homem a frente. "Eu quero me livrar de toda essa coisa de filha fora do casamento, fingir que nunca aconteceu."

"Ora, ora." Cantarola o moreno. "Então você realmente matou sua própria filha. Bem esperado não é mesmo? Os pais nunca estão dispostos a ouvir."

"Você não entende!"

"Eu entendo sim!" Diz pegando o professor pela gola da camisa.

"Ela iria arruinar minha vida! Tudo que eu construí. Minha mulher jamais me perdoaria, meus filhos me abandonariam." O homem parecia desesperado. "Eu e minha esposa passamos por tempos difíceis, e essa garota aparece justo quando tudo está bem, no único momento de paz que eu tive."

"Você é um monstro." Diz Lúcifer com olhos vermelhos, estava prestes a mostrar seu rosto de demônio quando ouve a voz da detetive.

"Lúcifer, solta ele." Manda a loira.

O moreno lentamente solta o loira, em seguida olhando para a detetive. Por um momento, pareceu para si que não havia somente um monstro ali.

*****

Lúcifer já estava a alguns minutos sentado frente ao seu melhor companheiro, seu piano. O tal exame de DNA estava em cima do mesmo, o moreno o encarava ainda não decidindo o que fazer, mais um copo de whisky seria a melhor escolha, já estava no quinto mesmo.

"Linda me falou sobre seu talvez filho." Lúcifer ouve a voz grave do irmão. O mesmo não se vira para o ver, mas sabe o olhar que direciona a si.

"Deixa eu pensar, veio aqui me dizer que deveria ter tomado cuidado." Tenta adivinhar, revirando os olhos em seguida.

"Não, quer dizer... Sim, mas não é só isso Luci." O maior se aproxima de Lúcifer. "Se ele é seu filho..."

"Ele não é!" Diz descansando as mãos acima do piano, as pessoas ainda insistiam nisso, ele havia sim se deitado com Cláudia, mas apenas uma vez, nem foi tão significativo assim.

"Se tem tanta certeza, por que ainda não abriu?" Pergunta olhando o papel branco ainda lacrado.

"Talvez eu não tenha tanta certeza assim." Diz logo após um longo gole de whisky. "As vezes eu sinto que estou fazendo exatamente a mesma coisa que o pai, não ouvindo."

"Entendo." Diz Amenadiel se encostando no piano.

"Se isso for verdade, se eu for o pai dele, eu não sei." Diz apoiando o rosto em uma das mãos, Lúcifer não se reconhecia, e tudo por conta de uma pessoa que não conhecia a dois dias inteiros. "Eu não sei o que fazer, eu..."

"Esta com medo." Completa Amenadiel olhando nos olhos do irmão, sentando ao lado do mesmo. "Você tem que ter certeza disso Luci."

"Bom, se você diz." Fala pegando o envelope. "O resultado é culpa sua."

Amenadiel não responde, apenas observa o outro olhar fixamente o objeto depois de o abrir, logo colocando no piano novamente.

"E então?" Pergunta.

"Nada além do esperado." Diz simples. Dedilha Für Elise lentamente nas teclas do piano.

"Já chega Lúcifer." Fala Amenadiel pegando o papel e olhando feio para o irmão.

Lúcifer suspira, o filho preferido de Deus lhe olha sorrindo.

"É verdade Lúcifer!" Sorri largo. "Você entende? Essa pode ser sua nova chance. Pode recomeçar."

"Eu não sei se quero recomeçar." Diz se levantando, ignorando completamente a figura de quase dois metros. "Nosso pai não costuma jogar pessoas em nosso caminho sem ter planos."

"E se não tiver nenhuma conspiração contra você?" Pergunta Amenadiel. "Você sempre acha que tudo que acontece é contra você, e se isso for o contrário? E se apenas aconteceu?"

"Os humanos costumam dizer que nada acontece por acaso." Fala pegando o copo de bebida e seguindo ao elevador. "Se toda criança é um presente de Deus, ele teria presenteado o diabo por que?"

A pergunta ficou sem resposta, o elevador se fechando em seguida frente a Lúcifer, depois se abrindo novamente no andar do seu quarto. O moreno caminha até seu pequeno bar, abastecendo o copo com bebida novamente.

"O que faz aqui?" Pergunta Lúcifer ao outro escondido nas sombras.

"Sei que vai me ignorar, como sempre." Diz Stiles dando um passo a frente, fazendo Lúcifer arregalar os olhos e largar o copo no balcão. "Mas eu preciso da sua ajuda."

Lúcifer se assusta por um momento, olhando o monte de penas negras a sua frente. Stiles tinha asas, e ele com certeza não sabia como reagir a isso.


Notas Finais


Nas notas finais só pra agradecer a Juh mesmo, e segue.

A fic tbm esta sendo postada no Wattpad, por mais que esteja flopando completamente lá.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...