História Mil e um motivos para não te amar - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Bromance, Yaoi, Yuri
Visualizações 1
Palavras 987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, LGBT, Romance e Novela, Saga, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Terceiro


Fanfic / Fanfiction Mil e um motivos para não te amar - Capítulo 3 - Terceiro

   

        tres

ele sabia que éra que raiva mais fodasi não podia fazer ele pensar que eu estava chorando por ele então menti                                                            -é um garoto que eu gosto-disse limpando as minha lagrimas e abrindo a porta ele estava la me olhando e pra falar a verdade ele nem éra tão bonito mentira ele éra sim que ódio de mim                                                             -o que ele fez?-bom então desde ai virou uma bola de neve            -eu vi ele com outra pessoa e eu gosto demais dele-então ele olhou interrogativo para mim pq a descrição parecia a dele então eu me liguei     -não é voce-falei o olhando nos olhos          -só acredito se me voce me dizer quem é- então fiquei pensando em alguem interesante que ele não seja amigo e é bonito então eu disse a maior merda que eu podia dizer      -sabe o esteven meu amigo?-merda eu não deveria ter falado isso  por que foi ai que a merda voou no ventilador de vez                   -eu te ajudo com ele-eu realmente tinha feito merda mais agora eu ja não tava nem ai e fui na  onda                     -como voce faria isso?-perguntei sorrindo levantando do vaso e ficando de frente pra ele                             -eu dou meus pulos-ele disse sério mais eu sabia que éra brincadeira tentei segurar a risada mais só funcionou por um minuto então nós dois rimos juntos                  -se é assim então-disse rindo de novo e ele junto ele estava pra dizer algo quando bateu para o segundo o périodo o ano nem tinha começado e eu ja estava metido em algo com thomaz waterson eu me snetia tão idiota                                 -vou la então-ele falou saindo                           -ta até mais-falei sorrindo então sai do banheiro e logo anastasia apareceu em meu lado                                           -como foi sua peimeira aula?-disse ela nos colocando de mãos dadas                                              -boa-não saberia por onde começar se tivesse dito a ela a verdade então menti                                                  -legal vamos para o underground?-bom como explicar o underground ele éra o porão da misty high que éra meio que gigante todos os clubes pessoas estranhas nerds fedelhos matando aula estavam la    éra a casa da escória da sociedade misty high um lar para nerds e cluber nem um pouco importantes tudo que não é esporte e matematica o diretor coloca la sla como lixo as pessoas bonitas e populares nem pissavam la e claro tambem éra a casa nossa casa eu e anastasia amavamos ficar la então matamos o segundo periodo e fomos para o unnderground descemos as escadas e fomos andado pelos corredores para o clube mais famoso do underground o:sala de diversão pros alunos que estão matando aula              sempe que  se entrava no underground tinha que contribuir com um dolar pra voces sabem comida despezas etc e quem cuidava disso voces me perguntam quem éra o lider do underground? o nome dela éra sheila uma trans de cabelos brancos que ja tinha completado cem por cento a trancisão ela éra a dona chegamos na sala para matadores de aula e estava como sempre salinhas com camas    sofas confortaveis uns pebolimns e jogos de tabuleiro bastante comida gratis nossa como nós amavamos aquele lugar logo vi sheila                                            -eai viado-ela disse vindo até mim e me abracando e abracando a anstasia tambem                                     -ana voce tem a esencia desse lugar princesa léia sério? deixa de ser tão perfeita- sheila disse olhando para ana e ana com vergonha só sorriu timida                                       -entrem voces ja são de casa mesmo ana e eu sentamos num sofa de coro marron pegamos doces com os garsons e ficamos mechendo no celular e comendo e sim tinha garçons sheila sabia tudo sobre administração e faz esses um dolares renderem em pilhas de dinheiro então eu olhei as pessoas a volta no bar bebendo margaritas com umas garotas vestidas de cersei e arya de game of thrones  uns nerds que no underground éram os mais populares no palco um menino gay maquiado cantando uma musica lenta que deixava tudo muito relaxante fui olhando todas aquelas pessoas peculiares e vi um garoto aparentemente normal lindo moreno de topete ,alto bem do jeito que eu gosto mais eu sabia que tinha uma pegadinha ninguem no underground éra o normal aos olhos da sociedade ele mexia no celular quando sheila sentou do lado dele e eles ficaram conversando ,foi quando ana percebeu que eu os encarava                                                -por que ta encarando eles?-eu queria mentir mais não foi o que eu fiz                                                                               -ele me deixou intrigado-foi quando uma garota godinha chamou a sheila do outro lado da sala de descanço ela disse ja volto e agora  ele ja tinha nome, ela se despediu o chamando de pedro então ele ficou olhando em volta mais eu disfarçei foi quando anastasia o chamou e ele veio em nosso encotnro caralho o que anastasia tinha na cabeça essa filha da puta                                                                        -voce pegaria o meu amigo-ela soltou quando ele iria dizer oi que vergonha ele estava bem perto e eu o senti olhandopara mim senti por que nessa altura eu ja evitava todo e qualquer contato visual e só olhava pro lado foi quando ele disse                                              -claro-eu olhei para ele e ele estava me encarando com uma cara meio safada eu ja sabia que ia rolar então deixei acontecer me levantei e roubei um selinho então ele me agarrou com força e me beijou intensamente foi etremamente exitante e todo mundo aplaudiu mais eu não conseguia parar de beija-lo o gosto dele éra tão excitante e sua lingua na minha eu nossas respirações juntas se movendo igual seu corpo encaixado no meu ele tinha muita pegada eu coemçei a suar aqilo estava tão intenso então nos separei respirei e logo me joguei no sofá quando acabamos eles aplaudiram de novo ja sentado no sofa ele se ajolhou e pediu meu numero eu dei por que queria transar com ele bem ali na frente de todos seu beijo éra viciante  e tão atraente ele foi embora com meu numero e fiquei em nós transando 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...