História Mil e uma utilidades - Kim Namjoon - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Kim Nam-joon / Rap Monster
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangatao, Bts, Imagine, Kim Namjoon, Rap Monster, Romance, Sexo
Visualizações 204
Palavras 701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá gente, eu sou "novo" no site, eu fiz o cadastro há anos atrás, mas nunca utilizei de verdade. Entretanto, me apaixonei por um grupinho maravilhoso vulgo bangtan boys, e aqui estou eu com uma imagine sobre o meu utt.
Ah, podem me chamar de Lucs.

Espero que gostem, até as notas finais :)

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Mil e uma utilidades - Kim Namjoon - Capítulo 1 - Prólogo

Como descrever Kim Namjoon? Eu não posso e nem tenho capacidade para isso.

Ele nasceu com diversos dons além da sedução, ele também é bombeiro, médico, encanador, professor, pintor, segurança, eletricista e a noite ele é dono dos palcos em um dos clubes noturnos mais famosos de Incheon, ele é um gogoboy.

Nesse exato momento estou boquiaberta assistindo--o pela primeira vez, minha sina por ele atingiu um nível tão alto que o sigo onde ele estiver.

— Feche a boca – Katy bateu em meu queixo fazendo--me morder a língua e ainda sim meus olhos estavam fixos nele.

Namjoon estava movendo--se de uma forma tão sensual, fazendo um movimento de onda com o corpo enquanto acariciava seu peitoral definido e desnudo com as pontas do dedo. Mas o ápice de meu estado crítico em minhas rupas íntimas foi quando ele apontou--me o dedo, molhou os lábios com a língua e mordeu o lábio inferior, eu com certeza poderia matar a sede de um camelo com meu vazamento vaginal. Eu não tive reação para subir no palco, minha boca estava seca, meu coração estava quase pulando para fora e minha testa começou a suar.

Como se não bastasse causar--me tamanho excitamento ele veio em minha direção e sentou em meu colo, naquele momento senti meu corpo fraquejar e minha respiração ficar descontrolada. Aquele corpo suado e sarado movendo--se sensualmente em meu colo estava levando-me a loucura sem me penetrar.

Namjoon não estava satisfeito, ele literalmente queria me matar antes de me foder selvagemente do jeito que eu desejava, ele pegou minhas mãos e começou a passa--las em seu peitoral suado e em seguida a colocou dentro de sua cueca. Pude sentir seu membro quente em minha mão direita enquanto a esquerda estava ocupada demais acariciando aquele tórax deliciosamente sexy, eu poderia ataca--lo ali mesmo, mas sabia que aquele era o seu trabalho, e se o seu trabalho era matar-me de desejo ele conseguiu.

(...)

Sai da boate tão fraca que minhas pernas estavam bambas e mal mantinham--se de pé, tive ajuda de minha amiga até o táxi e eu não conseguia ouvir absolutamente nada do que ela falava por ainda estar hipnotizada por aquele homem. Meus olhos ainda estavam tendo flashes daquele homem extraordinário esculpido com toda graça pelo Deus da beleza. Tudo que eu conseguia imaginar enquanto estava naquele táxi a caminho de casa era sobre as possíveis posições que poderíamos fazer em minha cama grande e vazia.

— Senhora, senhora – o taxista estava estalando os dedos em frente ao meu rosto.

— Ah me desculpe... O que foi? – tentei me recompor.

— Não me disse o seu destino.

— Sim, sim claro. Vire a esquerda, por favor.

Ele apenas assentiu com a cabeça e continuou.

Após deixar-me em frente ao meu apartamento eu lhe paguei e sorri como de costume, sempre era simpática com todos.

Entrei correndo e apertei o botão do elevador freneticamente.

— O que há com você? O elevador está quebrado – meu vizinho, Jung Hoseok abordou-me fazendo aegyo.

— Você está sendo fofo demais – apertei sua bochecha — Preciso chegar rápido ao meu apartamento – comentei impaciente ao me dirigir para escada de emergência onde os outros também estavam.

— Vamos usar o elevador de serviço – sussurrou puxando--me pelo pulso.

— Não podemos.

Assim que chegamos próximos ao elevador de serviço Hoseok jogou todo seu charme para uma das funcionárias.

Ele chamou--me com a mão e assim fomos para o elevador.

Alguns longos segundos de silêncio até o décimo andar fora quebrado quando ele comentou sobre ter ouvido alguns barulhos vindos do meu apartamento.

— Ontem à noite quando cheguei, passei pela sua porta e ouvi alguns...

— Alguns o que? – o interrompi, odeio que tomem conta da minha vida.

Ele prensou--me no espelho do elevador segurando forte minha cintura fazendo eu soltar um gemido abafado.

— A ouvi gemer, estava brincando sozinha não é mesmo?

— Me solta... – não tinha forças para o empurrar, eu estava fraca demais desde a boate, aquilo ali seria apenas o ápice para me derrubar.

— Sabe... – ele aproximou os lábios da minha orelha esquerda ainda apertando minha cintura. — Você pode me chamar quando precisar. – terminou mordendo o lóbulo da mesma.

(...)


Notas Finais


Depende de você a continuação dessa belezinha, isso mesmo de você que está lendo. Vamos lá, não seja um fantasma, deixe o que achou da história.

Obrigado por lerem e até a próxima ;)

Ah e me segue lá @bangatao, add também, pois não conheço ninguém e estou aberto a amizades


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...