História Mil faces do amor - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Arrow, Emily Bett Rickards, Stephen Amell
Personagens Emily Bett Rickards, Stephen Amell
Visualizações 71
Palavras 1.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite pessoal! Chegando mais um capítulo quentinho pra vocês, dessa vez com algo um pouquinho diferente. Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 17 - Pele com Pele


Fanfic / Fanfiction Mil faces do amor - Capítulo 17 - Pele com Pele

O amor não obedece às regras ou convenções. Subjugar o amor é sabotar a si mesmo. Como o mar leva o barco, é o amor quem nos leva.

Midierson Maia

 

 

Stephen e Emily chegaram as gargalhadas no apartamento da loira. O dia na casa de Robbie tinha sido maravilhoso e eles conversavam sobre todas as coisas engraçadas que aconteceram. Stephen estava extremamente curioso para saber sobre a conversa que Emily tivera com sua mãe, mas ela fora firme quando dissera que não contaria. Apesar de não concordar com o segredo, Stephen sabia que Emily era leal demais para compartilhar aquele momento com ele. Observando ela vasculhar a bolsa atrás da chave, Stephen pensou no quanto ela era linda por dentro e por fora e no quanto ele admirava aquele pequeno ser que sabia ser forte e decidido.

            - O que você quer comer? – Emily perguntou assim que entraram no apartamento.

            - Pra ser sincero, nada! A gente comeu demais, tenho até medo de descobrir que tenho alguma cena sem camisa essa semana. – Stephen brincou arrancando um tapa de Emily que fez cara de ciúmes. Ai como ele amava aquela expressão sincera!      

            - Acho que vou ter uma conversinha com o pessoal sobre essas ceninhas sem camisa. O Oliver tá muito assanhadinho para o meu gosto. – Emily comentou brava. Precisava admitir que amava ver Stephen sem camisa em cena, mas agora que ele era seu, a perspectiva a fazia se contorcer de ciúmes. – Ele precisa focar mais na missão e parar de exibir esse peitoral por aí. Antes era mais legal, agora está apelativo.

            - Ahhh então quer dizer que a senhorita não fica mais feliz com isso? Tenho a impressão que alguém amava antes. – Stephen provocou fazendo Emily ficar sem graça. Até parecia que ele tinha lido sua mente.

            - Disse bem, amava, no passado! – Emily respondeu escondendo o rosto. – Digamos que hoje eu prefiro algo mais íntimo. – Ela disse com um sorriso malicioso. Stephen reagiu a provocação, afinal ele sempre desejara tomá-la nos braços e amá-la. Tinha noites que ia dormir com esse pensamento, desejando tê-la só para si. Agora que tinha, ele estava com medo de parecer apressado, pois não queria que ela imaginasse que ele não seria capaz de esperar pelo momento certo. Mas algo no tom dela fez Stephen perceber que ela o desejava tanto quanto ele. Então ele se aproximou lentamente, como um caçador que observa sua presa. Precisava agir com cautela e então teria o que tanto desejava.

            - Emily, você quer? – Ele perguntou de uma forma sedutora, exprimindo nas palavras todo seu desejo. Emily assentiu acabando com a pequena distância que existia ente eles, com o olhar em chamas, desafiando Stephen a tocá-la se fosse capaz. Ele aproximou seus rostos, tomando seus lábios com um desejo que parecia surreal. Quando deram por si, ambos estavam com a respiração ofegante e o coração em saltos. Se tinha uma certeza que pairava no ar naquele instante é que eles se queriam de corpo e alma.

            Emily conduziu Stephen até seu quarto sem desgrudar seus corpos. A paixão queimava como veneno em suas veias, fazendo-os se agitarem ainda mais com aquele contato quente. Em meio aos beijos ela retirou sua camisa, observando aquele corpo que ela tanto amava. Passeando a mão por sobre ele, ela percebeu que seu ser correspondia a seu toque e ele estava pronto para unir-se a ela, mesmo que ainda não fosse o momento. Ela amava a sensação de poder sobre ele, amava perceber a forma como ele reagia a seu toque, como sua temperatura subia a medida que ela o provocava. Notando que estava em desvantagem, Stephen tratou de tomar o controle da situação, relevando a lingerie vermelha que Emily exibia com satisfação. A única vez que a vira nesses trajes foi em cena, e ele não teve a oportunidade de observar cada detalhe daquele corpo que o levava a fazer as maiores loucuras. Ele a desejara no momento em que Oliver teve Felicity em seus braços e Stephen sentiu que também queria ter Emily.

            O calor de ambos aumentava, assim como seu desejo que parecia incontrolável naquele momento. Os beijos se tornavam cada vez mais sedentos, ansiando por algo a mais. Com cuidado Stephen colocou Emily sobre a cama, posicionando-se em cima para que pudesse continuar com o controle da situação. O único objetivo dele, naquele momento, era conduzir Emily ao auge do seu prazer, demonstrando que ele a amaria de todas as formas que pudesse. Com cuidado, Stephen retirou o sutiã de Emily, fazendo o mesmo com a calcinha, parando para a observar a nudez da sua amada.

- Como você é linda, meu amor. – Stephen elogiou com um fio de voz, concentrado demais nela para se preocupar em ser ouvido. Ele queria leva-la a loucura e sabia como conseguiria. Então, astuto como sempre, ele começou a depositar beijos em todos os pontos do corpo de Emily, que se contorcia com o contato daqueles lábios quentes em sua pele. Ela amava o que aquela boca era capaz de fazer consigo, permitindo-se sentir a mulher mais amada do mundo. Stephen se divertia ao perceber o poder que tinha sobre aquela mulher que estava totalmente entregue a ele, aninhando-se ao lençol a medida que sua boca percorria áreas proibidas do corpo dela. Ah como ele amava o sabor que ela tinha, nunca tinha provado nada igual. Ela era, sem dúvidas, única em todos os aspectos.

            Emily lutou para se desvencilhar do seu pequeno paraíso, sentindo que precisava fazer algo. Queria retribuir as sensações que Stephen despertava nela, então arqueou seu corpo nu, de modo a conseguir impulso suficiente para inverter a posição. Era a vez dela de fazer Stephen delirar. Quando percebeu que tinha atingido seu objetivo, Emily posicionou-se de forma a ter o controle máximo sobre o corpo dele, obrigando-o a olhar seu rosto provocativo. Ela explorou cada centímetro dele, sentindo a intimidade surgir entre eles a medida que se tornavam mais um do outro. Era óbvio que ele a desejava da mesma forma e isso era visível em seu corpo que estava cada vez mais preparado para que ela o abrigasse.

Sentindo que estavam prontos, Stephen olhou para Emily com paixão, deixando claro suas intenções. A sintonia entre eles era tanto que Emily se posicionou sobre ele, sentindo que não havia nenhuma dúvida sobre aquele momento. Ela queria senti-lo, queria ser dele, assim como ele queria ser dela. Então uniram-se pelo amor, formando um só corpo. Quando Emily sentiu que aquele momento estava acontecendo, ela sorriu feliz. Sonhara tantas noites com aquele momento que era difícil acreditar que eles estavam juntos ali. O prazer fazia seu corpo queimar e se contorcer junto ao de Stephen, numa coreografia perfeitamente sincronizada. Sua respiração estava pesada e a temperatura do quarto insuportável, tamanho o calor que eles emanavam. Com seus lábios colados aos de Stephen, Emily sentiu que o amava ainda mais que antes, uma nova conexão surgindo entre eles. O contato de seus corpos revelava também o amor de pele e esse sentimento era indescritível para ela.

- Eu te amo Stephen. – Emily sussurrou abraçando seu corpo nu, sentindo a união que ainda existia entre eles. Seus corpos se encaixavam como um quebra cabeça perfeito, como se tivessem sido especialmente projetados para ser do outro.

- Eu também te amo Emily! – Stephen respondeu com a voz rouca de prazer, fazendo os pelos de Emily se arrepiarem com aquele lado sexy que ele tinha.  Eles haviam sido feitos um para o outro, para viverem um felizes para sempre digno de contos de fada. Eles se amaram desde o primeiro instante, quando aquele sentimento ainda era proibido, incerto. O destino os tinha levado para aquele quarto, naquela noite quente, onde o amor se misturava ao desejo e a certeza de que eles sempre seriam um do outro. Aninhados no quarto de Emily ainda nus, era fácil perceber que eles sempre se pertenceriam, e sob o céu estrelado daquele domingo, eles se amaram pela segunda vez.


Notas Finais


Bom pessoal, é isso! Acho que vocês já notaram que minha forma de escrita é mais poética, algo que permite a imaginação, por isso esse capítulo não foi tão explícito. Espero que tenham gostado da proposta. Comentem, por favor, quero saber o que estão achando da história para que possa continuar. Um beijão e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...