1. Spirit Fanfics >
  2. Mil historia de um vampiro >
  3. Cego de raiva

História Mil historia de um vampiro - Capítulo 41


Escrita por:


Capítulo 41 - Cego de raiva


— Vamos mate ela — Manstol gritou enquanto Manuel se arrastava, Eliza logo se pôs a se afastar gritando com seu companheiro — sou eu seu idiota — mas Manuel pareceu não escutar quando a pegou pelo pescoço, faltava pouco para quebrar o próprio, Elizabeth não conseguia respirar bem muito menos falar, apenas conseguia se debater olhando seu amigo de séculos estava prestes á tirar sua vida.

— NÃO — Manuel gritou sem voz, estava em um lugar estranho, não como uma casa ou uma sala de esperar, mas em um branco, isso mesmo nada além de um imenso espaço chão branco e tudo que podia ver era o branco, olhando os céus o horizonte só se via branco.

— esta e a sua ideia de subconsciente, banal eu diria — escutou uma voz familiar vindo até ele, suas pernas ficaram bambas quando viu Vanessa em sua frente, mas diferente usava um kimono branco e seu rosto não parecia cansado e seus cabelos estavam brancos sem qual mecha azul que tinha em sua característica.

— e essa é a sua imagem de oque seria sua força de vontade, pelo menos é oque esta tentando fazer — então ela se abaixou tinha um livro pequeno em sua mão — você está preso em um tipo de maldição lembra? Mas não vai ser fácil você tem que vencer, agora vamos ver que tal, Maria Gonçalves umas das primeiras.

De repente já estávamos em outro lugar, um quarto costumeiro com apenas uma cama e uma estante, na cama havia duas pessoas.

— droga — guinchou quando percebeu onde estava, a sua primeira vítima a filha do dono da estalagem, pode ver muito bem a si mesmo deitado sobre ela se alimentando, suas presas dilacerando o pescoço da própria, era uma garota linda galega e jovem.

— foi o primeiro nome que você anotou — A falsa Vanessa falou lendo oque seria a lista de vítimas — por favor, não vire o rosto, tera que assistir você matando sua primeira vítima é assim que vai sai daqui.

Manuel então virou a contra gosto, não se sentia bem em lembrar daquela época.

— droga aonde vocês estão? — Vanessa quase berrou saindo da carroça, mas perdeu o ar quando escutou a madeira da carruagem rachar.

— ora, ora o senhor Drácula vai ficar feliz de ver que eu á capturei — então saltou caindo em ao lado de Vanessa que logo correu em alta velocidade — por favor, senhorita, não quero a machucar — ela escutou assustada quando vou que ele a podia acompanhar.

— TRANSFORMAÇÃO NÍVEL COMPLETO — ela gritou com pequenos relâmpagos saindo do seu corpo, se não fosse o treinamento teria perdido do ar por completo na tentativa de deixar aquele homem para trás parou apenas quando não o viu em seu calcanhar.

— droga — ela bufou cansada suas pernas latejavam.

— venha comigo senhorita — ela escutou antes de ser pega pelo pulso e começar a ser arrastada pelo vampiro — me chamou Gerouch, é um prazer finalmente a conhecer senhorita Vanessa — ela não se preocupou em escutar tentando o parar puxava seu braço, mas não teve sucesso, em último caso desembainhou sua espada respirando fundo se virou erguendo a lâmina, respondeu fundo sentido a lamina então.

— por favor, senhorita, não te nescidade — ele falou sorrindo com a espada agora em dua mão.

— já chega — Manuel falou irritado vendo sua decima segunda vítima, foram Tempos difíceis eram os irmãos Matheus com 14 e 16 anos — eu não sou mais assim.

— isso não apaga seus pecados, Manuel, e faltam mais, para se purificar tera que passar por isso — ouvir aquilo e ver ele mesmo matando aqueles garotos.

— escuta aqui — se pondo na frente de Vanessa — eu não tenho tempo, pessoas dependem de mim.

— eu não posso fazer nada

— mentira — eles escutaram quando o antigo Manuel se ergueu largando os corpos dos garotos e se virando para eles — tem outro jeito

— por favor, manuel não o escute esse é o antigo você não escute ele

Manuel paralisou vendo ele mesmo sujo de sangue como antes ele via oque era oque tinha se tornado, naquele momento ambos levantaram a mão para Manuel, ele sabia que tinha que escolher em passar por tudo ou se livrar podendo voltar só que era antes, nunca escolheria a última opção, mas sabia que não tinha tempo e sem escolha apertou a mão do seu antigo eu.

— por favor Manuel — ela cuspiu seus últimos suspiros.

— isso, muito bem meu garoto — Manstrol falou gargalhando apalpando o ombro do seu novo fantoche.

— oque? — perguntou confuso quando Manuel se virou para sorrindo. Nada falou respirando como um touro, mas foi o suficiente para o feiticeiro tropeçar pra trás agarrando sua faca, se virou encurralado com Manuel caminhando lentamente até ele suas roupas ondulavam como se tivesse um poder latente esperando para explodir.

— oque, OQUE DIABOS VOCÊ É?

Manuel não respondeu, em fúria medrosa Manstrol o atingiu, o esfaqueou no pescoço cortando profundamente, Manuel ergueu sua mão até a lamina cravada a retirando, sangue não escorreu o pescoço apenas voltou a se colar rapidamente, com a faca em mão a ergueu em um piscar de olhos a estava crava no olho esquerdo do bruxo o mesmo levou a mão ao olho aos berros tentando tirar a faca, sem falar nada Manuel ergueu seu braço, suas unhas cresceram em cor negra, em segundos atingiu as mesmas no braço do defunto, o braço caiu no chão com sangue jogando o homem desistiu de gritar com lagrimas escorrendo pelo seu rosto aceitou sua morte, Manuel então o pegou pelo pescoço, mas não o quebrou ou arrancou sua cabeça, cravou suas presas maiores no pescoço então concretizou o tabu, se alimentou de um de seus, o pior tabu se alimentou de um Vampiro xamã, sua boca queimou em fumaça, mas ele não parou até devorar até a última gota do miserável.

Seus olhos perderam a cor forte escarlate quando oque devia ser branco dos olhos se tornou preto e as veias aumentaram.

— Vanessa — ele grunhiu a passos pesados, os doía ghouls se esconderam de medo, mas foi inútil em um piscar de olhos, Manuel agarrou cada um deles bebendo de seus corpos até os matar então a fera que um dia fora um homem saiu pela porta na escura escada, Elizabeth tinha acordado porem estava sem forças para levantar ou falar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...