1. Spirit Fanfics >
  2. Milagres de Junho >
  3. Epílogo

História Milagres de Junho - Capítulo 30


Escrita por:


Notas do Autor


Oii Cupcakes <3! E aqui estamos no capítulo final de MJ. Eu não tenho palavras para agradecer a todos que acompanharam essa história ao longo do mês. Eu recebi muito amor e a história não teria chegado tão longe se não fosse por vocês. Muito obrigada pelos mais de 200 comentários e os mais de 30 favoritos. Obrigada pelas palavras de apoio, pela compreensão, obrigada pelo amor que vocês deram a Oliver, Felicity, Tony e toda a família Barton. Espero que possam continuar acompanhando os Romances Mensais.

Obrigada dudamsilvaa, Princesa_Fefeh, Jujubalos, SweetDream14, amorafig, NandadeLuca, Nilzareis e Emy_Lyah pelos comentários no capítulo passado. Boa leitura...

Capítulo 30 - Epílogo


ROMANCES MENSAIS

LIVRO VI - MILAGRES DE JUNHO

��

EPÍLOGO

O inverno havia caído na cidade com intensidade e mesmo com os grossos agasalhos, ainda era possível sentir o vento gélido maltratar a pele, enquanto eles brincavam na grossa camada de gelo do parque. Felicity observava Oliver, Tony, Holly, Mon-El e Damon brincando de guerra de bola de neve com um sorriso genuíno em seu rosto, enquanto um lindo pôr-do-sol embelezava o céu de Hawkins como uma pintura aquarela. Ela não conseguia disfarçar a felicidade que a preenchia a cada dia.

Dois meses se passaram desde que ela e Oliver se casaram e a cada dia que passavam um ao lado do outro, mais certeza eles tinham de que haviam feito a escolha certa. Felicity jamais imaginou que gostaria tanto de dividir a cama e o guarda-roupa com outra pessoa. Oliver também não poderia se sentir mais realizado ao acordar todos os dias e se deparar com os lindos olhos esverdeados de Felicity. 

Eles não conseguiam acreditar em como suas vidas e a de seus amigos haviam mudado tão drasticamente. Começando por eles mesmos. Ainda era surreal demais para Felicity acreditar que passou anos procurando e desistindo do amor para que em um intervalo de cinco meses ela estivesse se apaixonado, noivado, casado e iniciado o processo de adoção com o homem que disse a si mesma que jamais se envolveria. 

Um dia após o casamento surpresa, foi a vez de Oliver surpreender a agora esposa, levando-a ao orfanato onde ela viveu dezoito anos de sua vida para uma visita, duas horas antes de seu voo para passar a lua de mel na ilha Thunderbolts, um paraíso no meio do oceano Atlântico que pertence a Clint. Ele queria saber mais sobre os processos de adoção e descobrir mais sobre o passado da loira. Em meio as histórias contadas a Oliver sobre sua infância, Felicity esbarrou nos irmãos William e Mia, que viviam no orfanato desde a morte dos pais há cinco anos, e foi amor a primeira vista. 

Ela se encantou pela ternura presente nos olhos das duas crianças. Assim como quando segurou Tony em seus braços pela primeira vez, ela sentiu que Will e Mia eram seus filhos. Oliver e Tony também se encantaram pelo garoto de doze anos e sua irmã de seis anos. Uma semana depois, eles entraram com o pedido de adoção. Depois de muita luta na justiça, a previsão é de que até o fim do mês, a família finalmente estaria completa, para a alegria de Tony, que já havia feito inúmeros planos para o que faria quando os irmãos chegassem.

Mas não foi apenas Oliver, Felicity e Tony que vibraram com a notícia de que o casal aumentaria a família. Moira, Robert, Richard e Marta não se cabiam em felicidade. Depois de se tornarem tão apegados a Tony, os pais e avós de Oliver deram todo o apoio ao casal durante o processo de adoção, chegando até mesmo a visitarem toda semana o orfanato para terem contato com os mais novos netos.

Em meio a nova etapa da vida de casado e como futuros pais de mais duas crianças, Oliver precisou repensar também em sua carreira profissional. A vida toda, ele havia planejado passar o resto de sua vida atuando em comunidades carentes de países com condições precárias. No entanto, desde a chegada de Tony e Felicity em sua vida - e agora de Will e Mia -, ele não conseguia mais se imaginar longe de sua família.

Assim, depois da experiência que viveu por causa do filho, Oliver decidiu que assim como o pai de Tommy, ele também aprenderia mais sobre a área e espera ser capaz de salvar mais vidas como a de seu filho, buscando cura para doenças hepáticas e gástricas. Ele também passou a se preparar para assumir os negócios da família. Como havia combinado com os avós, Oliver passou a ter mais contato com a administração do IU Health Methodist Hospital. O plano era assumir a presidência do hospital logo após terminar a sua especialização em Gastroenterologia, o que deve ocorrer em três anos.

Aos poucos, suas vidas iam se ajeitando. Claro que eles ainda precisavam aprender e lidar com muitos problemas. Sendo pessoas tão diferentes, os conflitos eram inevitáveis, mas eles sabiam que o amor que sentiam um pelo o outro seria forte o bastante para superar qualquer obstáculo que pudesse surgir em suas vidas.

- É impressionante como Mon-El se torna uma criança quando está com Holly e os meninos. - Comenta Kara, encarando o namorado com um sorriso dividido entre a vergonha e a doçura.

- Oliver não é muito diferente. Tem horas que eu me pergunto se o pai da casa é o Tony ou ele. - Revela Felicity, fazendo as garotas rirem.

- Pelo menos vocês podem dar a desculpa que eles agem assim por causa das crianças, mas e o Damon? - Questiona Elena, rindo do namorado que fazia questão de lançar piscadelas, beijos e declarações de amor sempre que podia apenas para envergonhar a namorada em frente as família que haviam aproveitado o fim de semana e a tempestade intensa do dia anterior para levar os filhos para brincar na neve.

- No fundo, não importa a idade, eles sempre serão crianças. - Responde Felicity, observando as amigas. - E isso que os tornam tão especiais.

- Tem razão. - Concorda Kara, suspirando com um sorriso apaixonado no rosto. 

- Infelizmente, nós nos tornamos incapazes de viver sem eles. - Comenta Elena, observando o namorado com carinho.

Felicity sorri e encara o filho e o marido. Mesmo que tudo tenha acontecido de forma súbita e repentina demais para que ela conseguisse assimilar, ela jamais trocaria a vida que tinha por outra. Mesmo que tivesse a chance de mudar alguma coisa em seu passado, ela não mudaria nada apenas para ter a certeza de que no fim, ela ainda teria Tony, Will, Mia, Oliver e toda a gigantesca família que a acolheu ao seu lado.

- Mamãe! Eu estou com fome! - Grita Tony de repente, correndo em direção a mãe, que se abaixa para pegá-lo no colo. 

- Acho que vocês já brincaram demais por hoje. Seu rosto está congelando. Vai acabar ficando doente se ficar mais tempo nesse frio. É melhor nós irmos para casa. - Responde a loira, apertando o filho mais contra si para aquecê-lo.

- Mas eu quero brincar mais com a Holly, o papai, tio Damon e com o tio Mon-El. - Resmunga o garoto, inconformado. 

- É, tia Felicity. Deixa a gente brincar. - Insiste Holly, abraçando a perna da mãe de seu melhor amigo.

- Nós também já vamos, meu amor. - Informa Kara, pegando a sobrinha no colo. - Felicity está certa. Já está escurecendo e ficando frio demais para vocês ficarem brincando. E não queremos que vocês fiquem gripados.

- Deixa a gente ficar mais um pouquinho, mamãe. - Insiste Tony, fazendo a sua típica carinha de cachorro que caiu da mudança.

- Amanhã a gente brinca mais filho. - Argumenta Oliver, ajeitando a toca na cabeça do filho, que ameaçava cair. - Podemos pedir para o tio Mon-El e para a tia Kara deixar a Holly ir lá para casa para vocês passarem o dia todo brincando. Tudo bem para você, Mon-El?

- Claro. - Concorda Mon-El, abraçando Kara. - É bom que Kara e eu podemos ir a um encontro antes que eu vá trabalhar. Faz um bom tempo que não saímos sozinhos.

- Isso seria ótimo. - Afirma Kara, encostando a cabeça no ombro do namorado, que beija a testa dela. - Apenas me digam o horário que podemos passar na casa de vocês para deixar Holly. 

- Oba! Nós vamos brincar amanhã na sua casa, Tony! - Comemora Holly, encarando o melhor amigo com um grandioso sorriso.

- Isso! - Festeja Tony, animado. Ele se vira para Damon e o encara com esperança. - Você também vai, tio Damon?

- É claro que eu vou, amigão. Você acha mesmo que eu perderia um dia de brincadeiras com você e a Holly? - Questiona Damon, lançando uma piscadela para o garoto, enquanto abraça a namorada. 

- Elena vai estar ocupada, não vai? - Pergunta Oliver, encarando o melhor amigo.

- Sim. - Responde Elena, rindo. Damon bufa e ela deixa um beijo em sua bochecha. - Eu combinei de sair com Ally, Cait, Mal, Thea, Sam e Beth. Inclusive, a Felicity vai se juntar a nós assim que sair do hospital para a noite das garotas e a Kara quando acabar seu encontro com Mon-El. Não é sempre que todas nós conseguimos nos reunir.

- Isso é verdade. - Concorda Kara, pensativa. Ela então sorri e se animada com a ideia. - Eu vou chamar a Lena e a El para se juntar a nós. 

- Parece divertido ter várias garotas juntas. - Comenta Felicity, encarando o marido. - Você se importa em ficar com as crianças?

- Sem problemas. - Afirma Oliver, pegando Tony no colo. 

- Com todas vocês reunidas, todos os homens vão acabar se reunindo para jogar e reclamar da solidão na casa de vocês. Não se preocupe. Eles vão cuidar bem das crianças. - Afirma Mon-El e todos riem, sabendo que isso realmente aconteceria.

Em meio aos risos e planos para o dia seguinte, Felicity, Oliver e Tony se despedem dos amigos e seguem para casa. O dia havia sido divertido, mas muito cansativo. Exausto por ter brincado sem descanso com os tios, o pai e a melhor amiga, Tony não demora muito a dormir no carro. Depois de um rápida viagem, Oliver estaciona o carro em frente a casa para a qual se mudou quando ele e Felicity se casaram. O casal desce do veículo e sentem o intenso frio da noite os atingir.

Enquanto Oliver retira Tony da cadeirinha com cuidado para não acordar o filho, Felicity observa um carro luxuoso parar de frente a residência da família e de dentro dele sair um homem trajando um terno elegante, gravata, luvas brancas e um quepe motorista. Com Tony em seu colo, Oliver encara o homem por alguns instantes e não demora a reconhecer o motorista.

- Bernard! - Exclama Oliver, surpreso ao encontrar o homem que não vê há quase um ano. - Quanto tempo! Como está?

O motorista sorri e retira o quepe de sua cabeça para cumprimentar o casal. Ele o coloca de volta a sua cabeça e assim que se aproxima do casal, o homem os observa com atenção, analisando suas feições com o rosto imparcial. Bernard exibe uma aura misteriosa, quase como se soubesse o que se passava em suas mentes.

Bernard Hanks é um dos braços direitos de Clint. Desde que conheceu o excêntrico patriarca da família Barton, Felicity não se lembra de nenhuma vez que não tenha visto o senhor de sorriso contido, olhos analíticos e postura aristocrática ao seu lado. Ela sorri ao ver que mesmo depois de tantos anos, Bernard continuava a mesma pessoa educada e gentil.

- Boa noite, Sr. e Sra. Queen. Primeiramente, devo parabenizá-los pela cerimônia de casamento. Lamento profundamente não ter comparecido ao evento. Infelizmente, Sr. Barton e eu enfrentamos alguns problemas que saíram de nosso controle. - O homem faz uma leve referência com pesar.

- Não se preocupe, Bernard. Clint nos contou o que houve. Nós entendemos. - Afirma Felicity, sorrindo com sinceridade. - Mas estou surpresa de vê-lo por aqui. Aconteceu alguma coisa com Clint? É raro encontrá-lo sem ser acompanhado de seu excêntrico senhor. 

- Não aconteceu nada ao Sr. Barton. Ele está muito bem. - Afirma o motorista, sorrindo gentilmente. Ele retira um envelope preto de dentro de seu terno e o estende a Felicity, que o pega com curiosidade. - Ele apenas pediu que eu entregasse o convite de seu quadragésimo aniversário.

- Ah, o aniversário do tio Clint. Eu nem acredito que já se passou quase um ano desde a super festa com o tema Mágico de Oz. - Comenta Oliver, sorrindo notálgico ao lembrar o quanto havia se divertido com a festa de aniversário do ano anterior. Ele então se vira para a esposa e a encara confusa. - Eu não me lembro de você ter ido.

- Tony ficou doente no dia e não deu para eu ir. Mas Peggy me mostrou as fotos e vídeos. Soube que tinham mágicos, leões e diversos cenários do filme. Vi alguns trechos das apresentações do pessoal do musical da Broadway. - Responde Felicity, sorrindo ao lembrar da felicidade da melhor amiga ao narrar a festa. - Queria ter ido.

- O musical foi incrível. Acho que foi a melhor parte da noite! Teve explosões, tecnologia, música e outras coisas tão incríveis. Parecia mesmo que estávamos dentro do filme. - Relembra Oliver, sorrindo. 

- Isso é bem a cara do Clint. A excentricidade dele não me surpreende mais. - Fala Felicity, rindo.

- E qual será o tema desse ano, Bernard? Algo a ver com um mundo alternativo como Matrix? - Arrisca Oliver, curioso. 

- Eu recomendo que leiam o convite, Sr. Queen. - Responde o motorista, sorrindo educado.

- Obrigada por nos trazer o convite, Bernard. - Agradece Felicity, abrindo o envelope com o convite em formato de lupa era preto e possuí as bordas e as letras em caligrafia elegante em prata.

- Agora que o convite foi entregue, eu terei que partir. Boa noite mais uma vez, Sr. e Sra. Queen. - Despede-se Bernard, dando uma reverência em antes de seguir para o carro luxuoso e ir embora.

Oliver e Felicity despedem-se com acenos do motorista. O rapaz então ajeita o filho nos braços e se aproxima da esposa para ver o que dizia no convite.

 

Olá, Caros Detetives.

É com um imenso prazer que eu os convido para celebrar meu tão aguardado quadragésimo aniversário. Como um amante de mistérios, aproveitaremos a ocasião para desvendar um caso sem respostas até então. Estejam preparados para embarcar nessa perigosa e excitante aventura na primeira noite de dezembro, em uma sombria noite de Lua Nova. E lembrem-se: nunca confie em ninguém.

Atenciosamente,

Clint Barton.

 

 

- Parece que esse ano iremos participar de um jogo de detetives. Isso combina bastante com o tio Clint. - Comenta Oliver, encarando Felicity, que sorri, concordando.

- Acho que isso será bastante interessante. Eu sou bastante competitiva, então não vou perder essa festa por nada. - Comenta Felicity, dando um sorriso divertido. - Estou louca para para ver como será esse jogo.

- Não importa como seja. Nós iremos ganhar. - Afirma Oliver, sorrindo cúmplice para a esposa. 

Eles riem e resolvem entrar. Com os corações ansiosos, eles não sabiam o que esperar dessa festa, mas de uma uma coisa eles tinham certeza. Essa noite com certeza serie inesquecível.


Notas Finais


Então é isso, Cupcakes! Muito obrigada a todos que acompanharam MJ. Eu realmente não tenho palavras para expressar a minha gratidão por vocês. Eu peço desculpas se em algum momento decepcionei. E espero que vocês possam continuar a ler as próximas histórias da série Romances Mensais. Amanhã eu voltarei aqui apenas com a sinopse e o link da sétima história da série, que será protagonizada por Damon Salvatore e Elena Gilbert. Beijocas!

Família Cupcake 2.0: https://chat.whatsapp.com/BbOG6KJnuHy2dQIs1sC9Ss
Cupcakes da Lara: https://www.facebook.com/groups/677328449023646
Instagram: @_cupcakesdalara
Mentiras de Maio - Livro V: https://www.spiritfanfiction.com/historia/mentiras-de-maio-19178132


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...