1. Spirit Fanfics >
  2. Milk-Shake-Nosh. >
  3. I kissed a boy, and i like?

História Milk-Shake-Nosh. - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo novoooooo.
Significado do titulo: Eu beijei um garoto, e gostei?

Galera, a voz que contradiz eles, nada mais é que, o próprio subconsciente, algo que quebra o clichê, e os submete a verdade, ou as paranoias.
Galera, eles sempre usam as roupas das fotos.
Boa leitura!

Capítulo 5 - I kissed a boy, and i like?


Fanfic / Fanfiction Milk-Shake-Nosh. - Capítulo 5 - I kissed a boy, and i like?

{Josh}

Passei a noite sonhando com aquele momento, foi muito estranho. Estou confuso, não sei o que fazer, acho que vou pegar um pacote de balas fini e sair por aí. As aulas vão começar depois de amanhã, sim estou empolgado, gosto de estudar.

[Já disse que você é nerd?]

Já, mas eu não sou, você é estranho, pera, eu sou estranho?

-Josh?

-Oi Heyoon.

-Me da um?-Ela aponta para o meu pacote de balas.

-Pega.

-O que aconteceu?, está mais pensativo que o normal.

Fico imóvel, a cena vai e vem na minha cabeça.

-Nada não, só estou empolgado com as aulas.

-Ok, você quer dar uma volta pelo campus?

-Bora.

Caminhamos até o campus, Heyoon não para de falar, chega a ser irritante, as vezes pergunto-me, como fui ter um crush nela?

-Tô te incomodando né?

-Não, ta legal.

-Tô sim, sei que você não gosta que encham o seu saco quando está pensativo.

Vejo Noah e Any, eles vinham em nossa direção, meu coração acelera, lembranças, nossa, aquele beijo foi super pesado.

-Oi gente.

-Oi Any. Digo com a mente explodindo.

-Joshua, posso fa...Falar com você?

Ele gaguejou, Jesus ele GAGUEJOU!

-Sim.

-Agente tá indo boys.

-Tchau.

-O que deseja Noah?

Por que falei desse jeito?

-Te pedir desculpas, não sabia o que rolou ali.

-Tudo bem, foi muito estranho, mas tudo bem.

-Falou, posso pegar um?- Ele olha para o pacote.

-Claro.

-Amo esses ursinhos.

-Eu gosto do vermelho.

-Eu gosto dos verdes.

-Combinam com seus olhos.

Damos um sorriso, depois uma risada.

-Quer dar uma volta Joshua?

-Não vai me levar na torre de novo não né?

-Não, queria achar o Krys, ele tá me devendo vintão.

-Vamos lá.

-Sabe onde ele tá?

-Provavelmente, tá pegando a Hina na sala de música.

-Tem sala de música aqui?

-Tem, depois da sala de química.

Seguimos para a sala de música, imaginei um climão, mas não, ficou tudo de boas.

[Tá bom, vai nessa.]

-Falei!

-Ei, agente pode ter privacidade? Diz Krys indignado, enquanto segura a cintura de Hina.

-Sabe que tá na sala de música né?-Digo.

[Krys não era gay?]

Sei lá, ele é muito estranho.

-Meu dinheiro, senhor Krystian.

-Aff, toma aqui.

Ele entrega o dinheiro à Noah.

-Bora Noah.

Andamos até metade do corredor.

-Tá afim de almoçar?

-Tô, que tal bife com fritas?

-Tava pensando em macarronada.

-Tá bom, sabe de algum lugar bom?

-Sei, o restaurante dos meus pais, vem vamos no meu carro.

Vamos até o carro e Noah, e só quando entro  que percebo.

[O quê?]

[O quê?]

[O quê?]

Eu vou conhecer os pais dele!

Noah liga o carro, apertamos os cintos, passo o caminho olhando à rua, estava nervoso, mas ele parecia calmo.

-Chegamos.

-Ooou, pera!

-Que foi?

-Seus pais são donos, do Parle'vu?

-São, mas agora vamos entrar, tô faminto.

Entramos no restaurante, um dos melhores de Páris, Noah abraça seus pais.

-Mãe, pai, esse é o Joshua, meu novo amigo.

-Ola Joshua.-A mãe dele diz.

Logo após o pai dele estende a mão, eu aperto-a com um sorriso amarelo(significa envergonhado)

-Vão comer?

-Sim pai.

-Sentem na mesa 3.

Noah me acompanha até lá, após isso sentamos.

-O que vai querer?

-A macarronada que você falou.

Esperamos um tempo, depois Noah pede dois pratos iguais.

-Nossa, que lindo.

Observo o belo prato de macarronada, tinha um molho e alguns temperos, parecia muito bom, dou uma garfada e ponho na boca.

-Nossa.

-O que houve, tá ruim?

-Não Noah, tá muito bom!

-Eu disse.

Comemos tudo  e conversamos a vulso, Noah e eu somos bem parecidos, ele é muito engraçado.

-Sobremesa Joshua?

-Você quer?

Ele chama o garçom e pede algo, acredito ser torta. Pouco tempo depois o garçom volta com duas fatias de torta e duas bolas de sorvete.

-Essa aqui é a torta de frutas vermelhas, com sorvete de menta do meu pai.

-Parece delicioso.

Dou uma garfada e nossa, que gosto maravilhoso, que explosão, o sorvete se unta com a torta e as frutas, é maravilhoso. Comemos a torta calados, era bom demais para estragar.

-Vamos rachar a conta?

-Não mesmo meu jovem, amigo do Noah, é nosso amigo!- A mãe dele argumenta, junto de um sorriso clarificado.

-Obrigado, mas eu...

-Sem mas, agora vão, agente precisa liberar a mesa.

Saímos do restaurante e fomos até o carro de Noah, ele estava muito sorridente, nem percebo direito que ele começou a dirigir.

-Posso pôr uma música?

-O carro é seu, doido.

Ele põe uma música.

-Que música é essa?

-Selfish.

-Triste.

-Mas boa?

-Sim, é muito boa.

Noah começa a cantar junto da música, acho que era o refrão, sua voz era angelical, sentia um soprano vindo dele, que maravilhoso momento, aquela doce e delicada voz, que se juntava com um pouco de rouquidão, derreti ali mesmo. Como leio muito, adoro falar como um narrador, é muito bom.

-Você canta bem.

-Valeu.

A música é tão contagiante e simples, que começo a cantar com ele.

-Uou, você canta muito bem, também.

-Não melhor que você.

-Mas canta, muito bem.

-Obrigado.

[Que fofo.]

Shiu!

Chegamos na Universidade, descemos do carro e sorrimos.

-Posso te acompanhar até o dormitório.

-Sim.

Andamos pelo campus e passamos pelos armários, Noah conta um pouco de sua historia, muito legal, ele fala sobre seus sonhos e ficamos assim, eu conto sobre mim e ele sobre si.

-Chegamos.-Falo na porta do meu quarto.

Abro a porta e me viro, acontece de novo, faces se aproximando, cada vez mais próximas, não me contenho e o beijo, o sabor forte da torta explode na boca, tudo mistura, um leve sabor de menta, que veio do sorvete, as línguas roçando, se juntando, quanto percebo, separo-me dele.

[Poxa, tava tão bom.]

 

-Desculpa.

-Desculpa.

Olhares envergonhados, se misturam ao momento, peço mais uma vez desculpa, dou um tchau e fecho a porta.

[Bom demais pra ser verdade.]

-Fica quieto!

Me jogo na cama e afundo minha face em meu travesseiro branco.

-Como isso aconteceu?

Foi rápido demais, minha mente tá confusa agora, estou sem entender nada.

-O que eu fiz?

-Que beijo foi esse?

-Eu gostei?

[Parece que sim.]

-Não, não gostei.

[Se você tá dizendo.]

O momento se remexe em minha mente, cada segundo, cada toque, as línguas, os segundos, os sabores.

-Chega Joshua!

Ouço o som da porta e vou atende-la

-Oi.-Diz Sofya com uma cara fofa.

-Olá?

-O que tá rolando, parece assustado.

-Vi um meme na internet.

-Qual?

-Sei lá, perdi.

-Tá bom, só vim dizer que amanhã tem o baile de começo de ano.

Merda esqueci disso!

-Nossa.

-Como você nunca lembra dessas coisas, vim alerta-lo.

-Valeu Soso, eu tinha esquecido mesmo.

-Eu sei, agora tchau.

Ela sai do quarto.

-O que eu vou fazer, vai ficar um clima muito estranho entre agente.

[Se acalma!]

Não, não sei.

[CALMA!]

Tô calmo, agora tenho que achar uma roupa para amanhã.

 


Notas Finais


Galeris, não sei quantas palavras tem, desculpe se ficou pequeno, mas tá aí, talvez lance mais um hoje.
Comentemmmmm please!

Bjs meus Hearts!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...