1. Spirit Fanfics >
  2. MILUDIR - As Diferenças que se Deram tão Bem >
  3. A Carta

História MILUDIR - As Diferenças que se Deram tão Bem - Capítulo 57


Escrita por:


Capítulo 57 - A Carta


Será que o amor invadiu o coração da dona do cabaré de Serro Azul e Feliciano está carente porque se decepcionou com as mentiras de Mirtes? Os dois guardiões não paravam de pensar naquele beijo que havia trocado, desde que abriu o cabaré em Serro Azul Ondina prometeu a si mesma que não iria se apaixonar por homem algum, mas o seu coração resolveu pregar uma peça com ela.

Como precisa de um conselho amoroso, Ondina resolveu procurar Milu e contar o que houve entre ela e Feliciano, foi até a loja e não a encontra. No caminho de volta a pousada, ela se deparou com a esotérica e Jurandir desolados e pergunta:

- Santo Deus que cara são essas? Alguém morreu?

-  Infelizmente a Raquel e o Fernando estão mortos, linda! – conta Milu.

- Peraí eu escutei no rádio que os dois haviam fugido da prisão e como foi que vocês o encontraram? E pelo visto um caminhão passou por cima de vocês, estão cheios de machucacões.

- Eu e a Milu fomos passear lá no bosque de Greenville, aí resolvemos namorar mais a vontade numa casa abandonada, eles estavam lá escondidos, começaram a nos ofender e trocar agressões. Até que aconteceu a tragédia: Fernando o atingiu com a arma e havia aberto o gás da cozinha para nos matar asfixiados, no momento que ele morreu, tentamos tirar Raquel de lá, mas ela resolveu morrer junto ao irmão dela. – Responde Jurandir.

-  Nossa que apuros vocês passaram, pensem no lado bom que agora vocês terão paz novamente e definitivamente. Eu sei que vocês devem estar exaustos, mas eu preciso conversar com Milu a sós, poderia nos dar licença Jurandir?

- Eu já ia para casa mesmo, até mais ver Ondina, tchau meu amor. – Jurandir beija a testa da amada e sai.

- Ondina eu estou sentindo que veio pedir um conselho amoroso, estou certa?

- Isso que dá ter uma amiga sensitiva e esotérica ao mesmo tempo, não dá para esconder nada de você. Enquanto você estava aproveitando o seu noivo, eu e o Feliciano estávamos fingindo nosso cacho para provar o amor da Mirtes por ele provocando ciúmes nela e acabamos nos beijando. To completamente confusa com meus sentimentos amiga. – Confessa Ondina.

-  E qual o problema de se apaixonar por ele amiga? Vocês são solteiros, tem mesmo que se dar a chance de ser feliz assim como eu. – Ri Milu.

- Eu não posso me apaixonar por ele, ou melhor, por ninguém. Jurei a mim mesma que não sentiria isso de novo.

- Aconteceu amiga, a gente não manda no coração, espera ver como as coisas vão acontecendo e quem sabe vocês descobrem que foram feitos um para o outro.

As duas amigas se despedem com um caloroso abraço e seguem para os seus afazeres.

Já é noite e Mirtes fica pensando no beijo trocado entre Ondina e Feliciano, ela se pergunta: “Por que Você está fazendo isso comigo? Como eu queria que você passasse uma borracha naquilo que eu fiz, me aceitar de volta e me ajudar a reconquistar o amor da nossa filha”.

No momento que ela termina a frase, uma dor no peito toma conta dela que a fez pressentir algo que podia estar acontecendo com Taciana. Ela não perde tempo, começa a trocar de roupa e já pedi um táxi para Greenville.

Quando se fala em intuição de mãe, tem poder é a pura verdade. Uma pessoa entra no quarto de Taciana, quando ela está dormindo, a criatura vai se aproximando do leito, ela injeta uma alta dose de veneno dentro do soro e ao sentir algo mexendo na sua medicação Taci abre os olhos e diz:

- Quem é você? O que você quer comigo? – A pessoa responde:

- A pessoa que você vai lembrar no momento que passar dessa vez para melhor, você se meteu com a pessoa errada ao entrar na frente daquela bala, agora finalmente vai ter o que merece.

Não demora muito os batimentos cardíacos de Taciana começam a diminuir, a pessoa misteriosa sai sem ser vista, o que não contava que justamente ao sair do quarto dá de cara com Mirtes. A beata estranha a presença de Laura no quarto da filha e pergunta:

- Você é a Laura, a filha do Olavo? O que está fazendo aqui?

- Eu sou filha dele, vim visitar minha amiga, depois daquela confusão com meu pai e o Sampaio não tive tempo de pedir desculpas que não foi por mal aquela bala que a atingiu só queria botar pressão no Gabriel por conta do casarão. Agora preciso ir.

Laura se afasta dali, Mirtes entra no quarto da filha, ela está completamente agitada, a beata chama por socorro. Ela se aproxima de Taci, que tenta dizer a Mirtes:

- Eu estou morrendo m...

Os batimentos cardíacos cessam, a equipe médica entra naquele momento:

- Minha senhora se afaste, coloquem o desfibrilador na paciente.

Os enfermeiros começam aplicar uma série de choques, foi uma tentativa, foram duas tentativas e na terceira tentativa também não teve êxito. Os médicos não conseguem salvá-la infelizmente e anunciam sua morte a Mirtes. A beata fica desesperada, ela não sabia como dar essa notícia a Feliciano e pede que um enfermeiro ligue ao ex namorado.

O telefone de Feliciano toca no momento que ele ia falar com Ondina, estranha que trata-se de um número desconhecido e atende:

- Alô gostaria de falar com quem?

- É o Senhor Feliciano? Aqui é o enfermeiro Gustavo, trabalho no hospital de Greenville, uma senhora pediu que entrasse em contato com o senhor.

- É ele mesmo, aconteceu alguma coisa?

-  O senhor poderia dar um pulo aqui no hospital é urgente.

- Estou indo.

Feliciano dá meia volta, pega o seu carro que está estacionado ao lado do quiosque de Nicolau e vai para o hospital. Dez minutos depois, ele chega no hospital e dá de cara com Mirtes chorando:

- Mirtes, o que você está fazendo aqui? Você e nossa filha brigou de novo? – Feliciano questiona a beata:

- Oh Feliciano, a gente não brigou, a nossa filha está morta.

- Como é que é? Ela estava tão bem a essa manhã como pode um negócio desses.

- Só sei que eu não consegui salvá-la Feliciano dessa vez, não cheguei a tempo.

- Você não está falando coisa com coisa mulher, não estou entendendo nada. Nossa filha NÃO PODE SER, JUSTO AGORA QUE FINALMENTE NÓS ESTÁVAMOS NOS ENTENDENDO. – Grita Feliciano. Cadê ela, Mirtes?

- Está no quarto, nossa filha se foi para sempre Feliciano.

Feliciano e Mirtes entram no quarto de Taci, os pais da garota ao verem ela morta não conseguem segurar a emoção e acabam se abraçando fortemente. Lágrimas escorriam dos rostos deles inconformados que haviam perdido a filha deles, Mirtes acaricia a mão da menina e fica de joelhos pedindo perdão ao cadáver da garota. Feliciano não acreditava que isso está acontecendo com ele, ele se aproxima do corpo da filha e se dá conta que tinha um bilhete na cômoda ao lado do leito dela. Ele abre o bilhete e começa a ler: “ Estou escrevendo esse bilhete porque eu não tenho coragem de olhar nos olhos de vocês e dizer que agora os aceito como meus pais biológicos, minha mãe pode ter cometido muitos erros, por um lado agora a entendo que não foi fácil passar por aquela situação sem você e ninguém para contar que ela está grávida, o medo foi maior e a decepção de achar que o homem da vida dela a abandonou a própria sorte. Eu te perdoo minha mãe, agora podemos tentar recuperar o tempo perdido e sermos amigas não acha? Pai eu também quero poder contar com o senhor daqui por diante. Quando lerem isso, eu prometo que irei pedir o abraço tão sonhado que irá selar de uma vez por todas que eu os aceito como meus pais. Taci”.

Feliciano passa uma das mãos na boca descrente que a sua filha o reconheceu e Mirtes como mãe, ele diz a beata:

- Leia isso, Mirtes. – Feliciano entrega o bilhete.

Ao começar ler o bilhete, ela fica tocada com as palavras de Taciana embora tenha a perdido para sempre, finalmente consegue ficar com a consciência tranquila ao ter o perdão da filha e só diz bem baixinho: “Obrigada minha filha”.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...