História Minha amada Magnólia - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Comedia Romantica, Drama, Família, Gale, Gruvia, Jerza, Nalu
Visualizações 123
Palavras 4.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - Declaração


 

Autora

 

Lucy desceu calmamente as escadas para o primeiro andar do pequeno prédio onde ficava o consultório.

Limpou os últimos resquícios das lágrimas que teimavam em cair pelo seu rosto e ao sair respirou fundo olhando para o céu ensolarado e pensando que logo não veria o tão amado sol tão cedo.

Caminhou até a padaria na esquina da rua e comprou o cappuccino de chocolate que era o pedido que sempre fazia seu pai brigar com ela quando pequena. E sorriu ao pensar em como ele diria que ela tem que diminuir o açúcar se quiser ficar mais alta.

 

~°~

 

_ Você tem ideia de com quem está falando? _ o homem resmungou irritado ao telefone enquanto caminhava até a padaria próxima da boate a fim de respirar um ar puro.

Zera  o olhou quando ele parou antes de entrar no estabelecimento e ele fez sinal para que ela fosse e não se preocupasse.

_ Eu entendo que esteja ofendido Dragneel, mas isso é um pedido fora dos limites, não posso arriscar um dos meus por um cara que era policial!

_ Ele é um imbecil que acabou com tudo o que eu construí! Ele estuprou a filha do policial que me prendeu porque sabia que ele ia ser o próximo a cair, sequestrou a porra de uma garota de 12 anos! A garota tinha a idade da minha irmã e eu quase levei a culpa por aquela merda toda. Eu quero ele morto e se você não vai arrumar ninguém pra fazer o serviço na cadeia eu vou procurar outro cara, mas você vai se arrepender de não negociar comigo. _ Zeref ameaçou controlando a voz.

_ Cara… Porra! Você só me coloca nessas merdas, eu vou arrumar alguém mas eu quero ele protegido lá dentro, se acontecer alguma coisa com ele você vai se foder e sabe disso! Você não é mais o cara que controla tudo e… _ Zeref parou de ouvir ao esbarrar com alguém que passava pela porta da padaria e arregalou os olhos ao ver a cabeleira loira pedindo desculpas antes de passar por ele como se nada tivesse acontecido.

Derrubou o celular no chão em choque e demorou alguns segundos para se recompor antes de pegar o aparelho e por impulso correr pela calçada indo atrás da garota.

Ouviu um grito de Zera que carregava três cafés em uma caixinha. Ignorou completamente sua irritante assistente.

Correu um quarteirão inteiro antes de vê-la novamente dessa vez andando em direção a um carro onde uma garota de cabelos azuis acenava chamando ela e uma garota ruiva estava no volante.

O Moreno arregalou os olhos e se escondeu ao ver a irmã no volante mas simplesmente não conseguiu resistir espiar a garota que por sua culpa sofreu de forma tão baixa sem ter feito nada para merecer.

Talvez tivesse ódio do pai dela, a culpa de ir parar na cadeia por tráfico de drogas foi dele, cinco anos da sua vida foram jogados fora. Mas ele sabia que esse risco existia quando tomou a decisão de seguir aquele caminho.

Mas Lucy Heartfillia não tinha tomado nenhuma decisão ela só foi uma vítima.

E na época ele quis assustar o policial que o jogou na cadeia. Mas era pra ser um susto, uma ameaça que envolveria a garota em troca de alguns documentos sendo queimados para conseguir colocar a culpa em outra pessoa. Os dois iam sair ganhando.

Mas o filho da puta doente do Ivan tinha que fazer merda! Ele tinha que querer se vingar do cara que conseguiu o posto de capitão que ele almejava, se vingar do cara que tinha descoberto que ele era um porco vendido. Ivan fodeu com tudo.

E agora ele iria ter o troco.

Zeref olhou uma última vez a garota loira que ria em frente a janela do carro velho e se virou para ir embora.

Não iria interferir nem mais um pouco na vida dela, apesar de querer muito que ela fosse uma das lutadoras que o faria ganhar muito dinheiro.

 

~°~

 

_ Café com leite e chocolate com chantilly e canela por cima _ Mavis olhou para a garota que havia colocado o café em sua mesa e abaixou óculos com cara de tédio.

_ Como entrou aqui? _ perguntou para a morena.

_ Bom doutora _ falou de forma debochada _ achei que estava trabalhando demais e decidi te trazer o seu favorito enquanto meu chefe resolve um problema no parque aqui ao lado.

_ Que merda o seu chefe resolve num parque? _ Mavis questionou pegando o café e voltando sua atenção para a garota sentada casualmente na mesa onde ela olhava a ficha da última pessoa que saiu daquela sala.

_ Eu prefiro não saber _ Respondeu concentrada no nome _ Heartifillia… eu já vi esse nome em algum lugar.

Zera olhou pensativa e depois deu de ombros.

_ É uma das minha pacientes mais antigas. _ Mavis comentou e levantou da cadeira _ vamos dar uma volta no parque. Quero conhecer o seu chefe…

Zera revidou os olhos.

_ Vai ser estranho apresentar minha irmã para o meu chefe.

_ Vai que ele é bonito. _ Mavis deu de ombros.

_ Vamos então, você vai odiá-lo. _ disse risonha já imaginando sua irmã irritada com a grosseria com que normalmente o chefe tratava a todos.



 

Lucy

 

_ E aí o que estavam fazendo por aqui? _ perguntei para Levy e Erza que estavam juntas no carro de Natsu e me encontraram após sair do consultório.

_ Tinha uma liquidação de camisetas numa loja aqui perto _ Levy respondeu animada.

_ Que tipo de camisetas? _ perguntei estranhando o olhar animado dela.

_ Camisetas com estampas toppers, comprei várias _ Levy pegou uma sacola e foi tirando as camisetas com estampas de filmes, séries e livros.

_ E porque não me convidaram? _ reclamei irritada.

_ E você por acaso sabe onde está a porcaria do seu celular? _ Erza retrucou. _ Eu te liguei, você não foi pra escola e seu celular está desligado, onde você estava afinal de contas?

_ Bom..._ fiquei sem graça ao responder _ Eu estava no dentista.

Menti.

Sim! Menti para minhas amigas e aquilo era o completo oposto do que Mavis havia me dito para fazer. Quase pude ouvir a voz calma dizendo “você tem que ser mais receptiva e confiar mais nas pessoas”.

_ Desde cedo? _ Levy perguntou.

_ De manhã eu estava me sentindo mal _ menti novamente. De manhã eu só não queria encontrar com aquelas pessoas, hoje eu realmente não estava me sentindo bem para fingir que os ataques na escola não me atingem.

E eu não podia perder o controle das minhas emoções na escola. Definitivamente não!

_ Chegamos! _ Erza exclamou ao parar o carro na frente da minha casa.

_ Obrigada meninas!

_ Amanhã vamos fazer alguma coisa juntas? _ Erza perguntou.

_ Claro, vamos ver as opções pelo whats _ respondi saindo do carro e acenando.


 

Cana

 

_ Não acha que ficou exagerado? _ perguntei observando o primeiro rascunho da decoração para o festival da primavera que seria dali a dois meses no último dia de aula antes das férias.

Discutimos aquilo por horas, com o comitê de planejamento e mesmo assim ainda parecia ter muita coisa e estava saindo do nosso orçamento.

_ Acha também presidente? _ Patrick do clube de artes questionou.

_ Isso vai sair do nosso orçamento..._ Erza respondeu pensativa _ Esse festival é para podermos conseguir dinheiro para o baile de formatura no final do ano, não precisa ser tão decorado só precisa de mais ideias boas para que possamos atrair mais gente.

_ Mais atrações? Temos os jogos de praxe que sempre tem, temos também um teatro... _ Clarie começou a listar o que já tínhamos preparado para o festival.

_ As líderes estão preparando uma apresentação especial com o clube de dança _ acrescentei.

_ A nova capitã ja foi escolhida? _ James questionou curioso.

_ Lucy Heartfilia foi indicada para capitã, a treinadora foi até conversar com a Lissana no hospital pra saber o voto dela, a maioria das garotas votou na Lucy porque ela já era capitã na antiga escola _ falei dando de ombros.

_ Você seria uma boa capitã também _ Ele comentou sorrindo docemente.

_ Eu não gostaria disso, ser capitã é muita responsabilidade, eu gosto de poder vir ajudar com os eventos da escola.

_ Bom… ainda precisamos de mais alguma coisa pra esse festival._ Erza interrompeu educadamente.

_ Que tal um show de talentos? _ Rose falou sorrindo.

_ Eu gostei! _ Erza concordou _ Todos a favor?

Todos os 7 membros do comitê concordaram com a ideia.

 

~°~

 

_ Uau! Hoje foi cansativo _ James falou se colocando ao meu lado enquanto eu seguia pelo corredor até o estacionamento.

_ Foi mesmo _ concordei sorrindo, James estava tentando se aproximar de mim nos últimos tempos.

E eu não sabia se estava gostando disso, quer dizer, eu gosto quando caras bonitos dão em cima de mim, mas de alguma forma eu não me sentia confortável para fazer o mesmo com James. Ele parece tão… fofo?

Ele é o tipo do cara que eu magoaria em uma semana. E eu não estou afim de jogos agora, já sou conhecida nessa escola como bêbada não quero terminar o ano conhecida como alguém que só se diverte com os caras e depois descarta.

_ Sempre é assim quando tem algum evento _ Ele falou baixinho.

_ Esse ano parece que está mais parado, geralmente tem mais eventos.

_ Bom, o Bradd sempre faz alguma festa na casa dele pra compensar isso _ James falou sorrindo e passou a mão nos cabelos caramelo jogando eles para trás de forma muito charmosa.

Talvez eu possa perder uma hora ou duas com ele.

_ O Bradd adora desculpas para fazer uma bagunça na casa dos pais dele, as vezes eu me pergunto se ele não mora lá sozinho e os pais dele se mudaram para a casa ao lado.

_ Eu não duvido, ele é rico _ Ele ele deu de ombros.

_ Vai de carro? _ perguntei tentando encontrar algum assunto.

_ Vou de ônibus hoje, minha carona já foi a cerca de 2 horas _ Ele falou olhando a hora na tela do celular.

_ Nossa a reunião de hoje realmente foi demorada, já são quase cinco horas! _ Falei vendo o horário.

_ Sim, bom o pessoal de algum dos times ainda deve estar aí, tem carros demais aqui pelo horário.

_ Sim, quer uma carona no carro do professor? _ perguntei sorrindo.

Ele corou.

Isso é engraçado, um cara corar por uma pergunta tão boba.

_ Não quero te atrapalhar, eu moro meio longe.

_ Não me atrapalha em nada, eu não moro muito perto aqui mesmo e hoje tive a sorte de poder vir dirigindo essa lata velha, então vamos juntos, não é sempre que posso oferecer carona, geralmente venho de moto.

_ Se insiste _ Ele coçou a nuca e seguimos até o velho gol preto do meu pai.

_ Eu insisto! _ Falei destrancando o carro e me inclinado para abrir a porta dele. _ Essa porta está com defeito só abre por dentro _ resmunguei ao me endireitar no banco do motorista.

Ele entrou no carro e ficou alguns minutos em silêncio enquanto eu arrumava minha bolsa e endireitava o banco para um tamanho mais adequado.

E quando ele pareceu finalmente que ia dizer alguma coisa, Sting estava na minha janela acenando animado.

_ hã..._ abaixei o vidro _ E ai?

_ Então gatinha eu ia te falar pra gente ir comprar um bagulho no shopping e… calma aí quem é esse cara?

Olhei para o James ao meu lado no carro.

_ É o James, estou dando uma carona pra ele. E esse aqui é o Sting. _ apresentei ambos.

_ E aí! _ James falou se encolhendo um pouco. Sting era maior do que ele por causa de todos os treinos e isso chamava a atenção de muitas garotas, chamava atenção até demais.

_ E ai. _ O mais loiro respondeu sem empolgação olhando fixamente para o garoto ao meu lado.

_ Hã… precisa ir agora? Eu ia levar o James pra casa e depois ir pra minha casa descansar. Hoje foi foda! _ reclamei.

_ Vamos comigo _ o loiro insistiu _ Vai fazer o que tem que fazer e eu passo na sua casa daqui uma hora, pode ser?

_ Vai comprar o que afinal?

_ Preciso de ajuda na verdade e quero a sua opinião feminina e a opinião mais importante pra mim sobre uma coisa que é segredo _ Ele encarou o rapaz ao meu lado novamente.

_ Ok.. _ respondi confusa.

_ Vai logo, você tem uma hora _ falou como um aviso e saiu em direção ao seu próprio carro.

Suspirei antes de ligar o meu veículo e rumar para fora da escola.

_ Pra onde? _ perguntei para James que se mantinha quieto demais ao meu lado.

_ Esquerda, minha casa é perto do parque das cerejeiras.

_ Certo.

_ Vocês estão juntos? _ ele soltou de repente.

Olhei rapidamente pra ele assustada com a conclusão a que chegou tão rápido e logo olhei para um semáforo vermelho e freei o carro com tudo.

_ Opa! Desculpa e não, é claro que não somos melhores amigos e ele quer que eu vá com ele porque sempre vamos a todos os lugares juntos, mas isso não quer dizer que nós dois estamos… _ Eu falei rapidamente e comecei a gaguejar ao ficar nervosa, e eu nunca fico nervosa! _ Bom nós dois… hã, somos apenas amigos.

Parei de falar ao notar minha resposta ridícula. E continuei dirigindo enquanto o rapaz me encarava com um meio sorriso.

_ Entendi. Vira aqui é na próxima rua.

_ Chegamos! _ anunciei ao parar na frente da casa que ele indicou. E quando olhei para ele seus olhos claros me encaravam intensos e indecisos. Era como se ele quisesse muito algo de mim e não tivesse certeza se devia dizer.

_ Eu tava pensando Cana… se você não está afim de sair comigo, tipo qualquer dia.

O fitei não tão surpresa uma vez que imaginei que em algum momento ele ia me chamar pra sair.

Procurei em mim algo que me fizesse dizer não ao seu convite e encontrei. Encontrei um motivo alto, loiro e que vive jogado na minha cama enquanto conversamos sem nem imaginar as coisa sujas que eu penso em fazer com ele toda vez que o vejo deitado ali.

E esse foi o motivo que me fez sorrir para James e responder.

_ Eu ia adorar. Podemos sair esse fim de semana, o que acha?

_ Acho ótimo _ Respondeu empolgado _ Eu eu vou ver o que tem de legal esse fim de semana e te mando mensagem, pode ser?

_ Pode sim, tchauzinho _ acenei enquanto ligava o carro e assoprava um beijinho em sua direção.

 

~°~

 

_ Caralho Cana que demora! _ Sting reclamou quando eu entrei no carro depois de ele buzinar 3 vezes.

_ Foi mal, estava tentando ficar arrumada. _ Falei olhando no espelho do pó de arroz e achando que minha franja estava muito estranha.

_ Pra mim você está ótima, mas tô estranhando essa maquiagem, você nunca usa maquiagem.

_ Achei que devia testar uma básica _ que é tudo o que sei usar, rímel, pó e batom cor de boca. Mesmo assim Sting sempre sabe quando estou usando algo diferente.

_ Saquei _ falou me olhando estranho e depois continuou _ Eu queria comprar um presente de aniversário pra minha prima.

_ É aniversário da Lucy? _ perguntei surpresa por não estar sabendo de nada.

_ Ela não curte muito o aniversário dela, é no sábado  _ Sting respondeu _ Pensei que devíamos fazer alguma surpresa pra ela, ir em um barzinho e comemorar de boa, sabe?

Esse cara é muito fofo velho! Que filho da puta, não tem como eu evitar o que ele me obriga a sentir.

_ Sei é uma ótima ideia! Vamos fazer uma grupo aqui e colocar a galera, a Lucy gosta de ir naquele quiosque na praia, acho que o 23, pode ser lá.

_ Lá é bom, daí você e as meninas chamam ela pra ir lá como quem não sabe de nada e depois falam que os caras quiseram ir junto, a gente canta parabéns e tals.

_ Ela faz aniversário uma semana depois dos gêmeos?

_ Parece que sim, mas acho que dá um pouco mais que uma semana, os dois fizeram aniversário na quarta. O da Lu é certinho no sábado.

_ Vamos fazer um ótimo aniversário pra ela! _ Falei me animando.

_ Ótimo. Somos uma ótima dupla.

_ Sempre.

_ Então podíamos chamar a galera pra ir na praia no domingo parece que vai ter um luau.

_ Um luau? No domingo? _ falei pensando em como isso caía perfeitamente. _ Isso é ótimo, o que acha? Um encontro no luau! É perfeito para um primeiro encontro e tem todo aquele clima romântico.

Olhei pra ele em expectativa e demorei para reparar que sua expressão estava mais do que indignada.

_ Vai sair com o James Carter? Sabia que tinha um motivo pra ele estar no seu carro.

_ Vou, ele me chamou pra sair esse fim de semana.

_ Ele é um mulherengo!

_ E…

_ E que ele fica com várias garotas! Tipo várias.

_ E daí? Eu fico com alguns caras _ Falei irritada _ E calma aí! Você também fica com várias garotas, e bota várias nisso! Faz o que uns dois dias que não te vejo pegando ninguém? Aliás se o James fica com várias garotas pelo menos ele faz isso na surdina em vez de nos corredores da escola e no vestiário.

Me exaltei. Porque eu me exaltei? Sting nem mesmo estava falando de mim ou de si próprio mas mesmo assim tudo o que fiz foi acusá-lo.

_ Opa! Ok estressadinha, não vou mais falar do seu precioso James. Só não acho que ele seja um cara bom o bastante pra você! Você beijar uns caras em uma festa é diferente de sair com um cara, um encontro é o primeiro passo para um relacionamento.

Ele estava certo, e eu sabia que de meus pensamentos eram iguais aos dele nesse sentido, mas eu não ia deixar que ele pensasse que eu não era uma garota que poderia ter um relacionamento.

_ Talvez eu queria um relacionamento, Sting. _ Respondi de maneira fria e o carro ficou num clima tenso.

Sting me encarou por um momento e eu sabia que apesar do sorrisinho irônico ele estava irritado.

_ Faça o que quiser então. _ Respondeu por fim e o silêncio se instaurou no ambiente de forma opressora.


 

Natsu

 

A cena que se desenvolvia em frente aos meus olhos era quase inacreditável. Aquela garota era realmente minha irmã de 15 anos? Senti meu sangue ferver de raiva e embora fosse irracional um ciúme desproporcional tomou tudo.

_ Cinema com a galera?! _ questionei minha irmã irritado enquanto olhava os dois se separarem rapidamente com os rostos vermelhos como duas pimentas.

_ Hã… eu não tinha planejado isso _ o cinema com a Cherria estava chato então vim pra casa do Romeo e… _ Ela parou de falar e seu rosto perdeu a cor avermelhada enquanto ela me olhava e depois olhava para a janela. Eu fiquei ainda mais irritado quando um sorrisinho sarcástico tomou os lábios daquela pirralha projeto de Erza. _ Calma aí, o que você está fazendo entrando pela janela do quarto do Romeo? Errou de quarto é?

A essa altura senti meu rosto queimar.

_ Não tente inverter as coisas Wendy Dragneel! Você estava de indecência no quarto de um garoto! Acha isso certo?

_ Pelo menos eu fui convidada a entrar no quarto desse garoto! Você ia invadir o quarto da Lucy! _ Ela ela gritou de volta me encarando do jeito irônico que ela sabe que me irrita. Ela está me provocando e por todos os anos de experiência sendo minha irmã, ela sabe exatamente como me irritar.

_ Não vai conseguir inverter a situação, pirralha. Você não vai perder o cabaço com 15 anos no quarto de qualquer cara!

_ Hey! _ Romeo exclamou ofendido mas ficou quieto quando lhe lancei um olhar cortante.

_ Qualquer cara? O Romeo é meu melhor amigo e o cara mais confiável que eu conheço! Você é que não é um cara muito confiável e por isso tem medo de que eu faça as mesmas besteiras que você! Cuida da sua vida Natsu!

Ela se irritou também.

_ Que merda de gritaria é essa aqui? _ Lucy apareceu na porta do quarto fazendo com  que eu engolisse minhas próximas palavras para Wendy.

_ Natsu ia invadir seu quarto e acabou invadindo o do seu irmão! E agora ta bolado porque viu nós dois fazendo a mesma coisa que ele quer fazer com você, dar uns amassos!

A pirralha desdenhou e Lucy me encarou surpresa.

_ Deixa eles Dragneel, vem, vamos conversar... _  A loira falou por fim e saiu do quarto.

_ Você tem meia hora pra estar em casa sua pirralha, se eu não te encontrar lá, amanhã você vai estar ferrada! _ Falei para Wendy antes de seguir Lucy pelo corredor com a curiosidade me corroendo.

_ Meia hora é tempo mais do que o suficiente _ minha irmã provocou mais uma vez.

Revirei os olhos e passei pela porta entreaberta com o nome da loira numa plaquinha pendurada.

Teria sido tão mais fácil apertar a campainha!

_ Só vim aqui porque queria saber o motivo de você estar me ignorando. _ Falei de uma vez sem dar tempo de ela perguntar.

Lucy hesitou por um segundo e depois simplesmente deitou na cama e bateu no lugar ao seu lado.

_ Deita aqui um pouco. _ falou enquanto virava de lado de forma que ficamos cara a cara quando me deitei do mesmo jeito.

Por impulso passei o braço por sua cintura e a puxei mais para perto, era onde eu a queria, perto.

Ficamos vários minutos nos encarando em silêncio até que num pequeno movimento encostei meus lábios nos dela, sem pensar, apenas por que não consegui ficar tão perto sem poder tocá-los.

_ Acho que tenho problemas demais Natsu, talvez eu não consiga lidar com eles e não quero ser um pe-

_ Para _ interrompi seu monólogo que parecia ensaiado. _ Não vai se livrar de mim, não ligo para o que os outros pensam, sobre você, sobre seu avô ou até mesmo sobre o que te aconteceu, eu te conheço, sei que está nervosa e assustada, sei que tem medo, mas eu não tô aqui pra te machucar, eu to apaixonado Lu _ falei o que estava preso em minha garganta. Vi os olhos castanhos encherem de lágrimas.

_ Eu estou quebrada Natsu, talvez… eu não possa dar o que você precisa.

_ Você é o que eu preciso _ disse me sentindo ótimo por poder dizer isso.

Sorri abertamente pela confissão.

_ Tem que ter sérios problemas pra se apaixonar por mim. _ Ela resmungou enquanto passava os dedos pelos olhos molhados. Beijei seu rosto antes que ela terminasse, distribuí beijos a puxando para perto e a abracei sentindo uma euforia fora do normal.

_ E pensar que agora é você quem está tentando me dar um fora _ falei rindo por todas as vezes que fugi da loira, que agora decidiu que quer fugir de mim.

_ Antes eu não tinha tido uma crise de pânico e nem estava o tempo todo achando que ia ter outra. _ Ela falou séria e se afastou um pouco para olhar nos meus olhos.

_ Não vai acontecer, e se acontecer eu vou saber o que fazer. Lu a gente se gosta, e pensa bem a gente se conhecer é praticamente destino, você tropeçando e me derrubando e nós brigando pra todos os lados, e depois virando amigos, e depois estamos aqui deitados na sua cama enquanto eu digo que estou apaixonado e que você ficar longe de mim me deixa maluco.

Ela me encarou com os olhos chorosos e deu um sorriso minúsculo antes de aproximar os lábios  dos meus e me beijar.

 

 


Notas Finais


Me perdoem a demora.
Espero que tenham gostado ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...