História Minha Chefe Ninfomaníaca (Hiatus) - Capítulo 2


Escrita por: e DeniseParkTae

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Chef, Chim Chim, Hot, Jeon Jungkook, Jeongguk, Jimin, Jungkook, Jungkook Hot, Kook, Park Jimin
Visualizações 650
Palavras 1.549
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Muito obrigada a todos que estão acompanhando a história.

Capítulo 2 - Punição


Fanfic / Fanfiction Minha Chefe Ninfomaníaca (Hiatus) - Capítulo 2 - Punição

Capítulo Anterior: Segui direto ao vestuário a fim de conseguir o que havia esquecido. Caminhei atentamente observando algum movimento no local, mas estava completamente vazio e silencioso.

Chegando á porta do vestuário, logo percebi um barulho e a porta semiaberta. Aproximei-me curioso e pela abertura meus olhos tiveram a visão da qual eu sempre imaginei nos meus mais depravados pensamentos..

                Cap. 02                                          

Naquele instante imaginei se o quarteirão em torno do restaurante poderia ouvir o som nada discreto do meu coração, que batia tão descontroladamente a ponto de sentir cada impacto contra minha caixa torácica na qual elevava descompassadamente na tentativa frustrante de regular minha necessidade por oxigênio.

Pateticamente travado ali, encontrava-me travando uma batalha com pensamentos que ecoavam em minha mente.

“Sai logo seu imbecil! Ela vai te ver”.

“Fica! Aprecia! Não foi isso que você sempre quis ver?”

E como um verdadeiro representante da classe masculina e interessado naquilo que a grande maioria dos homens no auge de sua juventude ansiava, não dei ouvidos para o que aparentemente era o “certo” a se fazer, deixando que meus instintos falassem mais alto a meus ouvidos, ou mais especificamente, ao meu corpo!

Diante de meus olhos que se encontravam incrédulos, estava à figura da Srta. Delphine na mais bela sintonia corporal de despir-se.

NUA... Não completamente, porém, esperei ansioso para vê-la em tal situação.

Detalhe por detalhe... Seus seios começavam a alimentar minha visão da mais formosa e excitante paisagem que ela poderia presenciar.

A cada peça retirada e a cada movimento que seu corpo fazia, somente alimentava minha cabeça de que ela absolutamente teria que ser minha!

 “Custe o que custar, essa mulher terá que se tornar minha!”

Minha ambição para com ela aumentava ao passo em que suas peças inferiores eram retiradas, revelando sua pele despida. Meu coração pareceu dar-me uma trégua, o barulho das batidas contra meu peito já não me eram incômodo, o oxigênio suprimia minha necessidade de outrora. Meu corpo já não encontrava-se em tamanha euforia nervosa, no entanto, me senti diferente, tal situação proporcionou-me uma sensação demasiadamente prazerosa, reconheci um novo “eu”. Aquele garoto nervoso e indeciso havia dado lugar a um homem com instinto animalesco pronto para atacar a presa indefesa. Aquele corpo majestoso e atraente encontrava-se agora completamente nu diante de meus olhos, deixando-me em estado de narcotismo.

Procurei mais espaço que me desse uma visão mais detalhada da Srta. Delphine. Sorrateiramente aproximei-me um pouco mais da abertura, e foi justamente ai que senti uma velha e conhecida reação sob o tecido do meu jeans ligeiramente apertado.

Não me contive ao abrir o zíper da calça e colocar para fora o que estava latejando e me torturando. Os movimentos que antes eram discretos intensificaram arrancando-me gemidos involuntários. Rapidamente levei a mão em minha boca na tentativa de conter-me. Percebi que algo a chamou a atenção e obviamente que eu havia feito isso. Ouvi seus passos aproximarem cada vez mais da porta a procura do que lhe tirara a atenção, de fato que eu seria embaraçadamente descoberto. Não podia deixar que ela me visse em tal situação constrangedora, e rapidamente sai de lá sem ao menos ter pegado meu celular de volta. Corri até a porta e dei de cara com Jimin no qual não hesitou em falar alto fazendo-me tampar sua boca e o puxar para a rua.

- Porque agiu dessa forma? O que está acontecendo?

Sem entender o que havia ocorrido Jimin pediu-me explicações de minha euforia.

Expliquei o que havia ocorrido, mesmo que ainda estivesse em estado de choque.

Jimin claramente ficou estarrecido, entretanto, apesar de sua surpresa, ele não conseguiu conter-se e rapidamente começou a me encher de perguntas sobre como era seu corpo, contudo não demorou a repreender-me a respeito do ocorrido, indagando sobre o que poderia me acontecer caso ela tivesse visto.

- E você, porque está aqui? – o interroguei assim que terminou de repreender-me.

- Resolvi lhe esperar, pois já é muito tarde da noite para andar sozinho, e como você demorou, resolvi vir e ver o que havia acontecido. – explicou Jimin.

Ergui a cabeça, abrindo um largo sorriso pela gentileza esperada de Jimin.

Caminhamos pela rua iluminada pelos postes públicos e pelas luzes de neon que piscavam das grandes quantidades de lojas enfileiradas e organizadas daquele bairro requintado. Ao passo que nos aproximávamos da casa de Jimin que não morava muito longe da minha, perdi-me novamente nos pensamentos que insistiam em me torturar tanto mentalmente quanto fisicamente.

Passamos por alguns clubes noturnos de onde entravam algumas mulheres com poucas roupas. Suas curvas bem delineadas faziam com que meu pensamento voltassem a Delphine, porém, nenhuma comparava-se a sua beleza.  Após alguns minutos caminhando, chegamos à casa de Jimin.

- Nós vemos amanhã na faculdade!

Jimin despediu-se, adentrando sua casa.

Segui sozinho até minha casa que ficava a um quarteirão da sua.

Procurei as chaves de casa no bolso da calça e abri á porta. O bom de morar sozinho é que você não precisa ter hora marcada para chegar ou ficar preocupado se sua família está por você. Aos 22 anos eu ainda não trabalhava, recebia uma boa mesada de minha família para me manter, pois eles presavam muito a total dedicação aos estudos e acreditavam que após a formatura eu teria muito tempo para trabalhar e dedicar-se a uma verdadeira vida independente e adulta.

Joguei meus pertences na cama juntamente ao meu corpo cansado. Ao cerrar os olhos meu primeiro e único pensamento não poderia ser outro a não ser Srta. Delphine! Suas curvas amavam me atormentar.. Tudo o que havia acontecido retornou a minha mente como um filme, continuei a pensar e reviver tudo aquilo novamente e não demorou para me sentir excitado novamente, e teria que terminar o que havia ficado pendente.

Deslizei as mãos para dentro da calça retirando meu pênis para fora. Com sua presença plena em meus pensamentos a imaginei nua em minha frente, o que automaticamente fazia-o pulsar louco de desejo por seu corpo desnudo. Acelerei o ritmo fazendo-me gemer descontroladamente à medida que sentia-me chegando ao êxtase. A noite passou rapidamente, e por mais que eu tentasse, não estava conseguindo dormir com os pensamentos retornando-o para aquela mulher...

Na manhã seguinte, ainda sob efeito da noite anterior, arrumei-me, peguei meus pertences e segui de encontro a Jimin para a faculdade.

Procurei meu celular, porém, me recorreu que havia deixado no vestuário do restaurante...

Corri, pois já estava atrasado e Jimin odiava perder o horário.

Ouvi um som de buzina, virei-me e o vi de cara brava pelo vidro do carro a minha espera.

- Rápido Jungkook.... Estamos atrasados! - retrucou ele.

Entrei e seguimos o mais rápido para não perdermos a aula.

Caminhamos pelos corredores da faculdade que já estavam silenciosos, de certo que as aulas já havia começado.

- Aposto que ganharemos mais um trabalhinho extra para o final de semana como punição pelo atraso. - lamentava-se Jimin com o semblante entristecido..

Próximo a nossa sala formava-se alguns barulho e se dermos sorte o professor de ética que por sinal era bem rabugento, não estaria em sala. Corremos e como esperado, ele não havia chegado.

Sentamos em nossas cadeiras aliviados pela sorte que tivemos.

Fiquei estarrecido quando meus olhos avistaram a Srta. Delphine entrando pela porta, entretanto, minha surpresa não fora apenas por sua presença inesperada, mas sim por suas orbes virem imediatamente de encontro a minha face. Pela primeira vez eu percebi que ela realmente me olhou nos olhos. E não foi uma sensação boa. Ela tinha um brilho estranho, meio perverso e assustador...

- Turma, estarei substituindo o professor de ética que por motivos maiores não poderá comparecer hoje.

 A aula prosseguiu normalmente para os outros alunos, entretanto, para mim foi desconfortável por tudo o que havia acontecido e por perceber um comportamento um tanto diferente de sua parte para comigo.

O sinal que indicava o final da aula soou, os alunos levantaram-se seguindo para fora da sala, inclusive Jimin que chamou-me para ir junto, se não fosse a voz de Srta. Delphine ordenando-me que ficasse na sala.

- Sr. Jeon, quero que vá diretamente a minha sala no intervalo, preciso ter uma conversa em particular com você.

- P-particular... C-claro que sim.

Jimin ficou surpreso ao ouvir tais palavras saírem de sua boca, mas não mais que eu, fiquei apavorado imaginando que assunto ela queria tratar comigo.

Jimin puxou-me ao banheiro indagando-me sobre o que ela poderia querer tratar apenas comigo.

Me encontrei em um verdadeiro estado de pânico.

“ E agora... E se ela me viu ontem espionando ela?”

“O que eu irei fazer?”

Ao voltarmos à sala de aula, não consegui concentrar-me nas aulas imaginando o que ela poderia querer. O sinal do intervalo soou novamente e sabia que a pouco eu teria que enfrentar cara á cara a Srta. Delphine.

- Não está com medo Jungkook?

- Medo? Eu? Minhas pernas trêmulas respondem a sua pergunta?

Chegamos à porta da sala de Srta. Delphine e pedi que Jimin me esperasse do lado de fora.

- Força Jeon Jungkook. Força! Suas mãos vieram de encontro a meu ombro em um encorajamento um tanto irônico e  humorístico de sua parte.

Bati a porta e fui recepcionado por uma voz feminina e um tanto autoritária que me fez arrepiar.

- Entre!

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...