1. Spirit Fanfics >
  2. Minha doce Psicopata >
  3. A história de Théo

História Minha doce Psicopata - Capítulo 55


Escrita por:


Capítulo 55 - A história de Théo


Fanfic / Fanfiction Minha doce Psicopata - Capítulo 55 - A história de Théo

Narrador On

AAEEEE MILAGRE D'EU FINALMENTE NARRAR ESSA CARALHA!! 

*Cof cof*... desculpem -me pelo meu berro desnecessário... É que eu estou emocionado, sabe? 

Enfim...




(...)




Théo é um garoto órfão, cresceu e viveu sozinho nas ruas. O jovem aprendeu a roubar dês dos 8 anos de idade e com isso ele não era bem-vindo em lugares de comércio. Como... Feiras, açougues, padarias, mercados e entre outros... 

Antes do jovem entrar nessa vida de roubo, ele era bem-vindo em todos os lugares. Os donos de comércios o davam comida pro rapaz não morrer de fome, faziam isso por generosidade. Com o tempo, Théo teve a "brilhante" ideia de ser "independente" e seguir a vida sem pedir favores. 

Nosso jovem Théo foi abandonado ainda quando era bebê e por esse motivo, o mesmo nunca recebeu amor de absolutamente ninguém e com isso o pobre garoto passou a vida inteira roubando e sem ter interesse em receber afeto...

Algumas horas antes de ser salvo pela Mika, o mesmo estava correndo de um grupo de delinquentes que corriam atrás dele pra espanca-lo por motivos, um tanto, ridículos...

Narrador Off 

Théo On

Eu corria desesperado pelas ruas e, como o narrador havia dito: eu corria de um grupo de delinquentes que me perseguiram.

O motivo? Bom... (=_=') 

Eu só passei por eles na maior cara de foda-se, o real motivo deles correrem atrás de mim, eu não sei qual é, Acredite eu realmente não sei! Só sei que eu precisava correr pra salvar meu couro.

Eu corria e corria, corri até minhas pernas se cansarem. Eu precisava respirar e descansar de tanto correr, então resolvi entrar naquele beco na esperança de me despistar aqueles quatro. 

Ainda correndo eu vi aquele grupo ainda atrás de mim, eles estavam um pouco distante. Volto a olha olhar pra frente e vejo aquele beco e me escondo nele. Vejo os quatro patetas passando por mim sem suspeitaram da minha presença naquele beco.

Suspiro aliviado por finalmente ter me livrado daqueles quatro e poder respirar em paz agora.

Me sento no chão e recupero o fôlego. Tiro a minha touca que estava na minha cabeça dês do início deste capítulo e a abro vendo o que consegui roubar e guardei em seu interior.

Tinha apenas um pequeno anel com uma preciosa pedra embutido nele. Acho que era um rubi, pois era vermelho, pequeno e tinha o formato de coração. Com certeza era falso, mas fazer o que né? 

Eu estava com fome, e pro meu azar: Eu não tinha comido nada dêsde hoje de manhã e roubado nem sequer uma caixa de suco de soja do mercado. Adoro suco de soja, só vou naquele mercado pra roubar esse tipo de suco.

Eu estava faminto, exausto e com um pouco de frio. As nuvens daquelas noite davam indícios de chuva, e mais uma vez pro meu azar: Eu não tinha nenhum lugar pra passar a noite. 

Digamos que eu sou um tipo de pessoa bem azarada. Não tenho família, não tenho casa, não sou bem-vindo em regiões de comércios, vivo nas ruas dêsde que eu era só um bebê, vivo a minha vida roubando comida e outras coisas pequenas (como esse anelzinho aqui!), tô num beco escuro com fome e frio e com um bando de "valentões" correndo atrás de mim pra me fazer sei la o quê, MAS...por trás deste ladrãozinho existe um rapaz bem humilde, um que vai a igreja pedir que um dia eu seja tirado das ruas e finalmente consiga uma família, um rapaz que dá parte da comida a quem precisa mais do que eu e, que mesmo assim é odiado por quase todo mundo.

É... essa é a minha vida, mas relaxa que eu já sofri coisas piores que só correr de um bando de delinquentes!

Falando neles... 

???: Droga! Onde aquele imbecil se enfiou? *pergunta a garota do grupo*

Desesperado, saio imediatamente do lugar onde eu estava e me enfio numa lata de lixo. 

 Credo... que cheiro é esse? Parece que um animal morreu aqui dentro! Pior que eu não posso falar nada, eu também tô dentro da lata e tô prestes a morrer também...

Mas poxa, criadora! Não tinha um lugar melhor não? 

Quando entro e fecho a lata de lixo, a mesma faz um som que me deixou mais apavorado ainda.

 Sabe aquele som, quando a tampa se choca com o resto da lata e faz um som metálico? Se entendeu o que eu quero dizer, só balançar a cabeça e diga "pudim". 

Se entendeu, entendeu. Se não entendeu... tomou no c* porque nem eu entendi também.  ( ̄ω ̄;) .Continuando...

Enquanto eu estava dentro daquela "cheirosa" lata se lixo, eu sentia passos vindo em minha direção. Oh pai, por que me abandonaste? Logo eu que fui um garoto tão bondoso e generoso...

Pego a minha touca e coloco no nariz pra me impedir de respirar aquele cheiro podre. 

Tenho a leve impressão quem tem alguém ao lado da lata de lixo em que eu estava. Ferrou!

???: Dany!

Aquela voz me deu calafrios. Era grossa e masculina, e o pior é que estava realmente ao lado da minha lata. 

Dany: que é?

???: Vem ver só isso aqui.

Fudeu, parece que vou visitar o céu mais cedo do que eu esperava...

Sinto os passos da garota andando pra algum lugar. Provavelmente, indo em direção ao garoto que a chamou...

Dany: o que é? 


Silêncio...


???: Achei uma um babaloo! *sorri*

Dany: Muito engraçado, Rapha! *ri sarcástica* não quer saber o que eu achei também?

Eu quero!

Rapha: O que?

Dany: uma mãozada na sua cara!

Escuto um gemido de dor, provavelmente a garota deu um soco na cara do tal Rapha.

Ah, era só isso? E eu achei uma casca de banana, uma cabeça de peixe e...

Pera aí...que é que esse pontinho preto ao lado desse gato morto? 

Espera! 


...


GATO MORTO???

Théo: AAAAAHHHHHHH!! *pula da lata de lixo*

Caio no chão e tento me afastar o máximo possível daquela lata de lixo.

Dany: Ora Ora *encara o garoto apavorado* olha só! Teodoro se escondendo dentro de uma lata de lixo? *pergunta debochada*

Me levanto do chão e tento enfrentar esses idiota como um homem (o homem do qual eu não sou)

Théo: É Théo! *corrige a garota* É Théo e não Teodoro!

Dany: tanto faz *revira os olhos* não vai precisar corrigir mais ninguém quando já estiver no céu!

O que ela quis dizer com isso?

Théo: O-o que quer dizer com isso? *pergunta com um pouco de medo*

???: quer dizer que vai morrer está noite! *disse o mais velho do grupo*

O mais velho vem até mim e me levanta me puxando pela gola da minha camisa. 

Théo: desculpem atrapalhar o momento de vocês, mas...por que estavam correndo atrás de mim? *cruza os braços enquanto ainda está sendo puxando pela gola*

Não digam que eu estou sendo corajoso agora, eu só tô fazendo de tudo pra manter o macho alfa dentro de mim do jeito que está, mas acho que ele está me abandonando, assim como a minha alma...

???: Você não sabe mesmo? *perguntou o gordinho do grupo*

Balanço a cabeça afirmando que não. 

Dany: Você invadiu a nossa área, seu idiota! *fala como se fosse óbvio*

É sério? Só por isso? 

Théo: Isso é sério? *faz uma expressão de tédio*

O mais velho (o que me segurava) começa a me achacoalhar, dizendo...

???: VOCÊ INVADIU NOSSO TERRITÓRIO, IMBECIL!

Ele me solta e eu caio no chão pois perdi o equilíbrio.

Dany: Sabe o que a gente faz quando invadem nosso território? *se aproxima do garoto*

Cruzo os braços e as pernas.

Théo: Tenho a plena certeza que vocês não dão doces! *ri internamente*

A líder do grupo se aproxima de mim e dá um forte tapa no meu rosto. Merda, ela tava usando um anel!

Falando em anel...cadê a minha touca e o anel que eu tinha roubado??!

O canto da minha boca começa a sangrar, vejo o grupo todo começando a rir.

Rapha me dá um forte chute no estômago, o que me faz cair por inteiro no chão e gemer de dor.

Ouço Dany rir de mim e chutar as minhas costas. 

A mesma se afasta de mim me vendo contorcendo no chão de tanta dor. 

Dany: acabem com ele!

Os outros três ficam a minhas volta e começam a me espancar.

Um me chutava na boca do estômago me fazendo cuspir sangue, outro socava a minha cara com toda sua força e fúria e, por último, tinha outro que ria enquanto imitava o que me chutava.

Eu já estava sem forças pra reagir. Eu já era fracote de natureza, agora me imagina do jeito que eu tô e lutando com um mosquito? O mosquito voava na minha cara e eu já caía durinho no chão. 

Não riam! Eu tô falando sério! 

Dany só ria da minha situação, naquele momento as minhas esperanças de sair vivo já haviam acabado...

Mentalmente, comecei a orar e me desculpar pelos meus crimes. 

Théo pensando: Deus, me perdoe por tudo que fiz! Se o senhor me livrar dessa, eu prometo que nunca mais vou voltar a roubar! 

Eu suplicava por ajuda e orava de coração. Nenhuma de minhas promessas foram quebradas, ate hoje! E eu sabia que Deus me mandaria um anjo pra me tirar dessa situação.

Eu já estava todo machucado, sangrando muito e implorando pra eles pararem de me bater.

Dany e seus amigos riam da minha situação como se fosse a coisa mais hilária pra eles. Enquanto os mesmos continuavam me batendo, eu deixava um lágrima escorrer pelo meu rosto que já estava coberto pelo meu sangue.

Théo: parem... por favor!!

O mesmo instante em que eu ja não conseguia nem sequer respirar, uma voz feminina ecoa por todo aquele beco fazendo que os três que estavam me espancando, parassem no mesmo instante em que se escuta aquela doce voz.

xXx: EI!!

Como eu disse... ao escutar aquela doce voz, o grupo todo para o que estavam fazendo e olham pra ela. Minha visão estava um pouco embaçada, mas eu poderia jurar que era uma garota. 

A mesma tinha a pele COMPLETAMENTE pálida, usava roupas pretas e escondia seu rosto com uma máscara e seus cabelos com seu capuz.

Olhei pro bolso de seu casaco e também podia jurar que havia algum objeto pontiagudo ali dentro. Já que a ponta do objeto estava diretamente visível por trás do tecido fino de seu moletom. 

 Tusso algumas vezes e tendo me levantar, mas falho e caio novamente no chão. Estou fraco demais pra levantar...

Dany: O que você quer, garota?

xXx: Quero saber por que batem nesse garoto?

Talvez este seja o anjo que Deus me mandou pra me salvar...

Rapha: Isso não te interessa, garota estúpida!

xXx: Escuta, sua mãe não te deu educação não? 

A garota entra no beco e se aproxima de mim e do grupo que estavam a encarando com um olhar de superioridade.

xXx: O que ele fez pra baterem nele desse jeito? *cruza os braços*

???: Já falamos que isso não é da sua conta! *falou o mais gordinho do grupo*

xXx: Mais um sem educação! *revira os olhos*

Concordo!

...

Já devem saber o que acontece depois não é? mas enquanto acontece eu vou lhes dizerem algumas frases pra refletirem... 

*Cof Cof*...

"Você só vence amanhã se não desistir hoje"

"Ser ou não ser... vai se fuder!"

"Viva o hoje, pois o manhã não será mais o manhã, e sim! O agora"

  Enfim... quando tudo acaba, eu só vejo aquela garota em frente ao corpo da líder do  grupo que já não estava mais viva.

 eu arregalos olhos ao perceber que o resto todo daquele grupo já estava morto.

As roupas da maior estavam todas sujas de sangue e sua faca estava toda lambusada com o mesmo. Tá bom.. já sei o que aconteceu!

QUE TIPO DE ANJO É ESSE QUE MATA QUATRO CRIANÇAS EM MENOS DE 10 MINUTOS?!?! 

Agora eu conseguia ver como era seus cabelos, pois estavam livres por causa do seu capuz que havia caído a alguns minutinhos atrás. Eram negros, ondulados e LIN-DOS!! Eram de deixar qualquer um com inveja.

A garota olha em volta e quando bate os olhos em mim, eu senti um leve arrepio na espinha. Comecei a achar que ela iria me matar também, mas a garota me ignorou, colocou seu capuz de volta e saiu.

Não sei por que, mas eu tive que ir atrás dela pra agradece-la por ter me salvado da morte. 

Uni todas as minhas forças que ainda restavam e me levantei do chão, antes de perder o equilíbrio eu me apoio na parede que estava a alguns centímetros de mim. Saio daquela beco com o corpo todo dolorido e com as pernas bambas.

Théo: Ei, espere!

Ando apoiando nas paredes e tentando ir até a garota que me salvou, a mesma olha pra trás e me vê. Eu ainda estava com a visão embasada e ela ficou pior quando a garota virou de costas pra ir embora. 

Me senti tonto e minha visão escureceu. 

Eu apaguei...

Apartir dá aí, vocês já sabem o que aconteceu...

Aquela garota me levou até sua casa, eu acordei, conheci os amigos dela, tomei um banho pra tirar aquele cheiro podre daquela lata de lixo de mim e enfim...

Eu sou muito grato a Mika por ter me salvado e por ter oferecido sua casa pra mim passar a noite! 




Continua...


Notas Finais


Desculpe pelos erros de ortografia e obrigado por ler esse capítulo ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...