1. Spirit Fanfics >
  2. Minha doce vingança >
  3. Capítulo 1

História Minha doce vingança - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiê, essa é a primeira fanfic de Boku no hero que eu faço, e também não liguem se algo não fizer sentido no capítulo ou se alguma palavra estiver errada e caso veja isso me avise please. Postei essa mesma fanfic também no wattpad (não sei o motivo para falar isso mas quem prefere o wattpad né kkkk) vou deixar o link nas notas finais. Enfim tenham uma boa leitura :3

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Minha doce vingança - Capítulo 1 - Capítulo 1

-... PORQUE VOCÊ SIMPLESMENTE NÃO SE MATA HEIN?!


"Se matar." O quanto já não pensou nisso, até tentou  algumas vezes mas sempre lembrava de como sua mãe iria se sentir e desistia.


Ela tinha depressão por seu filho não possuir individualidade que era algo muito comum já que 80% da população mundial possuía alguma. Entrou em depressão após a descoberta. Via o filho assistir o vídeo do primeiro salvamento realizado por seu herói favorito, All might. O filho chorava por não possuir individualidade e não poder ser o herói número um como o seu ídolo, por não poder salvar as pessoas com um sorriso no rosto, por ser um inútil na sociedade. Porém o que mais magoou o menino foi o que inko o disse. 


- Me desculpe!


Disse ela chorando e abraçando seu filho. Não era isso que izuku queria ouvir. Ele queria ouvir algo como " não desista de seu sonho, tudo é possível." Porém seria pedir muito.


E para contribuir seu melhor amigo infância katsuki ou "kacchan" como modoriya o chamava se tornou muito orgulhoso por causa de sua individualidade e depois de descobrir que izuku não possuía uma começou a humilhar o mesmo, praticar bullying e até agredir "deku" como gostava de chamar midoriya. Agora deku estava apanhando de seu "amigo." Já estava cansado de todos dizerem que seu sonho era impossível, que ele deveria tentar ser um médico ou um policial, ninguém acreditava que ele conseguiria realizar o sonho de se tornar um símbolo da paz, mas apesar de todos dizerem isso ele não desistia de seu sonho que era uma das únicas coisas que o motivava a se manter respirando até agora. O esverdeado levava chutes no estômago de bakugou que covardemente não dava trégua. Até chegou a vomitar sangue de tanto que já tinha apanhado.


- Sabe deku, eu só não mato você agora porque no futuro eu tenho que ser o herói número um, coisa que merda como você nunca vai conseguir. 


E assim o deixou no chão e foi embora. Izuku estava bravo, muito bravo, odiava bakugou com todas as forças que tinha. Queria matá-lo lentamente, para ele sentir toda raiva e sofrimento que estava guardado em si. " Já que você sonha em ser o herói número um talvez eu seja seu vilão número um, kacchan. Destruirei seu sonho também já que você faz tanta questão de me lembrar que eu não  conseguirei realizá-lo" Com esse pensamento levantou e foi até sua casa para poder chegar antes de sua mãe e não ter que dar explicações de seus ferimentos. Já em seu quarto fez os curativos em seu rosto pois tinha levado muitos socos. Depois de fazer os curativos colocou um pijama e deitou em sua cama esperando o sono vir mas ele não chegava de jeito nenhum pois estava pensando constantemente em kacchan e um jeito para matar o mesmo quando do nada um portal se abre a cima de sua cabeça e um homem de cabelos azuis claros e olhos vermelhos sai dele e cai em cima da cama de midoriya que teria gritado se o desconhecido não colocasse sua mão na boca de deku, sem encostar todos os dedos em si.


- Silêncio midoriya-kun, eu vim em paz no momento.


- O-o que você quer?!


- Apenas te fazer uma proposta na qual tenho certeza que não irá recusar.


- Q-que p-proposta…?


Continua?




Notas Finais


Link da mesma fanfic só que no wattpad:

https://my.w.tt/H6IVT5a7J7

Espero que tenham gostado desse capítulo e por favor leiam os próximos até mais, beijos :3.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...