História Minha Esposa Minha Dona - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Visualizações 844
Palavras 1.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeiro quero me desculpa por não ter postado esses dias, estava com alguns problemas mas já foram resolvidos e pra compensar vocês daqui a três horas posto um novo capítulo.
Como sempre desconsiderem os erros...

Capítulo 11 - Aborto e Revelação


Fanfic / Fanfiction Minha Esposa Minha Dona - Capítulo 11 - Aborto e Revelação

11- Aborto e Revelação .

Tinha passado dois dias dês da explosão de Regina, e fazia dois dias que a morena não via Emma e nem tinha notícias dela pois a loira não estava dormindo no quarto do casal ela não faziam mas as refeições juntas e Killian era quem levava e buscava e morena em Columbia.

Regina estava saindo do prédio onde estudava indo ao encontro de Killian quando se surpreende ao vê o carro de Emma com a loira á dentro dele a sua espera.

R- Oi.—o receio era notável na voz da morena.

E-Entra.—E tudo que diz. Regina suspira e obedece a loira que mantinha seus olhos para frente, Emma espera Regina coloca o sinto pra então sair com o carro.

R- Onde estamos indo.—Pergunta depois de um tempo em silêncio vendo que a loira tinha feito um caminho diferente.

E-Não se preocupe não estou indo matar você.—ironiza.—Só estamos indo resolver seu problema.—Responde deixando Regina confusa, porém a morena achou melhor não rebater e assim o silêncio voltou a reina dentro do carro depois de 20 minutos Emma pra em frente ao prédio onde Regina pode identificar como sendo uma clínica.-Vamos.—Coloca a mão base da coluna da morena a conduzindo para dentro do prédio.

R-O que viemos fazer aqui Emma.—Questiona.

E- Eu já disse resolver seu problema.—Repete mães uma vez o que já tinha dito.- Boa tarde sou Emma Swan doutor Will está a minha espera.—Fala com a atender no balcão.

At- Boa tarde Dona Swan você pode seguir pelo correndo até a sala de espera Dr Will já vai atende-la.—Instrui a loira.

Regina e Emma seguem por onde foi indicado até a sala de espera.

R-O que você quis dizer com resolve seu problema?—Questiona encarando a loira, mais antes quer Emma possa responde uma pessoa que Regina reconheceu como a testemunha de Emma no casamento chega.

W- Emma.—Abraça a loira.- Regina.—Aperta a mão da morena educado.- Está pronta?—Pergunta e Regina franze o cenho.

R-Pronta pra que?—Diz confusa fazendo Will encara a loira confuso.

E- Will vai fazer seu aborto.—Responde sem encara a morena não queria vê a satisfação nos olhos de Regina.

R-O que?—Diz espantada.-Como assim aborto.—Da um passo pra longe de Will.- Você não vai tira meus filhos.—Fala revezando seu olhar entre Emma e Will.

E- Regina..

R- NÃO.—Grita assustando a loira.- VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO NÃO PODE ME OBRIGARA A TIRA MEUS FILHOS VOCÊ NÃO PODE.—Diz partindo pra cima da loira socando seu peito, Emma estava assustada e surpresa com a reação de Regina, afinal se ela não queria os filhos porque estava reagindo assim.

E- Regina.—Tenta chama a atenção dela.

R-Por favor.—Súplica-Por favor não tira meus bebês.—Aperta suas mãos na blusa da loira encarando seus olhos verdes. Emma encara a morena vendo medo suplica e desespero nos olhos castanhos cheio de lágrimas escorrendo.

E- Você os quer?

R- Sim Emma por favor não os tira não me obriga a tira nosso bebês por favor, por favor.—Emma sente os desespero da morena e sem pensa em mais nada a aperta em seu braços tentando conforta-la. Regina não mostra resistência se aperta na loira chorando forte eu seu peito.

E- Calma querida, ninguém vai toca no nossos bebês, calma.—Passa a mão pela costa da morena.

R- Desculpa, desculpa pelo que falei desculpa mais não tira nosso bebês.—Regina soluçava, Emma aperta ainda a mas seu corpo em seu braços que tremia devido ao choro.

E- Tudo bem Regina.—pega a morena em seus braços sentando com ela em seu colo e morena esconde seu rosto na curva do pescoço da loira se sentindo segura.- Você precisa se acalma, eu prometo ninguém vai tira nosso bebês.—A morena se agora só soluçava vai se acalmando com as carícias que Emma fazia em seus cabelos. Depois de um tempo a respiração de Regina vai ficando mas suave então Emma percebe que ela dormiu.

W- Ela não me perece alguém qeu não queria os filhos.-- Comenta e Emma suspira.

E- Foi o que ela deu a entender Will.—Responde.

W- Ela só é uma menina Emma a unica  coisa que ela esta, e assustada.—Encara a loira.- Talvez se você sentasse e conversasse com ela as coisas seriam diferentes.—Aconselha.

E- Despois do que ela disse , acho que não faz mais diferença.— Faz leves carícias pelo rosto da morena.-Eu vou Da a divórcio a ela, eu iria fazer isso alguns meses depois do aborto, mas agora eu vou espera meus filhos nascerem então vou li dá o divórcio.

W- Você tem certeza disso?

E- Sim.—Responde.- Tudo o que eu quero é que ela seja feliz, pra isso preciso deixa-la livre.

W- Se é isso que você quer tudo bem, porem ainda terão filhos juntas nada vai mudar isso, então você terão que se entenderem pelo bem dessas crianças.—Diz a loira.- Ela é a mãe dos seus filhos ela merece saber sobre a Lily.—Emma encara o amigo por tempo antes de suspira pesado.

E-Eu vou pensa nisso.—Se põe de pé com cuidado para não acorda Regina.- Agora Deixa eu levá-la pra casa ela precisa descansa.

W- Okey minha amiga, espero que as coisa dei certo pra vocês.—Deseja sincero. Emma lança um sorriso sem dente para amigo da um aceno de cabeço indo embora.

Emma chega na mansão com Regina ainda em seus braços adormecida e ao entra encontra dona Grenny entrando na sala.

G- Dona Emma está tudo bem com a Dona Regina? –Mostra preocupação.

E- Está sim ela só esta cansada.—Responde.-Será que você poderia prepara uma sopa pra ela ainda não almoço e acho melhor ela come algo leve.

G-Claro Dona Emma.—Diz prontamente.

E- O que eu pedir já foi feito?

G-Já sim dona Emma sua roupas foram todas levada para outra suíte.—Responde.

E-Eu vou subir com ela.—Começa a subir as escadas.

G- Claro assim que a sopa tive pronta levo ao quarto.

E-Obrigada.

Emma sobe as escada indo até o quarto da morena e a deita com cuida para não acorda-la depois se senta numa poutrora que ficava de frente pra cama e observa a morena dormir enquanto pensava em tudo que aconteceu e não pode deixa de pensa em Lily quando li falou que estava grávida.

Flashback on

Emma chega em casa as pressa pois sua esposa avia mandando uma mensagem dizendo que precisava falar com ela urgente.

E-Lily amor cadê você.—Grita assim que entra na casa já subindo as escadas indo direto pro quarto do casal mas não encontra a esposa.- Amor.—Chama novamente.

L-Aqui.— Escuta Lily responde em um cômodo ao lado do quarto do casal as loira rapidamente corre até lá mas para na porta assim que se depara com um quarto de bebê montado ele era branco com detalhes amarelo Lily estava bem no centro do quarto com a barriga a mostra e nela estava escrito “estou a caminho mamães” com alguns pontos de interrogação na mesma hora os olhos de Emma começa a marejarem e não demora para as lágrimas rolaram.

L- Ainda não dar pra saber se é menino ou menina mas acho que as cores servem pros dois.--Diz com um sorriso amoroso, Emma encurta a distância entre ela tomando a amada nos braços a beijando apaixonadamente naquele dias elas se amaram por horas declarando sua amor uma a outra.

Flashback off

Emma e tirada de sua lembranças com Regina acordando a morena desperta assustada.

E-Calma você está em casa.—Diz sem ao vê a morena senta rápido na cama.-Eles ainda estão aí.—tranquiliza a morena que tinha a mão protetora na barriga.

R-Obrigada.

E- Eu não sou um mostro como você disse Regina o que eu menos queria era matar meus filhos, mas também não poderia condenar você a carregar dois bebes indesejáveis.—Responde a morena se fica surpresa.

R- Ele não são indesejáveis.

E- Não foi isso que pareceu.—Rebate.

R- Eu não Quis dizer aquilo sobre eles .—Confessa Emma solta uma única risada.

E-Já em relação o resto.—Ironiza e Regina desvia olhar, uma batida na porta as impede de contínua a conversa.-Entra.—autoriza.

- Desculpa, Dona Grenny  pediu pra trazer a sopa que a senhora pediu pra fazer para Dona Regina.—Uma empregada diz carregando uma bandeja  com um prato de sopa e uma pequena jarra de suco e dois copo.

E- Sim claro, poder deixa sobre a cama.—Pede educada assim a empregada faz.-Obrigada.

- de nada, Com licença. –Se retira do quarto.

E-Coma tome um banho depois desca quero conversa com você estarei a sua espera no escritório.—Diz enchendo um copo de suco antes de sair do quarto deixando a morena sozinha.

Regina não pode deixa de pensa sobre o que Emma queria conversa com ela será que tinha mudado de ideia sobre o aborto se fosse Isso ela não permitiria que Emma tirasse seus bebês ela lutaria com unhas e dentes para protege-los, a morena vê o prato de sopa na sua frente sente o cheiro agradável que vinha dele e sente seu estômago ronca, rapidamente ela pega a bandeja coloca no colo a começa a come em minutos limpa o prato e toma praticamente todo o suco da jarra. Depois de satisfeita resolve toma um banho ao sair do banho vai ate o closet só então percebe que as roupas de Emma não estão mas lá o que a deixou surpresa. Regina se verti e desce indo ao encontro da loira ela chega na porta do escritório e a encontra fechada da duas batida recebendo permissão pra entra, ao entre ela vê a loira de pé na janela olhando pra forra e também não pode deixa de nota a pasta sobre Lily em cima da mesa da loira.

E- Laia.—Aponta para a pasta na mesa. Regina não queria falar que já tinha visto aquela pasta e que foi assim que descobriu sobre a morte de Lily então apenas fez o que a loira pediu. Sentou na cadeira de frente pra mesa pegou a basta e começou a folhear lendo novamente todas as manchetes que já conhecia até a última que tinha lido porém seu coração errou uma batida quando virou a página e leu a próxima manchete e a cada página virada seu coração doía sendo consumido pela culpa a quando chegou na última página não pode deixa de lembra de todas as palavras que cuspiu na cara da loira e lentamente levanta a cabeça para olha para Emma que a encarava.

E-Eu não matei minha esposa Regina....

“FILMAGEM REVELA VERDEIRO ASSASSINO DE LILY SWAN”

“NEAL CASSINE VERDADEIRRO ASSASSINO DE LILY  SWAN”

“MÃE DE EMMA SWAN CÚMPLICE DE NEAL CASSINE”

“NEAL CASSINE CONDENADO A MORTE POR ESTUPRA E MATA LILY  SWAN”

“MARY MARGARETE SWAN CONDENADA A 30 ANOS DE PRISÃO”

“MARY MARGARETE ENCONTRADA MORTA DENTRO DA PRÓPRIA CELA”

“EMMA SWAN SE RECUSA A FALA SOBRE SUICÍDIO DA PRÓPRIA MÃE”

“GUARDA DO FILHO E DEVOLVIDA À EMMA SWAN”

E-Meu melhor amigo é minha mãe sim.


Notas Finais


Até...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...