História Minha Esposa Minha Dona - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Visualizações 899
Palavras 2.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei como promete....

Capítulo 12 - Passado Doloroso.


Fanfic / Fanfiction Minha Esposa Minha Dona - Capítulo 12 - Passado Doloroso.

12 Passado dolorido.

Emma caminha lentamente até a mesa sentando em sua cadeira ela permanece em silêncio por uns segundo como se pensando como começa falar.

E- Eu amava a minha esposa á gente se conhecia de menina eu tinha 5 anos quando Lily falou comigo pela primeira vez na escolinha, ela era nova na escola e eu era a excluída por ser diferente mas isso nunca importou pra ela viramos amigas naquele dia e nunca mas se separamos. O tempo foi passando e quando eu tinha 12 anos meu pai morreu em um acidente de carro, ele estava indo vê meu jogo de futebol eu insiste para ele ir vê porém ele nunca chegou, eu lembro que te ficando muito brava com ele, e o mais irônico era que enquanto eu estava brava ele estava morrendo a quatro quadras de onde eu estava. Depois Da a morte dele minha relação com a minha mãe que já não era boa só piorou pois ela não aceitava o fato de eu não se “perfeita” ela passou a me oprimir e culpa pela morte do meu pai sempre quer tinha uma oportunidade eu perdi as contas de quarta surra ela me sem motivo sempre me culpando dizendo que eu jamais devia ter nascido que eu não passava de uma aberração. Por três anos eu suportei isso graça a Lily que sempre me consolava e dizia o quanto minha mãe estava errada quando tinha 15 anos me declarei para Lily e esse foi o dia mas feliz da minha vida pois ela disse que sentia o mesmo então começamos a namora, quando minha mãe descobriu ela ficou possessa pois ela não podia aceita que eu namorasse uma garota e exigiu que eu terminasse com Lily, essa foi a primeira vez que eu enfrentei ela e disse que não faria isso, nesse dia ela me deu uma surra tão grande ganhei essa cicatriz.—Levanta a blusa mostrando a cicatriz um pouco abaixo dos seio quase imperceptível.- só que ela não contava que Kristen aparecer na hora ela estava indo me busca pois ia ao cinema com Lily e ela iria leva a gente. Ela ouviu meus gritos e junto com Lily entro correndo na nossa casa e me viu caida no chão machucada enquando minha mãe me batia. Kirsten gritou com minha a mãe a assustando a fazendo para Lily correu pra me socorre Kirsten quis denuncia Mary, mas eu pedir que não fizesse isso afinal era minha mãe, mas Kirsten garantia a Mary que se ela voltasse a toca em mim ela a denunciaria a polícia, dês desse dia as surra pararam mas não as ofensa que ficava cada vez pior a ponto de eu tenta me matar só não tive sucesso pois uns dos nossos empregando me encontro e chamou ambulância. Lily me fez prometer nunca mas fazer isso então me dedique aos estudos passava o maior tempo possível fora de casa eu fui aceita na faculdade junto com Lily a mãe dela deu um apartamento de presente pra ela ela me chamou pra mora juntas eu não pensei duas vezes em aceita. Quando completei 18 Lily queria casar eu achava cedo mas faria tudo pra ve-la feliz então casamos compramos uma casa maior já que eu passei a assumir os negócio do meu mais pois completei a maior idade e foi aí também que descobrir que meu pai avia deixando tudo pra mim em testamento. Um ano depois Lily ficou grávida foi aí que Niel apareceu nas nossa vida de novo ele nunca foi certinho mas era um garoto legal Lily não gostava dele mas eu achava que era só implicância pois Lily era muito ciumenta, hoje eu seu sei que deveria ter ouvido ela. Quando Alex nasceu Mary me procurou querendo conhecer o neto eu deixei afinal era neto dela. Quando ela o viu ela ficou encantada por ele o que me deixou feliz. Eu gostava de corre toda manhã e não foi diferente no dia da morte da Lily eu acordei tomei banho fui no quarto de Alex sei um beijo no meu filho e sair eu passava três horas fora e depois voltava pra casa. Quando cheguei em casa fiz tudo normal subi as escada passei pelo quarto do meu filho e o ouvir chora mas a porta estava fechada e como estava suada preferir o toma um banho antes depois do banho me enrolei em uma toalha e fui rumo ao quarto de Alex, quando abrir a porta tive a pior cena da minha vida Lily estava no chão com os olhos fechados toda ensanguentada e nua e minha única reação foi corre até ela.

5 anos atrás

Emma entra no quarto do filho que ainda chorava e se depara com Lily no chão do quarto toda ensanguentada sem pensa ela corre áte a esposa tentando acosrda-la mas já era tarde ela estava morta antes que Emma possa fazer alguma coisa dois policiais entram no quarto dando voz de prisão a loira.

M- Emma o que você fez como teve coragem de mata a mãe do seu filho?— Acusa mostrando horror

E- Eu não fez nada, eu jamais machucaria minha esposa eu a encontrei assim.—Se defende

Mas os policias não deram ouvido apenas permitam que ela se vestisse e a levaram para a delegacia onde ela foi acusada de assassinato e estupro. Emma passou dois dias presa na delegacia e depois foi transferida para perecido até o julgamento. Emma estava sem advogado já que Mary conseguiu bloquear sua contas alegando que ela poderia usar o dinheiro pra tenta fugir como ainda não era formada não podia auto se defender sua única opção era esperar o advogado que o estado li concederia mas parece que nem um advogado queria defender uma estupradora que era considerada uma aberração pois todos que o estado mandava dizia para ela assumir o crime e acaba logo com aquilo pois ela não tinha saída fazendo com que a loira recusasse seus serviços. Depois de uma semana presa a loira recebe uma visita que não esperava.

E- Veio me acusar também?—Pergunta assim que entra na sala de visita.

- Você e culpada?- A questionava.

E- Vai fazer diferença dizer que não?- Rebate.

- Disseram que você foi pega em flagrante com Lily nos braços morta ambas completamente nuas.

E- Eu tinha acabado de sair do banhoe enrolei na toalha e fui ao quarto de Alex vê porque ele não parava de chora.—Responde.- Eu não matei a sua filha Kristen.—Olha nos olhos da mulher a sua frente.-Eu a amava.—Declara deixando as lágrimas rolarem. Kirsten rapidamente se levanta dado a volta na mesa puxando a loira pra uma abraços.

K- Eu acredito em você.—Ao ouvir isso Emma começa a chora forte abraça a sogra quer deixa a loira chora ate se acalma.

E- Onde está meu filho? – Dês que foi presa não tem noticias do filho.

K- Com sua mãe, depois contra você disse que chamou a polícia pois ouviu Lily grita pedido pra você para.—Responde.

E- Isso é mentira eu nem estava em cada fui corre como sempre faço todas as manhãs.—Afirma.- por favor Kirsten não deixa meu filho com aquela mulher.—Implora.

K-Não se preocupe ainda hoje entro com o pedido de guarda vou alegar que como mãe da vítima tenho direito de fica com o meu neto duvido que o juiz não me conceda.—Diz tranquilizando a loira.-Você já tem advogado.

E-Mary conseguiu bloquear minha contas alegando que eu poderia usar meu dinheiro pra fugir então não pude contrata um.—Responde

K- Mas o estado não te ofereceu um?

E-Que queria que eu assumisse o crime, mas não vou fazer isso não vou assumir um crime que não cometi.

K- Eu vou arruma um pra você Emma vamos prova sua inocência.—Garante e a loira sorri tentando acredita nas palavras da sogra. Kirsten fica mas um pouco depois vai embora e como prometeu pede a guarda do neto e como previsto o juiz a concede deixando Mary furiosa mas não pode fazer nada já que foi ordem judicial.

Já fazia 15 dias que Emma estava presa e cada dia que passava suas esperança de ser solta era cada vez menor.

Ad- Eu estou tentando Emma, se pelo menos tivéssemos algum vidio vídeo que mostra você correndo na hora de Lula foi morta mas não existe câmeras naquela parte do park.

E- Câmeras.—Diz como se tivesse lembrando de algo importante.

Ad- Sim Emma câmeras.—Repete.

E- Como pude esquece disso.—Sorri pela primeira vez era um sorriso de esperança.

Ad- Esquecer do que Emma?

E- No quarto do Alex tem um urso azul ele está na prateleira ele é um urso espião foi ideia da Lily quando falei que teríamos que contrata uma babá no futuro e ela tinha medo que maltratasse o bebê então ela comprou esse uso.

Ad- Por favor Emma me diga que ele estava funcionando na dia em questão.

E- Estava sim Lily queria testa-lo então eu liguei na noite anterior, e como a bateria dura 48hs ele concerteza estava ligado naquele dia.—Responde.

Ad- Pois eu vou pra sua casa agora mesmo como seu advogado tenho permissão pra entra e investigar o local, se você tive certa nem julgamento você terá e amanhã mesmo já estará livre.—Diz se levantando vestido a casaco.

E- Okey obrigada.

Ad- Só estou fazendo meu trabalho provando sua inocência.—Sorri confiante parvoeira antes de sair a deixando cheia de esperança pra traz.

Flashback off.

E- No dia seguinte eu fui levada até o delegado, quando cheguei lá meu advogado estava lá ele me lançou sorriso triste. O delegado pediu pra mim senta e disse que tinha algo pra mim mostra.—Emma fez uma pausa e respirou fundo.- Ela virou um notebook pra mim e mandou que eu apertasse ente e eu fiz. Assim que a imagem foi solta vir que era do quarto do meu filho e eu não pude acredita no que os meus olhos viram Lily entrou no quarto mas ante nosso filho ainda dormia então ele entrou ela se assustou perguntou o que ele estava fazendo lá depois o mandou embora mas ele ao foi ela a agarrou rasgou suas roupas e começou abusar dela de forma tão violeta ela ainda estava de resguardo nosso filho só tinha 15 dias.—As lágrimas rolavam livremente pelo rosto da loira e também no da morena. Mas o que mais me chocou foi a mulher que se dizia minha mãe, ela apareceu na porta do quarto Lily implorou por ajuda. E ela apenas respondeu “ Porque ajudaria se Nael estava apenas mostrando a ela como era tem um homem de verdade dentro dela” deu as costa a ela sem nem se importa com o choro de Alex que acordou com os gritos de Lily não tínhamos epregando naquela época só Dona Grenny mas ela estava de folga naquele dia então por mas que ela gritasse ninguém a ouviria foi possível vê Nael apertando o pescoço dela até ela não conseguir mas respira e mesmo assim ele continua penetrando até se sacia.— limpas as lágrimas.- Naquele dia Nael e Mary foram preso pela morte de Lily e eu fui solta.—Termina os relatos.

R- Eu...eu.—A morena não conseguia dizer uma palavra seu rosto estava banhando em lágrimas tanto pela culpa quando pela dor que a loira sentiu.

E- Depois que nosso filhos nascerem eu vou te dar o divórcio.— Revela sentindo seu coração aperta.- Não se preocupe não vou separa eles de vocês, vou arcar com as despesas deles, só quero pode vê-los sempre que dizer e é que elas possam vim passa um tempo comigo.

R- Porque?

E- Porque são meus filhos e eu não vou abrir mão deles.

R-Não, quero saber porque vai me dar o divórcio?—Questiona. Emma se levanta e caminha até a porta.

E-Porque por mais que não acredite eu nunca quis que fosse tão infeliz por isso vou deixa você livre para que possa ser feliz com quem realmente ama.—Responde saindo deixando Regina ali encarando a porta por onde a loira saiu e pela primeira vez ela viu Emma com outros olhos


Notas Finais


Até...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...